Google+ Followers

sábado, 28 de maio de 2016

A CULTURA DA VALORIZAÇÃO DO MOSQUITO


A declaração de Cristo Jesus – “Vocês coam um mosquito e engolem um camelo” (Mateus 23.14), está dentro de um contexto de declarações que evidenciam a hipocrisia dos fariseus que priorizavam a estética no lugar da essência, davam mais importância a coisas ínfimas, enquanto supervalorizam o nada.

Passado milhares de anos é interessante observar que a doutrinação com ênfase em mosquitos continua atualizada e atuante.

Infelizmente, inúmeras pessoas continuam obcecadas em coar mosquitos, enquanto que, camelos inteiros estão passando desapercebidos. Enquanto focam suas energias naquilo que é mínimo (mosquitos), as grandes decisões, oportunidades, urgências, e fatos, vão sendo negligenciado e vilipendiado.

De modo que, farisaísmo também é focar naquilo que é nada, enquanto que, aquilo que é, vai sendo desvalorizado e secularizado. Por fim, a pergunta que fica é: O que estamos coando e engolindo, rejeitando e tolerando, priorizando e postergando, qual a natureza do nosso julgamento diante dos mosquitos e camelos que todos os dias precisamos lidar?

Por: S. Torralbo

Pastor é preso novamente e pode ser condenado à morte, no Sudão

Cristãos participam de culto em igreja africana. (Foto: Premier)
Cristãos participam de culto em igreja africana. (Foto: Premier)

Rev. Kuwa Shamal já havia sido preso em dezembro de 2015 e agora espera para saber quais são as acusações que o Serviço de Inteligência do Sudão tem contra ele.

Um pastor e outro cristão recém-convertido do islamismo foram presos por agentes do Serviço de Segurança Nacional de Inteligência do Sudão.

Segundo a organização cristã de apoio à Igreja Perseguida 'International Christian Concern' (ICC), funcionários da inteligência sudanesa prenderam o Rev. Kuwa Shamal, da Igreja de Cristo do Sudão (SCOC) no início desta semana, após intimá-lo a comparecer para um interrogatório.

Rev. Kuwa Shamal foi preso pela primeira vez em dezembro de 2015 junto com o Rev. Hassan Abduraheem Taour - também da Igreja de Cristo do Sudão.

Shamal foi liberto tempos depois, no entanto Rev. Taour permaneceu sob custódia, aguardando acusações que poderiam levá-lo à pena de morte.

Seu advogado disse à ICC que ambos podem enfrentar acusações, incluindo espionagem, ameaça ao sistema constitucional do país e incitação ao ódio religioso.

Rev. Shamal tem se reportado diariamente ao serviços de inteligência e está esperando para saber se ele terá de enfrentar acusações criminais que podem leva-lo à pena de morte.

O advogado disse à ICC que o caso é uma "fraude".

O gerente regional da ICC para a África, Troy Augustine, disse: "A ICC se entristece com a notícia de que o Sudão continua a perseguir a Igreja cristã no país com estas detenções incessantes, que equivalem a violações dos direitos humanos".

"O Sudão existe no âmbito de um quadro jurídico hipócrita e contraditório", acrescentou.

Falando em nome da ICC, Augustine também pediu a libertação imediata dos pastores.

"ICC solicita a libertação imediata dos pastores Taour e Shamal e exige que o Sudão cessar e desistir de suas prisões infundadas e arbitrárias de convertidos e pastores cristãos", clamou.

"Apelamos a todos os interessados ​​que continuem a orar e se unir a nós na exigência de justiça para Kuwa e Hassan".

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA INTERNATIONAL CHRISTIAN CONCERN

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Centenas de igrejas estão virando mesquitas na Europa

Centenas de igrejas estão virando mesquitas na Europa


Índices em quase todos os países são assustadores

por Jarbas Aragão  

Em toda a Europa, o Islã estatisticamente cresce mais que o cristianismo, enquanto os judeus estão abandonando o velho continente em quantidades cada vez maiores.

