Google+ Followers

domingo, 31 de dezembro de 2017

Billy Graham traz mensagem de encorajamento para começar o Ano Novo

Evangelista deu conselhos para aqueles que tiveram um 2017 difícil



por Jarbas Aragão
Resultado de imagem para man on journey
Billy Graham traz mensagem de encorajamento para começar o Ano Novo

Meditando sobre a chegada do Ano Novo, Billy Graham deixou palavras de encorajamento para aqueles que tiveram um 2017 difícil. O evangelista de 99 anos lembrou a todos que, embora Deus permita que passemos por tempos difíceis, Ele nos proporciona a esperança eterna através de Seu filho Jesus.

Em sua coluna semanal, postada no site da Associação Evangelística Billy Graham, respondeu a um leitor que lhe questionou por que Deus parecia estar tão ausente este ano, com o mundo vivendo seguidos desastres naturais e multiplicação de guerras.

Citando também problemas pessoais, o leitor disse que, mesmo orando, não viu resposta. “Onde estava Deus em tudo isso?”, questionou.

Graham primeiramente explicou que a coisa mais importante a lembrar é que “Deus sabe o que estava acontecendo em sua vida, e Ele se importou profundamente com você, mesmo que às vezes não pareça”.

Depois, citou o texto de Lamentações 3:22. “Em meio a um período terrível para o povo de Deus, o profeta Jeremias ainda podia dizer: as suas misericórdias não têm fim”

Graham disse que, muitas vezes, podemos desanimar diante das dificuldades que vivemos e que ele próprio já passou por isso. “Eu sei que o mal é real, e às vezes parece estar levando vantagem”, disse ele. “Mas também sei que Deus sabe tudo e por isso deu Seu único Filho, Jesus Cristo, para sofrer e morrer na cruz. Seu túmulo está vazio, pois ele ressuscitou. Por causa disso, você e eu podemos ter esperança”.

Diante dos momentos difíceis, ensina o evangelista, precisamos fazer escolhas. “Podemos ficar revoltados e nos voltarmos contra Deus, ou buscarmos ao Senhor com fé, podendo encontrar nele a força e a esperança que precisamos”.

“Qual a sua escolha?”, questionou Graham. Para aqueles que não sabem o que esperar de 2018, ele diz que a primeira decisão deveria entrar no ano novo com certeza da sua salvação. Para isso, lembrou que é preciso que confessemos a Jesus Cristo.

“Antes de tudo, peça que ele entre em sua vida. Depois, ore pedindo por Sua força e sabedoria para enfrentar os desafios da vida. Lembre-se que quando conhecemos Cristo, nada poderá nos separar do amor de Deus que está em Jesus Cristo, nosso Senhor (Romanos 8:39)”, encerrou.

Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br

sábado, 30 de dezembro de 2017

Feliz 2018


Perseguição no Chile: Sete igrejas queimadas este ano

Muitas das igrejas incendiadas também eram usadas como escolas e abrigos para pessoas deslocadas devido a desastres.


por Jarbas Aragão

 Perseguição no Chile: Sete igrejas queimadas este ano

Embora pouco se fale sobre a perseguição de cristãos na América do Sul, os casos de intolerância vêm se multiplicando em países como a Colômbia e o Chile. Ao contrário da África, onde a questão maior são os islâmicos, em nosso continente trata-se de uma questão político-ideológica.

No Chile, na região de Araucanía, sul do país, 27 igrejas foram queimadas nos últimos anos. Em 2017 foram sete. Entre 2015 e 2016 chagou-se a 20 templos (12 católicas e 8 evangélicos). Todos os ataques foram de autoria do grupo indígena Weichan Auka Mapu [Luta do Território Rebelde], de inspiração marxista.

Eles afirmam defender os direitos dos mapuches, tribo que vivia no país antes da colonização espanhola. Contudo, atualmente 87% dos membros da etnia são cristãos, entre católicos e protestantes. Isso comprova que se trata de uma questão que vai além da religião. Os mapuche são a etnia mais numerosa do país com cerca de 700.000 membros, de uma população total do Chile de 17,5 milhões.


Muitas das igrejas incendiadas também eram usadas como escolas e abrigos para pessoas deslocadas devido a desastres. Juan Mella, presidente do conselho de pastores da região e líder de uma igreja queimada em julho, diz ter testemunhado o momento em que sua igreja foi reduzida a cinzas. O templo simples, de madeira, fora construída 15 anos atrás, com dinheiro dos próprios fiéis.

Em setembro, quatro outras igrejas foram queimadas e várias congregações, ameaçadas. Isso levou a polícia a colocar guardas nas duas igrejas da região.

Em um caso que se teve maior repercussão, quatro homens mascarados invadiram o culto de domingo de uma igreja e a incendiaram. Até agora, foi o único em que a polícia efetuou prisões. Os suspeitos alegam pertenceram ao Weichan Auca Mapu. Eles deixaram uma mensagem pixada na igreja: “Cristianismo, cúmplice da repressão do povo mapuche”.

Luis Torres, o promotor no caso dos quatro detidos, diz: “Além dos ataques, há os panfletos que eles deixam com suas exigências e justificativas do comportamento”. O governo chileno decidiu que os homens seriam acusados de incêndio criminoso e não por terrorismo. Curiosamente, quando os mapuches incendiaram caminhões florestais do governo, foram acusados de praticar um ‘atentado’.

O conselho de pastores de Araucanía publicou uma nota, que foi divulgada pela Missão Portas Abertas: “É responsabilidade do Estado garantir que eventos como esses não aconteçam novamente, assegurando que justiça seja feita aos responsáveis, assim como protegendo as vítimas e garantindo que a igreja seja reconstruída”. Com informações de Portas Abertas

Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

“A igreja trata pessoas com depressão como se tratavam os leprosos nos tempos bíblicos”

Para ele, é injusto os pastores dizerem que os cristãos que sofrem com depressão “não colocaram Jesus no centro de suas vidas”

por Jarbas Aragão

Resultado de imagem para music artist
A igreja trata pessoas com depressão como leprosos, lamenta pastor

Até recentemente Perry Noble era pastor de uma das igrejas que mais cresce nos Estados Unidos. Fundada por ele em 2000, a NewSpring, sediada na Carolina do Sul, é uma megaigreja que possui mais 33 mil membros, espalhados em 14 “igrejas satélites” – onde acompanham os cultos por telões em tempo real.

Contudo, após uma série de problemas, Noble acabou demitido em meados do ano passado. Ele sofria de depressão aguda e acabou revelando que tinha problemas com álcool. Após procurar tratamento, disse estar restaurado. Este mês ele fundou um ministério “diferente”, chamado de Second Chance Church [Igreja da Segunda Chance], que por enquanto funciona apenas pela internet, mas ele afirma que em breve irá ter um templo físico.

