Google+ Followers

sábado, 14 de janeiro de 2017

Em 21 países, 100% dos cristãos são perseguidos por sua fé


                                                                                                                       Por Jarbas Aragão


O relatório mais recente sobre perseguição religiosa, divulgado esta semana pela Missão Portas Abertas, mostra que toda a população cristã de 21 países é impedida de manifestar sua fé.


A Lista Mundial da Perseguição destaca os 50 países com maior índice de restrições aos cristãos no mundo. Ela é atualizada anualmente com base em pesquisas, que consideram as leis no país, a postura das autoridades, da sociedade e da família em relação a cristãos, novos convertidos e igreja. Segundo David Curry, CEO da Portas Abertas nos EUA, 215 milhões de seguidores de Jesus experimentaram altos níveis de perseguição em 2016.


Os 21 países que mais restringem o cristianismo são: Coréia do Norte, Somália, Afeganistão, Paquistão, Sudão, Síria, Iraque, Irã, Iêmen, Eritreia, Líbia, Nigéria, Maldivas, Arábia Saudita, Índia, Uzbequistão, Vietnã, Quênia, Turcomenistão, Catar e Egito.


Todo o material divulgado pela Portas Abertas pode ser visto (aqui). A maioria dos 21 países que ocupam o topo da Lista é governado por islâmicos e os cristãos são minorias religiosas. Somada toda a população, eles são apenas 13%. Em alguns desses países o governo sequer admite oficialmente que existam cristãos vivendo ali.


Na Coreia do Norte, por exemplo, os cristãos podem ser presos ou até mortos simplesmente por possuir uma Bíblia. Embora o governo comunista do país imponha o ateísmo, os cidadãos são forçados a tratar a família do ditador Kim Jong-Il como se fosse divina. Antes dele, o pai e o avô governaram o país com o mesmo tipo de mentalidade. Nos 25 anos que a missão vem publicando esse levantamento, este é o 16º ano consecutivo que os norte-coreanos ficaram em primeiro lugar.




Números contestados

Os números de cristãos que morreram somente por motivos religiosos divulgados pela Portas Abertas são contestados por outras organizações. A missão fala em 1.207 pessoas mortas em todo o mundo – entre 01 de novembro de 2015 e 31 de outubro de 2016 – por seguirem o cristianismo. Contudo, ela não inclui as mortes que ocorreram na Coréia do Norte, Iraque e Síria, onde existem vários conflitos sobre números “oficiais”.

O Center for Study of Global Christianity, que leva em consideração os mortos em todos os países apresentou um levantamento onde mostra que um cristão foi morto a cada seis minutos em 2016.

Essa tendência vem se mantendo em alta pelos últimos anos e a tendência é que a perseguição aos cristãos continuará crescendo em 2017, particularmente em países islâmicos.

Fonte: noticias.gospelprime.com.br

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Muçulmano vai até igreja para matar pastor, mas se converte durante a pregação

O professor islâmico estava sentado entre a congregação esperando o momento certo para o ataque, mas se rendeu a Cristo durante a pregação.

Muçulmano vai até igreja para matar pastor, mas se converte durante a pregação. (Foto: Reprodução)
Muçulmano vai até igreja para matar pastor, mas se converte durante a pregação. (Foto: Reprodução)
Um professor islâmico de uma comunidade de Amuria, em Uganda, foi enviado por extremistas muçulmanos para matar o bispo George Edweu, da Igreja Pentecostal Upright, no dia 4 de dezembro de 2016.

O xeique muçulmano estava sentado entre a congregação de 200 pessoas quando ouvia o bispo pregar sobre como identificar a voz de Deus. Em meio a mensagem, ele correu para o altar e caiu aos pés do pregador.

Nesse instante, Edweu parou de pregar e foi até o xeique. Em lágrimas, ele respondeu: "Eu fui enviado para atacar, matar o pastor e destruir a igreja", revelou. Tocado pelo Espírito Santo, ele se arrependeu e se rendeu a Jesus Cristo.

A notícia da conversão do ex-xeique se espalhou pela comunidade, e ele sabia que teria que se esconder. Com a ajuda da igreja, o homem se refugiou em um local secreto junto com sua esposa e seus filhos de 4 e 2 anos.