O Gatestone Institute, que monitora a ascensão do islamismo, fez um levantamento espantoso: a maioria das igrejas europeias estão se tornando templos islâmicos. Isso era impensável até o século passado.

Segundo o Gatestone, turistas que visitam qualquer grande cidade europeia moderna poderão notar que novas mesquitas estão sendo construídas ao lado de igrejas que estão fechadas, e algumas literalmente se tornaram museus.

Os casos de templos cristãos transformados em mesquitas se multiplicam na França. Em Vierzon, a Igreja de Saint-Eloi tornou-se uma mesquita. Em Nantes, a antiga Igreja de São Cristóvão também se tornou um local de culto muçulmano.

Na Holanda, as coisas não são muito diferentes. A Grande Mesquita de Fatih, na capital Amesterdã no passado foi a Igreja de São Inácio. Das 720 igrejas existentes na província de Friesland, 250 se tornaram mesquitas ou foram fechadas. A sinagoga da cidade de Haia agora responde pelo nome de mesquita Al Aqsa.

O Reino Unido testemunha situações similares. A principal mesquita em Dublin, capital da Irlanda, durante séculos foi uma igreja presbiteriana. Na Inglaterra, são centenas de igrejas fechadas na última década, sendo que muitas foram reformadas para abrigar mesquitas.

Segundo dados atuais, são 3 milhões de seguidores de Maomé na terra da Rainha Elizabeth, sendo mais da metade deles imigrantes.
De acordo com o jornal La Libre, dezenas de igrejas belgas estão em perigo iminente de conversão para outros usos. Uma boa porcentagem deve virar mesquita. Em Bruxelas, metade das crianças que estudam em escolas públicas assistem aulas de religião muçulmana, embora oficialmente apenas 19% da população se declara muçulmana.

Na Alemanha, apesar de a chanceler Angela Merkel ser filha de pastor luterano e o presidente Joachim Gauck ser um pastor protestante, o cristianismo está em queda livre. Entre 1990 e 2010, a Igreja Luterana Alemã fechou 340 igrejas e a Igreja Católica perdeu mais de 400 templos.
Muitas delas foram adquiridas pela crescente comunidade muçulmana no país.  Eles eram 50 mil na década de 1980, hoje passam de 4 milhões.

Segundo um levantamento do Instituto Pew, a população muçulmana na Europa na década de 1990 era cerca de 29 milhões de pessoas. A projeção era que chegassem a 58 milhões em 2030. Contudo, a crise migratória dos últimos dois anos impossibilitou qualquer previsão a curto prazo. Todos os especialistas apontam para números muito superiores nas próximas décadas.

E Sinagogas também
Zvi Ammar, presidente do Consistório Israelita de Marselha, França, anunciou recentemente que um dos efeitos do antissemitismo no país era o esvaziamento das sinagogas. A organização muçulmana Al Badr pagou 400.000 euros [R$ 1,5 mi] pelo prédio onde funcionou durante séculos a sinagoga Ou Torah.
Enquanto o templo judeu estava vazio, a mesquita do mesmo bairro estava com superlotação, a ponto de os fiéis serem obrigados a rezar na rua.

Esse é um exemplo significativo. Um ano atrás, o líder muçulmano francês Dalil Boubakeur sugeriu transformar igrejas vazias em mesquitas. É a primeira vez na França que algo semelhante aconteceu com uma sinagoga na Europa. Há vários registros desse tipo de situação no Oriente Médio e norte da África durante o período de expansão do islamismo, nos séculos 7 e 8.

https://noticias.gospelprime.com.br


quinta-feira, 26 de maio de 2016

Filhos, honrem seus pais

Duas palavras resumem o dever dos filhos para com os pais: Obediência e honra. (Foto: ISD)
Duas palavras resumem o dever dos filhos para com os pais: Obediência e honra. (Foto: ISD)

“Filhos, obedecei a vossos pais no Senhor, pois isto é justo. Honra a teu pai e a tua mãe (que é o primeiro mandamento com promessa), para que te vá bem, e sejas de longa vida sobre a terra” (Ef 6.1-4).

