Google+ Followers

sábado, 21 de janeiro de 2012

O Dia em que o tempo parou.


"Eis que farei retroceder dez graus a sombra lançada pelo sol declinante no relógio de Acaz. Assim retrocedeu o sol os dez graus que já tinha declinado”. (Isaias 38:8)
"Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu". (Ecl. 3,1)
Não sei se é o título mais correto para essa crônica, no entanto tem muito a ver com o tema.
Dez graus foi o equivalente a 15 anos de vida a mais, para o Rei Ezequias.
Quero falar de tempo. Tempo de Deus para todas as coisas, tempo do homem para realizar as obras de Deus aqui na terra. Kairós e cronos. Tempo de Deus e do homem.
Na verdade, o homem não sabe o tempo que tem em suas mãos, como dádiva divina. Na verdade, ele tem todo o tempo do mundo. A eternidade. Mas, eternidade para ser vivida onde? Isso depende! Onde passará a eternidade? No céu ou no inferno? Estou falando daquilo que creio. Estou falando daquilo que está escrito nas Escrituras Sagradas. Estou falando de verdades pronunciadas por Deus. Estou falando da Palavra de Deus, porque creio.
Há tempo para todas as coisas e agora é tempo para refletir sobre isso. Tem tempo? O meu, estou dedicando a você, agora. Creio não estar perdendo tempo. Tempo perdido não volta mais. Tempo é oportunidade. Tempo é ouro.
Aqui, é necessária, como recurso literário, uma redundância. Será preciso ser demasiado e supérfluo ao mesmo tempo. Terei que caprichar na redundância, para me expressar bem. Será preciso abusar de alguns ornatos nesta mensagem, não querendo ser redundante.

Há muito e muito tempo, quando trabalhava numa escola pública, o tempo parou. Meu Deus! Que é isso? Sim, isso mesmo. O tempo parou para mim. Fiquei sem tempo. Fiquei parado no tempo.
Eu me lembro de estar assentado numa cadeira frente a uma carteira escolar, quando isso aconteceu. Estava de plantão, lendo um livro, não me recordo qual o nome.
De repente, mais que de repente, o tempo parou. Tudo parou. Parou tudo. Para mim.
Com os olhos voltados para as páginas do livro, levantei a cabeça e sem nenhum relapso de tempo, tudo parou. Está entendendo? Não sei como me expressar melhor. Só sei que aconteceu desse modo.
Olhei então para o grande salão à minha frente, e eis que tudo estava a correr. Menos eu. Menos minha vida. Menos minha pessoa. Eu estava parado. Meu tempo parou.
Tudo à minha frente e à minha volta, estava correndo, isto é, andando às pressas. Só eu estava parado. Só o meu tempo havia parado. Tudo corria à minha volta, mas eu ficava parado. Não sei explicar melhor.
Nesse ínterim, parei de me movimentar e comecei a observar melhor tudo e todos à minha frente e derredor. Fulana estava correndo no salão. Fulana estava subindo as escadas próximas ao saguão, correndo. Fulano passou por mim e não deu tempo para me cumprimentar. Duas novamente subiram as escadas, sem tempo. Tudo correndo, tudo corria, tudo depressa, tudo às pressas. Com pressa.
Olhei tudo aquilo e perdi a noção do tempo. Interroguei-me: Que está acontecendo? Por que todos estão a correr? Para que toda essa pressa? Está acontecendo algo que eu não saiba? Tudo está tão diferente! Meu Deus! O que está acontecendo? O que está acontecendo comigo? Chacoalhei a cabeça.
Nesse dia, o meu tempo parou na eternidade.
Perdi-me no tempo.

Logo, tudo voltou ao normal. Tudo voltou a ser como era antes. Tudo corria normal.

Até ao dia de hoje, não soube explicar o fato. Quando perguntei ao colega o porquê daquela correria, ele apenas sorriu e não falou mais nada, a ponto de entender que eu estava passando por algum momento estranho.

Bem, deixemos isso agora, para lá.

Só quero dizer que nós não temos toda a eternidade para fazer a obra de Deus. Nós não temos toda a eternidade para fazer a obra de Deus. Temos apenas o hoje para crer. Apenas o presente. O hoje é uma dádiva divina, um presente de Deus. Só temos o presente para viver de fé. Façamos o bem a todos, enquanto temos tempo. Saibamos administrar nosso tempo, dado por Deus, o Senhor do Tempo.