Desde então, os muçulmanos passaram a anunciar sua conversão durante as orações nas mesquitas, planejando matá-lo. Uma das formas encontradas por eles foi atacar o bispo Edweu, até que ele revelasse a paradeiro do ex-xeique.

No dia 2 de janeiro, Edweu foi até a igreja às 5 horas da manhã para um período de oração matinal. Chegando no local, ele viu um jovem jogado no chão e saiu do carro para ajudá-lo. Nesse instante, seis homens mascarados apareceram e o agrediram, exigindo que ele revelasse onde estava o xeique.

"Quando eu caí no chão, apareceu um veículo com os faróis acesos que os assustou, e eles fugiram", disse o bispo Edweu. "O veículo me levou para o complexo da igreja. Dentro da igreja, encontramos uma carta com uma mensagem ameaçadora: 'Vamos destruir sua igreja, a menos que você nos mostre onde [nome não revelado] está'".

O bispo e sua congregação temem que um novo ataque ocorra em breve, embora a Uganda seja um país composto por cerca de 85% de cristãos dentre sua população e 11% de muçulmanos.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE MORNING STAR NEWS

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

"Deus não existe para nos servir, mas nós existimos para servi-Lo", diz pastor Craig Groeschel

Líder da Igreja "Life", em Oklahoma (EUA), o pastor Craig Groeschel destacou em sua pregação que enxergar a Deus como servo é uma visão completamente distorcida sobre o Criador.

Pastor Craig Groeschel é líder da Igreja "Life", em Oklahoma. (Foto: MaxDefault)
Pastor Craig Groeschel é líder da Igreja "Life", em Oklahoma. (Foto: MaxDefault)
Com o objetivo de resolver as dificuldades alguns têm em crer em Deus, o pastor sênior da igreja "Life", nos EUA, Craig Groeschel começou no último domingo (8) uma nova série de mensagens, intitulada "Eu quero acreditar, mas ...".

No primeiro sermão da série, o pastor tratou do conceito distorcido de que "Deus deveria nos exatamente o que queremos e quando queremos" e criticou esta ideia.

"Deus é muito grande para ser um fantoche meu", enfatizou o pregador.

Alguns acreditam em Deus e outros não, mas há "uma nova categoria de pessoas que estão dizendo: 'Eu quero acreditar em Deus, mas estou lutando com isso", disse o pastor, ao apresentar a série à congregação no último domingo, que também foi o 21º aniversário da igreja.

Há muitos que pensam que estão rejeitando Deus, mas na verdade não estão rejeitando o Deus verdadeiro, explicou Groeschel. O que eles estão fazendo é "rejeitar uma visão distorcida de quem Deus realmente é".

O pastor explicou que a visão imediatista, disseminada pela sociedade pós-moderna transfere também para Deus, o dever de atender a esta demanda.

"Como vivemos em um mundo sob demanda, onde queremos tudo agora, esperamos o mesmo de Deus", o pastor acrescentou, explicando que quando oramos a um Deus "sob demanda", queremos os resultados exatamente segundo nossos desejos queremos eles se realizem imediatamente. "E quando não obtemos a resposta desta forma, pensamos que talvez Deus não seja todo poderoso ou bom".

Groeschel destacou que esta visão não corresponde à realidade de como Deus trabalha.
"Essa é uma visão distorcida de Deus", sublinhou o pastor. "Esse sistema 'sob demanda' não existe com Deus".

"Para entender a Deus corretamente, temos que ver onde nos encaixamos na grande narrativa do Deus Criador, na criação e em toda a eternidade", disse Groeschel a milhares de pessoas que participavam do culto em sua igreja, na cidade de Edmond, Oklahoma (EUA) e também aos muitos que assistiam ao culto on-line. "Deus não existe para nos servir, mas nós existimos para servi-Lo".

Groeschel continuou sua linha de raciocínio explicando que é Deus o autor da vida, o autor da criação e como e que deve ser servido por aqueles a quem criou.

"Deus é o criador e nós somos criados, Ele é o oleiro e nós somos o barro, Ele é o Senhor e nós somos seus servos", afirmou. "Se Deus não é um Deus sob demanda, então quem é Ele?", Groeschel perguntou, e então respondeu que havia três coisas sobre Deus que não podem ser esquecidas.

1: "O coração de Deus é sempre amoroso".
"Se você é um pai, você sabe que nunca há um momento em que você não ame seus filhos. Mas há momentos em que você não faz o que eles querem, mesmo tendo o poder de fazê-lo. Deus faz o mesmo conosco", lembrou pastor Craig.

