Google+ Followers

sábado, 20 de fevereiro de 2016

Cristãos sudaneses pedem orações


19-sudan-0380101052


As igrejas estão sendo prejudicadas, principalmente aquelas que acolheram os refugiados da Eritreia, Etiópia e Filipinas

Em Cartum, capital do Sudão e segunda maior cidade do país, os cristãos pedem oração pela situação que estão vivendo. As igrejas estão sendo prejudicadas, principalmente aquelas que acolheram os refugiados da Eritreia, Etiópia e Filipinas. Representantes do Ministério da Administração Interna do País convocaram líderes de igrejas de refugiados e disseram-lhes para que paralisem todos os seus trabalhos até que as igrejas estejam devidamente registradas, sob a pena de terem suas portas fechadas.

"Nós não sabemos o que fazer. Os líderes das igrejas de refugiados estão discutindo sobre qual será o próximo passo. Estamos pedindo a todas as igrejas do Sudão para que venham em nosso socorro e nos ajudem a tomar decisões, através de seus conselhos. Todos nós que estamos envolvidos na evangelização desse país vivemos sob intensa pressão do governo. Alguns líderes, inclusive, já estão presos", comenta um deles. Há certa desconfiança por parte dos líderes cristãos em registrar as igrejas que estão em atividade, já que isto vai fazer com que o governo tenha muitas informações sobre elas. "Nós vimos o que aconteceu na Eritreia, tememos que aconteça o mesmo por aqui", disse um líder.

Sudão vive, hoje, uma perseguição religiosa sistemática e uma espécie de política de limpeza étnica, com o islã profundamente enraizado na sociedade. Além disso, nas últimas décadas, a imprensa e meios de comunicação têm enfrentado restrições e a liberdade de expressão e religião tem sido muito reduzida. "Tudo o que tem acontecido pode ser uma indicação de que o governo do Sudão está ocupado com uma repressão mais ampla contra os cristãos no país", disse uma das fontes que não pode ser identificada por motivos de segurança. "Estamos clamando a Deus para nos ajudar nessa situação", finaliza um dos líderes cristãos.

Pedidos de oração
  • Ore para que a igreja tenha sabedoria nesse momento delicado e que saiba lidar com as exigências do governo.
  • Peça ao Senhor para que fortaleça os cristãos que enfrentam nesse momento a perseguição religiosa, para que persistam em sua fé.
  • Ore também pelos refugiados que foram acolhidos pelas igrejas do Sudão, para que eles venham somar, fazendo com que a igreja cresça e fique ainda mais forte. Fonte: www.portasabertas.org.br


sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Pastor comenta erros e acertos (mais erros) da teologia da prosperidade; Leia e entenda




Leitura Dinâmica - Método FastRead
O conceito de que Deus pode abençoar materialmente seus filhos é biblicamente coerente, mas a ênfase nessa questão, excluindo dos sermões a soberania de Deus para dizer sim ou não, quando ou onde e a quem abençoar torna a mensagem uma heresia. Essa é a síntese de um artigo do reverendo presbiteriano Augustus Nicodemus Lopes sobre o tema.

Para Lopes, a teologia da prosperidade se vale de conceitos verdadeiros no âmbito teológico, mas torna-se heresia ao isolar tais verdades de seu contexto amplo, e omitir outras possibilidades.

“A teologia da prosperidade, à semelhança da teologia da libertação e do movimento de batalha espiritual, identifica um ponto biblicamente correto, abstrai-o do contexto maior das Escrituras e o utiliza como lente para reler toda a revelação, excluindo todas aquelas passagens que não se encaixam. Ao final, o que temos é uma religião tão diferente do Cristianismo bíblico que dificilmente poderia ser considerada como tal”, resume o reverendo, em um artigo publicado no Púlpito Cristão.

De acordo com a análise de Lopes, “uma das razões pela qual os evangélicos têm dificuldade em perceber o que está errado com a teologia da prosperidade é que ela é diferente das heresias clássicas”, como as que permeiam as doutrinas de mórmons e testemunhas de Jeová: “A teologia da prosperidade é um tipo diferente de erro teológico. Ela não nega diretamente nenhuma das verdades fundamentais do Cristianismo. A questão é de ênfase. O problema não é o que a teologia da prosperidade diz, e sim o que ela não diz”, pontua.