O quinto mandamento da lei de Deus trata da relação dos filhos com os pais. Duas palavras resumem o dever dos filhos para com os pais: Obediência e honra. Quando Paulo escreveu esta carta aos efésios estava em vigência no Império Romano o regime do pater postestas. O pai tinha o direito absoluto sobre o filho: podia casá-lo, divorciá-lo, escravizá-lo, vendê-lo, rejeitá-lo, prendê-lo, e até matá-lo.

Hoje estamos vivendo o outro extremo. Na década de 60 irrompeu com os hippies uma contracultura. Os jovens se revoltaram contra a autoridade dos pais e se rebelaram contra toda sorte de autoridade institucional.

O apóstolo menciona três motivos que devem levar os filhos a honrarem e serem obedientes aos pais: a natureza, a lei e o evangelho.

Em primeiro lugar, a natureza (Ef 6.1). “Filhos obedecei a vossos pais no Senhor, pois isto é justo”. A obediência dos filhos aos pais é uma lei da própria natureza, é o comportamento padrão de toda a sociedade. Os moralistas pagãos, os filósofos estóicos, a cultura oriental (chineses, japoneses e coreanos), as grandes religiões como Confucionismo, Budismo e Islamismo defendem também essa bandeira. É antinatural os filhos desobedecerem aos pais. A desobediência aos pais é um sinal de decadência moral da sociedade e um sinal do fim dos tempos ( Rm 1.28-30; 2Tm 3.1-3).

Em segundo lugar, a lei (Ef 6.2-3). “Honra a teu pai e a tua mãe (que é o primeiro mandamento com promessa), para que te vá bem, e sejas de longa vida sobre a terra”. Honrar os pais é mais do que obedecê-los. Os filhos devem prestar não apenas obediência aos pais, mas, também devotar a eles amor, respeito e cuidado. É possível obedecer sem honrar. Na imortal parábola que Jesus contou, o irmão do filho pródigo obedecia ao pai, mas não o honrava. Há filhos que desamparam os pais na velhice. Há outros que trazem flores para o funeral dos pais, mas jamais lhes presentearam com um botão de rosas, enquanto estavam vivos. Honrar pai e mãe é honrar a Deus (Lv 19.1-3). Porém, resistir a autoridade dos pais é insurgir-se contra a autoridade do próprio Deus. Honrar pai e mãe traz preciosos benefícios (Ef 6.2,3). A promessa consiste em prosperidade e longevidade. No Velho Testamento as bênçãos eram terrenas e temporais, como a posse da terra. No Novo Testamento nós somos abençoados com toda sorte de bênçãos espirituais em Cristo (Ef 1.3). Um filho obediente livra-se de grandes desgostos. Quantos desastres seriam evitados se os filhos ouvissem o conselho dos pais! Quantos casamentos desastrosos jamais aconteceriam se os filhos ouvissem a orientação dos pais! Quantas companhias nocivas, que levam para o abismo, seriam evitadas se os filhos ouvissem os pais! Quantos namoros turbulentos jamais começariam se os filhos atendessem à orientação dos pais! Obedecer pai e mãe é um antídoto contra grandes desastres na vida!


Em terceiro lugar, o evangelho (Ef 6.1): “Filhos, obedecei a vossos pais no Senhor…”. O apóstolo Paulo em Colossenses 3.20 fala que os filhos devem obedecer aos pais em tudo, já Efésios 6.1 equilibra dizendo que devem obedecer no Senhor. O que Paulo está ensinando? Os filhos devem obedecer aos pais porque eles mesmos são servos de Cristo. Eles devem obedecer aos pais por causa do relacionamento que têm com Cristo. Em Cristo a família é resgatada à plenitude do seu propósito original. Nossos relacionamentos familiares são restaurados porque estamos no Senhor. Porque estamos em Cristo, nossos relacionamentos são governados por ele. Quanto mais servos de Cristo somos, mais harmoniosa será a relação entre filhos e pais. Porque os filhos vivem para a glória de Deus e têm deleite em fazer sua vontade, eles aprendem a obedecer aos pais porque isto é agradável ao Senhor (Cl 3.20).