Apesar de controverso, ele continua sendo bastante influente, escrevendo livros e artigos. Também possui muitos seguidores nas redes sociais. Esta semana, gravou um vídeo rebatendo críticas que um pastor – que ele preferiu não identificar – fez em relação a quem está na igreja e vive deprimido. Segundo Noble, é injusto os pastores dizerem que cristãos que sofrem com depressão “não colocaram Jesus no centro de suas vidas”.


Declarou aina: “Por muito tempo, a comunidade cristã tratou as pessoas com depressão da mesma maneira que o tratavam os leprosos nos tempos bíblicos”. Após fazer uma longa lista dos motivos pelos quais discorda que “há algo de errado” com cristãos depressivos, rejeitou os argumentos comuns que essas pessoas precisavam apenas “orar mais”, “ler mais a Bíblia” ou “ir a igreja com mais frequência”.

O principal ponto levantado pelo pastor Noble, que viveu esse problema por muito tempo, é que algumas pessoas simplesmente possuem “um desequilíbrio químico no cérebro”. Portanto, elas precisam de cuidado e não de acusações.


“Dizer a alguém que luta contra a depressão que ela está assim porque Jesus não está no centro de sua vida é o mesmo que dizer a alguém com câncer que ela tem essa doença porque Jesus não está no centro de sua vida “, comparou.

Admitindo que o tema lhe incomoda, pois enfrentou isso diariamente por mais de uma década, revelou que, em alguns momentos, chegou a pensar em suicídio. Por isso mesmo acredita que quem está “de fora” tem muitas dificuldades para entender o que as pessoas realmente sentem.

Afirmando estar plenamente recuperado da depressão e livre do álcool, Nobre ressaltou que o nome de sua nova igreja tem o objetivo de mostrar que “as segundas chances não são apenas para algumas pessoas, são para todas”.

Ele testemunha que é possível alguém “sentir-se deprimido e ao mesmo tempo desejar muito a presença de Jesus”. “Estar deprimido não significa que você é um ímpio e ponto final”, resume.


“Acredito que as pessoas que dizem o contrário são muito orgulhosas e arrogantes. Elas deveriam passar algum tempo olhando-se no espelho ao invés de olhar para os outros julgar, ou dizer coisas que simplesmente mostram o seu nível de ignorância!”, disparou, enfatizando que problemas de saúde mental é apenas uma dentre as muitas consequências da queda do homem.

O pastor disse que “parte o seu coração” imaginar todas as pessoas que acabam “desfocadas em sua jornada espiritual” quando ouvem que não podem ser considerados “crentes de verdade” por sentirem-se deprimidas.

Ele faz questão de enfatizar que os cristãos deprimidos precisam lembrar que “nunca estão sozinhos”. Fez então um desafio, pedindo aos pastores “pelo amor de Deus, façam de sua igreja um refúgio para quem lida com a depressão, não uma câmara de tortura”.

Compartilhando suas próprias experiências, Noble disse: “Houve épocas em que me sentia perto de Cristo e outras vezes me perguntava se ele tinha esquecido completamente de mim ou não”. Para ele, a melhor solução é as pessoas verem o Senhor na “comunidade, um grupo de pessoas que te amam, te aceitam e andam com você – não importa o quanto a sua vida esteja bagunçada”.

Citando Romanos 12:15, lembrou que na Bíblia e exorta os cristãos a “Alegrarem-se com os que se alegram e chorem com os que choram”.

Também deu um recado aos deprimidos. “Ficar em silêncio é a coisa mais perigosa”. Além de orações e uma conversa com seu pastor ou líder, “aconselho você a procurar ajuda de um profissional”. Finalizou com uma palavra de estímulo: “Isso não significa que você não tem fé! Não permita que ninguém o desqualifique por causa disso”. Com informações de Christian Post

Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Cristãos foram assassinados durante o Natal e a mídia se calou

Guerra religiosa na Nigéria deixou 200 mortos este ano


por Jarbas Aragão

Cristãos foram assassinados durante o Natal e a mídia se calou

Quando ocorrem atentado terroristas em grandes centros, a mídia logo dá destaque. Contudo, as manchetes sempre são impessoais, como se uma bomba, um ônibus ou um automóvel pudessem ser responsabilizados pelo rastro de destruição. Ainda que os homens responsáveis pelos ataques na maioria das vezes gritem ͞”Allahu Akbar͟” e jurem fidelidade ao Estado Islâmico (ou similar), os grandes órgãos de imprensa apressam-se em dizer que a motivação não foi religiosa.

Por isso, quando cristãos do estado de Kaduna, na Nigéria, são mortos durante o Natal, o silêncio sobre o tema é ensurdecedor. No primeiro ataque, realizados por membros muçulmanos da etnia fulani, quatro pessoas morreram 10 ficaram feridas na aldeia de Nimdem, no dia 23. Todas as vítimas eram membros de igrejas locais.

O pastor Gideon Mutum disse à ONG International Christian Concern que eles foram assassinados “durante uma apresentação de músicas natalinas, apresentadas junto com uma pregação ao ar livre”. Há pessoas gravemente feridas que continuam internadas em hospitais da região.

O segundo atentado, na mesma área, resultou em seis pessoas mortas, incluindo uma criança de seis anos de idade. O representante da Assembleia Nacional, Shehu Nicholas Garba, declarou à imprensa: “Estes ataques recentes desafiam toda lógica humana, pois não ocorreu nada que o justificasse. O fato de ocorrerem às vésperas do Natal é a demonstração do total desprezo dos assassinos pela nossa religião”.

A Nigéria vem enfrentando uma guerra religiosa há mais de 5 anos. O norte do país já está dominado pelos jihadistas do Boko Haram. Em outras partes do país, os fulani invadem território dos cristãos, saqueiam o que podem, destroem igrejas e têm como alvo preferencial os cristãos. O governo trata como conflito étnico, mas não tomou nenhuma providência para impedir que as mortes continuem.

De acordo com a International Christian Concern (ICC), que monitora casos de perseguição religiosa em todo o mundo, em 2017 ocorreram mais de 100 ataques contra aldeias cristãs por jihadistas fulani que deixaram mais de 200 mortos. Com informações de Christian Today

Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

"Viola a liberdade religiosa", dizem juristas sobre mercado proibido de distribuir livretos

A rede de supermercados 'Hirota Food' foi proibida de distribuir um livreto que apresentava a visão bíblica sobre a Família.

Livreto traz devocionais com princípios bíblicos sobre a Família. (Foto: Portal Fórum)
Livreto traz devocionais com princípios bíblicos sobre a Família. (Foto: Portal Fórum)
Após o Ministério Público do Trabalho proibir na última sexta-feira (22), a rede de supermercados Hirota Food de distribuir o livreto devocional "Cada Dia Especial Família de 2017", por considerar o seu conteúdo "discriminatório", o Conselho Diretivo da ANAJURE - Associação Nacional de Juristas Evangélicos - se posicionou oficialmente em nota sobre o fato, apontando que a medida adotada pelo MP fere a própria Constituição, no tocante à liberdade de expressão e direitos individuais, por mais que o caso envolva a penalidade sobre uma pessoa jurídica (empresa).