Veja a lista de erros e acertos dentro da teologia da prosperidade, e entenda o que há de errado na mensagem que reduz o Evangelho a uma busca por riqueza material:

1) Ela está certa quando diz que Deus tem prazer em abençoar seus filhos com bênçãos materiais, mas erra quando deixa de dizer que qualquer bênção vinda de Deus é graça e não um direito que nós temos e que podemos reivindicar ou exigir dele.

2) Ela acerta quando diz que podemos pedir a Deus bênçãos materiais, mas erra quando deixa de dizer que Deus tem o direito de negá-las quando achar por bem, sem que isto seja por falta de fé ou fidelidade de nossa parte.

3) Ela acerta quando diz que devemos sempre declarar e confessar de maneira positiva que Deus é bom, justo e poderoso para nos dar tudo o que precisamos, mas erra quando deixa de dizer que estas declarações positivas não têm poder algum em si mesmas para fazer com que Deus nos abençoe materialmente.

4) Ela acerta quando diz que devemos dar o dízimo e ofertas, mas erra quando deixa de dizer que isto não obriga Deus a pagá-los de volta.

5) Ela acerta quando diz que Deus faz milagres e multiplica o azeite da viúva, mas erra quando deixa de dizer que nem sempre Deus está disposto, em sua sabedoria insondável, a fazer milagres para atender nossas necessidades, e que na maioria das vezes ele quer nos abençoar materialmente através do nosso trabalho duro, honesto e constante.

6) Ela acerta quando identifica os poderes malignos e demônicos por detrás da opressão humana, mas erra quando deixa de identificar outros fatores como a corrupção, a desonestidade, a ganância, a mentira e a injustiça, os quais se combatem, não com expulsão de demônios, mas com ações concretas no âmbito social, político e econômico.

7) Ela acerta quando diz que Deus costuma recompensar a fidelidade mas erra quando deixa de dizer que por vezes Deus permite que os fiéis sofram muito aqui neste mundo.

8) Ela está certa quando diz que podemos pedir e orar e buscar prosperidade, mas erra quando deixa de dizer que um não de Deus a estas orações não significa que Ele está irado conosco.

9) Ela acerta quando cita textos da Bíblia que ensinam que Deus recompensa com bênçãos materiais aqueles que o amam, mas erra quando deixa de mostrar aquelas outras passagens que registram o sofrimento, pobreza, dor, prisão e angústia dos servos fiéis de Deus.

10) Ela acerta quando destaca a importância e o poder da fé, mas erra quando deixa de dizer que o critério final para as respostas positivas de oração não é a fé do homem mas a vontade soberana de Deus.

11) Ela acerta quando nos encoraja a buscar uma vida melhor, mas erra quando deixa de dizer que a pobreza não é sinal de infidelidade e nem a riqueza é sinal de aprovação da parte de Deus.


12) Ela acerta quando nos encoraja a buscar a Deus, mas erra quando induz os crentes a buscá-lo em primeiro lugar por aquelas coisas que a Bíblia constantemente considera como secundárias, passageiras e provisórias, como bens materiais e saúde. Fonte:http://noticias.gospelmais.com.br/

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Mulher é proibida pelo marido de seguir o cristianismo


18-asiacentral-0250100457

ÁSIA CENTRAL

A cristã foi expulsa da própria casa com seus três filhos, mas foi abrigada pela igreja e recebeu ajuda dos irmãos

Sadia* é uma cristã que vive em um dos países da Ásia Central. Há vinte anos ela aceitou Jesus como seu Salvador, quando ainda era bem jovem e através de seus testemunhos toda sua família se tornou cristã. Em determinado momento da vida, ela se casou com Arslan*, um muçulmano que até então não se importava com a fé da esposa. Mas, logo após o nascimento do primeiro filho, ele se posicionou contra o cristianismo e a igreja. Um dia, ele disse à Sadia: "Se você continuar indo à igreja ou proferir qualquer palavra sobre o seu ‘Cristo’, eu darei um jeito de prender você". Segundo a cristã, ele realmente poderia fazer isso, já que era um dos policiais autorizados da cidade.

Muito chateada com a situação, ela continuou a frequentar a igreja secretamente, onde todos os irmãos oravam fervorosamente por ela. Mas seu esposo descobriu e passou a violenta-la. Isto aconteceu por diversas vezes. A essa altura, o casal já tinha três filhos. A violência doméstica, as brigas e as discussões terminaram na expulsão da cristã da sua própria casa. Aquela jovem e seus três filhos foram parar na rua, mas tiveram o apoio da igreja, onde ficaram abrigados durante um tempo. Alguns meses depois, Arslan mudou de ideia, então a família voltou para casa, sob a condição de não atender mais cristãos em hipótese alguma, fazendo com que Sadia ficasse sem visitar a igreja por longos anos e sendo controlada a cada passo.