FONTE: GUIAME, HERNANDES DIAS LOPES

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Ásia Central: Garoto de seis anos evangeliza com ousadia e preocupa os pais

Garoto estuda com colegas em escola da Ásia Central. (Foto: Reuters)
Garoto estuda com colegas em escola da Ásia Central. (Foto: Reuters)

Apesar da paixão da criança por Jesus ser uma alegria para os pais - que lideram uma igreja doméstica - o fator também pode representar perigo, tanto para a criança, quanto para o ministério, já que a perseguição religiosa é intensa na Ásia Central.

Garoto estuda com colegas em escola da Ásia Central. (Foto: Reuters)

Um pastor e sua esposa - que moram em um país da Ásia Central que sofre com a perseguição religiosa - têm sido confrontados com uma decisão difícil, enquanto seu filho de apenas seis anos de idade expressa sem qualquer sinal de medo, sua paixão por Jesus Cristo. Apesar disso ser uma alegria para muitos pais cristãos, o fator também pode representar um perigo, tanto para a criança, quanto para a igreja doméstica, que funciona secretamente.

De acordo com um relatório de vigilância da Missão Portas Abertas nos EUA, um pesquisador de campo associado e sua esposa recentemente falaram com a esposa de um pastor, líder de uma igreja doméstica, na Ásia Central.

A mulher revelou que ela e seu marido têm um filho de seis anos de idade, que ela descreveu como uma criança "alegre, que adora cantar em voz alta" sobre o seu amor por Cristo. O garotinho também compartilha a mensagem Cristo com todos que encontra, segundo sua mãe revelou.

"Recentemente, ele me perguntou se seu amigo iria para o céu, caso ele morresse e eu disse: 'Se ele não conhece a Cristo, então provavelmente não vá", ela recordou. Em seguida, seu filho disse: "Então eu tenho que falar e ele com urgência sobre Jesus!".

Apesar dos 'perigos' que a atitude do garoto pode representar para ele mesmo, sua família e a igreja doméstica, a mãe revelou que ela não quer inibir a paixão de seu filho em compartilhar do Evangelho com os outros e pediu que o Corpo de Cristo em todo o mundo estivesse orando por sua família e ministério.

A Missão Portas Abertas também fez um apelo para que os cristãos em todo o mundo orem por essa família.

"Oremos Deus que dê a sabedoria a essa mãe nesta situação. Oremos a Deus que esta criança e sua família continuem a se orgulhar do Evangelho, e o compartilhem com responsabilidade em seu país", observa o relatório.

Perseguição religiosa

A perseguição contra os cristãos ainda é evidente em alguns antigos Estados soviéticos, comolistados pelo mais recente relatório da Missão Internacional Portas Abertas. Países como Uzbequistão, Turcomenistão, Tadjiquistão e Cazaquistão integram a lista dos 50 lugares onde o cristianismo sofre perseguição mais intensa.


15º na lista, o Uzbequistão é o país onde há maiores índices de perseguição religiosa na Ásia Central. Já na República do Azerbaijão, (34º na lista) os cristãos protestantes são consideradas "extremistas". O país também tem muitos dos "prisioneiros de consciência", que são cristãos, muçulmanos ou de outras religiões e acabam sendo presos em razão de sua declaração de fé.

Wade Kusack, diretor do departamento de liberdade religiosa da Missão Eurásia, disse à World Magazine que "a intolerância islâmica contra o cristianismo e a forma como muitas pessoas nesses países visualizam o islamismo como parte de suas identidades étnicas e culturais, também são fatores que contribuem para a intensificação da perseguição aos cristãos na Ásia Central".

Kusack disse que as pessoas muitas vezes enxergam os muçulmanos convertidos ao cristianismo como traidores e apontam os missionários como uma "ameaça à identidade nacional".

Apesar dos desafios, os missionários com ministérios em países da Ásia Central deram início a centenas de igrejas ao longo das últimas três décadas, de acordo com a Missão 'Christian Aid'.

