Google+ Followers

sábado, 7 de maio de 2016

“A única arma que temos é a oração”, diz avivalista Albert Kankienza sobre terrorismo na África

O bispo Albert Kankienza é conselheiro de Denis Sassou Nguesso, presidente da República do Congo. (Foto: Guiame/ Marcos Paulo Corrêa)
O bispo Albert Kankienza é conselheiro de Denis Sassou Nguesso, presidente da República do Congo. (Foto: Guiame/ Marcos Paulo Corrêa)

Embora existam preocupações relacionadas ao terrorismo, os líderes evangélicos são procurados para aconselhar as autoridades da República do Congo, como acontece com o bispo Albert Kankienza. 

Há cerca de 30 anos, a única igreja que tinha espaço na República do Congo, na África, era a Católica. Hoje em dia o cenário é outro — líderes evangélicos são procurados pelas autoridades do país, como acontece com o bispo Albert Kankienza, conselheiro de Denis Sassou Nguesso, presidente da República do Congo.

“Isso significa dizer que Deus nos permitiu uma grande ocupação”, disse Kankienza, que é pastor presidente das Igrejas de Avivamento na África, em entrevista exclusiva ao Guiame. Por outro lado, enquanto os pastores se aproximaram da presidência do Congo, os líderes católicos formaram uma oposição.

“Há três ou quatro meses, o principal líder da Igreja Católica [do Congo] esteve na Bélgica, e foi recebido por políticos. Perguntaram a ele: ‘Por que você não apoia mais o presidente da república?’ Ele disse: ‘Eu não o apoio e também nunca o aceitarei, porque ao seu redor só tem pastores das Igrejas de Avivamento. Ele não escuta o que temos dito a ele’”, relembra.

O relato, que foi veiculado na revista “Jeune Afrique”, demonstra que a Igreja Católica não está contente por ter perdido espaço, mas para Kankienza, este é o tempo de Deus. “Nossas igrejas estão ocupando espaço, e sempre hão de ocupar espaço”, diz o bispo.

Terrorismo
A Nigéria e a República Centro Africana, um dos países mais afligidos pela atuação do grupo terrorista Boko Haram, são localizados nas proximidades da República do Congo. Diante disso, a igreja congolesa se encontra em preocupação, de acordo com o bispo.

“Pode perceber que é fácil o Boko Haram chegar até o nosso país. Nós estamos muito preocupados e orando muito sobre isso. O nosso país não tem condições de lutar contra esses terroristas, porque não temos meios, como os europeus têm. A única arma que a gente tem é a oração”, afirma Kankienza.

Assista a entrevista completa: 

Missões
O avivamento teve início na República do Congo em 1969, quando o evangelista americano Tommy Lee Osborn liderou o primeiro movimento de cruzadas evangelísticas no país. Depois dele, um movimento pentecostal de avivamento surgiu, e tomou as igrejas congolesas.

“Os missionários na África trouxeram uma coisa que não podemos ignorar, mas hoje em dia os filhos do país se levantaram e estão fazendo um grande trabalho”, ressalta  Kankienza.

O avivamento no Congo resultou em igrejas abertas não apenas ao redor da África, mas também em pontos da Europa como França, Bélgica, Londres e Itália. “Hoje em dia, o Congo é que envia missionários”, afirma o bispo. 


Albert Kankienza é conselheiro de Denis Sassou Nguesso, presidente da República do Congo. (Foto: Guiame/ Marcos Paulo Corrêa)

 FONTE: GUIAME, LUANA NOVAES



sexta-feira, 6 de maio de 2016

Cristãos são alvo de grupo extremista islâmico


COSTA DO MARFIM

Segundo testemunhas, os militantes pouparam os muçulmanos e alvejaram os cristãos. Alguns estrangeiros também foram mortos, mas a maioria das vítimas era de marfinenses

No mês de março, seis homens armados mataram 22 pessoas durante um ataque que aconteceu num resort à beira-mar, na cidade de Grand-Bassam, na Costa do Marfim. O grupo extremista islâmico AQIM (Al-Qaeda in the Islamic Maghreb – sigla em inglês), reivindicou a responsabilidade pelo incidente, de acordo com informações do The Washington Post. Segundo testemunhas, os militantes pouparam os muçulmanos e alvejaram os cristãos. Alguns estrangeiros também foram mortos, mas a maioria das vítimas era de marfinenses. Os militantes também foram mortos pelas forças de segurança do país.