Fratermaurício Fazenda do Job

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

CONVITE ENCONTRO DE CASAIS

Meus queridos leitores, tenho imenso prazer em atender a todos. Porem quando enviar e-mail pedindo arquivo do convite, por favor peça pelo numero.Coloquei os números para facilitar a sua escolha. Não esqueça de enviar o endereço do seu e-mail para receber a cópia. Um abraço no Amor de Jesus
OBS: Gratuitamente serão enviado no máximo 3 modelos.


Peça sua cópia pelo Numero Nº 11

Peça sua cópia pelo Numero Nº 10
Peça sua cópia pelo Numero Nº 09

Peça sua cópia pelo Numero Nº 08
Peça sua cópia pelo Numero Nº 07

Peça sua cópia pelo Numero Nº 06

Peça sua cópia pelo Numero Nº 05

Peça sua cópia pelo Numero Nº 04

Peça sua cópia pelo Numero Nº 03


Peça sua cópia pelo Numero Nº 02

Peça sua cópia pelo Numero Nº 01

Um novo ano, e ninguém sabe para onde ir!

Para cada um de nós, o ano novo traz uma pergunta implícita: O que está por vir? O que terei de enfrentar? Como será minha vida neste novo ano? Através da história de Abraão, Deus nos dá mostras de que podemos confiar nEle.
Lemos no chamado capítulo dos heróis da fé: “Pela fé, Abraão, quando chamado, obedeceu, a fim de ir para um lugar que devia receber por herança; e partiu sem saber aonde ia” (Hb 11.8). O homem de hoje está concentrado em ter garantias e em ter um plano bem organizado. Ele quer saber por qual caminho seguir e se pergunta no que pode confiar. Resumindo: ele quer considerar todas as eventualidades para poder calcular de forma exata e com antecedência quais atitudes deve tomar. Dificilmente alguém estará disposto a ir para algum lugar ou a assumir alguma tarefa sem conhecer os detalhes, sem determinadas premissas e garantias. A história da vida de Abraão também toca a nossa vida. No começo havia incerteza, mas no fim ele se transformou em exemplo e até no pai de todos aqueles que crêem (Rm 4.11). O motivo foi a sua confiança inabalável no Deus vivo e em Suas promessas. A maior segurança em meio a todas as inseguranças deste mundo é crer na Bíblia.
Abraão não podia fazer nada além de acreditar naquilo que Deus lhe dizia. Essa atitude de fé é o mais importante que uma pessoa pode ter. A vida de Abraão foi marcante porque ele obedeceu pela fé e atendeu ao chamado divino. Sua fé foi colocada em prática. Fé e ação andam juntas como o violino e o arco, ou como a chave e a fechadura de uma porta. Se falta uma parte, a outra é inútil, pois não há como tocar uma bela melodia, não há como abrir ou fechar a porta. Abraão tinha “somente” a palavra de Deus. O Senhor chamou-o a sair de seu país, a deixar seus relacionamentos e abandonar tudo o que tinha conseguido até então – sem saber para onde iria. Mas, olhando para o restante da história de sua vida, reconhecemos o maravilhoso objetivo que Deus alcançou com Abraão.
Entramos em um novo ano sem saber para onde ele nos levará. Talvez o Senhor Jesus tenha colocado em seu coração um certo fardo, um desejo de fazer alguma coisa em Seu Nome, e talvez você tenha de dar um passo ousado. Também pode ser que você tenha sido chamado por Deus para executar uma tarefa mas não sabe como continuar nem para onde isso o levará. Abraão simplesmente se pôs a caminho, impelido pelo poder da Palavra de Deus.