O livreto em questão - equivocadamente chamada de "cartilha que condena o casamento gay" - foi desenvolvido sob supervisão do Rev. Hernandes Dias Lopes e acabou gerando tanta polêmica, mais especificamente por causa de três pequenos textos: "Pilares do Casamento", no qual é feita uma defesa teológica do casamento heterossexual e monogâmico; "Esposa, seja submissa ao marido", onde disserta sobre o modelo bíblico de submissão feminina; e "Aborto, um crime hediondo", que trata do aborto como um atentado contra a vida humana, e por consequência, uma afronta à imagem de Deus.

Após emitir a notificação recomendatória, o Ministério Público também alertou a empresa Hirota Food que "caso as recomendações não sejam observadas imediatamente, o MPT e a Defensoria Pública adotarão medidas judiciais".

Além de proibir a distribuição do "Cada Dia", a medida adotada pelo MP ainda consiste em exigir o recolhimento dos livretos já distribuídos e a orientação de que a empresa "se abstenha de produzir materiais com conteúdo discriminatório ou que os divulgue nas lojas de sua rede e em sua homepage, pela internet ou redes sociais; que assegure a plena e efetiva igualdade entre mulheres e homens em seu ambiente de trabalho; que garanta o respeito à liberdade de religião, credo, de gênero e orientação sexual em seu ambiente de trabalho e da mesma forma respeite identidade de gênero, orientação sexual e forma de agir de todas as pessoas".

Segundo a ANAJURE, alguns fatores deveriam ser levados em consideração, antes do MP adotar uma medida drástica como a proibição da distribuição do livreto pela rede de supermercados.

"O devocionário não tem qualquer natureza regulamentar trabalhista, como um código de conduta, não servindo de orientação às práticas empresarias, sendo apenas um 'regalo de fim de ano', tal qual é culturalmente feito por várias empresas, por meio de calendários, marca-páginas, agendas, canetas, etc – alguns, inclusive, com menções de cunho ideológico ou religioso", ressaltou a Associação.

A ANAJURE destacou que não só as pessoas físicas, como as jurídicas, também são detentoras de direitos fundamentais, como a liberdade de expressão.

"As pessoas jurídicas são titulares de direitos fundamentais. Esta é hoje uma realidade reconhecida no âmbito da doutrina e da jurisprudência interna e internacional. Do ponto de vista jurídico-constitucional, os direitos das pessoas jurídicas não são menos dignos de proteção do que os direitos individuais", afirmou em nota.

"Assim, o problema suscitado pela distribuição da literatura por parte do supermercado deve ser analisado partindo do princípio, incontornável, de que se trata aqui de um titular de direitos fundamentais constitucional e internacionalmente protegidos, dentre os quais se destaca como importante a livre iniciativa", acrescentou a Associação. "Uma vez afirmada a titularidade de direitos fundamentais e direitos humanos pelas pessoas jurídicas, importa ter presente quais os direitos em causa no presente problema".

A ANAJURE também ressaltou que a liberdade de expressão é assegurada, não somente pela Constituição, como também pela própria Declaração Universal dos Direitos Humanos.

"A liberdade de expressão constitui um pilar fundamental do Estado Democrático de Direito. A Declaração Universal dos Direitos Humanos, em seu artigo 19º, protege esse direito nos seguintes termos: 'Todo o indivíduo tem direito à liberdade de opinião e de expressão, o que implica o direito de não ser inquietado pelas suas opiniões e o de procurar, receber e difundir, sem consideração de fronteiras, informações e ideias por qualquer meio de expressão", frisou.

"Na Constituição Federal, a liberdade de expressão encontra-se consagrada no artigo 5º, especialmente nos IV e IX. Além disso, o artigo 220 da Constituição proclama: 'Art. 220. A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição - §2º É vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística", acrescentou.


"Lidar com o diferente"


A organização de juristas evangélcos também destacou que a rede de supermercados tem todo o direito de expressar sua opinião - ainda que esta seja contrária a de uma parte da população.

"Sabendo que o direito à opinião divergente é uma liberdade civil fundamental, reconhecida constitucional e internacionalmente, não se espera que todos os clientes, colaboradores, parceiros ou frequentadores estejam em consonância com a ideia moral, ética e religiosa da empresa em questão, razão pela qual as opiniões divergentes expressas na mídia e em redes sociais são lícitas, mas é inadmissível que dois órgãos públicos entrem em consórcio e manifestem-se oficialmente para proibir que sejam veiculadas mensagens que em nada ferem as normas vigentes", continuou a ANAJURE em nota.

"Cabe destacar, ainda, que a liberdade de expressão está assente no pressuposto de que cabe aos indivíduos, e não aos poderes públicos, formular juízos sobre o mérito e demérito dos conteúdos veiculados. Assim, consideramos que os Supermercados Hirota estavam no pleno exercício de seu direito de liberdade de expressão, ao disponibilizarem a literatura objeto de críticas", acrescentou.


Liberdade religiosa


A Associação de Juristas também colocou em questão o desrespeito à liberdade religiosa que este caso tem representado.

"A Liberdade Religiosa é direito fundamental consagrado na Constituição Brasileira em seu artigo 5º, incisos VI, VII, VIII. Além das organizações religiosas propriamente ditas e das organizações confessionais, devem ser considerados titulares do direito de liberdade religiosa as organizações empresariais que, 'embora não se vinculem às organizações religiosas e exercitem uma atividade lucrativa, adotam uma política institucional pautada por certos valores éticos de substrato religioso. Isto pode ocorrer, por exemplo, em empresas cujos proprietários sejam religiosos praticantes e queiram que os princípios éticos de sua fé sejam observados nas suas relações com os empregados e também com o mundo exterior'[4]", destacou.

"A ANAJure manifesta seu repúdio à supracitada notificação recomendatória emitida pelo MPT em parceria com a DPE-SP, por considerá-la manifestamente ilegal, pois, além de violar a liberdade de expressão e de crença, representa lamentável interferência abusiva da esfera estatal na propriedade privada e na manifestação de pensamentos", finalizou.

A nota foi assinada pelos juristas Dr. Uziel Santana dos Santos (Presidente da ANAJURE) e pelos assessores jurídicos da Associação: Dr. Felipe Augusto Carvalho e Dr. Edmilson Almeida.

Em um vídeo publicado em seu canal do Youtube, o jovem pastor e escritor Yago Martins também comentou o caso e destacou que este caso não ameaça somente a liberdade religiosa, mas também a liberdade de empreender no Brasil.
"Se um homem manifestar a sua crença através de uma empresa que é dele, ele não está usando o espaço público. Ele paga os impostos, ele está contratando pessoas, ele arriscou capital. A empresa é dele e ele, de alguma forma, quer distribuir algo que expresse a declaração de fé pessoal dele, que agora está sendo condenada pelo Ministério Público do Trabalho", afirmou.