Groeschel então citou Romanos 8:35: "Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada?" e também o versículo 37 que diz: "Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou".

"Jesus provou Seu amor quando Ele morreu na cruz por nós", explicou o pastor.

2: "Os caminhos de Deus são sempre superiores".
Citando o livro de Isaías, o pastor reconheceu que diante das frustrações, muitas vezes não é possível encontrar uma resposta certa e imediata para explicar suas causas, mas reforçou a soberania de Deus em todas as situações.

"Muitas vezes não podemos explicar por que algo de ruim aconteceu", ele admitiu, e se referiu a Isaías 55:8: "Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos", declara o Senhor.

3: "A presença de Deus é sempre suficiente".
"Quando você se torna um seguidor totalmente comprometido de Deus, isso significa que você realmente está procurando por Ele primeiro e você deseja a vida eterna. Então você percebe a presença de Deus, e você não precisa se preocupar com o que vai acontecer com você, porque você sabe que Deus está com você", disse o pastor.

Finalizando o conteúdo de sua mensagem, pastor Craig citou o Salmo 23:4: "Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam".

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN POST

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Coração de recém-nascida volta a bater após mãe ter visão de Jesus entrando no hospital

Com apenas meia hora de vida, a pequena Gabriella já teve que travar uma batalha por sua sobrevivência. Esta foi uma grande provação de fé para seus pais.

A pequena Gabriella ficou entubada durante dois dias. (Imagem: Youtube)
A pequena Gabriella ficou entubada durante dois dias. (Imagem: Youtube)
Nathaniel e Hayley Oliveri foram surpreendidos com alegria quando descobriram que estavam esperando seu primeiro bebê: a pequena Gabriella. Já durante a gestação, a mãe orou, pedindo a Deus por um parto tranquilo e assim aconteceu, mas em menos de uma hora depois, a fé do casal começou a ser provada, quando a saúde da recém-nascida começou a apresentar complicações.

Segundo Nathaniel, desde o início do parto a paz que ele e sua esposa demonstraram sentir durante parto impressionou a equipe médica.

"Enquanto Hayley estava no parto, as enfermeiras comentavam sobre como nós permanecíamos tranquilos, em paz. Eles não estavam acostumados com aquilo. Depois eu orei por eles. Eles realmente não estavam acostumados com aquilo", contou o pai.

Em um vídeo no qual o casal compartilhou seu testemunho, Hayley falou o momento em que segurou a pequena Gabriella pela primeira vez nos braços, logo após o parto.

"Aquela primeira meia hora foi mais incrível da minha vida", disse a mãe. "Ela era um bebê perfeito".

Mas o inesperado aconteceu e aquela paz inexplicável que Nathaniel e Hayley sentiram durante o parte estava prestes a ser provada.

"Cerca de meia hora depois que ela nasceu, eles [médicos, enfermeiros] notaram que ela estava respirando rápido demais e foi piorando cada vez mais. Ela precisava de cade vez mais oxigênio", explicou a mãe.

Os pediatras levaram Gabriella para a ala de cuidados especiais da enfermaria e Nathaniel acompanhou sua filha.

"Eu acompanhei Gabriela até a enfermaria e entendi claramente que aquela situação era muito séria. Eles a colocaram para receber mais oxigênio e tantavam enfiar agulhas em suas veias tão finas para tentar sedá-la", contou. "Mas eles não conseguiam achar a veia".
Apesar da situação desesperadora, o pai da garota decidiu tomar a melhor atitude possível naquele momento: orar por sua filha.

"Durante todo aquele tempo eu mantive minhas mãos sobre ela, orando por ela e dizendo: 'O papai está aqui", relatou.

Finalmente, eles conseguiram fazer com que Gabriella dormisse, Hayley chegou ao quarto e um médico os levou até outra sala.

"Naquele momento, Gabriella estava inconsciente. Eles a sedaram, colocaram um tubo em sua garganta. Nathaniel e eu estávamos em uma sala pequena, ao lado daquela onde nossa filha estava", contou Hayley. "Cinco minutos após eles colocarem o tubo em sua garganta, seu coração parou".

"Nenhum dos médicos esperava por aquilo. Ninguém esperava por aquilo", acrescentou.
Nathaniel conta que houve uma grande mobilização dos profissionais para tentar fazer o coração de Gabriela voltar a bater.

