Google+ Followers

sábado, 27 de agosto de 2016

Cristãos fazem cultos secretos dentro de um táxi, por causa da perseguição

Praça de táxis em Jakar, no Butão. A nação ocupa o 38º lugar na Classificação da Perseguição Religiosa. (Foto: Reprodução)
Praça de táxis em Jakar, no Butão. A nação ocupa o 38º lugar na Classificação da Perseguição Religiosa.
 (Foto: Reprodução)

Depois de ser proibido de manter sua igreja aberta no Butão, um líder cristão decidiu abrir as portas de seu táxi para realizar reuniões secretas com outros fiéis.

Para quem está do lado de fora, é comum ver a cena de um taxista abrindo as portas para seus passageiros. Mas dentro de um dos táxis no Butão, cristãos enxergaram a oportunidade de cultuar a Deus de maneira secreta.

O volante do táxi está sob o comando de Jeremiah, um líder cristão que teve seu real nome alterado por razões de segurança. Outro líder, Mesaque, e Tenzin, colaborador da Portas Abertas — que também tiveram nomes modificados — fazem parte dos cultos no táxi.

Logo ao se verem, eles se cumprimentam com as palavras "Jai Mashi", que para os butaneses significa "A graça de Deus esteja com você". Em seguida, eles oram e compartilham a Palavra de Deus uns com os outros.

Em uma das reuniões, o colaborador da Portas Abertas conta que Jeremiah abriu a intimação que ele havia recebido da polícia. Nela, o governo pedia ao líder para fechar sua igreja e se mudar para outro local, a fim de evitar conflitos.

Mesaque conta que essa é a primeira vez que ele vê o governo pedindo para uma igreja se mudar em uma carta formal. Tenzin comentou que para haver a emissão de um documento governamental, deve realmente ser algo muito importante.

Alguns dias antes, no domingo do dia 7 de agosto, quinze policiais foram até a igreja, na hora do culto. "Eles entraram batendo as portas e gritando ‘vocês não têm autorização para estar aqui’. Então agora recebemos essa carta do governo", explicou Jeremiah.
"Eu pedi à polícia para nos dar mais alguns dias, assim teríamos tempo de embalar nossos pertences e nos mudar com calma. Mas eles exigiram a desocupação imediata, então tivemos que sair", continuou Jeremiah.

Mesaque acrescenta que quando os proprietários ficam sabendo que o imóvel foi alugado para uma igreja, o valor do aluguel é aumentado. "Eles estavam pagando 11.500 ngultruns (moeda butanesa equivalente a 554 reais), e o valor subiu para 25 mil ngultruns (1.205 reais)”.

Grupo de cristãos butaneses durante estudo bíblico, num domingo de manhã. (Foto: Baptist Press Photo)

"Essa região tem experimentado uma pressão cada vez maior na perseguição aos cristãos, não com violência física, mas somos pressionados de todos os lados", lamenta Mesaque.

Jeremiah lamenta a perseguição, mas não desistirá de fazer as reuniões — nem que, para isso, ele continue usando seu táxi. "Fico triste por nós, cristãos. Não temos um lugar para nos reunir como corpo de Cristo", disse ele. "Eu não vou deixar que o governo nos faça sentir derrotados, quero continuar com os trabalhos da igreja".

Cristianismo no Butão
As igrejas butanesas não são oficialmente registrada pelo país. As reuniões e trabalhos evangelísticos costumam ser realizados dentro das casas dos fiéis, que cultuam a Deus em silêncio para não chamar a atenção da vizinhança.

A nação ocupa o 38º lugar na atual Classificação da Perseguição Religiosa, desenvolvida pela Portas Abertas. Embora a constituição permita a presença de outras religiões no Butão, o budismo permanece ligado à identidade nacional e tem prioridade na agenda do governo.

"A nação é basicamente pacífica e não somos perseguidos de forma violenta, mas há várias restrições e elas estão aumentando nos últimos tempos", comenta Tenzin, que também é especialista em cultura no seu país.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE PORTAS ABERTAS



sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Bíblia é vista como livro inspirado por Deus para 86% dos adolescentes, diz pesquisa

Adolescentes aumentaram a leitura da Bíblia ao perceberem a importância do livro em sua jornada de fé. (Foto: Reprodução)
Adolescentes aumentaram a leitura da Bíblia ao perceberem a importância do livro em sua jornada de fé. 
(Foto: Reprodução)

Adolescentes aumentaram a leitura da Bíblia ao perceberem a importância do livro em sua jornada de fé.