"Sabemos que a situação política da maioria dos países da região é muito frágil nesse momento e esse tipo de ataque pode alimentar divisões regionais, étnicas e, principalmente, religiosas. O AQIM parece estar decidido a afetar a estabilidade tanto do Sahel quanto da África Ocidental, na tentativa de criar seu próprio califado", comenta um dos analistas de perseguição. O Sahel é uma faixa que tem cerca de 700 km de largura por mais de 5 mil km de extensão, que fica na África Subsaariana, entre o deserto do Saara e a savana do Sudão. E a África Ocidental é uma região no oeste da África que inclui países como Benim, Burkina Faso, Cabo Verde, Costa do Marfim, Gâmbia, Gana, Guiné, Guiné-Bissau, Libéria, Mali, Mauritânia, Níger, Nigéria, Senegal, Serra Leoa e Togo

Segundo o analista, o grupo extremista quer semear a instabilidade nesses países e tem como principal alvo os cristãos. "O ataque na Costa do Marfim mostra o quanto eles estão crescendo e se fortalecendo, fato que preocupa a igreja no país", diz ele. A Costa do Marfim já tem sido ameaçada há algum tempo por esses grupos radicais que prometeram "punir os inimigos do islã". Em 2015, em um telefonema para uma agência de notícias francesa, um líder islâmico declarou: "Nós estamos reivindicando as cidades de Nara e Fakola, que são terras islâmicas. Nós vamos multiplicar os ataques na Costa do Marfim, no Mali e na Mauritânia, países que abrigam os inimigos do islamismo". Embora o governo tenha tomado suas providências e reforçado a segurança da nação, os ataques já estão acontecendo. Em suas orações, interceda pela igreja na Costa do Marfim.

Motivos de oração
  • Ore pelos cristãos perseguidos na Costa do Marfim e também pela atual situação que o país está vivendo.
  • Peça a Deus para que a igreja permaneça firme e fiel durante os ataques e que, apesar das grandes perdas, a fé dos cristãos não seja abalada.
  • Interceda pelas famílias que perderam seus entes queridos e peça para que o Senhor conforte seus corações.
  • Ore também para que os corações dos perseguidores sejam alcançados pelo amor de Cristo.


quinta-feira, 5 de maio de 2016

Cristãos protestam contra plano de demolição de igrejas no Paquistão

Cristãos paquistaneses reivindicam mais proteção após ataque suicida, ocorrido no domingo de páscoa deste ano. (Foto: Tribune.uk)
Cristãos paquistaneses reivindicam mais proteção após ataque suicida, ocorrido no domingo de páscoa deste ano. (Foto: Tribune.uk)

Segundo autoridades do país, os templos serão demolidos para dar lugar a uma linha de trem, na região de Lahore.

Cristãos paquistaneses reivindicam mais proteção após ataque suicida, ocorrido no domingo de páscoa deste ano. (Foto: Tribune.uk)

Quatro igrejas estão marcadas para serem demolidas, dando lugar a uma linha de trem em Lahore, Paquistão. Porém ativistas apontam que este plano "menospreza os cristãos".

Manifestações aconteceram em frente à Alta Corte de Lahore na última terça-feira (3), com cristãos insistindo que eles não iriam permitir que os seus locais de culto fossem destruídos.
Eles gritavam frases e palavras de ordem, como "nós não desistiremos de uma polegada de nossos lugares santos" e "queremos os nossos direitos".

Os quatro templos possivelmente afetadas pela decisão em Lahore são da Igreja Catedral, Igreja Naulakha, Igreja de St. Andrew e da Igreja Bohar Wala.

"Não há descanso e um problema após o outro parecem perseguir os cristãos paquistaneses", disse Nasir Saeed, diretor da organização interdenominacional humanitária 'CLAAS', no Reino Unido.

No domingo de Páscoa um atentado suicida em um parque de Lahore matou 72 pessoas. Foi o ataque mais letal, ocorrido no Paquistão desde o massacre de 134 crianças em uma escola militar, na região de Peshawar, em Dezembro de 2014.