"A gente ouviu o som dos médicos e zunidos soando. Eles estavam tentando técnicas de ressuscitação em nossa filha e nós ouvíamos: '1, 2, 3, respire!", contou o casal.
Nathaniel (esquerda) e Haylay Oliveri (direita) são os pais de Gabriella. (Foto: Q Political)

Sobrenatural
Mais uma vez, Nathaniel confiou no poder de Deus, olhou para sua esposa e disse: "Nós não vamos ter medo. Vamos orar e simplesmente acreditar em Deus".

Hayley disse que aquele poderia parecer um momento de fragilidade, mas uma visão de Jesus entrando no quarto lhe deu uma injeção de força e ânimo para não desistir de orar.
"Eu tive uma visão de Jesus. Eu o vi andando até Gabriella e Ele colocou Sua mão sobre ela", contou a mãe.

Depois de quatro minutos de parada cardíaca, o coração de sua bebê voltou a bater.
"Naquele momento em que vi Jesus entrando no quarto dela, entendi que estava tudo bem", acrescentou Haylay.

Apesar do coração ter voltado a bater, Gabriella continuava com sua pele acinzentada.
Os médicos aconselharam o casal de que "esperassem pelo pior", pois as chances da bebê sobreviver eram quase nulas.

Luta pela sobrevivência
Gabriella foi transferida para um hospital maior e a luta por sua sobrevivência continuava. A recém-nascida permaneceu com tubos enfiados por todo o corpo, mas sua mãe já tinha vivenciado uma experiência sobrenatural com Jesus e sua fé estava fortalecida.

"Era quase como se eu estivesse em uma bolha, envolta pela paz de Deus. Deus estava nos segurando, estava segurando nossa filha", disse Hayley.

Nethaniel disse que antes mesmo de se ver diante de tantas provações, já havia firmado um propósito diante de Deus: compartilhar a mensagem do Evangelho em qualquer lugar e em qualquer situação. Não foi diferente nesse hospital.

O pai de Gabrielle começou a falar de Jesus e a incentivar que todos naquele hospital - médicos e pacientes - começassem a orar uns pelos outros. Assim aconteceu por quase dois dias.

A incerteza dos médicos sobre a cura de Gabriella se mantinha, mas o pai da bebê estava firme em sua fé.

"Eu entrei no banheiro do hospital, olhei no espelho e tive completa certeza de que Deus iria curar minha filha. Mas eu também compreendi que ainda que eu perdesse minha filha, isso não poderia roubar a paz que eu sentia em Cristo", contou ele. "Então eu disse: 

'Inimigo, seu plano de levar minha filha não terá sucesso. Não importa o que aconteça com ela, a minha paz está somente em Jesus".

Dois dias depois de Gabriella ser mantida em observação e sedada pelos médicos, a bebê abriu os olhos e surpreendeu os médicos ao apresentar uma saúde completamente perfeita.

"Ela abriu os olhos, olhou para nós e foi simplesmente incrível", contou Hayley.

Falando sobre o maior aprendizado que esta provação lhe trouxe, Nathaniel afirmou que a gratidão deve ser incondicional.

"Se não formos cuidadosos, agradeceremos a Deus nos momentos em que tudo vai bem, mas O culparemos pelos momentos em que as coisas não estão bem. Mas este é o inimigo, que vem para matar, roubar e destruir. Jesus é quem traz a vida", finalizou.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO THE NORMAL CHRISTIAN LIFE


terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Polícia de Israel prepara esquema de segurança para a vinda do Messias

Rabinos de Israel têm orientado os judeus a se prepararem para a chegada do Messias. Para os cristãos, no entanto, a vinda do Messias representa a segunda vinda de Jesus Cristo.

O chefe da Polícia, Roni Alsheikh, ao lado de rabinos israelenses no Muro das Lamentações, em Jerusalém. (Foto: Mendy Hechtman/Flash90)
O chefe da Polícia, Roni Alsheikh, ao lado de rabinos israelenses no Muro das Lamentações, em Jerusalém. (Foto: Mendy Hechtman/Flash90)
Embora Jesus Cristo já tenha se revelado ao mundo, os judeus continuam se organizando para a vinda do Messias. Além dos rabinos e estudiosos da lei judaica, o departamento da Polícia de Israel informou que está se preparando para a sua chegada.