Apesar da crescente secularização da educação e da cultura, a maioria dos adolescentes ainda têm respeito e interesse pela Bíblia.
De acordo com uma pesquisa realizada pelo Grupo Barna em parceria com a Sociedade Bíblica Americana, 7 em cada 10 adolescentes possuem uma Bíblia e 86% encaram o livro sagrado como literatura sagrada. Em 2015, esse número era de 89%.

Cerca de 47% dos adolescentes entre 13 e 17 anos acreditam que a Bíblia é uma fonte de esperança e 35% dizem que a Bíblia contém tudo que uma pessoa precisa para viver.

O estudo também avaliou o envolvimento dos jovens com as Escrituras. Embora 63% dos adolescentes leem a Bíblia pelo menos uma vez por ano, 44% leem o livro pelo menos três ou quatro vezes por ano. Dentre estes, 53% desejam ler a Bíblia com mais frequência.

No ano passado, 14% dos adolescentes relataram uma diminuição na leitura da Bíblia, enquanto 18% afirmou um aumento. Maior parte deste último grupo aumentou a leitura depois de perceber a importância que isso tinha em sua jornada de fé.

"Os adolescentes americanos, muitas vezes, têm uma reputação de serem desinteressados ou até mesmo ateus. Por outro lado, o relatório mostra que a maioria dos adolescentes americanos têm respeito e interesse pela Bíblia”, disse Arthur Satterwhite, gerente na Sociedade Bíblica Americana.

Outro ponto de destaque na pesquisa foi sobre como os jovens encaram o impacto da Bíblia na sociedade. Cerca de 40% acham que as Escrituras não têm influência suficiente, enquanto 17% enxergam muita influência. No meio do caminho, 25% encaram uma influência mediana.

"Muitos adolescentes estão reconhecendo que a Bíblia representa uma experiência humana completa — as lutas, provações e triunfos da vida", disse Satterwhite.

O estudo foi composto por 1.013 entrevistas feitas com adolescentes entre 13 e 17 anos, realizadas entre 16 e 23 de maio de 2016. A margem de erro é de 3 pontos percentuais.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE DESERET NEWS



quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Ator se posiciona em Hollywood: “Não uso o nome do Senhor em vão, nem beijo outra mulher”

"A vida se resume em honrar a Deus", diz o ator Neal McDonough. (Foto: Reprodução)
"A vida se resume em honrar a Deus", diz o ator Neal McDonough. (Foto: Reprodução)

Casado e pai de cinco filhos, Neal McDonough acredita que Deus e sua família devem ser honrados nos papéis em que atua.

O ator norte-americano Neal McDonough, conhecido por interpretar Timothy "Dum Dum" Dugan no filme “Capitão América: O Primeiro Vingador“, definiu duas regras para os papéis que desempenha em Hollywood: não usar o nome de Deus em vão e nem beijar outra mulher.

"A vida se resume em honrar a Deus e ser o melhor ser humano que você puder, dando louvor a Deus em tudo o que fizer", disse McDonough ao site Christian Examiner.

"Matar pessoas nos filmes — é falso. Não é real. Quando você está na cama com outra mulher em um filme, adivinhe? É real. Eu não gosto desse tipo de coisa, especialmente agora com as crianças. Eu não quero que os meus filhos digam: 'Pai, o que você está fazendo com essa mulher no filme?'", acrescentou.

Casado e pai de cinco filhos, McDonough deixou de participar de alguns filmes e programas de TV ao longo de seus 50 anos de idade. O próximo longa que será lançado com a participação do ator é de produção cristã: “Greater

O longa destaca o talento do jogador de futebol americano Brandon Burlsworth, mas também sua forte fé cristã. McDonough interpreta Marty Burlsworth, irmão mais velho jogador que, por causa da grande diferença de idade, se tornou uma figura paterna.

"Se eu pudesse fazer filmes sobre Deus todos os dias da semana, é o que eu faria pelo resto da minha vida", disse McDonough. "Mas Hollywood não produz muitos filmes dentro desse tema para que eu consiga viver disso. Felizmente, algo como ‘Greater’, fará Hollywood percebe que podemos fazer filmes sem explosões e matar pessoas. É por isso que eu estou orando."

Segundo McDonough, existem apenas "duas vias" para atores de Hollywood. "Você pode ser o cara que beija mulheres ou fazer uma carreira matador nos filmes", disse ele. "Há duas regras que eu tenho para meus papéis: eu não vou usar o nome do Senhor em vão e nem vou beijar outra mulher”, ressaltou.