Clique no vídeo abaixo para conferir o comentário completo do pastor Yago Martins:

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA ANAJURE

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Israel diz que 10 países já planejam mudar suas embaixadas para Jerusalém

Benjamin Netanyahu promete: "Haverá mais países"


por Jarbas Aragão

10 países planejam mudar suas embaixadas para Jerusalém

Após a decisão de Donald Trump em anunciar o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel e prometer a mudança de sua embaixada de Tel Aviv para a cidade santa, o governo israelense convidou outras nações para fazerem o mesmo.

Em anúncio oficial nesta segunda-feira (25), a Guatemala ganhou as manchetes internacionalmente ao anunciar que também fará a mudança. Mas Tzipi Hotovely, representante do Ministério da Relações Estrangeiras de Israel disse que 10 países já entraram em contato e preparam-se para oficializar a decisão.

Durante uma entrevista nesta tarde, ela se recusou a anunciar oficialmente com que lídereso Estado Israel estava conversando, mas a emissora de TV Canal 10 informou que o próximo país a decretar a mudança da embaixada deve ser Honduras.

Israel e Honduras, que faz fronteira com a Guatemala, estreitaram seus laços nos últimos anos e, em 2016, assinaram um acordo no qual Israel concordou em apoiar as forças armadas do país centro-americano de uma maneira sem precedentes, visando combater o crime organizado.

O presidente hondurenho, Juan Orlando Hernandez, foi reeleito no início deste mês. Ele é formado pela MASHAV, Agência de Israel para a Cooperação Internacional para o Desenvolvimento, e viveu em Israel durante o treinamento.

Juntamente com a Guatemala, Honduras foi uma das nove nações que votaram “não” na semana passada quando a Assembleia Geral da ONU aprovou uma resolução que declara o reconhecimento dos Estados Unidos sobre o status de Jerusalém “nulo e sem efeito” .

Ao contrário da Guatemala, cuja embaixada ficou em Jerusalém entre o início da década de 1950 até 1980, Honduras nunca teve sua embaixada na capital de Israel.

O orador do Knesset, Yuli Edelstein, anunciou em um evento do partido Likud que chefes parlamentares de outros dois países haviam falado com ele sobre mudar tirar suas embaixadas de Tel Aviv. Agências de notícias internacionais informaram esta semana que representantes de Romênia e Eslováquia estavam trabalhando em seus respectivos países para mudar de cidade as suas representações diplomáticas.

Outros países que também estariam em conversas para mover suas embaixadas são o Paraguai e Togo, que votou em favor de Israel na Assembleia Geral da ONU na semana passada.

A Guatemala foi a primeira nação a se comprometer a transferir sua missão para Jerusalém depois do anúncio de Trump, dia 6 de dezembro, embora o Departamento de Estado dos EUA afirma que a mudança deles dificilmente ocorrerá antes de 2020. As Filipinas e a República Checa também reconheceram Jerusalém como a capital de Israel, mas não anunciaram planos para suas embaixadas. A Rússia reconheceu Jerusalém Ocidental como capital de Israel em abril, mas nada declarou sobre sua embaixada.

A opção do Brasil tem sido seguir as resoluções das Nações Unidas, e não pretende mudar a embaixada nem reconhecer Jerusalém como capital de Israel.
Netanyahu promete: “Haverá mais países”

O presidente da Guatemala, Jimmy Morales, que é evangélico, anunciou no domingo que, após conversas com o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, decidiu instruir o Ministério das Relações Exteriores para que mudasse a embaixada de Tel Aviv para Jerusalém.

“Caro povo da Guatemala, falei como primeiro ministro de Israel, Benjamin Netanyahu. Falamos sobre as excelentes relações que temos tido enquanto países, desde que a Guatemala apoiou a criação do Estado de Israel… Um dos temas mais importantes [da conversa] foi o retorno da embaixada da Guatemala a Jerusalém. Então, informo que instruí à chanceler a iniciar a respectiva coordenação para que isso aconteça”, escreveu o presidente guatemalteco em uma mensagem no seu perfil do Facebook.

O embaixador israelense na Guatemala, Matty Cohen, disse na Rádio do Exército que não há data definida para a mudança da embaixada, mas que ela deve ocorrer logo após a dos Estados Unidos.

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu comemorou na segunda-feira a decisão da Guatemala, prevendo que outros países logo seguiriam o exemplo.

“Deus te abençoe, meu amigo, presidente Jimmy Morales. Deus abençoe nossos países, Israel e Guatemala”, disse Netanyahu na reunião semanal da facção do Likud no Congresso.

Aos repórteres presentes, anunciou: “Eu lhe disse recentemente que outros países iriam reconheceriam Jerusalém e moveriam suas embaixadas. Repito: haverá mais, isso é apenas o começo”. Com informações de Times of Israel

Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Quando, onde e como fazer meu devocional?

Há lugar, tempo e modo específicos para termos o nosso tempo de devoção diária?



Leitura bíblica. (Foto: Getty)
Leitura bíblica. (Foto: Getty)

Muitas pessoas me perguntam como elas podem conduzir o seu tempo devocional. Apesar das sugestões que apresentarei aqui, preciso ressaltar que isto é algo bem pessoal. Acima de tudo, há o fato de que devemos ser sensíveis ao Espírito Santo. Há, no entanto, algumas coisas que precisam estar presentes neste momento. Assim sendo, eu gostaria de oferecer algumas sugestões para estas práticas indispensáveis do momento devocional.

QUANDO FAZER

O momento ideal são as primeiras horas do dia, embora isto não anule o valor de um devocional feito à noite, por exemplo. Contudo, a oferta ao Senhor dos nossos primeiros momentos do dia santifica o restante do mesmo. Além disso, vemos que o maná era colhido antes que o sol se levantasse, o que também pode ser considerado como algo sugestivo (ou até mesmo simbólico). Eu prefiro, no entanto, insicar esta prática como um conselho, e não como uma ordem absoluta.

ONDE FAZER

Há um lugar específico para termos o nosso tempo de devoção diária?
Semelhantemente à escolha do momento do dia, o lugar do devocional não está vinculado a única ordem ou instrução bíblica. Além de sabermos que devemos ter o nosso período devocional diário (e matinal) com Deus e de conehcermos algumas das práticas indispensáveis a este momento, creio que devemos compreender também a importância da quietude e da privacidade que devem estar presentes neste momento.

Creio que há algo poderoso na oração coletiva, e devemos aprender a orar com outros irmãos e com a igreja toda reunida. Contudo, a força do período devocional com Deus reside no princípio de estarmos a sós com Deus. Isto não somente nos ajuda a cultivarmos uma intimidade com o Senhor, mas também é um mandamento de Cristo:

“Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará.” Mateus 6:6

Jesus falou sobre orarmos a sós. A expressão “em secreto” subentende alguém fazendo o seu devocional sozinho e também em seu quarto. Tanto uma frase como a outra indicam a importância da privacidade. Este é um fator importante nesta prática.

Jesus procurava lugares desertos para orar (Mc 1.35).

