Google+ Followers

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Evangélicos exigem investigação sobre comércio ilegal de bebês abortados, nos EUA

A Convenção Batista do Sul assinou um documento oficial, exigindo que o governo dos EUA investigue penalize a rede de clínicas 'Planned Parenthood'.

Ativistas pró-vida protestam contra a 'Planned Parenthood'. (Foto: International Business Times)
Ativistas pró-vida protestam contra a 'Planned Parenthood'. (Foto: International Business Times)
A Convenção Batista do Sul (SBC) aprovou uma resolução, exigindo uma investigação sobre a rede de clínicas de aborto 'Planned Parenthood' sobre o escândalo que a envolveu no comércio ilegal de partes dos corpos de bebês abortados.

A resolução, aprovada na semana passada pelos batistas durante a reunião anual da Convenção em Phoenix (EUA), denunciou a Planned Parenthood como "imoral" e convocou o Congresso Nacional dos EUA a "imediatamente" retirar o financiamento público da ONG abortista.

"Denunciamos a agenda imoral e as práticas da 'Planned Parenthood Federation of America' e suas filiais, especialmente em seu papel na matança injusta de mais de 300 mil a cada ano, o uso de métodos de abortos ilegais particularmente tenebrosos e o seu aproveitamento da coleta de tecidos e órgãos dos bebês para lucrar com isso", afirmou a SBC na resolução intitulada 'Defunding and Investigating Planned Parenthood'.

A resolução citou os vídeos flagrantes, divulgados pelo 'Centro para o Progresso Médico' (CMP) em 2015, que expõem os executivos da 'Planned Parenthood' negociando as vendas de partes dos corpos de bebês abortados.

A Convenção Batista também apontou que o próprio relatório anual da Planned Parenthood revela que suas instalações realizam mais abortos do que outros procedimentos também anunciados por suas clínicas, como exames de câncer, demonstrando que o aborto desempenha um papel central na organização.

Na quarta-feira, o presidente da Comissão de Ética da Convenção Batista do Sul, Russell Moore, divulgou seu relatório anual explicando que a proteção da vida humana tem sido a principal prioridade da organização evangélica no ano passado.

Moore observou que a Comissão de Ética e Cidadania, que é o braço de políticas públicas da Convenção, tem se concentrado em apoiar os esforços para conseguir a suspensão do financiamento público da 'Planned Parenthood'. Ele revelou que a Comissão coletou milhares de assinaturas de pessoas, convidando os legisladores federais a cancelarem o financiamento.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN TIMES

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Missionário viaja sozinho para distribuir Bíblias em países de risco: “Ninguém vai me parar”

Viajando sozinho por países marcados por conflitos e violência, Thomas Faunce tem distribuído livros bíblicos e outros materiais para aproximar as pessoas de Deus.

Thomas Faunce tem distribuído livros bíblicos em países marcados por conflitos. (Foto: Reprodução/Facebook)
Thomas Faunce tem distribuído livros bíblicos em países marcados por conflitos. (Foto: Reprodução/Facebook)
Viajando sozinho por países afligidos por conflitos e violência, o missionário Thomas Faunce tem distribuído diversos livretos bíblicos e outros materiais com o objetivo de fazer as pessoas conhecerem a Deus.

Como fotógrafo, Faunce gosta de capturar a natureza e a vida diária das pessoas que ele entra em contato. “Tudo o que Deus toca se torna vivo. Ele não faz coisas mortas. Não existe um cristão morto. Há algo errado se não há nenhum fruto em nossas vidas”, disse ele ao site Mission Network News.

Faunce é um apoiado pelas organizações missionárias Frontline Outreach e World Missionary Press, que fornece todos os materiais distribuídos por ele. Para ele, o termo “missionário” simplesmente se refere a alguém que caminha com uma missão.

“Ser missionário não significa cruzar os mares, mas permanecer na cruz de Jesus Cristo e fazer a vontade de Deus. Ele chama cada um de nós individualmente. Ele não chama o pregador. Ele chama o pregador para pregar, mas ele não chama o pregador para te escolher. Ele é quem te chama”, Faunce afirma.

Faunce tem servido em muitos lugares marcados por muitas mazelas, como a Uganda — um país africano que sofre com a epidemia de HIV/Aids, um crescimento rápido e sem suporte da população e conflitos étnicos.

Thomas Faunce tem distribuído livros bíblicos em países marcados por conflitos. (Foto: Reprodução/Facebook)
Para levar assistência e esperança à população, Faunce estabeleceu um centro de apoio com um hospital. “Nos envolvemos com eles e começamos a ensinar a Palavra de Deus através do filme Jesus e folhetos da Bíblia. Também instalamos um poço de água na aldeia”, disse ele.

Outro projeto de Faunce auxilia os agricultores, que são muito pobres e precisam caminhar uma longa distância para moer os grãos colhidos. Para solucionar essa questão, Faunce instalou uma maquinaria na aldeia que resultou em uma fábrica local.

“Esta é uma oportunidade para eles moerem seu milho, seu trigo, e também vendê-los para outros. Eles estão muito animados. Isso causou um tremendo derramamento do amor de Deus”, conta o missionário.

“Estas são necessidades básicas, mas supri-las nos dá a oportunidade de espalhar a Palavra. Eles sempre pedem livretos bíblicos e querem assistir o filme Jesus. Saímos para diferentes aldeias e compartilhamos a Palavra”.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE MISSION NETWORK NEWS

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Arqueólogos descobrem local onde João Batista foi preso e decapitado

Atualmente em ruinas, a fortaleza de Maquero foi reconstruída pelo rei Herodes, onde Salomé dançou e posteriormente pediu a cabeça de João Batista como "prêmio".

Colunas do salão da fortaleza de Maquero, onde Salomé dançou e posteriormente, pediu a cabeça de João Batista como prêmio. (Foto: Haaretz)
Colunas do salão da fortaleza de Maquero, onde Salomé dançou e posteriormente, pediu a cabeça de João Batista como prêmio. (Foto: Haaretz)
Arqueólogos descobriram um Mikvá ou Mikvé (tanque usado para batismos judaicos) nas ruínas de Maquero, uma fortaleza construída pelo vassalo do rei romano Herodes, na região da Jordânia, a 24 quilômetros ao sudeste da foz do rio Jordão, na costa leste do Mar morto. A fortaleza também teria sido o local onde Salomé dançou e João Batista foi decapitado.

A fortaleza de Maquero foi erguida em uma colina proeminente a cerca de 32 quilômetros a sudoeste de Madaba. O local de banho ritualístico do Mikvá, usado para purificação foi aparentemente construído para o uso pessoal da família real de Herodes.

O tanque é o maior de seu tipo já encontrado na Jordânia. Possui 12 degraus e uma piscina de reserva, contendo água para preencher a piscina quando sua água escorrer.

Além de suas dimensões, a arquitetura se parece muito com o Mikvá descoberto em Qumran, do outro lado do Mar Morto, em Israel, que anteriormente era considerado como único.

