Google+ Followers

quinta-feira, 24 de março de 2016

Mulher evangeliza bandidos após ser assaltada a caminho da igreja: “Jesus te ama”



Depois de serem detidos pelos agentes e ordenados a se deitar, a vítima chega e começa a evangelizar os criminosos.

Uma mulher foi assaltada por dois jovens no fim da tarde da última segunda-feira (21), em Praia Grande, no litoral de São Paulo. Após o momento em que a dupla foi detida por agentes da Guarda Civil Municipal, a vítima enxergou uma oportunidade para evangelizá-los.

Em um vídeo que foi divulgado nesta terça-feira (22), as imagens gravadas pelas testemunhas registram as palavras da vítima aos criminosos: “Jesus te ama meu filho. Jesus te ama. Aceita, aceita agora. Fala: 'Eu aceito, eu aceito Jesus como o meu salvador’ e você não vai precisar viver mais nessa vida”.

De acordo com relatos de um morador, que prefere não se identificar, a mulher estava com um violão nas costas, a caminho da igreja que frequenta. Em instantes, os bandidos passaram de moto e roubaram sua bolsa.

Uma viatura da Guarda Civil Municipal de Praia Grande, que passava pelo local, avistou os suspeitos e os alcançou um pouco depois. O crime ocorreu na Avenida São Jorge, no bairro Vila Mirim.

Depois de serem detidos pelos agentes e ordenados a se deitar, a vítima chega e começa a evangelizar os criminosos. Em outro momento, ela se dirige também aos policiais: “Não judia dele moço, por favor”.


Os pertences da mulher foram devolvidos.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE G1

quarta-feira, 23 de março de 2016

Mulheres são mais religiosas do que os homens, afirma pesquisa

Mulheres são mais religiosas do que os homens, afirma pesquisa

Número de mulheres que faz orações todos os dias é 8% maior do que os homens

Fonte: Guia-me / com informações de Christian Today | 22/03/2016 - 17:00
   
Mulheres são mais religiosas do que os homens, afirma pesquisa
As mulheres — especialmente as cristãs — são mais religiosas do que os homens, de acordo com um estudo desenvolvido pelo instituto Pew Research.

Em muitas denominações religiosas, como a católica romana e a judaica ortodoxa, apenas homens podem fazer parte da liderança. No entanto, por muitas vezes, as fileiras dos fiéis são dominadas por mulheres, segundo o relatório.

Nos Estados Unidos, as mulheres são mais propensas a reconhecer a importância da religião e a orar com frequência. A tendência se tornou tão marcante que algumas igrejas estão, até mesmo, mudando sua decoração e estilo musical para atrair mais homens.

"As mulheres cristãs são mais religiosas do que os homens cristãos. Por outro lado, as mulheres muçulmanas e os homens muçulmanos demonstram níveis similares de religiosidade", aponta o relatório, observando que as mulheres muçulmanas não costumam ir à mesquita por causa das normas religiosas.

Enquanto 83% das mulheres em todo o mundo afirmam que fazem parte de um grupo de fé, 80% dos homens se identificam nessa categoria.

Nos países muçulmanos e em Israel, os homens assistem às reuniões religiosas com mais frequência do que as mulheres. No entanto, nos países cristãos, as mulheres predominam os encontros.

O número de mulheres que faz orações todos os dias é 8% maior do que os homens. A única exceção é em Israel, onde os homens diariamente oram mais. Por outro lado, mulheres que trabalham fora de casa têm seus níveis de compromissos religiosos semelhantes aos dos homens.

"Isso sugere que os fatores sociais e culturais, tais como tradições religiosas e participação no mercado de trabalho, desempenham um papel importante na formação do gênero religioso", diz o relatório.

Uma dos locais onde há maior disparidade de gênero religioso é na Argentina — 32,5% dos homens cristãos oram diariamente, em comparação com 52,9% das mulheres cristãs.

Entre os 53 países cristãos entrevistados, 53% das mulheres frequentam a igreja pelo menos uma vez por semana, enquanto 46% dos homens fazem o mesmo.

A auto estima da fé

Uma outra pesquisa que revela a influência da fé na vida das mulheres foi desenvolvida pelas pesquisadoras Kristin J. Homan and Valerie A. Lemmon, no mês passado.

Os resultados mostram que mulheres que acreditam em um “Deus que julga”, se sentem piores em relação a si mesmas quando buscam a aprovação de outras pessoas por um corpo perfeito. Por outro lado, mulheres que acreditam em um “Deus que ama” enxergam em si mesmas um corpo mais saudável.