Isto não significa que o nosso devocional deva ser feito somente em nossos quartos. Tenho discípulos que já optaram por fazer no escritório do trabalho uma hora antes que as suas atividades se iniciem. Muitas vezes faço a minha leitura bíblica dentro de um avião, mas o fato é quanto maior for a privacidade, melhor será a qualidade do nosso tempo devocional.
Estar a sós com Deus é uma necessidade de cada um de nós. Nestes momentos não só pedimos, mas também O adoramos e nos rendemos a Ele com total liberdade de “rasgarmos” os nossos corações.

Assim como os casais têm os seus momentos de privacidade, longe da vista de todos os demais, creio que assim também devemos cultivar momentos de comunhão com o Noivo igualmente caracterizados pela privacidade.

Se é impossível para você ficar “trancado” pelo menos procure afastar-se (o tanto quanto possível) das demais pessoas para poder ter este momento a sós com o Senhor.

D. L. Moody, um dos mais renomados evangelistas dos séculos passados, defensor deste tipo de pensamento (como todo homem que Deus já pôde usar de modo especial), declarou o seguinte:

“Um dos mais claros sinais dos tempos é que muitos cristãos, em nossas associações de moços e igrejas, estão guardando diariamente a ‘hora tranquila’. Nesta era de correria e incessantes atividades, precisamos de algum chamado especial para nos retirarmos e nos colocarmos a sós com Deus por um tempo, todos os dias. Qualquer homem ou mulher que assim proceder, não conseguirá passar mais que vinte e quatro horas longe de Deus.”

Moody chamava o momento devocional de “a hora tranquila”. Mesmo que a nossa vida se resuma em muita correria, deve haver um momento em que conseguimos desacelerar para estarmos a sós com Deus.

O QUE FAZER

O que fazer quando nos separamos para este período devocional?

Algumas coisas são importantíssimas e inegociáveis para esta prática; outras podem mudar conforme cada pessoa ou ocasião. Eu quero falar agora daquelas que eu considero essenciais, a saber:

1. meditação bíblica;
2. oração;
3. adoração.

“É necessário que estejamos dispostos a pagar qualquer preço; não importa o quanto custa, qualquer preço vale Seu sorriso e Sua presença” (Smith Wigglesworth)

**Luciano P. Subirá. É o responsável pelo Orvalho.Com – um ministério de ensino bíblico ao Corpo de Cristo. Também é pastor da Comunidade Alcance em Curitiba/PR. Casado com Kelly, é pai de dois filhos: Israel e Lissa.

*O conteúdo do texto acima é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

FONTE: GUIAME, LUCIANO SUBIRÁ

domingo, 24 de dezembro de 2017

Cristãos perseguidos são gratos por suporte recebido

FILIPINAS


“Deus nunca deixa seus filhos e eu o louvo por isso”, afirma grupo que enfrenta as dificuldades da guerra nas Filipinas


Marawi é maior cidade na ilha de Mindanao, no sul das Filipinas, e também o centro do conflito entre o governo e o grupo Maute. Esses jihadistas afiliados ao Estado Islâmico fizeram os cristãos alvos de seus ataques, iniciados em maio deste ano. No dia 10 de dezembro, a Portas Abertas organizou uma reunião com as famílias afetadas pelo conflito em Marawi. No encontro, adoraram a Deus juntos, compartilharam comida, e se lembraram do quanto Deus tem os abençoado e sido fiel nestes momentos de dor.

Dayang*, esposa do pastor que organizou o encontro, agradeceu: “Quando a guerra começou, muitos nos ajudaram e ficaram aqui nas primeiras semanas, e depois foram embora, mas vocês (Portas Abertas) ficaram. Vocês nos deram arroz e nós tivemos algo para comer. Deus nunca deixa seus filhos e eu o louvo por isso”. Ela pede para que não se esqueçam de Marawi neste Natal, e pede orações para que possam sentir o cuidado de Deus e seguir em frente depois das grandes perdas durante a guerra.

Com todas as dificuldades, Dayang tem esperança de que possam superar o que está acontecendo agora e afirma: “Nós somos uma igreja em Marawi, corajosos filhos de Deus. Eles nos apedrejaram, mas nós perseveramos”. Neste Natal, louve a Deus por sustentar sua igreja em meio à guerra. Ore para que o Senhor continue os fortalecendo e sustentando. Que a alegria do Senhor seja a força deles em todo o tempo.

*Nome alterado por segurança.

Fonte: https://www.portasabertas.org.br

sábado, 23 de dezembro de 2017

"Quem chama a homossexualidade de pecado é Deus, não eu", diz filho de Billy Graham

O pastor alertou que mesmo com a militância LGBT atacando cristãos, as convicções bíblicas sobre a homossexualidade não irão mudar.

Pastor Franklin Graham é diretor da Associação Evangelística Billy Graham e da Bolsa do Samaritano. (Foto: BGEA)
Pastor Franklin Graham é diretor da Associação Evangelística Billy Graham e da Bolsa do Samaritano. (Foto: BGEA)
O evangelista Franklin Graham insistiu em afirmar que ele não odeia os homossexuais, mas disse que os ativistas LGBT precisam "falar com Deus" se eles não gostam que a homossexualidade seja chamada de pecado.

"Por que os cristãos não podem ter a liberdade de dizer 'Não' para o que eles querem dizer? A comunidade LGBT continua a atacar os cristãos para tentar que aceitemos seu estilo de vida, mas não vão conseguir", escreveu Graham no Facebook, na última quarta-feira (20), referindo-se a empresários cristãos sendo pressionados a prestar serviços para cerimônias de casamento gay.

"Deus chama o pecado da homossexualidade - vá falar com Ele se você não gosta disso. Ele é quem define o pecado, não eu. Como um cristão, é claro, eu não odeio os homossexuais, eu os amo e quero que eles saibam a verdade", acrescentou.

Graham destacou que respeita o direito que os homossexuais têm de fazer suas escolhas, mas não é por isso que precisa negar as convicções que desenvolveu conforme a Bíblia.
"Se eles optaram por viver esse estilo de vida, certamente têm a liberdade de fazê-lo neste país - mas não me diga que eu tenho que acreditar ou apoiar isso", afirmou.

O pastor, que também é presidente da Associação Evangelística Billy Graham e da Bolsa do Samaritano, compartilhou uma notícia, na qual um juiz da Califórnia decidiu a favor de Cathy Miller, dona da Confeitaria 'Tastries', em Bakersfield, que está sendo processada por se recusar a fazer um bolo de casamento para um casal gay.

"Aqui em Tastries, amamos a todos. Meu marido e eu somos cristãos e sabemos que Deus criou todos e Ele criou todos iguais", disse Miller sobre suas crenças.

"Não é que não gostamos de pessoas de certos grupos ... há apenas certas coisas que violam minha consciência", acrescentou a padeira.

Graham apontou que haverá outra audiência no caso em fevereiro e pediu aos cristãos "que orem por Cathy e que nossas liberdades religiosas sejam mantidas".