O Mikvá gigante foi encontrado a três metros abaixo do pátio real, onde permanceu escondido por 2.000 anos, soterrado por areia e poeira. Originalmente tinha sido equipado com um teto de pedra abobadado.

A investigação arqueológica de Maquero foi realizada pela primeira vez em 1968 pela Missão Americana Batista Arqueológica, liderada por E. Jerry Vardamann.

As escavações mais recentes, de uma equipe fortaleza ocidental, com cerca de 9,2 metros de altura. Pela primeira vez, desde o início, as dimensões extraordinárias da cidadela do deserto de Herodes foram reveladas.

As escavadeiras também encontraram uma vasta cisterna subterrânea com 18 metros de profundidade, que irrigava os jardins da fortaleza do deserto do Mar Morto e os banhos de estilo romano. A análise arqueológica mostrou que a cisterna permaneceu em uso durante todo o período herodiano.

As escavadeiras também descobriram dezenas de moedas hasmoneanas e romanas, bem como 47 fragmentos de cerâmica quebrados inscritos com letras aramaicas.


Onde Salomé dançou
Na verdade, Herodes - conhecido como o grande construtor da antiguidade - não foi o criador deste palácio real na Jordânia. Ele era de origem hasmoneana, e tinha sido erguido pelo rei Alexander Jannaeus em torno de 90 aC, em um planalto alto conhecido como Mukawir, que se eleva a 800 metros de altitude acima do Mar Morto árido. O que Herodes fez foi reformar e reconstruir a fortaleza que Jannaeus já havia construído.


Maquero teve uma importância estratégica para a defesa da Judeia, em parte, graças à visão de sua capital, Jerusalém. Os escritos rabínicos relatam que a fumaça dos sacrifícios poderia ser vista subindo dos altares do templo herodiano em Jerusalém, desde Maquero (Mishná 3, Tamid 3.8).

Qualquer exército que se aproximasse de Jerusalém do leste, primeiro teria que ocupar Maquero. Os sinais de fumaça poderiam ser vistos nas paredes da fortaleza, alertando as outras cidades sobre os inimigos.

Como Plínio, o ancião escreveu: "Maquero, depois de Jerusalém, a fortificação mais forte da Judeia" (Historia Naturalis, V. 15, 16). Evidentemente, os romanos consideraram o local mais fortificado do que a fortaleza de Masada (construída por Salomão). Mas então, Maquero era mais do que apenas um posto avançado militar.

Ao reformar Maquero, Herodes também construiu um palácio com um pátio, um tanque de estilo romano, um local para jantar extravagante e um pátio formal com um pequeno jardim real, rodeado de pórticos em quatro lados.

Foi ali que, de acordo com o historiador Flávio Josefo, Salomé dançou para Herodes Antipas.


Decapitação de João Batista
Pouco antes da Páscoa em 32 d.C, o rei Herodes realizou uma grande celebração por causa de seu aniversário em Maquero. Durante as festividades convidou sua enteada, a princesa Salomé para dançar diante de seus convidados.


O rei ficou tão satisfeito com a apresentação de Salomé que ele prometeu-lhe qualquer coisa que ela pedisse, até a metade do seu reino. Sobre o conselho de sua mãe cruel, de acordo com a história, a sobrinha de Herodes pediu a cabeça de João Batista como seu "prêmio".

Embora muito angustiado, Herodes, "E o rei entristeceu-se muito; todavia, por causa do juramento e dos que estavam com ele à mesa, não lha quis negar. E, enviando logo o rei o executor, mandou que lhe trouxessem ali a cabeça de João. E ele foi, e degolou-o na prisão; E trouxe a cabeça num prato, e deu-a à menina, e a menina a deu a sua mãe."(Marcos 6:26-28.)

De acordo com Josefo, João Batista foi levado à prisão de Maquero e decapitado naquela fortaleza ("Antiguidades Judaicas", livro 18, capítulo 5, par. 2 [Loeb 18.119]).

Os arqueólogos também reconstituíram duas antigas colunas herodianas da ordem dórica (3,8 metros de altura) que estavam no pátio real do peristletilo, onde Salomé teria dançado e outra da ordem iônica (4,7 metros de altura) que estava em pé O palácio da casa de banho.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO HAARETZ

terça-feira, 20 de junho de 2017

Homem detém criminosos em sua casa após oração: “Orei como nunca antes”

Patrick é um cidadão comum, mas reconheceu o agir de Deus quando deteve dois criminosos que escaparam da prisão.

Patrick Hale apreendeu dois fugitivos de uma prisão na Geórgia, nos EUA. (Foto: Erik Schelzig/AP)
Patrick Hale apreendeu dois fugitivos de uma prisão na Geórgia, nos EUA. (Foto: Erik Schelzig/AP)
Um homem de fé tem sido visto como um herói nos Estados Unidos após apreender dois detentos que escaparam da prisão e mataram dois oficiais, no estado do Tennessee.

Além de matar os policiais, os criminosos Donnie Rowe e Ricky Dubose roubaram cinco veículos, invadiram duas casas, sequestraram um casal de idosos e levaram a polícia a uma intensa perseguição até serem detidos por Patrick Hale, um cidadão comum.

Quando soube que os criminosos tinham sido localizados em sua vizinhança, Patrick, de 35 anos, começou a se preparar para o pior.

“Era 6h46 quando eu carreguei todas as armas que eu tinha em casa para estar preparado, caso precisasse usar”, ele afirmou em uma coletiva de imprensa ao lado de sua esposa e filha.

No minuto seguinte, ele viu dois homens pulando uma cerca de arame, não muito longe do seu quintal. “Às 6h47 eu orei como nunca tinha orado antes”, contou Patrick.

Ao invés de se esconder, Patrick decidiu agir — ele ligou para a polícia, pegou sua filha e entrou em seu carro. Quando começou a sair da garagem, ele observou que os suspeitos estavam próximos.

“Eles começaram a tirar suas camisas e acenar para nós, como se estivessem pedindo para a gente ficar calmo”, lembra Patrick. Mas ele continuou saindo com seu carro e, “por algum motivo, eles começaram a se render e deitaram na minha calçada”.

Os criminosos Donnie Rowe e Ricky Dubose se renderam na calçada de Patrick. (Foto: AAP)
Três minutos depois, 45 policiais estavam no local para prender a dupla de criminosos, terminando uma caçada de 60 horas desde que eles escaparam da prisão na terça-feira (13).

Patrick conta que nunca utilizou nenhuma de suas armas e acredita que os suspeitos confundiram seu carro com um carro da polícia. “Se isso não te faz acreditar em Jesus Cristo, eu não o que mais faria”, ele reforçou.

As autoridades estavam oferecendo uma recompensa de 130 mil dólares para quem capturasse os suspeitos, embora Patrick tenha dito que não estava ciente desse valor quando deteve os bandidos.