"Os cristãos que ainda estão de luto depois do ataque Domingo de Páscoa e ainda estão tentando lidar com esse trauma, são agora confrontados com a questão da demolição de quatro igrejas históricas em Lahore... a província onde os cristãos mais sofrem", disse Saeed.

"Essas igrejas estão localizadas em áreas muito caras, cobiçadas por políticos e islamitas. Eles não conseguem aceitar que os cristãos tenham essas propriedades... de modo que tentam usar qualquer desculpa para pegar as terras e menosprezar os cristãos".

Saeed criticou o que muitos cristãos paquistaneses avaliam como o "fracasso do governo em proteger as minorias religiosas".

"O Governo não deve brincar com os sentimentos religiosos cristãos e deve evitar mais opressões recaiam sobre a minoria cristã do Paquistão", disse ele.

Um novo relatório divulgado na última segunda-feira (2) pela Comissão Internacional para a Liberdade Religiosa dos Estados Unidos ('USCIRF') constatou que o governo paquistanês no ano passado "continuou a cometer e tolerar violações sistemáticas, contínuas e flagrantes da liberdade religiosa".

A 'USCIRF' recomendou que o Paquistão seja designado como um "país de preocupação particular" pelo Estados Unidos desde 2002 e seu novo relatório está condenando novamente as falhas do Paquistão com relação à preservação dos direitos humanos, como a liberdade religiosa.
"Durante anos, o governo paquistanês não foi capaz de proteger os cidadãos, minoria e maioria de forma igualitária. A violência é sectária motivada pela religião", disse.

"As autoridades paquistanesas também não conseguiram trazer consistentemente os responsáveis ​​pelos atos de violência à justiça ou tomar medidas contra os atores sociais que incitam estas práticas".


 FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN TODAY

quarta-feira, 4 de maio de 2016

“A mulher que cuida bem do lar faz um favor à sociedade”, diz Soraya Moraes

Soraya Moraes disse em entrevista ao Guiame que existe um grande preconceito pela mulher que escolhe cuidar da família. (Foto: Guiame/ Marcos Paulo Corrêa)
Soraya Moraes disse em entrevista ao Guiame que existe um grande preconceito pela mulher que escolhe cuidar da família.
(Foto: Guiame/ Marcos Paulo Corrêa)

Diante da polêmica gerada pelo artigo "bela, recatada e do lar", Soraya Moraes disse em entrevista ao Guiame que existe um grande preconceito pela mulher que escolhe cuidar da família. Assista!

Soraya Moraes disse em entrevista ao Guiame que existe um grande preconceito pela mulher que escolhe cuidar da família. (Foto: Guiame/ Marcos Paulo Corrêa)

Um artigo publicado pela revista Veja, classificando a esposa do vice-presidente Michel Temer, Marcela Temer, como uma mulher "bela, recatada e do lar", provocou diversas reações na internet nas últimas semanas, principalmente a ira das feministas.

Caminhando contra a onda de críticas do movimento feminista, a pastora Elizete Malafaia, esposa de Silas Malafaia, líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, lançou na semana passada uma campanha nas redes sociais incentivando as mulheres a publicarem fotos cuidando da casa e da família.

Cantoras como Soraya Moraes, Cassiane e Ana Paula Valadão também apoiaram a campanha de Elizete, que tem como lema “feliz por ser mulher, esposa, mãe e do lar”. No entanto, a campanha recebeu um avalanche de críticas — principalmente a foto em que Ana Paula aparece de avental na beira de um fogão.

Segundo a cantora Soraya Moraes, existe um grande preconceito pela mulher que escolhe ser do lar e se orgulha em cuidar da família. “Infelizmente, a sociedade está colocando isso como algo pejorativo, sendo que a base da sociedade é a família. A mulher que cuida da sua família, cuida bem do lar, está fazendo um favor à sociedade. Esse trabalho, realmente, não é valorizado”, disse ela em entrevista ao Guiame.

Logo depois que surgiram os primeiros comentários sobre o assunto, Soraya publicou nas redes sociais uma foto sua recebendo o Grammy Award, na gravação de um clipe, servindo um prato e ao lado de sua família, a fim de mostrar que a mulher pode ser bem sucedida e e, ao mesmo tempo, cuidar de seu lar.

