Google+ Followers

sábado, 16 de julho de 2016

Nova primeira-ministra do Reino Unido diz que a fé cristã direciona suas decisões: "É parte de mim"

Theresa é filha de um líder cristão, o reverendo Hubert Brasier e sua esposa Zaidee, que incutiu na líder, um senso de servidão e desejo de ajudar os outros. (Foto: GettyImages)
  Theresa é filha de um líder cristão, o reverendo Hubert Brasier e sua esposa Zaidee, que incutiu na líder, um senso de servidão e desejo de ajudar os outros. (Foto: GettyImages)

"Ela [a fé cristã] é parte de mim. É parte de quem eu sou e, portanto, de como eu abordo as coisas", disse Theresa May, de 59 anos, quando questionada sobre sua fé.

A nova primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, revelou que sua fé cristã é uma parte significativa de quem ela é, guiando e direcionando todas as suas decisões.

May, que já havia servido no escritório da Casa por mais de seis anos, foi instalada como a nova primeira-ministra do Reino Unido, depois que David Cameron renunciou oficialmente na última quarta-feira e sua única rival, Andrea Leadsom deixou disputa pela liderança no início desta semana.

Segunda líder feminina desta magnitude na história do Reino Unido, May revelou que sua fé cristã desempenha um papel vital em sua vida.

"Ela [a fé cristã] é parte de mim. É parte de quem eu sou e, portanto, de como eu abordo as coisas", disse a ex-ministra do Interior, de 59 anos, à Rádio BBC 4 de Desert Island Discs, já no ano de 2014.

"Eu acho que é certo que não venhamos a expor essas coisas aqui na política britânica. Mas isso é parte de mim e, obviamente, ajuda a moldar meu pensamento e minha abordagem", acrescentou.
Theresa é filha de um líder cristão, o reverendo Hubert Brasier e sua esposa Zaidee, que incutiu na líder, um senso de servidão e desejo de ajudar os outros.

"Eu cresci filha de um vigário local e neta de um sargento regimental. O serviço público tem sido parte de quem eu desde as minhas primeiras memórias", observou ela em um relatório.
"Eu sei que alguns políticos buscam altos cargos, porque eles são movidos por fervor ideológico", acrescentou. "Eu sei que outros os procuram por razões de ambição ou glória. Minhas razões são muito mais simples".

Ela também é congrega ativamente da Igreja da Inglaterra (de origem anglicana). O Rev. Jamie Taylor, de St Andrew e um amigo de May a descreveram como um "membro muito favorável" da igreja histórica e uma "trabalhadora incansável".

Taylor acrescentou: "Oramos semanalmente para Sua Majestade e pelas autoridades sob ela. Esta oração vai assumir um pouco mais significado para nós em Saint Andrew nos próximos anos... Em nome de todos da Igreja de St Andrew, eu felicito calorosamente [May] enquanto ela se prepara para assumir as responsabilidades desafiadoras que estão diante dela".

Enquanto isso, na sua declaração após a confirmação de que ela seria a próxima primeira-ministra do Reino Unido, May insistiu que "o significado de Brexit [saída do Reino Unido da União Europeia]depende do vai ser feito para o sucesso dele" e enfatizou que o país vai "forjar um corajoso, novo, papel positivo no mundo".
Ela também pediu unidade, uma liderança forte e uma visão positiva para o futuro.

"A visão de um país que trabalha, não apenas para os poucos privilegiados, mas que funciona para cada um de nós. Porque nós estamos dando às pessoas, mais controle sobre suas vidas. É assim que, juntos, vamos construir para um Reino Unido melhor", disse ela.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO GOSPEL HERALD



sexta-feira, 15 de julho de 2016

Jeunesse Toque Mágico


COMPRE PELO SITE
https://brunelliglobal.jeunesseglobal.com


Clínica de aborto é fechada após campanha de oração feita por cristãos, nos EUA

Ao longo dos anos, a "40 dias pela vida" fez várias vigílias na calçada em frente ao edifício. (Foto: Reprodução).
   Ao longo dos anos, a "40 dias pela vida" fez várias vigílias na calçada em frente ao edifício. (Foto: Reprodução).