Patrick ainda observa que está surpreso por ser apelidado de heróis por simplesmente ter chamado a polícia. “Mesmo que a gente tenha armas em casa, nunca tivemos que usá-las”, disse ele. “Isso, para mim, é algo de Deus”.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE NY DAILY NEWS

segunda-feira, 19 de junho de 2017

“Portanto, o que Deus uniu, ninguém o separe” (Marcos 10.9)

IÊMEN

Continue lendo a história de amor que aconteceu em meio à guerra no Iêmen, e que serve de exemplo a outros iemenitas que estão determinados a seguir Jesus.
18-casal-abracado-no-ira
Na sexta-feira, contamos a história de Nadeen*, uma cristã que se sentia solitária por não poder participar de grupos de oração como os demais cristãos. Até que, um dia, conheceu um irmão na fé que se tornou especial em sua vida e que, futuramente, veio a ser seu marido. Ambos eram muçulmanos antes de conhecer a Cristo.

Para agradar a família de Nadeen, eles aceitaram realizar uma cerimônia de casamento islâmica, mas depois tiveram seu verdadeiro casamento com a comunidade cristã. Segundo ela, a história de amor do casal é, acima de tudo, o amor de Deus em meio à guerra, e serve de exemplo a outros iemenitas que estão determinados a seguir Jesus.

"Por causa do meu casamento, sou capaz de servir e compartilhar o evangelho livremente, de forma segura, e ainda sou discipulada pelo meu próprio marido", conta ela e reconhece com gratidão a Deus que foi uma alegria conseguir compartilhar essa felicidade tanto com sua família natural quanto com a espiritual.

"Eu tive uma cerimônia islâmica organizada pela minha família, mas essa celebração longa e tradicional não significou nada quando comparada a meia hora que estivemos com nossa família na fé. Nosso líder abençoou nossa união em Cristo e, eu e meu marido sentimos tanto a presença de Deus ali, foi muito forte. Senti-me realizada ao ver nossos amigos e as crianças cantando e adorando a Deus.

Alguns meses depois, Nadeen descobriu que estava grávida. Agora o casal aguarda a vinda do primeiro filho. A família está determinada a permanecer no Iêmen para manter a igreja viva e garantir que o Reino de Deus prevaleça naquele lugar.


*Nome e fotos alterados por motivos de segurança.

Fonte: https://www.portasabertas.org.br

domingo, 18 de junho de 2017

Prossiga para o alvo

Precisamos ter alvos na nossa vida. Se alcançarmos 70% dos nossos objetivos, poderemos até ficar tristes pelos 30% que não foram alcançados. Mas se não tivermos nenhum alvo o que alcançaremos?

Alvo. (Foto: filosofiaesoterica)
Alvo. (Foto: filosofiaesoterica)

“Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.” Filipenses 3:13 e 14


Não conseguimos esquecer todas as perdas e derrotas da vida. Mas podemos viver sem aquilo que nos fez sofrer nos atrapalhando nosso presente ou futuro.

Existem pessoas que vivem se lamentando por aquilo que perderam. É como uma ferida que todos os dias é cutucada.

A Bíblia diz: “Não andeis ansiosos por coisa alguma.” Se o próprio Jesus disse isso, é porque é possível não andar ansioso. Se a Bíblia diz para perdoarmos é porque é possível perdoar. Se a Bíblia diz para esquecermos as coisas que ficaram para trás, é porque é possível.

Precisamos ter alvos na nossa vida. Se alcançarmos 70% dos nossos objetivos, poderemos até ficar tristes pelos 30% que não foram alcançados. Mas se não tivermos nenhum alvo o que alcançaremos?

Sem falar que a ótica de Deus é diferente da nossa. O que para nós pode ser uma pendência que não foi conquistada, para Deus pode ser 100% de aproveitamento.

A Bíblia nos orienta a sermos equilibrados, prosseguindo para o alvo. Deus nos diz para vivermos de acordo com o que já alcançamos. Filipenses 3:16.

Para termos alvos, precisamos de um objetivo definido e uma razão especifica para vencer. Jesus tinha um alvo que era o de morrer na cruz pela salvação da humanidade. Ele foi o único homem que pisou nessa terra que sabia do seu destino.


Se não tivermos alvos na nossa vida nunca estaremos satisfeitos com o que já conquistamos.

Talvez você esteja carregando uma cruz que não é sua e por isso não consegue olhar para o alvo. Depois as pessoas conseguem resolver seus problemas e você fica sofrendo. Carregue sua própria cruz e prossiga para o alvo.


Se não der para fazer agora tudo o que você deseja, faça o que estiver em suas mãos, não fique desesperado se não puder ajudar a todos. Jesus disse: “Cada um tome a sua cruz e segue-me.” Pegue sua cruz, e prossiga para o alvo.

Que o Senhor nos ajude a olhar pra Cristo e nos desfazer dos pesos mortos, das tristezas que ficaram para trás!

*O conteúdo do texto acima é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

FONTE: GUIAME, JORGE LINHARES

sábado, 17 de junho de 2017

Maioria dos cristãos que entram na universidade abandonam a igreja, diz professor

Dados de pesquisas incentivaram a idealização do “Encontro Nacional de Universitários”, que irá preparar estudantes para lidar com questionamentos da vida acadêmica.


Resultado de imagem


Cerca de 64% dos jovens que entram nas universidades afirmando serem cristãos, concluem seus estudos abandonando sua fé. Além disso, 83% dos jovens deixam de frequentar a igreja depois que são graduados nas universidades.

Esses são dados de pesquisas realizadas dentro e fora do Brasil, apresentadas em entrevista ao Guiame por Airton Dias, professor doutor da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

Dias observa que os jovens são conduzidos a conflitos religiosos por causa da divergência de ideias apresentadas no ambiente acadêmico. “Para o universitário cristão, lidar com uma sociedade que tira Deus da história é muito difícil. Ele tem que ter muito conhecimento sobre o que acredita e uma fé muito bem estabelecida”, afirmou.

A fim de preparar estudantes para lidarem com os questionamentos dessa jornada, foi idealizado o Encontro Nacional de Universitários, que irá reunir pastores e cientistas entre 28 e 30 de julho em Sumaré, no interior paulista.

Com o tema “A Razão da Fé”, o evento irá abordar conceitos científicos e religiosos que servem para refutar qualquer argumento que invalide as Escrituras Sagradas.

Mas diante de tantos conceitos acadêmicos, a Bíblia é suficiente para preparar um cristão? “Do ponto de vista de caminho, verdade e vida, a Bíblia é suficiente”, responde Dias. “Mas há um detalhe importante: a Bíblia não é um livro de ciências e nem tem o objetivo de explicar a razão de algumas coisas. A Bíblia tem o objetivo claro de nos salvar e nos levar até Deus”.

O professor observa que é válido buscar outras literaturas para adquirir mais conhecimento, porém, sem a Bíblia, a fé perde seus fundamentos. “Vá para a Bíblia e tenha as Escrituras enraizadas em seu coração. A sua fé é estabelecida pela Bíblia, mas o seu conhecimento e as possibilidades de defender a sua fé podem ser encontradas em outras literaturas”.