Assista a entrevista completa:

“A mulher pode tudo. Se ela quer ser do lar, que seja uma ótima esposa, uma ótima mãe, uma ótima filha, que faça o seu melhor. Mas ela também pode pilotar avião, cozinhar, pode fazer o que quiser”, afirmou a cantora.

Soraya relembra que este modelo de mulher é exposto na Bíblia. “Se você for analisar bem, Provérbios 31 fala da mulher que cuida da casa, mas essa mulher também adquiria e vendia propriedades. Ou seja, elas não ficavam só com a barriga no fogão e no tanque, elas também ajudavam a gerar renda para o seu esposo”, conta.
“Eu acho que realmente nós temos que rever esses conceitos.

Existem muitos vídeos na internet, muita gente dando depoimentos para desconstruir essa visão da família e da mulher. Mas nós, mulheres  — principalmente cristãs — temos que levantar essa bandeira: a mulher sábia edifica sua casa”, conclui.
FONTE: GUIAME, LUANA NOVAES


terça-feira, 3 de maio de 2016

CARTEIRINHA DE MEMBRO

 Se desejar obter modelo para editar, envie uma solicitação
juntamente com endereço de e-mail para receber o arquivo.



Billy Graham: Viagens missionárias permitem que cristãos "vejam o mundo como Deus o vê"

Billy Graham é um dos mais conhecidos evangelistas da atualidade. Aos 97 anos, o pastor continua escrevendo artigos e compartilhando do Evangelho com o apoio de sua equipe ministerial. (Foto: Associação Evangelística Billy Graham)
Billy Graham é um dos mais conhecidos evangelistas da atualidade. Aos 97 anos, o pastor continua escrevendo artigos e compartilhando do Evangelho com o apoio de sua equipe ministerial. (Foto: Associação Evangelística Billy Graham)

As viagens missionárias podem ser umas das coisas "mais memoráveis ​​e significativas" que um cristão faz, afirmou o pastor e evangelista em um de seus artigos mais recentes.

Billy Graham é um dos mais conhecidos evangelistas da atualidade. Aos 97 anos, o pastor continua escrevendo artigos e compartilhando do Evangelho com o apoio de sua equipe ministerial. (Foto: Associação Evangelística Billy Graham)
Billy Graham é um dos mais conhecidos evangelistas da atualidade. Aos 97 anos, o pastor continua escrevendo artigos e compartilhando do Evangelho com o apoio de sua equipe ministerial. (Foto: Associação Evangelística Billy Graham)
Viagens missionárias cristãs podem ser de grande benefício para todos os envolvidos, segundo o pastor e evangelista Billy Graham.

Aos 97 anos de idade, o pastor batista, escreveu em um breve artigo para o jornal 'Kansas City Star', no qual afirma que os pais devem incentivar os filhos a participarem de viagens missionárias internacionais, pois estão são extremamente benéficas para os jovens compartilharem do amor de Cristo, prestando serviços de caridade.

As viagens missionárias podem ser umas das coisas "mais memoráveis ​​e significativas" que um cristão faz, afirmou o pastor.

"Os cristãos que vivem em outros países, muitas vezes têm poucos recursos e eles podem se sentir isolados e até mesmo podem se perguntar se alguém realmente se preocupa com eles. Mas ter um grupo de jovens entusiastas mostrando que se preocupam com eles e ajudando-os, pode ser um grande incentivo para eles", escreveu Graham, apontando para a história bíblica de Timóteo, que viajou para visitar cristãos isolados e para ajudar a fortalecer a fé deles.

Junto com a oportunidade "óbvia" de ajudar os necessitados, as viagens missionárias também podem possibilitar uma visão e uma perspectiva mais rica aos que estão investindo o seu tempo nessa missão.

Os cristãos que optam por embarcar nessas viagens "podem ​​nunca ter viajado para fora de seu país, mas eles provavelmente também nunca tenham visto a pobreza e as lutas que as pessoas de países menos desenvolvidos que o seu precisam enfrentar", escreveu Graham.

O evangelista disse que espera estas viagens permitam que os cristãos "vejam o mundo como Deus o vê".

Nos últimos anos, vários jovens cristãos embarcaram em viagens missionárias, incluindo as influentes Sadie Robertson, do programa de TV "Dynasty Duck" e Jill Duggar de "19 Kids and Counting".