A cristã teve uma vida dura, sendo obrigada a trabalhar muito mais que antes, oprimida, mas com a mesma fé. "Eu não podia parar para nada, então eu clamava a Deus em minhas orações enquanto trabalhava. Meu marido também me obrigou a participar das orações muçulmanas, mas eu me neguei, por isso sofria ainda mais", desabafa ela. Um dia, durante uma visita secreta de uma irmã, as duas compartilharam a ideia de formar uma igreja. "Apenas o pensamento de realizar esse sonho me ajudou a sobreviver. Eu pensava ‘se Cristo morreu por nós, vale a pena todo sacrifício’. Enquanto isso, a igreja continuava orando e Deus ouviu estas orações. Os filhos de Sadia cresceram e se converteram ao cristianismo, de forma que ela já não está mais sozinha em sua fé. Agora sua casa ganhou novas colunas espirituais e, com certeza, Deus continuará agindo a seu favor.

*Nome alterado por motivos de segurança. 
Fonte: https://www.portasabertas.org.br/noticias/2016/02/mulher-e-proibida-pelo-marido-de-seguir-o-cristianismo


quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Estudante é preso por “supostamente” pregar o evangelho


17 Laos_2010_0310101812


“Minha situação era realmente complicada. Minha família não conseguia ajuda, eu não sabia quando sairia dali”

Certa vez, um prisioneiro disse estas palavras, ao ser libertado: “Talvez a prisão faça parte do plano de Deus”. James* é um estudante de 23 anos, que faz parte da Escola Bíblica de Laos. Ele foi preso por “supostamente” compartilhar o evangelho em uma das pequenas aldeias de sua região. Segundo ele, os quatro meses em que esteve encarcerado foram uma grande provação, mas que o levaram para mais perto de Cristo. “No dia 20 de agosto do ano passado, dez pessoas chegaram de repente para me prender. Confesso que fiquei atordoado, mas não tive medo. Eu sei que tudo o que acontece comigo faz parte dos planos de Deus para minha vida”, conta James.

Segundo o estudante, ele fazia um trabalho para ajudar seu cunhado, que também estudava na mesma escola. “O projeto dele envolvia um levantamento entre os moradores, como ele não tinha tempo para ir até as pessoas e realizar a pesquisa, pediu a minha ajuda. Por isso eu fui até a aldeia. Pedi os nomes dos moradores, idades e suas ocupações. Era algo simples e inofensivo. Antes, porém pedi permissão ao líder da aldeia e ele permitiu. Realizei a pesquisa na primeira casa, quando estava caminhando para a segunda, eu já estava preso. Dez pessoas chegaram e já foram dizendo que eu estava compartilhando o evangelho para converter aquelas pessoas. Não era o caso, eu estava ali apenas fazendo algumas perguntas”, explica ele.

Embora James não estivesse ali evangelizando, já que ele sabe que o evangelismo é proibido por lei no Laos, o fato de ele ser um cristão já levantou suspeitas. “Pensei que minha prisão duraria apenas alguns dias, mas as semanas se passaram e se transformaram em meses. Durante esse tempo eu convivi com 71 prisioneiros. Passamos fome e tivemos momentos realmente difíceis. Mas ali eu aprendi em quem eu devo confiar. Eu tenho plena convicção de que Deus nos dá forças e nos ajuda em todo o tempo. Eu realmente não pude culpar ou questionar Deus, porque eu sentia que a cadeia fazia parte de seu plano para mim. Por duas noites eu sonhei que estava morto, então Deus me fez lembrar que nem mesmo a minha vida me pertence. Acordei chorando muito”, lembra James.

“Minha situação era realmente complicada. Minha família não conseguia ajuda, eu não sabia quando sairia dali. Entre os prisioneiros havia muitos usuários de drogas, traficantes, ladrões e adúlteros. Eram pessoas caídas, como um dia eu fui, mas eles me tratavam bem. Houve um dia em que o líder dos prisioneiros perguntou por que eu estava na prisão e eu aproveitei a oportunidade de compartilhar Cristo com aquele homem. Eu não sei se ele acreditou, mas eu fiquei satisfeito por ter compartilhado as boas novas. No dia 21 de dezembro, algumas pessoas da equipe da Portas Abertas pagaram a fiança e eu fui liberado. Chegando em casa, eu só pensava nos prisioneiros que não fazem parte da família de Deus e que não podem contar com esse tipo de ajuda, então orei por eles. Abracei meus pais e agradeci a Deus por aquele momento, o amor deles me fortaleceu, porque eles também são de Jesus. Não há mais nada o que possamos fazer nessa vida, a não ser confiar em Deus”, concluiu o estudante.