Dias ainda afirma que é possível um estudante identificar se o ambiente acadêmico está, de fato, influenciando sua fé. “A partir do momento que você começa a questionar aquilo que para você era tido como uma verdade absoluta, você já entrou em uma área de risco”, ressalta.

“Sempre que você se encontrar diante de uma discussão que invalida a sua fé, você precisa estar muito atento à sua argumentação e também a aquilo que você ouve. É importante compreender que a área de risco é real em qualquer ambiente universitário”, ele acrescenta.

Os participantes do Encontro Nacional de Universitários poderão se hospedar e se alimentar no local. Confira as opções de pacotes e valores no site uni17.org.

Serviço:
Encontro Nacional de Universitários - Uni17
Data: 28 a 30 de julho
Local: Estância Árvore da Vida
Endereço: Estrada Estância Árvore da Vida, 1, Sumaré - SP
Informações: uni17.org

FONTE: GUIAME, LUANA NOVAES

Israel reclama formalmente de votos do Brasil na ONU

Presidente israelense pede “agenda positiva entre os dois países"
por Jarbas Aragão

Israel reclama formalmente de votos do Brasil na ONU

O presidente de Israel, Reuven Rivlin, fez uma cobrança pública nesta quinta-feira (15) ao novo embaixador brasileiro no país, Paulo Cesar Meira de Vasconcellos. Ele reclamou do voto do Brasil na UNESCO em 2 de maio, onde o Brasil ficou ao lado dos países muçulmanos e votou pela negação da soberania israelense sobre Jerusalém.

Na resolução, apoiada pelo governo brasileiro, Israel é chamado de “poder ocupante” em Jerusalém e que não possui nenhum laço histórico ou legal com qualquer parte da cidade.

Rivlin discursou durante a cerimônia de entrega de credenciais a quatro novos embaixadores, vindos de Nepal, Honduras, Tanzânia e Brasil.

Sua crítica ao Brasil revela o quanto os israelenses estão irritados com a postura do governo Temer. “Não há um só brasileiro que não saiba da conexão entre o povo judeu e Jerusalém. Nem mesmo a Unesco pode mudar isso. A decisão deveria ser esquecida, deveria realmente ser modificada e eu peço que o governo brasileiro reconsidere seu voto”, disparou.

“Nossa amizade data da criação do Estado de Israel. Como as relações bilaterais envolvem muitos campos de cooperação e temos que aperfeiçoá-las, me dedicarei à agenda positiva entre os dois países”, finalizou, lembrando que as relações entre Israel e o Brasil “são muito importantes” e deixando claro que elas poderiam ser ampliadas.

O Ministério das Relações Exteriores não se manifestou sobre a cobrança. Com informações Folha de SP

Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br


sexta-feira, 16 de junho de 2017

Marcelo Rezende desiste de quimioterapia por tratamento à base de fé e alimentação

Câncer do apresentador é um dos tipos mais agressivos
por Tiago Abreu
Rezende desiste de quimio por tratamento à base de fé e alimentação
O apresentador do Cidade Alerta na emissora TV Record, Marcelo Rezende, desistiu do tratamento de quimioterapia, considerado o mais eficiente contra o câncer no pâncreas, para tentar um tratamento alternativo, conciliado à leitura bíblica.

Marcelo segue uma dieta difundida por Lair Ribeiro, com gorduras e proteínas e sem carboidratos. De acordo com informações divulgadas pelo UOL, visa “matar as células da fome”.

Em um vídeo, mais magro, Rezende contou que estará iniciando uma nova etapa em seu tratamento. “Estou indo para o que eu chamo de ‘Farmácia de Deus’, um local onde estou sendo acolhido, cuidado e, mais do que isso, caminhando no sentido da cura”, disse.

Rezende reafirma sua preocupação com sua espiritualidade. “Não adianta você curar o físico sem ter à frente o espiritual. E eu cuido muito do lado espiritual, porque quem está fazendo essa travessia da cura é Deus, é Ele quem me conduz”.

Ao lado da filha e do apresentador Geraldo Luís, da mesma emissora, Marcelo também falou de questões de fé em um vídeo publicado no final de maio. “Nós vamos ficar a semana inteira em oração, pedindo a Deus que nos abençoe. Eu agradeço o tanto que vocês estão orando por mim, é isso que me deixa forte para seguir em frente”.

Geraldo publicou, há alguns dias, uma foto do livro Anticâncer – Prevenir e Vencer Usando Nossas Defesas Naturais, do médico francês David Servan-Schreiber, morto em 2011 e que se tratou usando tratamentos alternativos.

No entanto, Schreiber afirmava que os tratamentos alternativos deveriam ser feitos como complemento aos trabalhos da medicina. E o câncer no pâncreas é considerado um dos mais agressivos, mesmo em estágios iniciais. No caso de Rezende, o estágio é avançado.

“Isso não significa que ele está desenganado. Temos pacientes com a doença controlada a longo prazo, embora não falemos em uma cura. Mas o jogo não termina enquanto não chega o apito final”, disse o oncologista Lucas dos Santos.

O médico também reitera que a quimioterapia seria um processo importante no tratamento de Marcelo. “Não existem provas contundentes de que esses métodos tenham resultado no tratamento do câncer no pâncreas. Mas, como também não faz mal nenhum ao paciente, você não proíbe. Apenas não recomenda com o mesmo afinco com que indica a quimioterapia”, concluiu.

Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Siamesas passam por cirurgia de separação e pais louvam a Deus: “Jesus cuidou de tudo”

As gêmeas siamesas foram separadas com sucesso em uma cirurgia que durou 11 horas e contou com mais de 30 profissionais de saúde.


Gêmeas Erin e Abby Delaney no Hospital Infantil da Filadélfia, em setembro de 2016. (Foto: AP)
Gêmeas Erin e Abby Delaney no Hospital Infantil da Filadélfia, em setembro de 2016. (Foto: AP)

As gêmeas siamesas Erin e Abby Delaney foram separadas com sucesso em uma cirurgia que durou 11 horas e contou com mais de 30 enfermeiros, médicos e profissionais de saúde.

A cirurgia bem sucedida foi encarada como um milagre pela mãe das meninas, Heather Delaney, que é uma cristã devota.

“Deus tem grandes planos para estas meninas desde que elas vieram ao mundo”, disse ela em seu blog Our Journey With Conjoined Twins (Nossa Jornada Com As Gêmeas Siamesas, em tradução livre). “Elas são um milagre da vida real e eu sou muito abençoada por ser mãe delas”.

As bebês estavam unidas pela parte superior de suas cabeças — uma condição conhecida como “craniopagus parasiticus”, um tipo raro de xifopagia que ocorre de 4 a 6 nascimentos humanos em cada dez milhões.