Robertson viajou para a Guatemala no início deste ano para doar centenas de botas de chuva para crianças carentes através de sua colaboração com a empresa 'Roma Boot'.

Já Jill Duggar e o marido, Derick Dillard, viajaram com o seu filho recém-nascido Israel no ano passado, para participar de trabalho missionário na América do Sul. Em outubro (2015), eles dissseram que se sentiram chamados por Deus para trabalharem com missões em outros países.


"Deus colocou um desejo em nossos corações de serví-lo internacionalmente por mais tempo que a típica viagem missionária a curto prazo. [...] É uma causa pela qual temos orado juntos em um esforço para buscar o plano de Deus para as nossas vidas em Sua obra", disse o casal em um comunicado no site da família Duggar, no ano passado.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN POST

segunda-feira, 2 de maio de 2016

"Construa a base do seu casamento em Cristo", aconselha Billy Graham aos maridos

O líder cristão e ministro batista de 97 anos compartilhou suas sábias palavras em um post esta semana na página "Minhas Respostas". (Foto: Reprodução).
O líder cristão e ministro batista de 97 anos compartilhou suas sábias palavras em um post 
esta semana na página "Minhas Respostas". (Foto: Reprodução).

Um estudo de 2008 descobriu que os cristãos casam mais que os não-cristãos nos EUA. Com 84% dos evangélicos sendo casados em comparação a 74% dos filiados com religiões não-cristãs.


O líder cristão e ministro batista de 97 anos compartilhou suas sábias palavras em um post esta semana na página "Minhas Respostas". (Foto: Reprodução).
A chave para um casamento bem-sucedido está em construir a sua fundação em Cristo. É o que diz o reverendo Billy Graham, dando conselhos aos maridos que embarcam em uma das maiores jornadas da vida com sua noiva.

O líder cristão e ministro batista de 97 anos compartilhou suas sábias palavras em um post esta semana na página "Minhas Respostas" que fica hospedada no site da Associação Evangelística Billy Graham. Ele afirma que para se ter um casamento bem-sucedido, essa união deve ser fundada em um amor mútuo por Cristo.

“Para ter um casamento focado em Deus, ambos os cônjuges devem ver seu casamento como um dom de Deus", disse.

"Deus os uniu, e Ele é ainda mais preocupado com seu casamento do que você. Quando você passar por tempos difíceis como um casal, nunca esqueça que Deus deu o seu casamento para você e Ele está com você", aconselhou, citando Mateus 19: 6, que explica como o casamento faz duas pessoas uma só carne.

“Outra chave para um casamento bem sucedido é aprender a colocar seu cônjuge antes de si mesmo”, Graham continua. "O verdadeiro amor significa que queremos o que é melhor não para nós mesmos, mas para a outra pessoa", disse o ministro, declarando que uma boa atitude é acordar a cada dia perguntando a Deus como você pode abençoar seu cônjuge.

"Acima de tudo, construa o seu casamento e suas vidas em Jesus Cristo, orando e lendo a palavra de Deus juntos, e buscando a Sua vontade em todas as coisas, ajudando e encorajando uns aos outros também. E buscar o perdão de sua esposa quando você está impensado ou insensível. Cristo deu a sua vida por nós, aprenda a dar suas vidas um ao outro", concluiu Graham.
O líder religioso influente, que é conhecido por suas cruzadas evangélicas internacionais, foi casado com sua esposa, Ruth, por 64 anos até sua morte em 2007.

Um estudo de 2008 descobriu que os cristãos casam mais que os não-cristãos nos EUA. Com 84% dos evangélicos sendo casados em comparação a 74% dos filiados com religiões não-cristãs.

O estudo também descobriu que o divórcio está generalizado na América, relatando que de todos os americanos que se casaram, 33% deles dizem que tiveram pelo menos um divórcio. Os que tiveram menos probabilidade de ter tido um divórcio incluem católicos em 28% e evangélicos em 26%, segundo a pesquisa.

Vários líderes cristãos têm opiniões diferentes sobre o divórcio e se o novo casamento após o divórcio é aceitável aos olhos de Deus. Em setembro de 2015, um convidado do site americano “The Christian Post”, Shane Idleman, fundador e líder do Westside Christian Fellowship em Lancaster, Califórnia, escreveu que ele acredita que só Deus pode responder à pergunta se os cristãos divorciados têm o direito bíblico de se casar com outras pessoas.