Motivos de oração

• Louve a Deus pela vida de James e de sua família e ore para que eles permaneçam firmes nos caminhos do Senhor.
• Peça a Deus para que abençoe todos os estudantes de Laos, e que eles sejam sábios e estratégicos na hora de evangelizar.
• Laos é o 29º país da Classificação da Perseguição Religiosa 2016 e um dos cinco países restantes do regime comunista. Ore pelos governantes laosianos, para que sejam tocados pelo amor de Cristo e que suas leis sejam menos restritivas e mais justas.
Fonte: www.portasabertas.org.br


terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Maldivos se reúnem em igrejas subterrâneas


16-maldives-0010100113


A pressão psicológica e moral é praticada dentro de casa e na comunidade

Maldivas é um país bem pequeno que fica no oceano Índico, ao sudoeste do Sri Lanka e da Índia. Geograficamente falando, é um lugar privilegiado, cercado de praias paradisíacas e visado internacionalmente para férias. Mas, infelizmente, viver lá é só para muçulmanos. O governo protege o islã e, oficialmente, não existe um único cristão por lá. Os que decidem seguir Jesus são expatriados. O país é o 13º da Classificação da Perseguição Religiosa de 2016.

No entanto, há vários líderes cristãos nas Maldivas, divulgando o evangelho de Cristo, e arriscando suas próprias vidas. Mas as condições são bem limitadas, não há reuniões em igrejas ou prédios, e os poucos cristãos que existem são obrigados a esconder sua fé, com medo de serem descobertos. A perseguição por parte da família e da comunidade ainda é muito grande.

Sabendo das consequências de ser seguidora de Cristo, a igreja maldiva se reúne de forma subterrânea. A pressão psicológica e moral é praticada dentro de casa e na comunidade de forma tão eficaz que nenhuma outra violência se faz necessária para inibir o crescimento da comunidade cristã. Alguns cristãos secretos que foram descobertos tiveram de fugir para o exterior. Mas Deus continua sustentando a cada um com alimento espiritual. "Jesus dá-me forças para suportar tudo em seu nome. Essa é minha oração diária. E por que não devo estar feliz? Eu encontrei a paz por meio dele", compartilha um cristão maldivo secreto.

Pedidos de oração
  • Ore pelos líderes cristãos que divulgam o evangelho de Cristo nas Maldivas, para que Deus os proteja da perseguição religiosa.
  • Peça ao Senhor para que os corações dos maldivos estejam preparados para receber as boas novas e que eles permaneçam firmes na fé.
  • Peça também para que os cidadãos permaneçam firmes em sua luta pelos direitos humanos e que os líderes políticos possam apresentar à nação uma Constituição mais justa e humanizada. Fonte:https://www.portasabertas.org.br


segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

O que acontece quando a polícia prende um cristão


15-pakistan-0430102371.jpg


"A polícia não mostrou nenhum relatório até agora e isto deixa claro de que estão escondendo algo"

Tariq Masih tinha apenas 49 anos de idade quando morreu no dia 25 de janeiro, em Muridke, uma cidade do Paquistão que fica localizada na província de Punjab, deixando um filho de 7 anos. O cristão foi preso no distrito de Sialkot e levado para uma delegacia de Muridke, onde foi torturado até a morte. "A esposa dele fez uma denúncia contra os quatro autores: Toheed-Ur-Rehman, Muhammad Nawaz, e dois homens da polícia não identificados, mas até agora nenhuma providência foi tomada", comenta uma fonte que não se identificou por motivos de segurança. Ainda segundo a fonte, Tariq foi raptado de sua casa, assassinado pela polícia, e, em seguida, seu corpo foi jogado de volta à residência da família.

A polícia disse: "Tariq Masih foi preso e nós estávamos a caminho da delegacia, mas ele sofreu um ataque cardíaco durante o trajeto e nós temos um relatório pós-morte para provar isso". O ativista de direitos humanos, Sardar Mushtaq Gill, disse: "A polícia não mostrou nenhum relatório até agora e isto deixa claro de que estão escondendo algo. A polícia sequer explicou o motivo de sua prisão". Um líder cristão, conhecido da família também comentou: "Até agora não consigo entender o que aconteceu. A família está em choque e nós sentimos a mesma tristeza. É uma morte sem explicação e justificativa alguma".