Até a realização da cirurgia realizada na última semana no Hospital Infantil da Filadélfia, nos Estados Unidos, Erin e Abby nunca tinham olhado uma para a outra devido ao posicionamento de seus corpos.

O hospital anunciou nesta terça-feira (13) que já separou outros 22 gêmeos siameses nos últimos 60 anos, mas nunca havia separado irmãos que estavam unidos pela cabeça.

Os pais das gêmeas, Heather e Riley Delaney, estão planejando uma grande festa após as filhas receberem alta. (Foto: AP)
O procedimento foi um sucesso, embora as gêmeas ainda devam passar por outra cirurgia antes de receberam alta.

“Separar gêmeos siameses é uma cirurgia muito complexa, seguida de uma recuperação longa e complicada. Mas estamos muito esperançosos por um resultado positivo”, disse o cirurgião Jesse Taylor, que liderou a operação junto com o neurocirurgião Gregory Heuer.
Heather e o pai das meninas, Riley, estão ansiosos para levar as gêmeas para casa, pois as bebês nunca conheceram a casa da família na Carolina do Norte. “Vai ser uma grande festa”, disse Heather. “Vamos fazer festas de boas vindas, chá de bebê, aniversário…”

No entanto, a mãe das crianças observou que elas não estão em perfeita saúde e ainda conta com as orações. “As meninas estão fora de risco. Elas ainda estão em estado crítico, mas os médicos estão tomando providências para elas se recuperarem todos os dias. O processo de desmame vai ser longo e pedimos orações”.

O casal afirmou em seu blog que eles são “100% apaixonados pelo nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo e acreditamos que Ele está cuidando de tudo em nossas vidas”.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE FAITHWIRE

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Missionária escreve carta antes de morrer em acidente: "Deus me chamou para estar aqui"

Sarah Harmening foi a única jovem que morreu em um acidente com um ônibus cheio de missionários em Botsuana. A carta que ela escreveu na viagem é uma lição de fé.


Sarah Harmening era uma jovem missionária, que acabou morrendo em um acidente de ônibus, em Botsuana, África. (Imagem: Facebook)
Sarah Harmening era uma jovem missionária, que acabou morrendo em um acidente de ônibus, em Botsuana, África. (Imagem: Facebook)

Sarah Harmening, uma jovem de 17 anos de idade, não estava exatamente pressentindo o que poderia acontecer enquanto viajava em um ônibus, que estava a caminho de uma ação missionária de curto prazo, em Botsuana (África), na semana passada. Mas seu diário, a jovem missionária escreveu uma mensagem emocionante, que mostrou o relacionamento de intimidade e sinceridade que ela tinha com Deus.

"Eu estava sentada aqui no ônibus, me sentindo um pouco triste. Acho que vou ficar tão longe e fiquei um pouco desconfortável", escreveu ela em seu diário.

Sarah contou que a leitura bíblica naquele momento mudou toda a sua perspectiva.
"Nós conseguimos participar de Sua natureza divina! Quero dizer, como isso é incrível! Então, acabei de lembrar porque estou aqui. Deus me chamou para estar aqui e ele fez isso por algum motivo. Então eu sei que ele vai fazer coisas incríveis".

Momentos depois de terminar de escrever, o ônibus que estava viajando entrou em uma colisão violenta e capotou, finalmente causando a morte de Sarah e ferindo outros 39 jovens que estavam no veículo. O texto escrito por ela em uma página do seu diário é como uma janela para a alma de uma adolescente com uma fé muito forte, e está servindo a seus pais e amigos aflitos como algum conforto em um momento difícil como este. Agora eles sabem o quão próxima ela estava de Deus antes de morrer.

Confira abaixo o texto completo que ela escreveu antes de sua morte:

"Eu estava sentada aqui no ônibus, me sentindo um pouco triste. Acho que vou ficar tão longe e fiquei um pouco desconfortável. Então eu decidi ler minha Bíblia. Eu orei e abri em I Pedro, capítulo 5 e II Pedro, capítulo 1. Praticamente tudo o que eu acabei de ler se aplica para mim agora.

Essas passagens me falaram sobre a importância de cuidar do rebanho confiado a nós - como por exemplo os meus pequenos amigos de Botsuana - nos humilhando, algo que eu preciso sempre fazer (e isso também significa estar um pouco desconfortável).

Também falaram sobre como o diabo está rondando como um leão, procurando quem ele possa devorar - algo que ele estará fazendo especialmente nesta viagem missionária - e sobre como devemos estar alertas e de mente sóbria e, finalmente, como podemos participar da Sua natureza divina! Quero dizer, Como isso é incrível! Na maioria das vezes, as passagens simplesmente me lembraram por que estou aqui e que Deus me chamou para estar aqui por uma razão. Então eu sei que ele vai fazer coisas incríveis".

A mensagem mostra o relacionamento de intimidade que Sarah tinha com o Deus. Seus escritos e as palavras de seus pais também contam a história de uma adolescente notável, com uma maturidade que superava sua própria idade.

Com todas as coisas loucas que os adolescentes escrevem nos dias de hoje, aqui está uma de suas mensagens de texto finais (e profética) que ela acabou deixando para seus amigos e familiares, pouco antes de morrer no trágico acidente.

"Somos como um fio de fumaça. Vivemos apenas por um momento e isto não está focado apenas em nós. A vida não é apenas sobre nós. É sobre Deus, que é eterno, então eu quero dedicar o único momento que eu estou aqui inteiramente e completamente para Ele", escreveu a jovem em outra página de seu diário.

Esse é o tipo de postura mais comumente vista em um cristão mais experiente. Os pais de Sarah decidiram falar com a imprensa, ler sua última mensagem do diário e fazer um pedido de fé.

"Pedimos a oportunidade de falar porque nossa filha Sarah foi um presente que foi concedido em 20 de dezembro de 1999. E ela amava a Deus com um amor tão tangível. E eu sei que vocês, na mídia, não gostam de ouvir muito sobre isso, mas espero que vocês prestem atenção nisso, porque foi o que ela viveu e respirou", disse a mãe da jovem.

A mãe não conteve suas lágrimas, quando ela leu a última mensagem do diário, que sua própria filha escreveu.

Outra fato que tem surpreendido amigos e familiares da jovem foi um texto que Sarah enviou a um primo no dia anterior, citando 1 Peter 1 23-25.

"23 Sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva, e que permanece para sempre. Porque toda a carne é como a erva,e toda a glória do homem como a flor da erva.Secou-se a erva, e caiu a sua flor; Mas a palavra do Senhor permanece para sempre.E esta é a palavra que entre vós foi evangelizada", diz a passagem.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO FAITH WIRE

terça-feira, 13 de junho de 2017

Com 60 anos de união, casal revela segredo para relacionamento: "Tudo isso é por Deus"

O casal acredita que estar centrado em Deus é o grande segredo. “Tudo isso é por Deus! A gente se ama de verdade e temos uma família muito querida".