"Quando o Messias vier, todo mundo vai querer se aproximar dele, então ele ficará muito lotado", disse o comissário da polícia israelense, Roni Alsheikh, conforme o site Breaking Israel News. "Esse será um momento em que teremos que ser muito fortes e respeitar nossos companheiros."

O comissário afirmou que a polícia quer decretar medidas preventivas de segurança para o futuro acontecimento. "Em breve, se Deus quiser, precisamos começar a preparar a operação de segurança necessária após a chegada do Messias".

Os principais rabinos de Israel também têm orientado os judeus a se prepararem para a chegada iminente de seu Messias. Para os cristãos, no entanto, a vinda do Messias representa a segunda vinda de Jesus Cristo.

Jan Markell, fundadora do Ministério Árvore de Oliveira, acredita que as pessoas que não vivenciam a verdadeira fé estão mais interessadas no fim dos tempos do que os cristãos. "Os judeus estão mais entusiasmados com o retorno do Messias do que os cristãos. Os muçulmanos estão mais interessados no retorno de seu Mahdi do que os cristãos na volta de Jesus", disse ela ao site WND. “A Igreja tem seus seminários de finanças e conferências de casamento, mas deixam de lado a ideia do retorno do Senhor”.

Markell observou que alguns sinais mostram a forma como os líderes judeus estão se preparando para a chegada do Messias, como as reuniões do Sinédrio para desenvolver os planos de construção do Terceiro Templo, as novilhas vermelhas necessárias para seus rituais e a construção de um altar para os sacrifícios.

A estudiosa alerta os seguidores de Cristo em relação ao “palestinismo cristão”, que deixa de lado o apoio à Israel para a defesa das causas palestinas. "Se a igreja estivesse funcionando corretamente, essa confusão nunca teria acontecido, mas a igreja rasgou os mapas de Israel quando decidiu ser politicamente correta, em vez de ser biblicamente correta", disse Markell.

Sinais atuais do fim dos tempos
Bill Cloud, do Ministério Shoreshim, observa que muitos judeus estão se voltando para Deus enquanto o mundo se volta contra sua nação. “Com a recente decisão da ONU, onde os Estados Unidos se abstiveram do voto no Conselho de Segurança e Israel recebeu uma ‘facada nas costas’ do governo Obama, sinto que muitos judeus estão começando a perceber que não há ninguém que possa salvá-los".

O especialista em escatologia, Carl Gallups, diz que se entristece ao ver que judeus estão ainda à procura de um Messias que já veio. No entanto, ele também tem uma interpretação positiva diante desses preparativos.

"Acho que esse fervor, especialmente nesses tempos proféticos, mostra a atitude de expectativa que parece estar varrendo o planeta", disse ele. "Pessoas de todo o mundo sabem que 'algo está para acontecer': será o retorno do Messias, a vinda do Messias ou será a chegada do Anticristo? Muitos estão se perguntando sobre a possibilidade de uma Terceira Guerra Mundial, uma aliança contra Israel ou o período da tribulação. Essas perguntas são tópicos de discussão em todo o mundo e a tecnologia de hoje ajuda a proliferar essas discussões".

Gallups também diz que os cristãos devem se alegrar com a crescente aceitação de Jesus como Messias por judeus. "Sabemos que um número recorde de judeus, tanto em Israel como em todo o mundo, estão reconhecendo Jesus como Messias, Senhor e Salvador", disse ele. "Muitos vêem isso como a reunião dos últimos dias, profetizada como o ‘remanescente’ antes do retorno de Jesus”.

O pastor Mark Biltz, fundador do Ministério El Shaddai e um dos principais estudiosos do fenômeno das “Luas de Sangue”, defende que a atitude cristã em relação a Israel é extremamente importante neste momento.

“Muitos judeus sentem que os cristãos se voltam para Israel apenas para ver o cumprimento das profecias, onde os cristãos serão arrebatados e os judeus sofrerão uma terrível destruição. Os cristãos precisam mostrar seu amor por Israel e pelo povo judeu, sem expectativas ou motivações impróprias, como a esperança de algum tipo de conversão ao cristianismo. Enquanto isso, o papel que Israel irá desempenhar neste momento é o cumprimento do que Deus esperava deles desde o início", afirma Biltz.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE WND

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Pastor Franklin Graham diz que eleição de Trump não teve ação da Rússia: "Foi a mão de Deus"

O pastor respondeu às acusações do Partido Democrata dos Estados Unidos, que afirma que Donald Trump foi eleito com a ajuda de hackers russos.