Este é o segundo caso só em janeiro, que alguém morre sob custódia da polícia, devido a torturas. "No dia 15 de janeiro, Liaqat Masih também foi brutalmente torturado até a morte pela polícia, na frente de seu filho", comenta um dos analistas de perseguição. Ainda que não haja nenhuma evidência de que Tariq tenha sido morto por sua fé, há uma forte tendência que sugere que os cristãos paquistaneses estejam sofrendo tortura, discriminação e injustiça feita pelas mãos de agentes policiais em todo o Paquistão. O país está na 6ª posição da Classificação da Perseguição Religiosa em 2016, o cristianismo tem sido vigiado e abatido. Leis de blasfêmia são frequentemente aplicadas de forma abusiva para atacar grupos minoritários no país, incluindo os cristãos que são considerados infiéis, como todos aqueles que não seguem o islamismo. A Portas Abertas está presente no país fornecendo a preparação para a perseguição religiosa e aconselhamentos para casos traumáticos, além de formação feminina e materiais de apoio.

Pedidos de oração

  • Ore pela família de Tariq, principalmente pela esposa e filho, que sofreram com esta perda repentina.
  • Peça a Deus para que proteja os demais cristãos que estão sendo vigiados por causa de sua fé e peça ao Senhor para que faça justiça no Paquistão, principalmente nos tribunais e delegacias.
  • Ore por todos aqueles que estão envolvidos nos programas de ajuda, colaborando com os cristãos perseguidos, vulneráveis a situações como esta. Fonte: https://www.portasabertas.org.br


domingo, 14 de fevereiro de 2016

Cristãos chineses acessam Bíblia online


14-china-0380004348


"Aqueles velhos tempos em que um cristão mal podia ler a Palavra de Deus se foram para sempre"

Um cristão chinês indígena, conhecido como Yuki, convertido ao cristianismo e que mora no sul da China, compartilhou em um artigo anterior desta série sobre a disponibilidade de Bíblias em seu país. Agora ele comenta sobre a Bíblia online e como os cristãos se beneficiam dela por lá. Da última vez em que ele se pronunciou, esclareceu que é possível comprar Bíblias em igrejas e algumas poucas livrarias cristãs. "Com o desenvolvimento da tecnologia de rede, o crescente número de usuários de internet na China gerou uma grande base de compras online", explica ele.

De acordo com a Nielsen Online, a China tem agora 674 milhões de usuários de internet e há recursos abundantes para aqueles que a acessam. "Hoje em dia, é muito comum para os cristãos comprar ou acessar uma Bíblia pela internet e outros materiais relacionados à nossa fé. Existem programas de leitura, vários softwares disponíveis, diferentes versões, além das livrarias virtuais. Basta clicar no produto desejado e aguardar alguns dias para recebê-lo em casa. Se digitarmos a palavra ‘cristianismo’, por exemplo, 4.713 ítens serão listados", diz o chinês.

Ele conta que entre os mais diversos sites, o mais famoso é www.taobao.com. "É a maior plataforma comercial online na China, além de oferecer os melhores preços. Se digitarmos a palavra ‘Bíblia’ em sua ferramenta de busca, aparecerá centenas de opções. Existem também as plataformas de e-business como a famosa www.jingdong.com. Há um aplicativo para dispositivos móveis iPad, iPhone e Android, através do qual podemos estudar a Bíblia em diferentes idiomas e comentários valiosos, com o significado de cada passagem bíblica e ainda com notas de concordância. Existem até mesmo jogos bíblicos em vários dialetos chineses que, muitas vezes, compramos até para os idosos, pois é uma excelente ferramenta de evangelização", compartilha.

"Como vocês podem ver, temos várias maneiras de obter materiais cristãos aqui na China. Espero que estas minhas informações ajude os cristãos ao redor do mundo a terem uma perspectiva mais atualizada sobre o cristianismo por aqui. Aqueles velhos tempos em que um cristão mal podia ler a Palavra de Deus se foram para sempre. Novos tempos chegaram por aqui, glórias a Deus por isso e saibam que somos muito gratos por todas as orações", finaliza Yuki. Fonte: noticias.gospelprime.com.br