Entrevistadas que leram passagens bíblicas que enfatizam o amor e a misericórdia de Deus sentiram maior estima após ver imagens de revistas com mulheres magras e homens musculosos. No entanto, o contrário aconteceu com as jovens que leram passagens bíblicas que enfatizam o julgamento de Deus pelo pecado. Fonte: Guia-me / com informações de Christian Today

terça-feira, 22 de março de 2016

Governo fracassa e cristãos ficam cada vez mais expostos à violência

12-nigeria-0380101299

NIGÉRIA

"Se o governo não tomar providências para reforçar a segurança, principalmente a dos refugiados deslocados e minorias religiosas, incluindo os cristãos, ainda teremos muitas perdas"

O Boko Haram é considerado um dos maiores e mais perigosos grupos extremistas da atualidade e sua principal área de atuação está na Nigéria. Com o objetivo de implantar a lei sharia, seus militantes combatem os princípios e legados ocidentais deixados pela colonização britânica no país, na tentativa de construir uma República Islâmica, e para isto, utiliza métodos radicais, como atentados violentos e sequestros de mulheres que, na maioria das vezes, são negociadas como escravas sexuais.

O nome "Boko Haram" vem do árabe e, figurativamente, quer dizer "educação ocidental ou não-islâmica é um pecado". Eles alegam que a educação ocidental incentiva a corrupção do governo, inspira a falta de pudor das mulheres, a prostituição e também os vícios e que, na maioria das vezes, os maus costumes chegam através dos cristãos, daí a perseguição religiosa. Para eles, as mulheres sequestradas têm uma chance de ter uma nova vida como suas escravas, porque consideram que esta seja a vontade de Alá.

"O grupo está cada vez mais capacitado para atacar civis nigerianos da forma mais trágica que se pode imaginar, o que tem sido motivo de constrangimento para o governo de Buhari, já que seus eleitores acreditaram que ele poderia conter as ações violentas do Boko Haram, mas é desanimador ver que os militares nigerianos estão cada vez mais vulneráveis. Se o governo não tomar providências para reforçar a segurança, principalmente dos refugiados deslocados e minorias religiosas, incluindo os cristãos, ainda teremos muitas perdas", comenta um dos analistas de perseguição.

O fracasso do governo explica o motivo pelo qual os cristãos não estão mais otimistas com as palavras do presidente, que fez muitas promessas durante suas campanhas eleitorais. A Nigéria é o 12º país da Classificação da Perseguição Religiosa de 2016 e, apesar do alto grau de perseguição, os cristãos despertaram a se mobilizar no mundo espiritual. "Os líderes não podem desistir, por pior que seja a situação. Estamos em guerra, mas temos a paz de Cristo dentro de nós. Se você, como líder, desistir, o que as outras pessoas aprenderão com você. Seja forte o tempo todo", conclui um líder cristão que não pode ser identificado por motivos de segurança. Ore por essa nação.

Um futuro de paz para a Nigéria
Você pode ajudar os nossos irmãos nigerianos. Conheça os projetos da Portas Abertas no país e envolva-se agora mesmo. Fonte: www.portasabertas.org.br

segunda-feira, 21 de março de 2016

Avivamento toma conta do norte da África

  
Milhares de pessoas se convertem em países predominantemente islâmicos

Um avivamento está tomando conta do extremo norte da África. Acredita-se que desde o surgimento do islamismo a região não via tantas pessoas confessando sua fé em Jesus.

A CBN mostrou cenas gravadas pelo cineasta cristão Tino Qahoush, que voltou de uma viagem pela região. “O que Deus está fazendo na África do Norte, da Mauritânia até a Líbia é algo sem precedentes na história das missões”, disse.

Qahoush passou anos viajando e captando imagens que serão reunidas em um documentário. “Tive o privilégio de gravar depoimentos e ouvir histórias de homens e mulheres de todas as idades… Eles viveram a presença de Deus de modo real… Alguns contam histórias de como conversaram com ele, não apenas com uma luz que aparece”, comemora.

Especialistas em missões afirmam há mais de uma década que ocorre um profundo mover de Deus em nações predominantemente muçulmanas como Mauritânia, Saara Ocidental, Marrocos, Argélia, Líbia e Tunísia.

O cineasta afirma: “Às vezes eu sinto inveja de como Jesus visita o mundo muçulmano neste momento. Já não ouvimos falar disso nas comunidades tradicionalmente cristãs”.

Os números indicam que o crescimento do cristianismo, especialmente nos últimos 20 anos tem sido sem precedentes. O mais evidente é a mudança na Argélia. O pastor Salah disse no vídeo que nunca pensou que a igreja argelina iria crescer muito. Ele vive e trabalha em um país onde 99% da população é muçulmana.
Atualmente, ele pastoreia uma igreja de 1.200 pessoas. A imensa maioria deles vem do islamismo e sofreram muito por causa de sua decisão de aceitar Jesus.

Youssef Ourahmane, outro pastor da Argélia explica que o governo persegue e intimida os cristãos ocasionalmente. Mesmo assim, eles têm oportunidades de testemunhar toda vez que são detidos.

“Em delegacias de polícia, nos tribunais… Uma vez que eu fui levado por policiais e durante 45 minutos falei-lhes sobre Jesus. Imagine só, todos na delegacia eram muçulmanos. Ficavam dizendo: ‘Conte-nos mais sobre esse Jesus ‘”, comemora.

Para Peter (nome alterado por questões de segurança), missionário estrangeiro que trabalha há anos na região, “Eles sempre foram hostis a qualquer coisa externa e o cristianismo era considerado como a religião dos europeus”, lembra.