No começo deste novo ano é muito importante ter isto diante de nossos olhos: precisamos nos pôr a caminho, juntar forças a cada momento e orientar-nos para o alvo. E nosso alvo são as coisas de Deus. É perfeitamente possível que durante o trajeto sejamos assaltados pelo medo, pois a dor, a tristeza, as preocupações e outros sofrimentos podem surgir em nossa vida. Pode ser que às vezes fiquemos resignados no caminho. Mas isto não deve impedir-nos de continuar marchando em direção ao desconhecido, ao futuro – confiando nas firmes promessas de Deus. É exatamente nessa área da nossa vida que a nossa fé no Senhor precisa de um novo impulso.
Depois de listar os heróis da fé (Hebreus 11), a Bíblia nos diz como alcançar o alvo: “...olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus. Considerai, pois, atentamente, aquele que suportou tamanha oposição dos pecadores contra si mesmo, para que não vos fatigueis, desmaiando em vossa alma” (Hb 12.2-3).
Depois que Abraão chegou à Terra Prometida, ele teve de suportar muitos testes de sua fé. Enfrentou a tentação de confiar mais em sua própria carne do que no Senhor que havia lhe dado a promessa. Em algumas situações de crise, tomou as rédeas em suas próprias mãos e foi derrotado. Mas o Senhor, em quem Abraão tinha depositado sua confiança, não o deixou cair. No fim, triunfaram a fé de Abraão em Deus e a fidelidade de Deus para com Seu amigo. O autor da carta aos Hebreus descreve a fé de Abraão com as seguintes palavras: “Pela fé, peregrinou na terra da promessa como em terra alheia, habitando em tendas com Isaque e Jacó, herdeiros com ele da mesma promessa” (Hb 11.9)
Fé e ação andam juntas como o violino e o arco... Se falta uma parte, a outra é inútil.
Nós também podemos, neste ano recém-iniciado, manter a fé nas promessas de Deus, mesmo quando os outros não nos compreendem e mesmo quando nos vêem como “estrangeiros” em seu meio. A fé em Jesus Cristo, em quem todas as promessas têm o “Sim” de Deus e por quem é o “Amém” (2 Co 1.20), nos ajudará a superar tudo o que é passageiro nesta terra até chegarmos ao grande alvo final. O caminho da nossa existência vai da tenda passageira da vida terrena para junto do Deus eterno.
O objetivo de vida de Abraão era o mais elevado que uma pessoa pode almejar. Ele não somente sonhava com uma cidade melhor, mas a aguardava com expectativa viva e cheia de esperança: “...porque aguardava a cidade que tem fundamentos, da qual Deus é o arquiteto e edificador” (Hb 11.10). Abraão morreu e não conheceu esse lugar durante sua vida na terra, mas ainda assim ele esperava pela cidade eterna de Deus.
Não sabemos quando Jesus voltará; portanto, seria tolo tentar fazer algum cálculo. Mas uma coisa é certa: também neste ano podemos esperar pela volta de Jesus e pela Jerusalém eterna. Quer o Senhor volte neste ano ou não, quer vejamos o Arrebatamento ou tenhamos de morrer antes – o objetivo e a esperança é a vida eterna com o Senhor, que nos comprou por Seu precioso sangue e que voltará para a Sua Igreja. Um dia isto acontecerá: os mortos em Cristo e aqueles que ainda estiverem vivos serão arrebatados para a presença do Senhor (1 Ts 4.15-17) e terão sua morada na Jerusalém celestial (Ap 21.9-10).
Abraão acreditava nessa cidade. E quando foi convocado a sacrificar seu único filho, Isaque, a respeito de quem o Senhor tinha feito tantas promessas, ele “considerou que Deus era poderoso até para ressuscitá-lo dentre os mortos” (Hb 11.19)
Sejamos cristãos que esperam pelo seu Senhor, neste novo ano mais do que nunca! Então valerá também para nós a maravilhosa promessa: “Porque guardaste a palavra da minha perseverança, também eu te guardarei da hora da provação que há de vir sobre o mundo inteiro, para experimentar os que habitam sobre a terra” (Ap 3.10).  (Chamada Urgente)

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

PRESIDENTE DO GRUPO EBF É HOMENAGEADO NO RIO

 