"Se há oposição ao cristianismo - especialmente aos evangélicos - isso só tem estimulado uma maior unidade e compromisso entre os crentes na região", observa a Missão.

"Superar equívocos culturais é uma batalha difícil, mas líderes de ministérios são encorajados por uma nova geração de crentes que sentem a urgência de levar o evangelho ao seu próprio povo, enquanto eles podem".

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO GOSPEL HERALD


Cristão cubano que usou o próprio sangue para escrever cartas da prisão é homenageado em NY


Publicado por Tiago Chagas

Cristão cubano que usou o próprio sangue para escrever cartas da prisão é homenageado em NY

Armando Valladares, artista e poeta cubano, é um cristão que foi mantido na prisão durante 22 anos por se recusar a apoiar politicamente o ditador Fidel Castro. Recentemente, ele foi homenageado com a Medalha de Canterbury, em Nova York, por sua obra que relatou seu tempo na prisão.

Valladares usava o próprio sangue para escrever cartas na prisão, assim como nylon queimado e até medicamentos. O material produzido por ele, que inclui quadros, cartas e poesias, foram retiradas de Cuba de forma clandestina por sua esposa, Martha, que publicou o conteúdo e logo atraiu a atenção da mídia.

De acordo com informações do Christian Post, Valladares, hoje com 78 anos de idade, foi liberto da prisão em 1982. Quatro anos depois, publicou um livro de memórias intitulado “Contra Toda a Esperança: Uma Memória de Vida na Gulag de Castro”, que se tornou best-seller segundo o New York Times. A homenagem recebida por ele em Nova York faz parte das comemorações do 30º aniversário de lançamento.

O cubano contou que durante oito dos 22 anos que ficou preso, ele era mantido nu em confinamento solitário, além de sofrer espancamentos e torturas. Como forma de protesto, realizou 16 greves de fome, e uma delas trouxe consequências tão sérias que ele precisou usar uma cadeira de rodas por anos.

Ainda na prisão, Valladares foi adotado pela Anistia Internacional como um “prisioneiro de consciência”, afinal, seu crime era se recuar a exibir uma placa em sua mesa de trabalho com os dizeres “Eu estou com Fidel”.

Em seu discurso de agradecimento à homenagem, Valladares disse que crê que Deus o escolheu para um propósito grandioso: “Eu não sou um homem extraordinário. Na verdade, sou bastante comum, mas Deus me escolheu para ser algo bastante extraordinário”, disse. “Quando eu tinha 23 anos, me recusei a fazer algo que parecia muito pequeno na época. Eu me recusei a dizer as palavras: ‘Estou com Fidel Castro’. Em primeiro lugar, eu rejeitei a ordem de colocar uma placa na minha mesa. Depois de anos de tortura e vendo muitos dos meus companheiros de cela morrerem, eu ainda me recusei a dizer essas palavras”, acrescentou.

“Se eu tivesse dito aquelas palavras, a tortura teria terminado e eu teria sido imediatamente liberto da prisão. Minha história tem demonstrado que um pequeno ato de desafio pode significar tudo para os amigos da liberdade. Eles não me deixaram na prisão por 22 anos por causa da minha recusa em dizer essas palavras que, aparentemente não significavam nada. Na realidade, essas palavras significavam tudo. Para mim, dizer essas palavras teriam constituído uma espécie de suicídio espiritual. Mesmo que meu corpo estivesse na prisão, sendo torturado minha alma estava livre e florescendo”, discursou.


Ao final, Valladares convocou a plateia a ser um agente na defesa da liberdade, mesmo que o custo seja alto: “Mesmo quando não temos nada, cada pessoa possui a chave para a sua própria consciência, o seu próprio castelo sagrado. Sendo assim, cada um de nós que não podemos ter um castelo terreno ou mesmo uma casa, cada um de nós é mais rico que um rei ou rainha […] Eu estou aqui para dizer-lhe que cada pequeno ato conta. Nenhum homem ou mulher é muito pequeno ou muito simples demais que não possa ser chamado a dar testemunho da verdade. Eu estou aqui para lembrá-los que cada um de vocês possui uma grande riqueza no sagrado domínio de sua própria consciência. Eu estou aqui para dizer-lhes que cada um de vocês é chamado a permanecer fiel a essa consciência”, disse, aplaudido.