"Eu acredito que Deus odeia o divórcio. Reconciliação é agradável a Ele. Há casos, na minha opinião, quando se é liberado através de adultério ou abandono, no entanto, a reconciliação deve ainda ser procurada em primeiro lugar. A vontade de Deus é que nós possamos caminhar em integridade, seguir Seus princípios, utilizar a sabedoria, ser paciente, e buscar isso durante a viagem. Para alguns, a reconciliação pode resultar, para outros, não", escreveu Idleman. FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN POST

domingo, 1 de maio de 2016

O Senhor é o meu Pastor



Marcel Malgo
Salmo de Davi. O Senhor é o meu pastor; nada me faltará. Ele me faz repousar em pastos verdejantes. Leva-me para junto das águas de descanso; refrigera-me a alma. Guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome. Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; o teu bordão e o teu cajado me consolam. Preparas-me uma mesa na presença dos meus adversários, unges-me a cabeça com óleo; o meu cálice transborda. Bondade e misericórdia certamente me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na Casa do Senhorpara todo o sempre” (Sl 23).
Salmo de Davi”. O Salmo 23 certamente é o mais conhecido e afamado dos Salmos. Davi sabia do que estava falando ao utilizar a figura de um pastor apascentando ovelhas, pois essa era a sua profissão.
Quando o profeta Samuel quis ungir Davi como rei, foi necessário primeiramente chamar o jovem das suas atividades junto ao rebanho: “Perguntou Samuel a Jessé: Acabaram-se os teus filhos? Ele respondeu: Ainda falta o mais moço, que está apascentando as ovelhas. Disse, pois, Samuel a Jessé: Manda chamá-lo, pois não nos assentaremos à mesa sem que ele venha” (1 Sm 16.11). O Salmo 78.70-71 se refere a isso, dizendo:“Também escolheu a Davi, seu servo, e o tomou dos redis das ovelhas; tirou-o do cuidado das ovelhas e suas crias, para ser o pastor de Jacó, seu povo, e de Israel, sua herança”.
A Bíblia não menciona se Davi compôs o maravilhoso Salmo 23 enquanto estava apascentando o rebanho. Em todo caso, os pastos verdejantes, as águas de descanso, o bordão e o cajado eram elementos do dia-a-dia de um pastor de ovelhas.