O fato foi celebrado pelos participantes do projeto “40 dias pela vida”, onde os membros tem orado de forma pacífica em vigílias para que os centros sejam fechados.

Mais um centro de aborto foi fechado nos Estados Unidos. O fato foi celebrado pelos participantes do projeto “40 dias pela vida”, onde os membros tem orado de forma pacífica em vigílias para que os centros sejam fechados.

"Louvado seja Deus! Nossos voluntários de oração observaram que móveis foram transferidos, equipamentos e papeladas também foram pra fora do ‘Centro de Mulheres de Ocala’, na Flórida”, disse Steven Ertelt ao site LifeNews.

”Ao longo dos anos, a ‘40 dias pela vida’ fez várias vigílias na calçada em frente a este edifício", relatou. "Esta é a 74º clínica de aborto que fecha durante esses dias em que temos orado", continuou.

"Além disso, a Planned Parenthood anunciou que vai fechar um escritório de aborto de referência em Muncie, Indiana, no final dessa semana", informou.

“Louvamos a Deus por essas vitórias. Todos os dias a gente se lembra de que a oração é necessária para acabar com o mal do aborto”, comenta. “Essa compreensão nos ajuda a lidar com a realidade de que a mentalidade do aborto é utilizada por algumas pessoas como um meio de justificar o infanticídio. Isso é um assunto que Robert Colquhoun, Matt Britton e eu discutimos no mais recente episódio do podcast do “40 dias pela vida”.

“É um tema sombrio, mas um que irá trazer informação sobre os graves perigos do aborto e da importância de que todos nós precisamos estar em guarda e contra essa crueldade”.

Caso Planned Parenthood
A Planned Parenthood tem se envolvido com polêmicas e por isso tem perdido o apoio do Estado americano de forma gradativa. Recentemente a ativista pró-vida e ex-diretora da organização no Texas, Abby Johnson disse que a clínica é responsável pela maioria dos procedimentos abortivos dos Estados Unidos e está lucrando cerca de 100 a 200 dólares com a venda de tecidos e órgãos que de cada bebê abortado.

"O transporte custa apenas de 4 a 10 dólares para cada clínica, mas eles estão cobrando cerca de 100 a 200 dólares por cada bebê", disse Johnson ao The Christian Post, quando questionado se há um lucro a partir da coleta de órgãos / tecidos de bebês abortados.


Também neste ano o governador da Flórida assinou um dos regulamentos mais abrangentes da indústria do aborto, privando a Planned Parenthood de obter fundos dos contribuintes, apertando os regulamentos de saúde, e punindo a venda de membros de bebês abortados e seus tecidos.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÃO DO LIFENEWS

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Pastor é suspenso por usar dinheiro da igreja para libertar escravas sexuais

Pastor é suspenso por libertar escravas sexuais dos terroristas

 “Vigário de Bagdá” foi suspenso depois de ser acusado de utilizar dinheiro da igreja para libertar mulheres

por Jarbas Aragão 
O reverendo Andrew White, importante líder da igreja anglicana no Iraque e conhecido como o “Vigário de Bagdá” foi suspenso da Fundação para o Alívio e Reconciliação no Oriente Médio, organização cristã que ele presidia. A acusação é que ele usou dinheiro da igreja para comprar escravas sexuais do Estado Islâmico e libertá-las.

A Igreja Anglicana está fazendo uma investigação do caso desde o mês passado. Limitou-se a emitir um comunicado que diz: “Não seria apropriado fazer comentários sobre uma investigação ativa, além de dizer que a Fundação acredita que, nesta fase, o incidente mostrou um desejo genuíno do reverendo White em ajudar os outros”.

O pastor foi responsável pela Igreja Anglicana de St. George, em Bagdá, durante anos, sendo o único pastor estrangeiro a ficar na cidade após o início da guerra, em 2003. Ele saiu do país dois anos atrás, após repetidas ameaças de morte do Estado Islâmico.

De volta à Inglaterra, passou a colaboração com a Fundação para o Alívio e Reconciliação no Oriente Médio. Também faz viagens constantes a Amã, capital da Jordânia, onde trabalha com refugiados.