Odora Rio Festival

O presidente do grupo EBF COMUNICAÇÕES, Eduardo Berzin Filho, recebeu homenagem no Rio de Janeiro no dia 12 de dezembro durante o Adora Rio Festival. Escolhido como empresário do ano, a entrega aconteceu no Centro de Convenções Ribalta, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro.
Eduardo Berzin Filho é presidente do grupo EBF COMUNICAÇÕES que organiza a EXPOCRISTÃ e publica as revistas CONSUMIDOR CRISTÃO, ÉTICA CRISTÃ, MÚSICA E SONORIZAÇÃO CRISTÃ E portal CREIO.
O evento foi promovido pela empresa de assessoria, consultoria e realização de eventos, Achou Gospel, de propriedade do empresário, Eduardo Custódio. Além de Eduardo Berzin uma homenagem foi prestada ao pastor Adhemar de Campos, pelos seus 35 anos de ministério. Cantores renomados da música gospel, com seus diversos estilos musicais, declararam a unidade dos evangélicos e um tempo de conquistas. Marcaram presença: David Quinlan, Marcus Salles, Brenda, Nani Azevedo, Fernanda Brum, Alda Célia, Renascer Praise, Chris Duran, Thalles Roberto, entre outros.


Confira os premiados da noite:

REVELAÇÃO INFANTIL
Any e Viny

BANDA REVELAÇÃO DO ANO
Supernovavida

MELHOR CD REGIONAL DO ANO
Bispo Robson Rodovalho

ADORAÇAO
Alda Célia

MELHOR MINISTÉRIO DE LOUVOR DO ANO
Renascer Praise

MELHOR DVD BLU-RAY
Renascer Praise

MELHOR CD SAMBA GOSPEL
Waguinho

MELHOR PRODUTOR DE VIDEOCLIPE
Bruno Fioravanti

MARCA DE UMA NOVA GERAÇÃO
David Quinlan

SUPERAÇÃO
Bianca Toledo

MELHOR EMISSORA DE TV GOSPEL
Rede Boas Novas

MELHOR VIDEO CLIPE DO ANO
Fernanda Brum (com o clipe Pavão Pavãozinho)

CANTOR REVELAÇÃO
Pierre Onássis

MELHOR CANTORA PENTECOSTAL
Danielle Cristina

CANTORA REVELAÇÃO
Brenda

MELHOR LOCUTOR
Caju

PRÊMIO PERSONALIDADE DO ANO
Pr. Silas Malafaia

EMPRESÁRIO DO ANO
Eduardo Berzin

ATLETA REVELAÇÃO DO ANO
Erick Silva do UFC

RADIO REVELAÇÃO DO ANO
Rádio Gospel FM Rio

CANTORA DO ANO
Bruna Karla

CANTOR DO ANO
Thalles Roberto

MISSÕES
Chris Duràn (pela obra realizado no Haiti)

MELHOR GRAVADORA GOSPEL
Gravadora Sony Music

PROGRAMA JOVEM DO ANO
Galeria Clip da Rede Boas Novas

Fonte: EBF COMUNICAÇÕES.

QUANTO VALE ESSA PEROLA?????

  O reino dos Céus é também semelhante a um que negocia e procura boas pérolas; e tendo achado uma pérola de grande valor, vendeu tudo o que possuía, e a comprou. S. Mat. 13:45 e 46.

Algum tempo atrás, nas Filipinas, ocorreu a morte trágica de um jovem pescador de pérolas em uma das ilhas do Sul. O jovem filipino tinha apenas 18 anos de idade. Ele havia mergulhado no mar e, de alguma forma, uma ostra gigante fechou a concha sobre um dos pés do rapaz, que ali ficou preso até afogar-se. Quando o corpo dele e a ostra foram levados para a superfície, descobriu-se dentro da concha a maior pérola já encontrada. Indubitavelmente, foi vendida por um preço fabuloso, mas o seu preço deve ter sido calculado em mais do que dinheiro. Custou a vida de um jovem!

A pérola de grande valor em nosso texto representa a Cristo e Seu reino. A fim de adquiri-la, devemos entregar a própria vida. Jesus expôs essa verdade assim: "Se você se agarra à sua vida, você a perderá; mas se a desprezar por Mim, você a salvará." S. Mat. 10:39, A Bíblia Viva. Isso parece contraditório, mas na verdade não é. Jesus estava usando "vida" em dois sentidos: (1) Esta vida terrena, com seus prazeres, relacionamentos sociais e recompensas; e (2) a vida de felicidade por vir, que não terá fim.