Fonte: http://noticias.gospelmais.com.br/

terça-feira, 24 de maio de 2016

“Perdoe-os”, pediu menina queimada viva pelo Estado Islâmico

“Perdoe-os”, pediu menina queimada viva pelo Estado Islâmico

Líder cristão alerta que o mundo inteiro será atingido pelo terror em breve

por Jarbas Aragão 
FACEBOOK
Uma menina de apenas 12 anos de idade foi queimada viva por soldados do grupo terrorista Estado Islâmico (EI), em Mossul, norte do Iraque. De acordo com a mãe dela, jihadistas vieram até a casa da família exigir o pagamento da “taxa religiosa”, a jizya.

Esse tipo de cobrança é descrito no Alcorão como uma obrigação dos não-muçulmanos que vivem entre os seguidores de Maomé. Nos locais dominados pelo EI tornou-se uma regra taxar os cristãos que não fugiram.

Segundo testemunhas, soldados “estrangeiros” que lutam na região bateram na porta da casa e disseram: “Ou vocês pagam a jizya ou saem agora”. A mãe pediu: “Esperam alguns segundos, a minha filha está no chuveiro”.

Isso irritou os islamistas, que não queriam esperar. Por isso, decidiram colocar fogo na casa. Mãe e filha saíram de casa, mas a menina acabou tendo queimaduras de quarto grau, que lhe tiraram a vida algumas horas depois. Suas últimas palavras foram “Pedoe-os”, uma expressão que lembra o pedido de Jesus a Deus durante a crucificação.

Esse testemunho está sendo divulgado por Jacqueline Isaac, uma defensora dos direitos humanos que vem dando palestras sobre perseguição religiosa no mundo todo. Ela lembra que a população cristã na região da Síria e Iraque está diminuindo rapidamente, mas ainda existem pessoas que resistem bravamente e pagam por isso.

Martin Hermis Dawood, importante líder da comunidade cristã do Iraque, afirmou que, se nada for feito, dentro de no máximo cinco anos não haverá mais cristãos nos lugares dominados pelo Estado Islâmico.

Segundo estimativas, dos cerca de 1 milhão e 300 mil cristãos que viviam no Iraque antes do começo da guerra civil, restaram menos de 400 mil hoje.

Para Dawood existe muita hipocrisia da mídia, pois não se dá o mesmo destaque às mortes diárias no seu país embora todo ataque terrorista na Europa vire capa de jornal.

“Sabemos muito bem que nem todo muçulmano é terrorista, mas há uma cultura de violência em ascensão no Oriente Médio. Há uma luta acontecendo e o mundo inteiro será atingido por esse fogo num futuro não muito distante”, alertou. 

Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br Com informações de Independent


Pastor morre envenenado após disputa teológica com muçulmano, em Uganda

Cerca de 85% da população em Uganda é cristã, e 11% se declara muçulmana. (Foto: Reuters)
Cerca de 85% da população em Uganda é cristã, e 11% se declara muçulmana. (Foto: Reuters)

O pastor Micah Byamukama estava sozinho em sua casa quando recebeu a visita do suspeito. Fingindo a busca por uma reconciliação, ele jantou com o pastor e colocou veneno em sua comida.

Um pastor foi morto por envenenamento após ter tido um diálogo teológico intenso com um muçulmano, no leste de Uganda. Micah Byamukama, líder da Igreja Batista Kasecha, faleceu aos 61 anos de idade no dia 15 de maio, depois de ingerir uma refeição contaminada.

O suspeito, Ahmed Mupere, disse que se “chateou” com o pastor depois de ter sua teologia desafiada em discussões públicas. Micah havia afirmado que "o verdadeiro Deus é o Senhor Jesus Cristo, que tomou o poder das mãos de Satanás, incluindo do gênio islâmico (uma entidade angelical para os muçulmanos)”.
Uma semana antes do envenenamento, pessoas não identificadas tentaram atacar o pastor à facadas. Micah se feriu, mas seus vizinhos o salvaram a tempo de sua vida ser poupada.