Pensamentos introdutórios ao Salmo 23

Em diversas passagens bíblicas, que contém promessas, há uma chave para que se receba o que Deus promete nelas. Um exemplo clássico para isso é o Salmo 50.15: “E invoca-me no dia da angústia; eu te livrarei, e tu me glorificarás” (ARF). Essa promessa maravilhosa já ajudou a muitos filhos de Deus quando estavam em dificuldade. No entanto, é necessário ter uma chave para receber a bênção completa. Ela se encontra no versículo 14: “Oferece a Deus sacrifício de ações de graças e cumpre os teus votos para com o Altíssimo”. A conjunção “e” (“e invoca-me no dia da angústia...” – ARF) mostra claramente a ligação entre esses dois versículos. Por isso, quem deseja que o Senhor o livre da dificuldade deve utilizar a chave da “porta da bênção”: “Oferece a Deus sacrifício de ações de graças e cumpre os teus votos para com o Altíssimo”.
A chave para o Salmo 23
No Salmo 23.1 se encontra um testemunho significativo de Davi: “O Senhor é o meu pastor...”. Quem é o Pastor de Davi? É o Senhor! Às vezes nos esquecemos que Jesus Cristo não é apenas o Pastor dos Seus, mas também o Senhor. Todo o que crê nAquele que foi crucificado e que ressuscitou, foi comprado pelo Seu precioso sangue. Nos agrada que o Bom Pastor estende Sua mão protetora dia e noite sobre nós e nos dirige. Porém, nem sempre apreciamos o fato de que o Senhor tem o poder de intervir em todas as áreas de nossa vida.
O pastor guarda e protege o seu rebanho, ele dirige e conduz suas ovelhas com todo empenho e paciência, porém também espera que elas o sigam e lhe obedeçam. O mesmo acontece com os discípulos de Jesus. Isso aparece claramente nas Suas palavras, escritas em João 10, onde o Senhor fala da maravilhosa proteção: “Eu sou o bom pastor” (v.11,14), fala de Sua onisciência: “... conheço as minhas ovelhas...” (v.14),mas também fala da obediência do verdadeiro discípulo: “... as ovelhas ouvem a sua voz, ele chama pelo nome as suas próprias ovelhas e as conduz para fora. Depois de fazer sair todas as que lhe pertencem, vai adiante delas, e elas o seguem, porque lhe reconhecem a voz” (v. 3-4). E será que isso acontece na Sua Igreja ao redor do mundo? Não, infelizmente não! São muitas as ovelhas que, pouco a pouco, se perdem do caminho. Mas, quando um cristão se dá conta de ter-se afastado dEle – seja por pecado de pensamento, ação ou omissão – então só resta uma solução: voltar o mais rapidamente possível ao Bom Pastor, ao Senhor Jesus, e confessar o seu pecado, para que o Seu sangue possa purificá-lo de suas transgressões (cf. 1 Jo 1.7,9).
Em tempos antigos, Deus queixou-se do Seu povo Israel: “O meu povo tem sido ovelhas perdidas...” (Jr 50.6), e: “... se espalharam... minhas ovelhas andam desgarradas por todos os montes...” (Ez 34.5-6). Porque essas palavras tão sérias? Por que naquela ocasião o povo andava errante? Por que havia abandonado o seu Senhor e, assim, não tinha mais um verdadeiro pastor. Acontece assim até hoje: quando não se admite que Deus seja realmente o Senhor sobre todas as situações da vida, é possível que, eventualmente, não se sinta a presença do Bom Pastor.
Quando Jesus estava aqui na Terra, certa ocasião ficou muito triste ao olhar para o Seu povo Israel: “E, vendo as multidões, teve grande compaixão delas, porque andavam cansadas e desgarradas, como ovelhas que não têm pastor” (Mt 9.36 - ARF). Por que as ovelhas de Israel andavam “cansadas e desgarradas”? Porque elas se tornaram infiéis ao seu Senhor e assim também não tinham mais Pastor. Conclusão: Quem rejeita o Senhor, renuncia ao Bom Pastor.
Se você, em sua vida cristã, fizer a infeliz separação entre Jesus – o Pastor, e Jesus – oSenhor, amando o Pastor, mas não obedecendo ao Senhor, então não deve se admirar se não receber sempre a Sua proteção e cuidado. Acontece que o seu Bom Pastor deseja ser também o seu Senhor e, na vida cristã, não se deve separá-los.
Jesus nos explica essa verdade espiritual claramente: “Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho dado a conhecer” (Jo 15.15). Isso é um grande motivo de alegria para nós. Todavia, não somos “amigos” do Senhor de uma maneira qualquer, mas somente quando Lhe obedecemos: “Vós sois meus amigos, se fazeis o que eu vos mando” (Jo 15.14). Também nesse caso o versículo 14 serve de chave para o versículo 15. Jesus não é somente o Bom Pastor, que apascenta Suas ovelhas nos pastos verdejantes e as conduz às águas de descanso, porém Ele também é o Senhor que requer dedicação e obediência dos Seus amigos.
A mensagem mais ouvida, mundo afora, é que Deus é amor e misericórdia e que Ele tem prazer em perdoar. Só que isso é apenas um dos lados do Evangelho. A Palavra não diz apenas “Deus é amor” (1 Jo 4.16), mas também que “Ele é o Senhor, nosso Deus; os seus juízos permeiam toda a terra” (Sl 105.7).
Se você pertence ao rebanho de Cristo, por ter sido comprado através do precioso sangue de Jesus e se tornado propriedade dEle, eu lhe faço esta pergunta: Jesus, além de Bom Pastor, é também Senhor em sua vida? Ele é o Senhor em sua família, em seu matrimônio, sobre o seu tempo, em sua profissão, sobre as suas finanças, sobre o seu carro, sobre o seu corpo, sim, em todas as suas decisões? Sim? Então Jesus Cristo, o Bom Pastor, também é o seu Senhor, pois “nele, habita, corporalmente, toda a plenitude da Divindade” (Cl 2.9). E assim você pode afirmar juntamente com Davi: “O Senhor é o meu Pastor”. (Marcel Malgo — Chamada.com.br)