"Os tribunais nunca deveriam ter o direito de forçar os cristãos a ir contra o que a Palavra de Deus ensina", acrescentou o evangelista.

Os pontos de vista abertos do evangelista sobre questões LGBT e ensinamentos islâmicos radicais já chegaram a lhe causar certos "problemas", no entanto, como já em dezembro, membros do parlamento do Reino Unido e mais de 6.100 pessoas assinaram uma petição que chamou as autoridades a negarem a entrada do pastor no país.

A petição publicada no site 'Change.org' argumentava que Graham promove "preconceitos e ódio", com algum clero local também advertindo contra uma pregação do pastor, que estava agendada para setembro de 2018 no Lancashire Festival of Hope em Blackpool.

Gordon Marsden, membro do Parlamento que representa a Blackpool, disse que Graham poderia ter violado as regras britânicas sobre o 'discurso do ódio'.

"Penso que, francamente, a evidência está acumulando que sua visita ao Reino Unido ... não seria uma coisa boa e não provavelmente na minha opinião uma coisa muito cristã", disse Marsden, alegando que as crenças do evangelista eram "incompatíveis com o que Jesus disse na Bíblia".

Um representante da Associação Evangelística Billy Graham disse ao 'Christian Post' em um comunicado no momento em que Graham "está viajando ao Vietnã, compartilhando a mesma mensagem de esperança que ele foi convidado a compartilhar no próximo ano na Inglaterra".
"A Associação Billy Graham está trabalhando em parceria com as igrejas locais para realizar um evento no próximo ano em Blackpool. Será um evento positivo e encorajador com música e uma mensagem de Franklin Graham sobre a esperança que pode ser encontrada através de um relacionamento com Jesus Cristo. Será gratuito e todos serão convidados a participar ", acrescentou o comunicado.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN POST

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Com voto do Brasil, ONU aprova resolução para “anular” decisão dos EUA sobre Jerusalém

Assembleia Geral da ONU declara o reconhecimento de Jerusalém como capital "nulo e sem efeito"

por Jarbas Aragão

Resultado de imagem para auditorium
Com voto do Brasil, ONU "anula" resolução dos EUA sobre Jerusalém

A Assembleia Geral das Nações Unidas reuniu-se nesta quinta-feira (21) para uma sessão de emergência para debater o reconhecimento de Jerusalém como a capital de Israel. Anunciado pelo presidente Donald Trump no dia 6, a decisão vem sendo criticada por vários países, sobretudo os islâmicos.

Com aprovação de uma esmagadora maioria (128 a favor, e 9 contrários) declara o reconhecimento de Jerusalém como capital “nula e sem efeito”. Além dos Estados Unidos e Israel, os contrários foram Honduras, Guatemala, Palau, Ilhas Marshall, Micronésia, Togo e Nauru. Ao mesmo tempo, 35 países optaram por abster-se.

A Assembleia foi aberta pelo embaixador do Iêmen na ONU, que apresentou a resolução da ONU, afirmando que todos os “países amantes da paz” deveriam votar a favor. Khaled Hussein Mohamed Alyemany chamou a atitude de Trump de “uma flagrante violação dos direitos do povo palestino, das nações árabes e de todos os muçulmanos e cristãos do mundo”. Segundo ele, manter o reconhecimento de Jerusalém “ameaça a paz no mundo, prejudica qualquer chance de paz no Oriente Médio e só serve para incentivar a violência e o extremismo”.


Em seguida, a embaixador dos EUA, Nikki Haley, respondeu a Alyemany e à resolução, lembrando os 193 estados membros da ONU que irá realizar cortes de financiamento das nações que votaram contra. Deixou claro que “nenhum voto nas Nações Unidas fará qualquer diferença” pois a decisão dos EUA de transferir sua embaixada para Jerusalém seguirá em frente, pois “é a coisa certa”. Ressaltou que Assembleia Geral não pode impedi-los de “exercer nosso direito como uma nação soberana”.

Os Estados Unidos é o pais que faz as maiores contribuições do mundo para a ONU, mas que o resultado da votação “fará a diferença na forma como os americanos olham para a ONU e como olhamos os países que nos desrespeitam na ONU”.

O representante do Irã disse que “a Palestina está no coração de todos os países muçulmanos” e a Turquia garantiu que eles não seriam “intimidados”. Até a Arábia Saudita — aliada dos EUA em várias questões e que, nos últimos tempos, tem registado uma aproximação a Israel — anunciou que continuará defendendo Jerusalém Oriental como capital de um futuro Estado palestino.

O embaixador de Israel, Danny Danon, criticou duramente a resolução da ONU: “Quarenta e dois anos atrás, essa Organização adotou uma resolução vergonhosa equiparando o sionismo com o racismo. Foram necessários 16 longos anos para que essa resolução odiosa fosse revogada. Não tenho dúvidas de que a resolução de hoje também acabará, eventualmente, na lixeira da história. Não tenho dúvidas de que virá o dia em que toda a comunidade internacional finalmente reconhecerá Jerusalém como a eterna capital do Estado de Israel”.

“Jerusalém é o lugar mais sagrado para Israel e o povo judeu, ponto final. Este é um fato indiscutível. O rei Davi declarou isso há 3.000 anos. Na Bíblia judaica, Jerusalém é mencionada 660 vezes… [o Primeiro Primeiro-Ministro de Israel] David Ben-Gurion disse que Jerusalém é uma parte inseparável do futuro e do destino de Israel “, acrescentou.

Em seguida, Danon apresentou uma antiga moeda de Jerusalém. “A moeda que tenho nas mãos é do ano 67 e diz ‘Liberdade de Sião’. Esta é uma evidência clara do período do Segundo Templo, e prova uma conexão direta entre os judeus e Jerusalém”.

A decisão de hoje é muito semelhante à resolução do Conselho de Segurança (14 votos a 1), que foi vetada pelos EUA na segunda-feira. Uma das consequências a curto prazo é o fortalecimento da Rússia em sua influência sobre o Oriente Médio. Mahmoud Abbas, presidente da Autoridade Palestina, já pediu que Putin substitua Trump como mediador no futuro.

O Brasil, mantendo a tradição iniciada com o governo Lula, continuou votando contra Israel, preservando seu alinhamento com os países islâmicos.

Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Logo após sofrer acidente, jovem aproveita para evangelizar: "Procure Jesus"

Minutos depois de sofrer um grave acidente de trânsito, Lucas Oliveira decidiu fazer um vídeo para incentivar as pessoas a entregarem suas vidas a Deus.


O carro de Lucas Oliveira capotou, mas ele sobreviveu sem grandes ferimentos. (Foto: Reprodução/Facebook)
Minutos depois de sofrer um grave acidente de trânsito, o jovem Lucas Oliveira decidiu fazer um vídeo para falar sobre o amor de Jesus Cristo e incentivar as pessoas a entregarem suas vidas a Deus. 