Dessa união, o casal teve sete filhos, 18 netos e 11 bisnetos. (Foto: Valera Fotografia).
Dessa união, o casal teve sete filhos, 18 netos e 11 bisnetos. (Foto: Valera Fotografia).

O casal Milton e Maria de Oliveira estão comemorando 60 anos de união. Foi na cidade de Ibitiúra de Minas, no sul de Minas Gerais, que essa história teve um início. Os dois se conheceram ainda muito jovens e se encontravam em locais frequentados por seus pais. Assumiram o namoro na adolescência e em pouco tempo Maria, na época com 18 anos, e Milton com 20 anos, se casassem, mais exatamente no dia 26 de maio de 1956.

Após alguns anos, já com dois filhos, eles se mudaram para a cidade de São João do Ivaí, no Paraná. Ali, a família aumentou, agora eles estavam com sete filhos, três homens e quatro mulheres. Nesse período, se converteram a Jesus. “Um casal de paranaenses que morava em São João do Ivaí foi muito persistente conosco. Eles vinham de longe de carroça até a nossa casa para dar estudo. Então conhecemos a verdade, fomos batizados e estamos na igreja até hoje”, relembra Milton.

A descoberta da Bíblia e a comunhão com Deus fizeram com que casamento tomasse novos rumos. Segundo Milton, o relacionamento melhorou ainda mais. “Depois que conhecemos Jesus e Ele entrou no meio da nossa família, aí ficamos casados em três. Passamos a nos amar mais ainda. Com Jesus foi só alegria!”, pontuou.

Segundo Maria, Milton sempre foi muito presente, desde a criação dos filhos até no sustento da família. “Ele me ajudava quando os filhos choravam à noite, levantava e ia trocar as fraldas de pano na época. Tinha um período que eu fazia pão, salgadinhos, doces e ele saía para vender na rua. Sempre lutamos nós dois juntos, e conseguimos construir a nossa casinha”, revela Maria.

E o segredo?
Hoje, sessenta anos se passaram desde o dia do casamento. Em maio, Milton, com 80 anos, e Maria, com 78 anos, comemoraram as Bodas de Diamante. Mesmo com os obstáculos que a vida traz, o matrimônio sempre foi composto de muito amor e cumplicidade. “Não tem como não amá-lo, porque ele é companheiro, muito dedicado, está sempre junto quando preciso. Cada dia a gente vai se apegando mais. Um precisa muito do outro”, ressaltou Maria.

O casal acredita estar centrado em Deus é o grande segredo. “Tudo isso é por Deus! A gente se ama de verdade e temos uma família muito querida. Deus realmente está no comando, se não fosse Ele não estaríamos aqui agora”, enfatiza Maria. Já Milton diz que “o segredo é muito fácil. Quando a gente ama, toleramos algumas coisas também. Fiz a escolha certa. Ela me ama muito e eu também a amo”.

Dessa união, o casal teve sete filhos, 18 netos e 11 bisnetos. Todos moram no Paraná em cidades da região metropolitana de Curitiba. Atualmente, Maria e Milton residem em São José dos Pinhais e frequentam a igreja de Posto Paris. Após tanto tempo, ainda é perceptível o carinho e admiração de um para com o outro, o amor transborda. “Parece que cada vez a gente se ama mais! Somos mais que namorados, é amor demais!”, conclui Milton.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO SITE NOTÍCIAS ADVENTISTAS

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Camboja deve construir 500 novas igrejas, após se libertar da repressão comunista

"Este é o nosso momento kairos... Vemos que o Evangelho está gerando um grande impacto em nossa nação", disse uma cristã, celebrando a liberdade religiosa.

Cristãos participam de culto no Camboja. (Foto: Los Angeles Times)
Cristãos participam de culto no Camboja. (Foto: Los Angeles Times)
Dezenas de pastores se aglomeraram em torno de Hun Sen, com os smartphones estendidos, engajados para comemorar o primeiro encontro do primeiro-ministro cambojano com os cristãos locais.

A reunião do governante com 2.500 líderes cristãos no meio do ano passado foi um gesto significativo em uma nação predominantemente budista, onde os cristãos foram martirizados e oprimidos apenas algumas décadas atrás, devido à ditadura comunista, conhecida como Khmer Vermelho (1975-1979).

O encontro de Hun com os cristãos "foi um evento histórico", disse Tep Samnang, diretor executivo da Comunidade Evangélica do Camboja (EFC), uma rede interdenominacional que representa a maioria dos cristãos do país. "É um sinal de que [o governo] aceita a comunidade cristã de forma mais oficial".

Enquanto a perseguição religiosa ainda é uma dura e evidente realidade em outros países do Sudeste Asiático, os cristãos cambojanos gozam de uma sensação promissora de abertura ao Evangelho.

"Vocês estão em paz e têm o direito de que todas as religiões no Camboja lhes respeitem", disse Hun aos pastores reunidos em uma propriedade de luxo do governo, em Koh Pich, a "Ilha Diamante", que est em rápido desenvolvimento no centro da Capital, Phnom Penh. Embora os cristãos não tenham tido permissão para orar ou compartilhar seus discursos durante a reunião, Tep disse: "pelo menos esta já é uma faísca para manter a chama acesa".

Os cristãos continuam a ser um grupo pequeno, porém crescente (2,5%) das 16 milhões de pessoas que vivem na antiga nação comunista, onde os tetos dos templos budistas, cortados em ouro, se torcem sob o céu da cidade e as paisagens rurais. Os templos servem como lugares de encontro para dezenas de festivais budistas, celebrados nível nacional ao longo do ano.

Mas o Camboja finalmente tem uma geração de líderes cristãos, que estão sendo treinados e desfrutam da liberdade de evangelizar em uma escala nacional. Encorajados por esta nova fase, os evangelistas estão aproveitando a abertura dada ao Evangelho.
A Aliança Cristã e Missionária (CMA) - a denominação mais antiga e mais conhecida no país - estima que a população cristã cambojana cresceu mais de metade desde 2010 e agora inclui mais de 300 mil crentes.

O EFC lançou a campanha 'Mission Kampuchea 2021', uma iniciativa para plantar uma igreja em cada aldeia.

A Comunidade das Igrejas Nova Vida, uma rede emergente baseada na igreja mais popular de Phnom Penh, planeja inaugurar 500 igrejas e grupos de células no mesmo período. Até agora, mais de 200 novas congregações já foram abertas em 13 das 24 províncias.

"Este é um momento realmente aberto ao Evangelho e não sabemos por quanto tempo isso durará", disse Neak Phanna, uma professora de inglês de 32 anos, que está entre os 2.000 novos convertidos do Camboja, desde o início do novo milênio.

"Este é o nosso momento kairos... Nós vemos que o cristianismo está gerando um grande impacto em nossa nação. Deus está fazendo tudo o que lemos na Bíblia", declarou.

Entre as denominações, os líderes afirmaram ao site 'Christianity Today', que este é o momento para a realização de grandes planos e que as orações devem continuar.