“Então, como posso ganhar dinheiro com filmes? Eu amo atuar. Assim o ‘homem coisa mal’ veio à tona, e esse tem sido o meu nicho por muito tempo", esclareceu o ator. “Quero desfrutar da minha carreira, da minha família e, o mais importante, da minha relação com Deus. Espero que eu esteja fazendo Ele se sentir orgulhoso".


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE CHRISTIAN EXAMINER



quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Cristão árabe salvou sua família enquanto era assassinado, nos EUA

Durante anos, antes da morte de Khalid, a família cristã teria sido assediada por Majors que supostamente os chamou de "árabes sujos". (Foto: Reprodução).
Durante anos, antes da morte de Khalid, a família cristã teria sido assediada por Majors que supostamente os chamou de "árabes sujos". (Foto: Reprodução).

O vizinho de Khalid acreditava que ele era muçulmano e por isso perseguiu sua família durante anos. Até que no início do mês, o árabe — que era cristão — foi morto com tiros no abdômen.

Khalid Jabara, um homem árabe cristão de 37 anos, foi rto a tiros em frente à sua casa pelo seu vizinho. Embora ele tenha sido alvo de várias balas que perfuraram seu abdômen, a vítima conseguiu salvar a vida de três pessoas enquanto morria. O fato aconteceu em Oklahoma, Estados Unidos, no dia 12 de agosto.

O atirador de 61 anos, Stanley Vernon Majors, teria sido motivado pelo preconceito racial e religioso quando ele atirou e matou Khalid. O vizinho acreditava que Khalid era muçulmano.

A mãe da vítima, Haifa Jabara, disse que Majors está sendo julgado atualmente por um episódio no ano passado. Ela informou que, na época, seu filho a chamou quando estava sendo atacado e alertou para que ela ficasse longe de casa.

"Ele me ligou e disse: 'Mãe, fique onde está! Esse cara tem uma arma. Por favor, fique longe'", disse Haifa Jabara. Ela explicou que ainda estava no telefone quando ouviu Majors ameaçar Khalid. "Eu ouvi pelo telefone que ele estava indo para minha casa para atirar em mim”, completou.

Anos antes da morte de Khalid, a família cristã teria sido assediada por Majors, que supostamente os chamou de "árabes sujos". Embora ela não estivesse em casa durante o ataque, Haifa acredita que as ações de seu filho também impediram que seu marido, Mounah Jabara, fosse atacado por Majors.

"Meu filho salvou minha vida. Porque se eu estivesse lá, definitivamente eu seria atingida, porque ele já tentou me matar anteriormente", disse Haifa, recordando o incidente de setembro de 2015, quando Majors quis atacá-la.

A fatalidade
Khalid chamou as autoridades no dia 12 de agosto para informar que Majors tinha uma arma na mão e que ele estava com medo do que poderia acontecer. Foi o que disse Victoria Jabara-Williams, sua irmã, em uma declaração para a mídia local. A polícia, no entanto, disse que não havia nada que eles pudessem fazer, porque Majors tinha voltado para casa.

Assim que a polícia deixou o local, Khalid saiu de casa e Majors atirou nele. Haifa disse que ouviu Khalid pedir ajuda várias vezes. A prima de Khalid, Tania Jabara, disse que Khalid foi ferido quando ele entrou em cena para salvar seus familiares.

"Ele disse a ela: ‘Vá embora, vá embora! Ele tem uma arma! Ele tem uma arma!'", Tania Jabara disse. "Ele foi baleado e, em seguida, Majors que estava escondido atrás de Khalid, veio para me matar".

Kirsten Evans, diretora executiva da Defesa dos Cristãos, disse que a morte de Khalid é um reflexo de tensões étnicas e mortais em crescimento na América. "Aqui nos Estados Unidos, o Sr. Jabara e sua família tornaram-se alvos da violência e do ódio também por causa da sua identidade de cultura do Oriente Médio", disse.

"Infelizmente, no Oriente Médio, os cristãos ficam em um fogo cruzado no conflito sectário que assola a região. Eles se tornam bodes expiatórios vulneráveis ​​para o ódio e a violência oriunda de tensões políticas e culturais", acrescentou. A irmã de Khalid, Victoria, acredita que a morte de seu irmão poderia ter sido evitada.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN POST



terça-feira, 23 de agosto de 2016

Homem sofre acidente de carro e evangeliza 20 socorristas: "Deus foi glorificado"

Embora o carro tenha sofrido “perda total”, não houve ferimentos graves em nenhuma pessoa atingida. (Foto: Arquivo Pessoal)
Embora o carro tenha sofrido “perda total”, não houve ferimentos graves em nenhuma pessoa atingida. 
(Foto: Arquivo Pessoal)

Tom Meyer saía da igreja com sua família quando se envolveu em um grave acidente de carro. Depois de conferir que todos estavam bem, ele evangelizou a equipe de 20 socorristas que vieram atendê-los.