“Se eu morresse agora eu estaria tranquilo porque eu sei para onde eu vou. E você amanhã, para onde vai?”, questionou Lucas, que é um dos líderes no ministério Conexão Jovem, da Igreja Catedral Jesus Vive em Taquara, no Rio de Janeiro.

“Não estou falando uma história que eu ouvi falar, estou falando da minha vida. Por muito menos a gente abandona Jesus. Por que você está abandonando Jesus?”, questionou Lucas.

“Eu acabei de sofrer um acidente e a única coisa que eu queria saber era Jesus e poder falar Dele para as pessoas que estavam aqui perto. Você que está vendo esse vídeo, procure Jesus. Ele te ama e pode mudar a sua história”, acrescentou o jovem.

Mostrando o estado do veículo capotado, Lucas finalizou sua mensagem: “Isso aqui conserta, isso aqui passa. Agora, a sua salvação é eterna”.
As imagens que foram publicadas no último domingo (17) no Facebook já contam com mais de 56 mil visualizações. Assista:
FONTE: GUIAME

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Yudi reconhece ação de Deus em sua transformação: "Sozinho eu não teria poder para isso"

Yudi Tamashiro conta como abandonou uma vida desregrada, afundada nas drogas e alcoolismo e decidiu seguir a Jesus Cristo.



Na última sexta-feira (15), a cantora e vlogueira Priscilla Alcântara publicou em seu canal do Youtube um bate-papo especial, com um amigo de longa data: Yudi Tamashiro. Na entrevista, o apresentador falou mais sobre seu testemunho de conversão e como Deus realmente tem transformado sua vida completamente.

Quando questionado por Priscilla sobre o que Deus tem mudado em sua vida, Yudi se lembrou dos momentos complicados que vivenciou em sua carreira e vida pessoal, já na época em que apresentava o programa infantil 'Bom dia & Cia'.

"Você via o que eu passava. É que a televisão nunca mostrou esse outro lado, mas você via eu chegando bêbado no 'Bom dia & Cia'. Aí foram aparecendo várias coisas na minha vida... até o lance de responsabilidade mesmo, né? Eu trabalhava desde novo e tudo mais. Eu buscava a felicidade, buscava uma saída para essa confusão da minha cabeça, busca em bebida, em balada, em garotas de programa...", relatou.

Yudi contou que sua saída do programa infantil também teve muito a ver com esta fase "maluca" de sua vida.

"Um dos motivos de ter saído do 'Bom dia & Cia.' também foi essa vontade de querer aproveitar, de querer me conhecer. Eu era muito perdido, não sabia quem era o Yudi, não sabia o que eu queria dali para frente, eu não estava planejando mais nada, só queria viver", disse.

Mas certa noite, as coisas começaram a mudar e alguns 'sinais' começaram a aparecer na vida do jovem apresentador.

"Eu estava perdido nessa loucura de balada e tudo mais, e um dia eu estava fazendo um show na Vila Olímpia, em um bar, e Quando eu cheguei nesse bar, três jovens estavam ali na frente, querendo conversar comigo. Eles me entregaram uma Bíblia. Eu pensei: 'O que eu vou fazer com essa Bíblia, mano?'. Eu zoava todo mundo que era crente, zoava até a Priscila. Eu falava: 'Nossa, crente é zoado, mano. Que ridícula essa coisa de crente, maior coisa chata", lembrou.

"Mas nesse dia esses jovens me entregaram essa Bíblia e disseram: 'A gente quer te entregar essa Bíblia, porque Deus tocou no nosso coração. A gente queria falar da Palavra de Deus'. Aí eu falei: 'Mano, faz o seguinte. Eu vou fazer um show aqui, vocês entram aí, fica tudo de graça. Vocês pegam a sua Bíblia, ficam aí, sentam, assistem ao show e depois a gente troca ideia", acrescentou.

Após o show, os rapazes tentaram compartilhar a Palavra de Deus outra vez com Yudi, mas ele novamente se esquivou.

"Não, eu não posso agora. Tenho que ir para uma balada agora, já trabalhei, agora vou me divertir", contou Yudi, lembrando o modo como ele dispensou aqueles jovens. "Eu peguei a Bíblia joguei no carro e me despedi dos moleques".

Yudi conta que saiu daquela boate com algumas garotas, que levou para sua casa. Mas após uma das meninas entrar bêbada no quarto dos pais dele, a situação realmente se complicou.

"Começou a maior gritaria na minha casa. Aquela noite foi a primeira vez que eu realmente tive medo do rumo que as coisas tomavam", contou.

Mas no dia seguinte, um amigo passou em sua casa e o convidou para assistir a um culto na igreja Bola de Neve e aquilo o deixou surpreso, mas Yudi aceitou o convite.

"Caramba, ontem teve aquilo e agora é isso", lembrou. "Quando eu cheguei no Bola começou a dar uma tremedeira. Era o pastor Felipe que estava lá e ele falou: 'Você precisa parar de viver o passado, você tem talento'. Eu pensei: 'Mano, ele está falando comigo'. Cada palavra era um soco no coração".

"Eu me joguei no chão e falei: 'Deus, por favor, eu quero um recomeço na minha carreira, eu quero um recomeço, eu preciso de algo novo, eu preciso mudar, preciso fazer as coisas certas'. Eu estava perdido. Eu não sabia o que era certo, o que era errado, qual caminho seguir", destacou.

Recomeço

Yudi conta que, em paralelo à sua conversão, passou por um momento de incerteza com relação à sua carreira e o programa "Dancing Brasil" (rede Record) foi como uma resposta às suas orações.

"Eu precisava pagar as minhas contas, porque antes [da conversão] eu só queria curtir, gastar e não queria saber de trabalhar", contou.

Ele falou sobre sair vitorioso do programa e o 'medo' que isso também trouxe ao seu coração.

"A Xuxa falou assim: 'Quem ganhou o Dancing Brasil, quem vai levar meio milhão pra casa é o Yudi e a Bárbara'. Eu me joguei no chão e só agradecia. Mas a minha oração para Deus sempre foi: 'Deus, eu tenho medo de depois que eu ganhar tudo isso, que tudo de bom acontecer, eu voltar para a vida louca que eu tinha, perder a minha fé'. Mas não, eu acho que Deus colocou ainda mais fé no meu coração, eu passei a acreditar ainda mais Nele e depois apareceu o meu programa na Record News".

Yudi explicou que hoje compartilha com alegria as bênçãos que Deus tem derramado em sua vida, porque isso também vai ser uma forma da revelação divina acontecer nas vidas de outras pessoas.

"Todas as coisas que foram acontecendo, eu perdi o controle e Deus começou a cuidar das coisas. O que está acontecendo na minha vida, eu sozinho não teria capacidade, nem inteligência, nem poder para isso. Então é visível para as outras pessoas. Eu não preciso falar. A minha atitude, o meu trabalho, as coisas que estão acontecendo na minha vida já são prova que Deus existe e que realmente Ele está comigo".