Após a imprensa noticiar que estavam fazendo um trabalho de caridade com ex-escravas sexuais do Estado Islâmico, seu trabalho passou a ser questionado. White nega as acusações, afirmando que “em nenhum momento pagamos dinheiro a quaisquer terroristas”. Ele explica que seu trabalho sempre esteve focado em ajudar as fugitivas e nunca envolveu dar dinheiro a terroristas.

White também disse que não estava diretamente envolvido com o trabalho de Steve Maman, empresário canadense que já libertou mais de 100 meninas cristãs e yazidis das mãos do Estado Islâmico.  Sua organização é acusada de pagar entre dois e três mil dólares para comprar uma escrava sexual. Embora ela as liberte, foi severamente criticado, acusado de ajudar o tráfico humano na região a crescer.

Debate ético
Embora seja o criador da Fundação, ela está subordinada à Igreja Anglicana. A imagem do pastor Andrew continua no site da instituição que vive de ofertas voluntárias. Segundo relatórios, o orçamento anual é cerca de 4,5 milhões de dólares. Além do Iraque, eles fazem trabalhos humanitários em diversas partes do Oriente Médio.

Em sua conta do Facebook, o pastor não comentou a investigação. Ele está em Israel, onde tem trabalhado junto com grupos que promovem o diálogo religioso. O seu caso é tratado pela imprensa como um debate ético. Levanta-se a antiga questão de qual é o custo de uma vida.

O pastor ficou conhecido por denunciar ao mundo os horrores da guerra religiosa. Embora negue ter dado dinheiro aos terroristas, alegando que suas declarações foram tiradas de contexto, sofreu severas críticas. Parte da liderança anglicana acredita que o dinheiro doado à igreja de modo algum poderia ser usado para “comprar” pessoas. Outros entendem que, uma vez que essa é a única maneira de libertar as meninas, esse tipo de atitude seria aceitável. 

Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br Com informações de Christian Times eAnglican News


quarta-feira, 13 de julho de 2016

Pastor é preso, fica doente e não recebe cuidados médicos

13_Sudan_North_2015_0380102943

O governo do Sudão tem um longo histórico de perseguir cristãos, especialmente aqueles que abandonaram o islã para seguir a Jesus


O líder cristão Hassan Abdelrahman Kodi, de 49 anos, está preso desde o dia 18 de dezembro de 2015 e, no momento, enfrenta sérios problemas de saúde. O Comitê de Solidariedade do Sudão, com o apoio de autoridades religiosas da Europa e da América, exigiram a libertação de Kodi, que também é Secretário Geral da Igreja Cristã no Sudão. Segundo os relatórios da Portas Abertas, ele foi preso sem nenhuma acusação formal.

De acordo com o Huqooq, que é um grupo que defende os direitos humanos dos sudaneses, negar cuidados médicos a um doente, ainda que preso, é uma grave violação aos direitos humanos e todos os procedimentos têm sido documentados para a defesa do réu. O governo do Sudão tem um longo histórico de maltratar cristãos, especialmente aqueles que abandonaram o islã para praticar o cristianismo. O caso do pastor Kodi não é um fato isolado. Em julho de 2015, Yat Michael Ruot e Peter Yein Reith, ambos líderes cristãos do Sudão do Sul, também foram acusados de espionagem, sem provas conclusivas.

O Sudão, que ocupa o 8º lugar na Classificação da Perseguição Religiosa, também está na Lista de Preocupação Específica (CPC, sigla em inglês) há mais de 10 anos. Outros países que já entraram para a lista, desde 2008, foram Mianmar, Coreia do Norte, Eritréia, Irã, Paquistão, China, Arábia Saudita, Turcomenistão, Uzbequistão e Vietnã. A atual designação de um país como um CPC depende de uma decisão do Departamento de Estado norte-americano. 

Fonte: https://www.portasabertas.org.br

terça-feira, 12 de julho de 2016

Mulher tem a garganta cortada enquanto prega o evangelho, nas ruas da Nigéria

Eunice, que era pastora da igreja Redeemed Christian Church, foi encontrada com a cabeça apoiada sobre a Bíblia que costumava usar nas pregações. (Foto: Reprodução/Vanguard)
  Eunice, que era pastora da igreja Redeemed Christian Church, foi encontrada com a cabeça apoiada 
sobre a Bíblia que     costumava usar nas pregações. (Foto: Reprodução/Vanguard)

Eunice foi encontrada com a cabeça apoiada sobre a Bíblia que costumava usar nas pregações. A família suspeita que muçulmanos estejam envolvidos no crime.