Em outra ocasião, Jesus declarou: "E todo aquele que deixar o lar, irmãos, irmãs, o pai, a mãe, a esposa, os filhos, ou propriedades, para Me seguir, receberá cem vezes mais, e terá a vida eterna." S. Mat. 19:29, A Bíblia Viva. Marcos, em seu evangelho, ensina que mesmo nesta vida há vantagens em renunciar a prazeres, relações sociais e recompensas do mundo por amor a Cristo e Seu reino - paz de espírito e novos e melhores amigos, por exemplo. Mas a maior recompensa será viver com Jesus para sempre (ver S. Mar. 10:28 e 29).

Esteja disposto a renunciar a tudo, até a esta vida terrena se necessário for, em troca da Pérola de Grande Preço. Vale a pena!
De Volta Para o Futuro

Uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus. Filip. 3:13 e 14.

***COBERTOR DE SEGURANÇA***

 (Deuteronômio. 33:27) - "O Deus eterno é a tua habitação, e por baixo estão os braços eternos."
Charles Schultz, criador do cachorrinho Snoopy, em 1947, retrata um de seus personagens, Linus, como alguém que não se separa de seu cobertor de segurança.
Para onde ele vai ou qualquer coisa que faça, Linus está sempre com seu cobertor.
Se sente inseguro sem ele.
Pode ser engraçado, mas todos devemos ter nosso cobertor de segurança, de um tipo ou de outro.

É maravilhoso saber que temos um Deus poderoso que está sempre com os braços estendidos para nos dirigir e proteger.

Quando estamos abrigados nele, não precisamos ter qualquer tipo de temor.

Ele nos protege, nos abraça e nos conduz em perfeita segurança por onde quer que andarmos.

Para que esta segurança não nos deixe, é preciso que estejamos sempre ligados ao Senhor.

Se saímos para o trabalho, levemo-lo conosco.

Se não temos um trabalho, seguremos em Sua mão para que nos ajude a encontrá-lo.

Se quisermos sair, com ousadia, em busca de nossos ideais, Cristo é o companheiro certo para isso.

Para onde formos e seja qual for o trabalho a executar, seguremos firmes em Suas mãos.

A certeza do sucesso em todos os nossos empreendimentos consiste em jamais ficarmos longe dele.

Quando nos afastamos de Deus, a incerteza nos invade, a insegurança não nos deixa seguir em frente, o temor não permite que alcancemos a vitória.

Quer ser um vencedor?

Quer ter êxito na busca de seus sonhos?

Leve o Senhor Jesus com você o tempo todo.

Ele é o seu Cobertor de Segurança.

JOSÉ CARLOS MARTINGHI (SOLRAC†)

Programa Aspecto Cristão 71

Aspecto Cristão TV - Programa 71 - 14.01.2012
PARA UMA BOA AUDIÇÃO DESLIGUE O SOM DA RHEMA ON LINE

ASPECTO CRISTÃO
Programa 71
PALAVRA DE MULHER com Sarah Virgínia
Tema: Marcas da vida
MENSAGEM com Ev. Anderson Araújo
Tema: Removendo pedras
LOUVORES:
Ron Kenoly e Ana Paula Valadão