Eles querem ver a população cristã do Camboja chegar a pelo menos 10% (quatro vezes mais que a porcentagem atual), surgindo "do mesmo jeito que Deus mudou a Coreia do Sul", disse Sem Sophea, pastor de uma congregação da Nova Vida no subúrbio de Phnom Penh. À medida que a capital cresceu, Sem viu a sua própria igreja crescer de 25 membros adoradores para mais de 300 atualmente.

"Reunimos 200 pessoas em uma manhã de domingo", disse um missionário americano. "É como se fosse [proporcionalmente], a igreja Saddleback [liderada por Rick Warren nos EUA] do Camboja. Aqui, 80% da população vive em províncias rurais onde a única presença cristã pode ser uma igreja doméstica pequena - e se tiver".


Conferências
Na conferência anual de cristãos asiáticos em Phnom Penh, jovens cantavam: "estou levantando as mãos para Aquele a quem eu adoro", enquanto as luzes brilhavam no palco.

A conferência é o maior evento cristão no Camboja, segundo informou o pastor da Igreja Nova Vida, Jesse McCaul. Seu pai, Chuck, fundou a congregação em 1994, assim que os missionários estrangeiros foram autorizados a voltar para o país. O evento de 2016 atraiu mais de 4.500 pessoas e recrutou 550 estudantes voluntários da Igreja.

Como tudo no Camboja, o cristianismo confronta em maior parte os jovens. Depois de uma guerra civil e o genocídio resultante, sintetizado nos famosos e assustadores campos de matança, 60% da população do país tem menos de 30 anos.

Os primeiros missionários protestantes chegaram ao Camboja em 1923 com o CMA. Eles treinaram pastores locais, traduziram a Bíblia e conduziram o ministério nas aldeias por décadas. Mas somente após a agitação em torno da Guerra do Vietnã a Igreja viu um grande crescimento, passando de 1.000 a 10.000 cristãos entre 1970 e 1975. Então veio o reinado mortal do ditador comunista Khmer Vermelho (1975-1979).

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIANITY TODAY

domingo, 11 de junho de 2017

Judeus que creem em Jesus estão sendo barrados de imigrar para Israel

Embora Israel seja uma nação democrática, judeus messiânicos revelaram que têm tido o direito negado de imigrar para o país, por causa de sua fé.

Organização Jews For Jesus (Judeus Por Jesus) durante evangelismo. (Foto: Jewdas)
Organização Jews For Jesus (Judeus Por Jesus) durante evangelismo. (Foto: Jewdas)
Quando o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, anunciou que a nação estava “comprometida com a liberdade de todos os credos”, muitos judeus messiânicos tentaram fazer a aliá, termo que designa a imigração judaica para Israel.

“Em todo o Oriente Médio, as comunidades cristãs têm sido dizimadas e as minorias perseguidas. Mas aqui em Israel, estamos orgulhosos de ter uma comunidade cristã que está crescendo e prosperando, e nós garantimos os direitos de todos”, afirmou Netanyahu enquanto recebia o presidente norte-americano Donald Trump em seu país.

No entanto, judeus messiânicos revelaram que têm tido o direito negado de imigrar para Israel, por causa de sua fé. Um deles disse ao site Kehila News Israel que quando ouviu o discurso de Netanyahu, “só conseguia pensar: infelizmente os direitos de todos ainda não estão garantidos”.

Israel tem encorajado ativamente judeus de todo o mundo para fazerem a aliá. Aqueles que imigram, recebem um pacote de benefícios para começar a construir sua vida na nação, incluindo descontos em compras de casas e carros, reduções de impostos sobre sua renda e aulas gratuitas de hebraico.

Durante esse processo, o indivíduo precisa provar com seus documentos que é judeu ou neto de judeus. No entanto, os judeus que acreditam em Jesus Cristo são encarados como “cristãos” e não são considerados elegíveis para a cidadania israelense — mesmo que tenham provado a sua linhagem judaica.

Um casal de judeus messiânicos, que escolheu manter sua identidade anônima, apresentou todos os seus documentos para fazer aliá e esperou uma resposta por meses. Eles compraram uma casa em Israel e começaram a viver de suas economias, sem contar com o apoio do estado. Finalmente, veio a resposta do Ministério do Interior de Israel.

“‘Você teve a cidadania negada porque pertence ao judaísmo messiânico, que é uma exceção à Lei do Retorno’, apesar do fato de sermos 100% judeus”, contou J.

Ele ainda observou que em todas as nações democráticas do mundo, os judeus são livres para acreditar no que quiserem. Mesmo em Israel, é possível encontrar um judeu envolvido na Nova Era, Budismo ou ateísmo.

“Mas se eu acredito em Yeshua (Jesus), sou rotulado como um ‘missionário perigoso’”, disse J. “A ideia do Primeiro-Ministro não é garantir os direitos de todos. Talvez, agora é a hora de defender as palavras que ele proclamou ao presidente dos Estados Unidos”.

Os advogados de J. acreditam que o casal não irá receber a cidadania, apesar de um processo de apelação que já dura anos.

Em outro caso, a judia israelense A. e seu marido, que não é judeu, foram chamados pelo Ministério do Interior e interrogados separadamente. “Nós sentimos como se fôssemos criminosos”, disse ela.

“Nós não estamos aqui para tentar mudar as leis de Israel. Estamos apenas pedindo alguma forma de permanecer aqui e continuar servindo a nossa cidade”, disse J.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE KEHILA NEWS ISRAEL

sábado, 10 de junho de 2017

Livros didáticos citam Jesus como um "demônio" e revoltam cristãos, na Índia

O fato já foi denunciado por cristãos ao governo, mas nenhuma medida foi tomada até o momento.

Crianças participam de manifestação pacífica cristã na Índia. (Foto: Reuters)
Crianças participam de manifestação pacífica cristã na Índia. (Foto: Reuters)
A comunidade cristã em Ahmedabad (Índia) expressou sua indignação porque os livros didáticos em idioma Hindi, usado por classes do 9º ano em escolas se referem a Jesus Cristo como um "demônio".

O governo reconheceu que o adjetivo "hevaan" ou "demônio", citado antes do nome de Jesus nos livros didáticos publicados pela Comissão do Livro Didático de 'Gujarat' - que são usados nas escolas públicas do estado - foi um erro, segundo informou o site 'News18' (CNN), na última quinta-feira e disse que o erro será corrigido.

O jornal 'Times of India' relata que a comunidade cristã notificou o governo sobre o erro há mais de um mês, mas nenhuma ação foi tomada até agora.

O capítulo 16 do livro de texto em questão afirma no idioma Hindi: "Is sambandh me hevaan Isa ka ek kathan sada smaraniya hai", que se traduz como "uma declaração do demônio Jesus é sempre memorável".

O padre Vinayak Jhadav, porta-voz da Igreja Católica de Gujarat, disse que o erro foi apontado denunciado ao presidente da Comissão do Livro em maio.