Viúvo sem filhos, Micah estava sozinho em sua casa quando recebeu a visita de Ahmed, no dia 15 de maio — cinco dias após o primeiro ataque. Fingindo a busca por uma reconciliação, ele jantou com o pastor e colocou veneno em sua comida.

Antes de morrer, o pastor relatou a um de seus vizinhos: "Ahmed comeu um pouco de comida comigo e depois parou. Quando perguntei por que ele não iria continuar com a comida, ele disse que tinha comido em sua casa, e que já voltaria porque estava ficando tarde".

Pouco depois, o pastor começou a sentir fortes dores de estômago e foi levado ao centro de saúde local. De acordo com enfermeiros, Micah morreu por ter ingerido uma substância chamada “organofosforado”, um inseticida altamente tóxico.
A polícia iniciou as investigações, no entanto, Ahmed fugiu da aldeia em que vivia.

Antes de se converter, Micah era seguidor do animismo, religião que acredita que entidades não-humanas, como animais, plantas ou objetos possuem uma essência espiritual. Anteriormente ele era chamado de Mukama, mas ao se tornar cristão, ele mudou seu nome para "Byamukama", que significa "Todos por Deus."
Cerca de 85% da população em Uganda é cristã, e 11% se declara muçulmana, localizada em grandes comunidades ao leste do país. A constituição da Uganda apoia a liberdade religiosa, incluindo o direito de propagar a fé e converter pessoas.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE CHRISTIAN TELEGRAPH

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Estado Islâmico joga 25 civis em tanque de ácido, durante execução em público

Estado Islâmico joga 25 civis em tanque de ácido, durante execução em público
Vítimas foram acusadas de espionagem e de terem prestado serviços às forças de segurança do governo iraquiano
    
Estado Islâmico joga 25 civis em tanque de ácido, durante execução em público

O Estado Islâmico (EI) executou publicamente no distrito de Nínive, em Mosul (Iraque), 25 civis, que tinham sido acusados ??de espionagem sobre o grupo terrorista para as forças de segurança do governo iraquiano. Durante a execução, os jihadistas atiraram os condenados em um tanque de ácido nítrico, de acordo com o site 'IraqiNews.com', que citou relatórios de uma fonte anônima na última quarta-feira (18).

A fonte disse que os membros do Estado Islâmico - também conhecido como 'ISIS', 'ISIL' ou 'Daesh' - amarraram todos os 25 homens com uma corda e os mergulharam na banheira "até que os órgãos das vítimas ficassem completamente dissolvidos".

O ácido nítrico é um ácido mineral, altamente corrosivo e extremamente prejudicial para o corpo humano.

Atrocidades

Na sexta-feira passada, os terroristas do Estado Islâmico ISIS executaram outros 11 moradores de Mosul sob a acusação de utilização de celulares, de acordo com o site iraquiano 'Alalam'. A página também informou que os militantes do EI queimaram vivos todos os cinco membros de uma família na cidade de Kirkuk no dia anterior, depois de acusá-los de tentar fugir dos territórios dominados pelo grupo terrorista.

No final de abril, membros do EI executarqam 250 mulheres em Mosul após as vítimas terem recusado a "proposta" de se casarem temporariamente com militantes.

Na semana passada, uma vala com corpos de pessoas executadas pelo Estado Islâmico foi encontrada na cidade de Suluk (Síria), a cerca de 48 quilômetros da cidade de Raqqa, que foi controlada pelo Estado Islâmico até dias recentes.

"Nós descobrimos milhares de corpos de vítimas inocentes naquela vala", disse um comandante curdo. "Eles teriam trazido as vítimas ainda vivas e de olhos vendados para a beira de um precipício e atiravam próximo às suas cabeças para assustá-los. As pessoas, então, começavam a correr e caíam do penhasco".

Perdendo forças

Apesar das terríveis atrocidades que tem cometido, o Estado Islâmico parece estar perdendo forças, enquanto vê suas terras e seus domínios serem retomados por forças iraquianas e sírias.