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Passaporte ao Paraíso

Nova vida, dada a um malfeitor moribundo, pelo Rei da vida eterna.
"E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso." Luc. 23:43.
Deus se importa com a alma das pessoas em particular. Homens que tratam com outros homens em grande escala tendem a perder a visão de indivíduos e só pensam em grupos ou massas. Mas Deus jamais faz isto. Pelo contrário, muitas vezes ele parece dar mais atenção a uma alma em particular do que a uma multidão de outras. E a alma que atrai sua atenção é a que o busca com fé. Era assim a alma do malfeitor a quem Jesus falou as palavras em nosso texto.
Dois criminosos, ou malfeitores, como Lucas se refere a eles, foram crucificados com Jesus. Mateus e Marcos os chamam de ladrões, e Marcos acrescenta que assim as Escrituras se cumpriram: "E com os malfeitores foi contado." Um que só fizera o bem e dois que só haviam feito o mal: foram crucificados juntos. Da salvação de um dos malfeitores podemos tirar lições importantes.
UMA NECESSIDADE
Com certeza é óbvio que estes dois ladrões precisaram desesperadamente de salvação. A vida deles aqui na terra fora arruinada e estava quase no fim. Acima de tudo precisaram da salvação espiritual para a vida vindoura. Com certeza necessitaram de perdão para os pecados, livramento do castigo eterno e entrada num mundo melhor.
Da mesma maneira, eu e você também precisamos da salvação do Senhor. Embora haja diferenças na variedade e grau de pecado, não existe diferença no fato de que?"todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus." Rom. 3:23. "Não há homem justo sobre a terra, que faça bem, e nunca peque." Ecl. 7:20.
GRAÇA NA SALVAÇÃO
Um malfeitor foi salvo ao passo que o outro continuou perdido. Por que? Lógico que não foi porque um era melhor do que o outro. Ambos foram chamados ladrões, transgressores e malfeitores. Ambos, durante algum tempo, zombaram e blasfemaram de Jesus. Mat. 27:4, Mc. 15:32. Mas um, finalmente, mudou de idéia e repreendeu seu antigo companheiro de crimes.
"Tu nem ainda temes a Deus, estando na mesma condenação? E nós, na verdade, com justiça, recebemos o que nossos feitos mereciam; mas este nenhum mal fez." Luc. 23:40-41.
A graça divina mudou o modo de pensar deste homem e por isso ele trocou de lado. Agora censurava o pecado, confessava sua própria culpa e justificava a Deus. É sempre assim que acontece quando a graça de Deus traz um pecador ao arrependimento.
Se este pecador tivesse que ser salvo, seria unicamente pela graça. Ele estava numa posição onde não podia fazer nada para sua salvação. E o mesmo acontece com cada pecador, seja qual for sua condição ou meios, porque a única salvação dada por Deus aos pecadores é pela graça. Ele nunca salvou ninguém de outro modo nem nunca fará.
A SALVAÇÃO SIMPLES
O ladrão moribundo foi salvo do mesmo modo que Abraão e Paulo foram salvos, do único modo que qualquer pecador foi ou pode ser salvo, através da simples fé em Jesus Cristo. "Portanto é pela fé, para que seja segundo a graça." Rom. 4:16.
Sem dúvida, este moribundo passou por uma mudança de mente e coração tão grande que se tivesse tido tempo e oportunidade, viveria de modo diferente dali por adiante. Mas agora era tarde demais por isso.
Não poderia se tornar membro de uma igreja, pois os membros estavam espalhados e sem condições de recebê-lo. Não podia ser batizado, pois se encontrava pregado numa cruz. Ainda bem que Deus nunca disse a ninguém para se tornar membro de uma igreja ou ser batizado para ser salvo do inferno.
"Mas aquele que não pratica, mas crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça." Rom. 4:5. Este ladrão moribundo já não tinha condições de fazer nenhuma obra, mas pela graça de Deus podia crer; e isto é tudo o que o pecador precisa para ser salvo. É tão simples, que se tornou oculta "aos sábios e entendidos," mas foi revelado "aos pequeninos." Mat. 11:25
SALVAÇÃO IMEDIATA
"Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino" foram as palavras do ladrão. Geralmente Deus nos dá mais do que pedimos. Sem dúvida este ladrão não tinha em mente uma manifestação futura do reino de Deus aqui na terra, mas Jesus lhe fez uma promessa para aquele mesmo dia.
?E disse-lhe Jesus; Em verdade ti digo que hoje estarás comigo no Paraíso." Luc. 23:43.
"Deixar este corpo, para habitar com o Senhor." I Cor. 5:8. Há ainda aspectos futuros da salvação, inclusive a ressurreição do corpo, mas Jesus salva imediatamente cada alma que confia nele. Nossa experiência de salvação começa na regeneração, continua na santificação e se completará na ressurreição.
Mesmo que esteja na hora da morte, você ainda pode ser salvo, como o malfeitor o foi, através da fé em Cristo. Mas se ainda tiver muito tempo para viver, porque vivê-la como o ladrão, roubando de si mesmo e de Deus as alegrias da salvação que poderiam ser suas agora mesmo? Confie em Jesus agora e ele o salvará agora!