A diaconisa Eunice Olawole, de 41 anos, foi decapitada e morta na manhã deste sábado enquanto pregava uma mensagem bíblica (9), em Abuja, capital da Nigéria.

Eunice, que era pastora da igreja Redeemed Christian Church, foi encontrada com a cabeça apoiada sobre a Bíblia que costumava usar nas pregações, pouco antes das seis horas da manhã.
O relatório da polícia também indica que Eunice foi esfaqueada no estômago, no momento do ataque. Seis suspeitos foram detidos e estão sob investigação.

O marido da vítima, Olawale Eliseu, que também é pastor na igreja, disse que a última vez que viu sua esposa foi às 5 da manhã, quando ela saiu de casa para pregar. "Minha esposa sempre saía no início da manhã para a ‘Manhã de Clamor’”, disse ele ao site Vanguard.

"Dois dos meus filhos foram para o campo, jogar futebol. Quando eles voltaram, me disseram que ouviram alguns jogadores dizendo que alguns arruaceiros haviam massacrado uma mulher que estava pregando esta manhã", lembra Olawale.

O marido foi até o local com seus filhos. A família se deparou com o sangue no chão e o corpo de Eunice dentro do carro da polícia. A suspeita de Olawale é que muçulmanos estejam envolvidos no crime.

“Houve um dia em que ela saiu e me disse que havia uma mesquita na parte de trás do local onde pregava, e ouviu alguns comentários sobre sua pregação. Eu adverti ela”, disse ele.

Alguns moradores da área onde Eunice foi morta disseram ter ouvido a mulher pregando na parte da manhã, antes de sua voz desaparecer. "Eu ouvi a voz dela, como de costume na pregação da manhã em um ponto, mas sua voz se desvaneceu”, disse a pessoa que não quis ser identificada.

"Esta é uma mulher que prega todas as manhãs. Ela sempre adverte as pessoas a se arrependerem, porque o reino de Deus está próximo”, disse Sam, chefe de segurança da área.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE CHRISTIAN TODAY


segunda-feira, 11 de julho de 2016

Jesus aparece em sonhos para mulher no meio da Floresta Amazônica

Selmira

Jarbas Aragão

Os relatos de sonhos e aparições de Jesus não estão restritos ao Oriente Médio ou à China. Selmira vive numa aldeia do povo Napo Quecha, na meio da Amazônia peruana. Seguindo o costume do seu povo, casou ainda no início da adolescência. Seu marido era alcoólatra e ela teve uma vida de muito sofrimento.

Criada em um ambiente de pobreza, aprendeu desde cedo que a invocação dos espíritos da natureza era o correto. Ela teve muitos filhos, mas 11 deles morreram. Além disso, sofreu quatro abortos espontâneos.

Quando tinha 28 anos, sua mãe se afogou. Quando seu filho de nove anos morreu por causa de uma picada de cobra, ela ficou tão traumatizada que fugiu da aldeia. Mas Deus não se esqueceu Selmira e toda sua dor e desespero. Ela foi alcançada no meio da Floresta Amazônica.

Naquela época, ela teve uma série de sonhos que Deus usou para despertá-la para a realidade espiritual. No primeiro, sonhou que havia uma grande árvore deitada sobre um rio, de margem a margem, como uma ponte, e Selmira precisava atravessá-la. Quando ia caindo, surgiu um homem vestindo um robe branco brilhante. Ele entregou-lhe um livro [Bíblia], e pegou sua mão direita para ajudá-la a atravessar o rio em segurança.

Pouco depois, sonhou que havia uma escada alta, que subia até céu. Ela começou a subir. Quando chegou ao céu, um homem apareceu e perguntou-lhe: “Por que você veio aqui? Você precisa cuidar dos seus filhos e servir ao Filho de Deus.”