No Iraque, O Estado Islâmico já perdeu quase metade do território que uma vez já teve em seu poder, desde que varreu o país em Junho de 2014. A informação foi confirmada por um porta-voz do Pentágono na semana passada.


"O número de terras agora recuperadas no Iraque é de cerca de 45%", disse o porta-voz Peter Cook, de acordo com a Newsweek. "O número na Síria gira e torno de 16 a 20%".

Fonte: Guia-me / com informações do Christian Post

domingo, 22 de maio de 2016

Usar o Facebook pode mudar sua religião, diz estudo

 
A pesquisa, realizada nos Estados Unidos ao longo de 11 anos, mostra que as redes sociais têm mudado as nossas crenças - e tornado as pessoas mais tolerantes.

"Borboletas não conseguem ver as próprias asas. Elas sabem o quanto são bonitas, embora todos ao redor consigam". Responda rápido: o que você acha dessa frase? Parece legal, não é? Bom, antes de mudar seu status no Wahtsapp, saiba que essas palavras vieram de uma página religiosa no Facebook - uma das primeiras que aparecem quando você procura o termo "Islã" por lá.

Se você curtiu a frase mesmo não sendo muçulmano, saiba que não é o único: uma pesquisa feita nos Estados Unidos mostrou que a maioria das pessoas faz a mesma coisa - incorpora crenças, dogmas e práticas de diversas religiões a partir de posts nas redes sociais. E mais: fazem isso mesmo seguindo outra religião.

O estudo, realizado pelo departamento de sociologia da Universidade de Universidade de Baylor, no Texas, tinha como objetivo medir o quanto a comunicação em rede influencia as crenças das pessoas. Para isso, 3 mil jovens de 13 a 17 anos foram questionados sobre religião e internet entre 2002 e 2013.

Nos questionários, os participantes precisavam responder três perguntas simples: se, para eles, outras religiões além da que seguiam poderiam ter valores verdadeiros; se aceitar algumas crenças de outras religiões seria ok ou condenável; e se uma pessoa da mesma religião que eles poderia acreditar em partes de outras religiões. Eles também tinham de dizer com que frequência participavam de cultos religiosos - excluindo casamentos, funerais e batismos - e quanto tempo passavam conectados ao Facebook.

A pesquisa concluiu que 80% dos participantes acham que tudo bem incorporar novas crenças à própria vida, mesmo que elas sejam parte de outras religiões. Mas o que chama atenção é que apenas as pessoas que mais usavam as redes sociais - 89% dos jovens - se mostraram flexíveis em relação aos dogmas religiosos. O resto, usuários menos frequentes do Facebook e de outras redes, são as mesmas pessoas que disseram ir mais a cultos e rituais, como missas, congregações e afins.

Através das redes sociais, as pessoas estão vendo as religiões de uma forma diferente: não mais como uma coisa antiga, inquestionável e sólida, mas como algo mais livre, do qual se pode escolher algumas partes e rejeitar outras para compor uma crença própria e personalizada. Uma mesma pessoa pode curtir a frase da borboleta do começo do texto - que é muçulmana -, aceitar a ideia de que não devemos ser apegados a bens materiais - que é budista -, crer que Deus perdoa tudo - católica - e por aí vai: uma salada mista religiosa e pessoal.

Os sociólogos ainda não entenderam por que isso acontece, mas acreditam que a mudança tenha a ver com uma característica específica da internet - a sensação de anonimato, que nos faz pensar que ninguém está olhando o que fazemos online. No Facebook, dificilmente alguém vai julgar os seus likes em posts de diferentes crenças - mas, no mundo offline, você não pode simplesmente sair falando de reincarnação em uma igreja evangélica, ou pregar o perdão divino católico em um templo budista.

A tendência é que, com a popularização cada vez maior das redes sociais no cotidiano, essa nova visão de religião continue se perpetuando. E amém. Ou Namastê. Ou Shalom. Ou o que você quiser.

Publicado em Super Fonte: http://www.noticiascristas.com/