FONTE: GUIAME

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Israel quer provar que Jerusalém pertence aos descendentes de Davi

Governo de Israel irá investir U$ 70 mi para provar ligação dos judeus com Monte do Templo

por Jarbas Aragão

Israel quer provar que Jerusalém pertence aos descendentes de Davi

A decisão dos EUA em reconhecer Jerusalém como a capital de Israel ainda tem repercussões no mundo todo. Uma das “armas” dos palestinos para tentar anular a decisão é o argumento de que isso fere resoluções da ONU e da UNESCO, que insistem em dizer que não há ligação dos judeus com a cidade, em especial com o Monte do Templo.

A ministra da Cultura, Miri Regev, anunciou que a Autoridade de Antiguidades de Israel terá um orçamento de 70 milhões de dólares para escavações em muitos locais históricos de Jerusalém.

O objetivo é fortalecer, através de novas descobertas, os laços dos judeus com a cidade antiga. Obviamente, isso poderá gerar mais condenações por parte dos muçulmanos, que afirmam serem os legítimos donos da cidade que dominaram durante mais de 1500 anos.

Ao contrário das escavações anteriores na cidade que sempre visavam “proteger” os sítios arqueológicos, o plano atual pretende descobrir, preservar e desenvolver a Cidade Velha de Jerusalém, da região de Har Etzion até a Cidade de Davi.

O projeto, no entanto, exclui o complexo do Monte do Templo, onde nenhuma escavação pode ser realizada. Mesmo assim, apenas revelar que havia uma ligação do palácio de Davi e de Salomão com o local já é o suficiente para comprovar o que está claramente relatado no Antigo Testamento.

Projeto Salém

Esse plano é uma iniciativa histórica, sendo a primeira vez que uma agência oficial do governo israelense realiza escavações de tamanho alcance na cidade declarada capital de Israel pelo rei Davi cerca de mil anos antes de Cristo.

Os documentos internos da Autoridade de Antiguidades de Israel, divulgados à imprensa apresentam o “Projeto Salém”, que cobrirá cinco anos de trabalho. A decisão de iniciar as escavações foi tomada em maio passado, mas ganhou novo impulso agora.

A ministra Regev negocia com o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu como cobrir os altos custos para a execução dos trabalhos, mas deverá receber uma resposta nas próximas semanas.

Entre os locais a serem escavados pelo projeto estão o Tanque de Siloé, a Fortaleza da Primavera, uma antiga passarela (rua elevada) que ligava a Cidadela de Davi ao Monte do Templo, a entrada do bairro judeu na Cidade Velha, as bases do Muro das Lamentações abaixo do Arco de Robinson.

O presidente da Autoridade de Antiguidades, Israel Hasson, disse que o “projeto Salém” dará uma resposta adequada a qualquer pessoa que questione o direito de Israel sobre Jerusalém.

“A imensa importância das escavações arqueológicas que ocorrem em Jerusalém não pode ser questionada. As escavações estão descobrindo as raízes profundas que temos em nossa terra”, afirmou.

Ao mesmo tempo Regev disse à imprensa que o desejo de ‘fortalecer’ os laços judaicos com a cidade é o coração dessa iniciativa. “Mesmo que (o presidente da Autoridade Palestina) Mahmoud Abbas conseguisse cavar centenas de metros no chão, não encontrará uma única moeda palestina de 2.000 ou 3.000 anos atrás”, enfatiza.

“A realidade mostrada toda vez que Jerusalém é escavada vale mais do que mil palavras. É a melhor resposta para todos aqueles que negam nossos vínculos com Jerusalém. Escavarmos a antiga Jerusalém, é a melhor confirmação para a declaração do presidente Trump [reconhecendo a cidade como capital de Israel]”, concluiu a ministra. Com informações Ynet News

Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Arqueólogos encontram sinais da cidade de Corinto e comprovam relato bíblico

A cidade ficou sob as águas após um forte terremoto, no início do século 7 d.C, mas está sendo descoberta por arqueólogos.

Mergulhador busca vestígios da cidade grega de Corinto. (Foto: Lechaion Harbour Project)
Mergulhador busca vestígios da cidade grega de Corinto. (Foto: Lechaion Harbour Project)
Novas buscas arqueológicas no antigo porto do terremoto que atingiu a cidade bíblica de Corinto, que agora está subaquática, descobriram detalhes sobre antiga cidade. Corinto foi visitada pelo apóstolo Paulo, enquanto ainda estava sob o domínio romano, de acordo com a Bíblia.

Os arqueólogos gregos e dinamarqueses que investigam as áreas portuárias de Lechaion, como parte do projeto Lechaion Harbor, descobriram vestígios de engenharia romana e edifícios antigos, o que comprova boa parte do relato bíblico sobre a cidade.

"Por quase duas décadas, busquei o contexto arqueológico perfeito em que todo o material orgânico normalmente não encontrado em terra estivesse preservado", afirmou Bjørn Lovén, diretor do projeto, segundo o jornal 'Sunday Express'. "O potencial para descobertas mais únicas é o sopro da mente".

O porto, que está localizado no golfo de Corinto, era anteriormente um dos dois que conectou Corinto para trocar redes na região que ajudaram a área a tornar-se fabulosamente rica. Os romanos destruíram Corinto em 146 aC ao conquistar a Grécia, e Júlio César reconstruiu a cidade e seus portos em 44 aC.

O porto foi atingido por um terremoto em torno do início do século 7 dC, mas as fundações de madeira na área estão bem preservadas, bem como alguns artefatos.

"As estruturas de madeira extremamente raras que encontramos nos estágios iniciais de Lechaion nos dão esperança de que encontremos outros materiais orgânicos, como ferramentas de madeira, móveis, peças de madeira de edifícios e naufrágios - o potencial é imenso e é importante sublinhar que quase nunca encontramos material orgânico em terra na região do Mediterrâneo central", diz Lovén.

O Projeto Lechaion Harbour é uma parceria entre o Instituto Dinamarquês em Atenas, a Universidade de Copenhague e o Éforo Grego de Antiguidades Subaquáticas.

Recentemente, as escavações no oeste da Galileia em Israel levaram à descoberta de um mosaico de 1.600 anos, o que sugeriu que algumas mulheres desempenharam um papel fundamental na igreja primitiva, com uma doadora feminina do século 5 presumivelmente a homenagem de uma mulher descrita como assistente Jesus Cristo na Bíblia.

O mosaico de língua grega remonta ao século 5 e memorializa uma mulher com o nome de "Sausann", ou Shoshana, que foi uma das doadoras que ajudaram na construção de uma vila da igreja. Susannah é mencionada em Lucas 8:3 como uma das mulheres que ajudaram a apoiar Jesus e seus discípulos.

O arqueólogo da faculdade de Kinneret, Mordechai Aviam, que liderou as escavações, explicou que uma mulher independente doando dinheiro para a igreja fornece indícios sobre a estrutura social na vila galileana na época.

Os pesquisadores, juntamente com uma parceria multidisciplinar de estudiosos, estão juntando esforços para conceituar como era a vida cristã no 4º e 5º século na região.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN POST