Pastor Franklin Graham (à esquerda) e o presidente eleito dos EUA, Donald Trump (direita). (Imamge: ConservativeTribune)
Pastor Franklin Graham (à esquerda) e o presidente eleito dos EUA, Donald Trump (direita). (Imamge: ConservativeTribune)

O evangelista Franklin Graham disse que o presidente eleito Donald Trump ganhou as eleições de 2016 com ação da "mão de Deus" e não dos hackers russos, como o Partido Democrata e diversos outros grupos de oposição estão apontando.

Graham - que atualmente é presidente da Associação Evangelística Billy Graham e do grupo de ajuda internacional 'Bolsa do Samaritano', foi selecionado na semana passada como um dos seis líderes religiosos que irão participar do 'Dia da Inauguração' (posse) de Trump, com uma leitura bíblica ou oração, no dia 20 de janeiro (sexta-feira), em Washington, DC.

Em uma entrevista concedida ao site 'Religion News Service', ainda no final de dezembro, o pastor falou sobre sua participação na cerimônia e sugeriu que a vitória de Trump foi uma maneira de Deus "proteger" os Estados Unidos.

"Eu acho que talvez Deus tenha permitido a Donald Trump ganhar esta eleição para proteger esta nação nos próximos anos, dando uma oportunidade de termos alguns bons juízes", disse o pastor, que não chegou a apoiar oficialmente a candidatura de Trump, nem da candidata democrata Hillary Clinton durante as eleição presidencial dos Estados Unidos.

Muito tem sido especulado pela mídia e pelo governo Obama sobre a possibilidade de que o governo russo tenha interferido nas eleições ao invadir e-mails do Comitê Nacional Democrático.

Apesar dos argumentos sobre a Rússia ser ou não culpada de interferir na eleição, Graham afirmou que o resultado improvável mostra que Deus teve um impacto muito mais forte no processo eleitoral.

"Tudo o que sei é que Donald Trump tinha tudo para perder a eleição", afirmou Graham. "Mas o fato desses estados tomarem a decisão que levou a este caminho, na minha opinião, acho que foi pela mão de Deus".

"Não foi a ação de hackers, Wiki-leaks ou qualquer outra coisa", acrescentou. "Foi Deus, na minha opinião, e acredito que Sua mão estava trabalhando. Eu acho que ele deu aos cristãos uma nova oportunidade".


Reforço
Dois dias após a eleição, Graham, que é filho do famoso evangelista Billy Graham, comentou a vitória de Trump nas mídias sociais, com um pensamento semelhante sobre a eleição, argumentando que Deus "interveio" para parar a agenda secular na América.

"Ao observar as notícias após a eleição, a mídia secular continua perguntando 'Como isso aconteceu?'; 'O que deu errado?'; 'Como é que deixamos isso escapar?'. Alguns ainda estão em estado de choque, os especialistas políticos ficam surpresos e muitos achavam que a chapa 'Trump / Pence' não tinha chance. Nenhum deles entende o a ação de Deus", escreveu Graham.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN POST

domingo, 8 de janeiro de 2017

Mulher ateia se entrega a Jesus após ser evangelizada por sua sogra: "Jesus se fez vivo nela"

Tiffany se orgulhava de dizer que não acreditava em Deus, mas depois que conheceu sua futura sogra, a missionária Charlotte Bowen, isso mudou.
Jason Bowen (esquerda) e com seus filhos e sua esposa, Tiffany (Foto: FBC Trenton)

Na época em que Tiffany conheceu seu futuro marido Jason, ela tinha orgulho de de se declarar uma "ateia e feminista".

Tiffany estava trabalhando como bartender em um restaurante, para pagar seus estudos na Universidade do Tennessee, em Knoxville, quando conheceu Jason.

Ele era um cristão - por sua vez não muito convicto - que trabalhava no mesmo restaurante que ela. Ele a convidou para sair três vezes, antes que ela aceitasse o convite "e só seria por uma hora", ela lembrou.

