Google+ Followers

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

O MENINO QUE QUERIA VER DEUS

      
      “Havia um pequeno menino que queria se encontrar com Deus. Ele sabia que tinha um longo caminho pela frente. Um dia, encheu sua mochila com pastéis e guaraná, e saiu para brincar no Parque.
       Quando ele andou umas 3 quadras, encontrou um velhinho sentando em um banco da praça olhando os pássaros. O menino sentou-se junto a ele, abriu sua mochila, e ia tomar um gole de guaraná, quando olhou o velhinho e viu que ele estava com fome, então ofereceu-lhe um pastel. O velhinho muito agradecido, aceitou, e sorriu ao menino.
       Seu sorriso era tão incrível que o menino quis ver de novo; então ele ofereceu-lhe seu guaraná. Mais uma vez o velhinho sorriu ao menino. O menino estava tão feliz! Ficaram sentados ali, sorrindo, comendo pastel e bebendo guaraná pelo resto da tarde, sem falarem um ao outro.
      Quando começou a escurecer o menino estava cansado e resolveu voltar para casa, mas antes de sair ele se voltou e deu um grande abraço no velhinho. Aí o velhinho deu-lhe o maior sorriso que o menino já havia recebido.
       Quando o menino entrou em casa, sua mãe, surpresa ao ver a felicidade estampada em sua face, perguntou:
       - O que você fez hoje que te deixou tão feliz assim?
       Ele respondeu.
       - Passei a tarde com Deus – e acrescentou – Sabe, Ele tem o mais lindo sorriso que eu jamais vi!
      Enquanto isso, o velhinho chegou em casa com o mais radiante sorriso na face, e seu filho perguntou:
       - Por onde você esteve que está tão feliz?
       E o velhinho respondeu:
       - Comi pastéis e tomei guaraná no parque com Deus.
       Antes que seu filho pudesse dizer algo, falou:
       - Você sabe que Ele é bem mais jovem do que eu pensava?
       A face de Deus está em todas as pessoas e coisas, se são vistas por nós com os olhos do amor e do coração.” Texto recebido por e-mail.
       Você acha que isso é apenas uma estória? Está escrito em Hebreus 13:2b “porque por ela alguns, não o sabendo, hospedaram anjos.” Vendo por esse anglo este texto pode muito bem ser uma história.
       Que o Senhor Possa falar melhor em seu coração.

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

A BAGAGEM

Quando sua vida começa, você tem apenas uma mala pequenina de mão...

À medida que os anos vão passando, a bagagem vai aumentando porque existem muitas coisas que você recolhe pelo caminho, por pensar que são importantes ...
A um determinado ponto do caminho começa a ficar insuportável carregar tantas coisas, pesa demais, então você pode escolher: ficar sentado à beira do caminho, esperando que alguém o ajude, o que é difícil, pois todos que passarem por ali já terá sua própria bagagem.
Você pode ficar a vida inteira esperando, até que seus dias acabem....
Ou você pode aliviar o peso, esvaziando a mala.
Mas, o que tirar?
Você começa tirando tudo para fora...
Veja o que tem dentro:
Amor, Amizade... nossa! Tem bastante, curioso, não pesa nada...
Tem algo pesado....
Você faz força para tirar....
Era a Raiva - como ela pesa!
Aí você começa a tirar ai aparece: a Incompreensão, Medo,
Pessimismo...
Nesse momento, o Desânimo quase te puxa pra dentro da mala ....
Mas você puxa-o para fora com toda a força, e no fundo da mala aparece um
Sorriso, que estava sufocado no fundo da sua bagagem....
Pula para fora outro sorriso e mais outro, e aí sai a Felicidade...
Aí você coloca as mãos dentro da mala de novo e tira pra fora um monte de
Tristeza...
Agora, você vai ter que procurar a Paciência dentro da mala, pois vai
precisar bastante....
Procure então o resto: a Força, Esperança, Coragem, Entusiasmo, Equilíbrio,
Responsabilidade, Tolerância e o Bom e Velho Humor.
Tire a Preocupação também.
Deixe de lado, depois você pensa o que fazer com a ela...
Bem, sua bagagem está pronta para ser arrumada de novo.
Mas, pense bem o que vai colocar dentro da mala de novo, hein!
Agora é com você.
E não se esqueça de fazer essa arrumação mais vezes, pois o caminho é MUITO,
MUITO LONGO, e sua bagagem, poderá pesar novamente.

Lembrem-se disso, sempre...

Recebido por e-mail da minha amiga Martha Tonioni