Tom Meyer saía de uma igreja quando se envolveu em um grave acidente de carro junto com sua família no último domingo (21), no estado norte-americano de Minnesota. No entanto, mesmo em meio ao incidente, ele enxergou uma oportunidade para compartilhar o Evangelho.

Embora o carro tenha sofrido “perda total”, não houve ferimentos graves em nenhuma pessoa atingida pelo acidente. "Tínhamos acabado de sair da igreja e estávamos voltando para casa. Eu tinha acabado de orar para que o nosso precioso Senhor colocasse Sua mão em nosso caminho", contou Meyer ao site The Christian Post.
"Em questão de 10 segundos o acidente não teria acontecido. Mas nós demos graças pelo que aconteceu e esperamos ver como Deus poderia ser glorificado naquilo que Ele havia permitido", ele continuou.

Meyer contou à publicação que depois de conferir se todos estavam bem, ele passou a compartilhar o Evangelho com a equipe de 20 socorristas que vieram atendê-los, usando o exemplo do acidente para mostrar a fragilidade da vida e como a fé em Jesus nos leva para Deus.

"Eu acredito que Deus permitiu esta provação não apenas para aumentar a fé da nossa família, mas para levar às pessoas o conhecimento da salvação de Seu Filho precioso", ele acrescentou.

Meyer é conhecido nos Estados Unidos pelo seu dom de recitar a Bíblia a partir da memória. Em maio de 2014, Meyer se uniu ao americano Jason Nightingale para narrar livros bíblicos durante 24 horas seguidas. O prêmio da maratona foi repassado para as vítimas do terremoto no Nepal.

No ano passado, Meyer começou a ministrar um curso de Memorização da Bíblia na Faculdade Bíblica Shasta, na Califórnia. Em entrevista ao The Christian Post, Meyer explicou como funcionam suas "táticas de memória".

"As técnicas consistem basicamente em ler o texto em voz alta enquanto você visualiza a página, para fotografá-la em sua mente, e escrever o versículo várias vezes enquanto se fala o verso ao mesmo tempo", disse ele.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE THE CHRISTIAN POST



segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Garoto de 9 anos sobrevive a um tiro no coração e mãe afirma: "Pedi a Deus um milagre"

Naiara Viviane Ribeiro afirma que é um milagre o filho ter sobrevivido. (Imagem: G1)
Naiara Viviane Ribeiro afirma que é um milagre o filho ter sobrevivido. (Imagem: G1)

O pequeno Kauan havia sido baleado na porta de casa, em Montes Claros (MG). Sua mãe chegou a pensar que ia perder seu filho, mas pediu ajuda a Deus.

Após o pequeno Kauan Rafael, de 9 anos, ter sido baleado no coração sua mãe viu no poder de Deus a única solução para que o garoto sobrevivesse. O menino que foi baleado há mais de uma semana, em Montes Claros (MG), passou uma cirurgia de alto risco e recebeu alta na última sexta-feira (19).

“No começo achei que ia perder meu filho. Peguei com Deus, que era a única força que eu tinha, e pedi um milagre. Deu tudo certo!”, disse Naiara Viviane Ribeiro, mãe da criança.

Kauan foi baleado na porta de casa, quando dois homens chegaram de bicicleta e começaram a atirar.

Até mesmo o médico que atendeu o garoto reconhece que o pequeno Kauan viveu uma experiência muito forte e fora do comum, tendo esse livramento.

O pediatra Renato Neves afirmou que em sete anos de carreira nunca tinha visto nenhum paciente sobreviver a um ferimento tão grave como esse e quando o caso é com uma criança, a situação fica ainda mais complicada.

“Os pais o levaram rapidamente ao hospital e no momento da cirurgia ele teve uma grande sorte porque surgiu uma vaga no CTI de adulto, onde recebeu o suporte adequado”, contou.

A mãe de Kauan assegurou que o livramento fo filho e a boa recuperação do garoto ganhou um forte significado para toda a família, renovando sua fé.

“Nós somos em quatro, eu, meus dois filhos e meu marido, é renascimento de todos nós. A nossa fé foi renovada”, afirmou.