Para ele, a chegada de canais de televisão cristãos via satélite e a internet mudaram a percepção das pessoas sobre o cristianismo. Fonte: noticias.gospelprime.com.br

domingo, 20 de março de 2016

Lideranças evangélicas convocam cristãos para jejum e oração em favor do Brasil; Assista

 

O segundo evento de clamor em favor da nação está sendo organizado por lideranças evangélicas pentecostais. No próximo dia 11 de maio, uma quarta-feira, às 17h00, em frente à Esplanada dos Ministérios, em Brasília (DF).

A data do evento deverá coincidir com a época das votações que vão definir se a Câmara dos Deputados inicia ou não o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Na última quinta-feira, 17 de março, o pedido de abertura do processo contra Dilma começou a tramitar, após a eleição dos deputados que formarão a Comissão Especial. No dia seguinte, o presidente Eduardo Cunha (PMDB-RJ) convocou uma sessão extraordinária, o que iniciou a contagem regressiva de 10 sessões de prazo para que a presidente apresente sua defesa no caso apelidado de “pedaladas fiscais”.

Após a apresentação da defesa, a Comissão Especial vota para decidir se o caso é arquivado ou vai para o plenário da Câmara. Em caso de prosseguimento do processo, é necessário o voto favorável de 342 deputados. Se esse número for alcançado, o impeachment é encaminhado para o Senado, onde a maioria simples decide se arquiva ou analisa as acusações.

Caso a decisão seja contrária a Dilma, a presidente é automaticamente afastada das funções por até 180 dias, e o vice-presidente assume. Nesse período, o Senado vai debater as acusações e votar se ela perde ou não o mandato. Para que a presidente seja destituída, são necessários 54 votos a favor. Se esse trâmite levar mais de 180 dias, Dilma é reconduzida ao cargo, mas o processo segue adiante, até que os senadores tomem uma decisão.

Assiata:


Lei Geral das Religiões é aprovada na Comissão de Justiça e vai a Plenário


Resultado de imagem para

Após sete anos de tramitação, o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 160/2009, que institui a Lei Geral das Religiões, foi aprovado nesta quarta-feira (16) pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). A proposta segue, agora, para votação em regime de urgência no Plenário do Senado.

O texto é apoiado por organizações religiosas, especialmente evangélicas, que querem isonomia em relação ao Estatuto Jurídico da Igreja Católica no Brasil, segundo acordo firmado entre o governo brasileiro e a Santa Sé, em 2008, e ratificado no Decreto 7.107/2010. O relator, senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), recomendou sua aprovação com quase dez emendas.

A proposta assegura o livre exercício religioso, a proteção aos locais de culto e suas liturgias e a inviolabilidade de crença. Também determina o reconhecimento pelo Estado de “formas de vida religiosa não constituídas como organização religiosa”, conforme emenda aprovada na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) e mantida por Crivella.

— A proposição significa a reiteração e a consolidação de uma série de dispositivos constitucionais e legais, direta ou indiretamente ligados à vida religiosa, que se encontram dispersos pelo ordenamento jurídico — explicou Crivella ao elogiar o projeto, de autoria do deputado licenciado George Hilton, atual ministro do Esporte.

Entre as normas em vigor reiteradas na proposta, está a isenção de impostos às entidades religiosas, assim como ao seu patrimônio, renda e serviços, desde que relacionados às finalidades essenciais. É ainda assegurado a instituições religiosas assistenciais e educacionais sem fins lucrativos tratamento idêntico ao dado a entidades filantrópicas.

Patrimônio cultural

O texto explicita que o patrimônio histórico, artístico e cultural, material e imaterial, das instituições religiosas é considerado parte relevante do patrimônio cultural brasileiro. Emenda apresentada por Crivella também explicita que as instituições religiosas integram os grupos formadores da sociedade brasileira, “responsáveis pelo pluralismo da sua cultura, crenças, tradições e memória nacionais”, com direito de acesso a recursos previstos em lei de estímulo à preservação de valores culturais.

As organizações religiosas também têm asseguradas pelo projeto a liberdade para prestar assistência espiritual a pacientes internados em hospitais, a presidiários e a internos de estabelecimentos de assistência social e educacional.

O relator na CCJ acatou ainda emenda da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) para que capelães militares de diferentes credos possam prestar assistência religiosa aos membros das Forças Armadas.

Ensino religioso

O ensino religioso, conforme o texto, deve ser facultativo, realizado em horários normais das escolas públicas e deve respeitar a diversidade religiosa. A proposta de lei geral também reforça entendimento, hoje em vigor, segundo o qual casamentos celebrados pelas religiões reconhecidas no Brasil terão efeitos civis, após registro em cartório.

Marcelo Crivella acatou outra emenda da CAE para dispensar manifestações religiosas com participação de músicos, instrumentistas e cantores das obrigações previstas na lei que regulamentou a profissão de músico (Lei 3.857/1960), independentemente de haver vínculo empregatício entre os profissionais e as entidades religiosas.

Fonte: Agência Senado