"À primeira vista, parece que a palavra 'hevaan', usada para se referir a um demonio ou diabo, pode ser um erro de digitação e pedimos uma correção imediata", disse Jhadav.

"Como não ouvimos mais uma resposta do Conselho do Livro Didático, levamos a questão ao Fórum Cristão Unido de Gujarat e decidimos representar o caso perante o ministro da Educação do Estado para uma explicação, correção e ação disciplinar contra os responsáveis ​​pelo erro. Isto não tem a ver somente com religião, mas também com a qualidade da Educação", afirmou o líder cristão.

O advogado Subramaniam Iyer, que também notou o erro, observou que a lei da Índia proíbe atos deliberados e maliciosos destinados a ofender as religiões.

"Jesus está sendo retratado como um demônio para os estudantes. Muito claramente, este é um caso que atrai a seção 295 (a) da Lei, que diz respeito a prejudicar os sentimentos religiosos de qualquer classe", disse Iyer.

Ele acrescentou que, mesmo que o erro se revele não intencional, ele ainda tem o potencial de criar uma fenda entre as comunidades.

"Isso simplesmente é inaceitável e deve ser removido imediatamente", disse ele.

As sensibilidades religiosas são um ponto de tensão significativo na que é de maioria hindu, onde os cristãos sofrem perseguição nas mãos de extremistas. A Missão Portas Abertas (EUA) classificou a Índia como o n.° 15 em sua lista mundial atualizada de países onde os cristãos são mais severamente punidos por sua fé, devido aos ataques em ascensão.

A Portas Abertas disse ainda que uma média de 40 ataques por mês contra cristãos ou igrejas foram relatados na Índia durante 2016.

Além dos ataques de radicais hindus, as organizações cristãs também foram alvo de leis governamentais anti-evangelísticas.

A organização de patrocínio infantil 'Compassion International' foi obrigada a fechar suas portas na Índia em março, deixando cerca de 147 mil crianças desamparadas, depois que o governo proibiu que a ONG recebesse doações vindas de fora do subcontinente.

"Estamos sentindo que o governo indiano nos colocou em uma posição em que podemos ser forçados a fechar nossas portas na Índia", disse o presidente da 'Compassion International', Santiago Jimmy, em um comunicado ao 'Christian Post', antes do fechamento da organização.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN POST

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Igrejas doam cerca de US$ 153 milhões para projetos missionários em todo o mundo

As doações estão sendo direcionadas a ajudar missionários que trabalham em áreas de risco e povos não alcançados, em países da África, Ásia e outras regiões.

Missionário ligado à Convenção Batista do Sul (EUA) conversa com família em Uganda. (Foto: Religion News Service)
Missionário ligado à Convenção Batista do Sul (EUA) conversa com família em Uganda. (Foto: Religion News Service)
A Oferta de Natal "Lottie Moon" (LMCO) em 2016 para trabalhos missionários em todo o mundo alcançou números que têm levado cristãos a celebrarem os bons resultados. Cerca de 153 milhões de dólares, de acordo com os dados divulgados na última quarta-feira (7) pela 'International Mission Board' (IMB) ('Conselho de Missão Internacional', em uma tradução livre), ligada à Convenção Batista do Sul, nos EUA.

O total exato coletado pela iniciativa da 'International Mission Board' em 2016 foi de US$ 152.982.560,94.

"Os batistas do sul responderam ao desafio de desempenhar seu papel em ajudar o Evangelho a resistir a todas as nações através de doações para a 'Oferta de Natal Lottie Moon' 2016 para Missões Internacionais, que se aproximou da meta inicial de US$ 155 milhões. Os batistas do sul deram cerca de US$ 153 milhões através da campanha de 2016-17 para apoiar os missionários da 'International Mission Board", informou um comunicado da organização missionária.

Segundo o relatório da IMB, "cada dólar dado à 'Oferta de Natal Lottie Moon' (LMCO) será usado para apoiar quase 3.600 missionários ligados à Convenção Batista do Sul que estão no campo, enviados por suas igrejas locais para evangelizar, discipular, plantar e multiplicar igrejas saudáveis ​​e treinar líderes entre povos e lugares não alcançados para a Glória de Deus".

Segundo o presidente da IMB, David Platt, esta iniciativa precisa continuar, pois apesar do árduo trabalho de missionários em todo o mundo, ainda há um grande número de povos não alcançados, que precisam ouvir a mensagem do Evangelho.

"Como nós consideramos que há bilhões de pessoas que ainda não ouviram o Evangelho, nós, como Batistas do Sul, percebemos que a melhor maneira de desempenhar nosso papel no cumprimento da Grande Comissão é através do esforço cooperativo em orar, doar, ir e enviar", explicou. "Através da generosidade de cada um que doou, a graça de Deus ressoa Sua glória entre mais e mais pessoas e povos".

Com seu nome homenageando uma grande missionária atuante na China, no começo do século XIX, a Oferta de Natal "Lottie Moon" teve início em 1888 e, desde então, US$ 4,4 bilhões já foram doados para projetos missionários em diversos países.

"Hoje sinto intensamente o peso do meu chamado pessoal para ajudar os cristãos a se desenvolverem espiritualmente em direção ao estilo de vida de uma missão", disse a tesoureira da agência missionária Sandy Wisdom-Martin. "Devemos estar profundamente conscientes da obra de Deus no mundo, precisamos ousados em nossas orações e nos sacrificarmos em nossa generosidade. A causa de Cristo não exige nada menos que isso".


Missionários apoiados
As doações recolhidas pela Oferta de Natal "Lottie Moon" apoiam famílias inteiras de missionários, como os Harrell, que vivem à beira das águas costeiras de Moçambique, se empenhando em evangelizar os 300 mil habitantes de Makhuwa Nahara.


O dinheiro também ajuda a sustentar casal Nick e Shannan Copland. Eles usam ferramentas modernas para conhecer pessoas e desenvolver relacionamentos na antiga cidade italiana de Verona.

Outro casal apoiado por esta iniciativa são Rodney e Helen Cregg* (ligados à IMB), que evangelizam e buscam resgatar prostitutas em um perigoso distrito do sul da Ásia.

"Porque vocês doaram, eu posso acessar áreas remotas da Ásia Central e pregar o Evangelho para pessoas que Deus já está chamado para Si mesmo", relatou um missionário para a Convenção Batista do Sul em um vídeo. "Obrigado! Com a sua ajuda, estamos trazendo luz para os lugares escuros entre grupos de pessoas não alcançadas".

O Conselho de Missão Internacional é parceiro de mais de 40.000 igrejas que trabalham juntas para espalhar o Evangelho em todo o mundo para bilhões de pessoas que nunca ouviram esta mensagem.

A principal maneira de conseguir isso é através da coalizão das igrejas batista do sul enviando e apoiando milhares de missionários. O apoio ao pessoal vem através dos presentes dos Batistas do Sul ao Programa Cooperativo e à Oferta de Natal Lottie Moon.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA BAPTIST PRESS