Depois desses sonhos incríveis, Selmira sentiu um intenso desejo de encontrar uma Bíblia como a que recebera para ler. Ela ouviu falar de missionários que estavam na região ensinando sobre Deus e decidiu procurá-los. Conheceu uma tradutora de missão Wycliffe chamada Christa.

Selmira convidou Christa para ir a sua aldeia. Quanto mais aprendia sobre a Escritura, mais sentia amor e compaixão pelas pessoas ao seu redor. Ela entregou a vida a Jesus Cristo e sua vida começou a mudar. Embora o marido tenha ameaçado deixá-la, perseverou e orava por ele continuamente.

Agora ela está trabalhando no projeto de tradução de Napo Quechua junto com a equipe da Wycliffe. Sua parte favorita do trabalho de tradução é compartilhar as histórias da Bíblia com os outros. Ela passa o domingo todo lendo as histórias recém-traduzidas para quem deseja ouvi-las.

Primeiramente, ela atraiu as crianças, depois vieram seus vizinhos e até o pajé da aldeia às vezes aparece para ouvir Selmira ler. Ultimamente seu marido também participa.

“É importante para eles aprenderem porque a Bíblia ensina como ser forte com Jesus e viver uma vida melhor que nossos ancestrais, os quais viveram sem conhecer a Deus.” Ela diz que muitas vezes pensa sobre os 11 filhos que enterrou, mas hoje ela tem 11 netos para quem ensina sobre as promessas de Deus

Fonte: noticias.gospelprime.com.br Com informações God Reports


Cristãos sírios pagam a jizya, se convertem ao islã ou morrem


11 Syria_2015_0380101739


Quando o Estado Islâmico tomou a cidade de Raqqa, cerca de 20 famílias decidiram ficar para não perder suas casas; agora eles não podem mais sair

De acordo com os últimos relatórios da Portas Abertas, um cristão idoso da cidade de Raqqa que já é considerada a capital do EI, foi obrigado a se converter ao islã porque já não podia pagar a jizya (imposto cobrado aos cidadãos não muçulmanos) em troca de proteção da própria vida. Quando o grupo extremista tomou a cidade, Mostafa Abu Alzer escolheu ficar para proteger sua casa. Na ocasião, em novembro de 2015, cerca de 20 famílias tomaram a mesma decisão e agora estão proibidos de sair de lá. Para aqueles que não podem mais pagar a jizya, só existem duas opções: se converter ao islamismo ou encarar a morte. 

É possível que nem mesmo os sírios entendam o motivo da guerra, mas para quem vê de fora, fica claro que existe outra “guerra dentro da guerra”. O EI passou a dominar não somente pequenas terras e povoados, mas grandes áreas da Síria, proclamando a criação de um califado, desde 2014. Jihadistas anunciam a “guerra santa”, investindo suas forças para acabar com aqueles que eles consideram infieis. Milhares de cristãos e minorias étnicas já morreram entre ataques e explosões. O real intento deles é "dominar" o mundo, espalhando sua ideologia e tentando exterminar todos aqueles que não seguem a sharia. 

O que acontece hoje na Síria é inédito para o mundo. O conflito existente entre o governo e o Estado Islâmico (EI), além do envolvimento de forças internacionais é algo tão complexo que fica difícil de entender por falta de comparações históricas. O jornal The Washington Post chegou a nomear o que ocorre no país de “miniguerra mundial”. O que começou com protestos anti-governo em 2011, cresceu tanto que deu origem a uma guerra civil total e há evidências de crimes paralelos acontecendo além da guerra, como assassinatos, torturas, desaparecimentos e até mesmo bloqueios que impedem o fluxo de alimentos e serviços de saúde para a população.

Pedidos de oração
● Ore pelos cristãos sírios que estão enfrentando esse momento de caos no país; que eles sejam corajosos para não negar o nome de Cristo.
● Interceda pela igreja na Síria, que existe através de alguns guerreiros que se disponibilizaram a ficar no meio da guerra, a fim de continuar pregando o evangelho, apesar dos riscos que correm.
● Ore também pelos perseguidores, pois enquanto há um cristão ali falando da Palavra do Senhor, há chance de que alguns corações sejam alcançados pelo amor de Jesus. 

Fonte:https://www.portasabertas.org.br