Entenda o caso
O garoto foi baleado na madrugada da última sexta-feira (12), enquanto jogava 'Pokémon Go' no celular do pai, na porta de casa, no Bairro Clarice Athayde. O pai, que também foi atingido no ombro, levou o filho rapidamente para o hospital com a ajuda de sua esposa.


“Ele me pediu o celular e sentou na porta, onde havia mais pessoas. Eu e minha esposa estávamos assistindo televisão e saímos porque parecia que estava ocorrendo uma briga. Quando ouvi os tiros, peguei meu filho no colo para entrar e vi que ele tinha sido baleado. Entreguei ele nos braços da minha mulher, tirei o carro da garagem e corri para o hospital, ela que percebeu que eu tinha tomado um tiro. Não senti dor, só pensava em socorrer meu filho”, relatou José Francisco Soares Neto, pai da criança.

A Polícia Militar informou que naquela madrugada, o alvo dos atiradores era um adolescente de 15 anos, que não foi atingido.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO G1



domingo, 21 de agosto de 2016

Igreja da Coreia do Sul realiza cultos 7 dias por semana: "Só o domingo não basta"

Igreja Presbiteriana Myungsung, em Seul, realiza quatro cultos matinais de oração todos os dias. (Foto: Myungsung)
Igreja Presbiteriana Myungsung, em Seul, realiza quatro cultos matinais de oração todos os dias. (Foto: Myungsung)

Todas manhãs, 7 dias por semana, a Igreja Presbiteriana Myungsung se reúne para orar e vem fazendo isso há 35 anos, na capital Seul.

Para muitos cristãos ocidentais, o domingo é conhecido como o 'Dia do Senhor' no caso dos sabatistas, o sábado é guardado como um dia especialmente dedicado a Deus, porém para uma igreja da Coreia do Sul, todo dia é dia de celebrar cultos em seu templo.
Todas manhãs, 7 dias por semana, a Igreja Presbiteriana Myungsung em Seul se reúne para orar e vem fazendo isso há 35 anos.

Diariamente, a comunidade cristã de cerca de 120 mil membros celebra quatro cultos matinais de oração.

"Os cristãos não podem viver sem fé e a oração, nem por um momento. Eu acredito que a oração da manhã é a bênção de Deus para nós. Então, eu estou alegre em participar assistir dessa reunião, mesmo que a igreja fique longe da minha casa e eu leve muito tempo para chegar até aqui", disse Seon Gyoo Kim, um ancião da igreja.

Recentemente, a igreja completou 35 anos de realizações de seus cultos matinais de oração. Os líderes da Igreja se reuniram em Seul para uma semana de celebração deste aniversário.

Fundador da igreja em 1980, o Rev. Samhwan Kim afirmou que a razão de seu ministério ser tão bem sucedido está na oração e em um compromisso inabalável com a verdades cristãs históricas.

"O poder da igreja está no Evangelho da Bíblia e na tradição que herdou dos antepassados. Se nós preservarmos esses valores, o mundo vai nos seguir, e nós podemos liderar esta era", disse Kim.
Já com seus 70 anos, o pastor Kim ainda lidera dois dois cultos matinais da igreja.

Myungsung já é considerada a maior igreja presbiteriana do mundo, tendo já plantado 24 outras igrejas, além de apoiar mais de 500 missionários em 63 países. A igreja também também sustenta um lar para crianças, um hospital e outros projetos sociais.
Pastor Kim reforçou que as orações diárias da igreja têm papel fundamental em tudo isso.

Oração poderosa
Pastor Kim celebra as conquistas alcançadas pela igreja na Coreia do Sul e também com missionários em outros países, mas lembrou que se igreja conseguir se manter em oração por seus irmãos da Coreia do Norte, bons resultados poderão ser alcançados no país vizinho - que é atualmente o primeio na lista de perseguição religiosa, segundo a Missão Internacional Portas Abertas.


"A Coreia do Norte está desesperada, mas, ao mesmo tempo, tem esperanças em Cristo", disse Kim. "Isaías 9 diz: 'O povo que andava em trevas viu uma grande luz. Sobre os que viviam na terra da sombra da morte raiou uma luz".

"Acredito que o momento do Evangelho deve chegar a eles. Precisamos orar para vidas sejam salvas na Coreia do Norte", disse ele. "Deus vai trabalhar com eles por meio da nossa oração. Ele deve libertar a terra e realizar o milagre para abrir o caminho no deserto para a unificação entre o Norte e o Sul".


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA CBN