Este encontro durou muito mais que uma hora e no dia seguinte ela disse à sua madrasta que ela tinha conhecido seu futuro marido.
"Eu nunca tinha conhecido alguém tão transparente e genuíno", lembrou Tiffany.

Não muito tempo depois de ter começado a namorar Jason, Tiffany conheceu a sua futura sogra, Charlotte Bowen, uma enfermeira cristã da Convenção Batista do Sul, que teve que estava de passagem por Knoxville.

"Quando me encontrei com ela face a face, fiquei impressionada, porque ela era diferente de qualquer pessoa que eu já havia conhecido", disse Tiffany. "Ela não tinha julgamentos em seu coração. Ela não concordava com o fato de eu ser ateia, mas o amor que ela demonstrou não foi diferente do que seria se eu fosse uma cristã".

As duas mulheres desenvolveram uma amizade que continuou depois que Charlotte Bowen voltou para trabalhar em seu ministério na África. Trocando emails com a futura sogra, Tiffany continuava fazendo perguntas para a missionária e Charlotte respondia honestamente a todas elas.

Tiffany observou que sua futura sogra explicou que "Jesus está vivo e foi isso que a transformou: ela tinha um relacionamento real e pessoal com Ele todos os dias".

Transformação
Embora ela fosse ateia, Tiffany tinha amigos cristãos e até mesmo frequentava alguns cultos, apesar de ter sido criada em uma casa onde ir à igreja era desanimador. Ela conhecia a linguagem e um pouco da realidade cristã.

"Eu posso ter ouvido as mesmas palavras de outras pessoas, mas eu nunca havia entendido que Jesus está vivo, até que eu conheci alguém como ela [Charlote]. Jesus obviamente se fez vivo nela", relatou.

Tiffany começou a ler a Bíblia e seu coração foi sendo transformado pela Palavra de Deus. Certo dia, ela estava sentada no estacionamento de uma loja, em Knoxville, conversando com Jason quando Deus de repente revelou a ela que Ele era real e vivo.

"Ele me mostrou que seria o meu Senhor pelo resto da minha vida", contou.

Tiffany disse que olhou para Jason e disse: "Jesus é o Filho de Deus" e então lhe disse: "Acho que acabei de ser salvo".

Mais tarde, o casal se casou na África, enquanto visitava a mãe de Jason. Eles voltaram para sua cidade natal, Jonesboro, no Arkansas e começaram a frequentar a Igreja Batista Central, onde Tiffany foi batizada. Ela lembrou que eles foram bem discipulados pela igreja.

O testemunho de Tiffany é fruto do discipulado pessoal que sua sogra decidiu ministrar sobre sua vida. (Foto: Harvest East Valley)
 
Frutificando
Depois de permanecerem como membros daquela igreja por cerca de um ano, Jason foi convidado a assumir uma congregação no interior do Estado e então aceitou o convite.

"Depois do primeiro ano senti que Deus estava me pedindo para orar por meu marido, porque ele ia se render ao seu chamado para ser pastor", disse Tiffany.

Ela acrescentou que acreditava que Deus estava dando a ela um motivação a mais para também orar por si mesma. "Eu não era apenas a esposa do pastor", disse, brincando.

Dezesseis anos depois (que incluíram seminários para Jason e outros pastores), Tiffany observou que o fato de ela e seu marido sempre serem honestos sobre o seu passado tem ajudado o desenvolvimento de seu ministério nas igrejas por onde passaram. Eles dizem abertamente à sua congregação: "Deus nos usa por causa de Sua grande graça, não por causa de nossa perfeição".

"Não hesito em compartilhar meu testemunho para que as pessoas aprendam mais sobre a graça de Deus. O perdão de meus pecados não aconteceu porque eu tinha 'pecados perdoáveis'. Foi porque Sua graça é suficiente para perdoar os pecados de alguém que O negou por 21 anos de sua vida e tentou convencer os outros a negá-Lo também", acrescentou.

Tiffany disse que entende perfeitamente o que o apóstolo Paulo disse quando se referiu a si mesmo como o "maior de todos os pecadores". E, como Paulo, ela sabe que teve uma experiência semelhante à da "estrada de Damasco". Tiffany permanece grata pelo fato de Jason nunca ter desistido, mesmo depois dela ter recusado o convite dele para sair algumas vezes antes do namoro.

"Ele viu o que estava no meu coração, não o que eu queria que as pessoas vissem", disse ela.

Tiffany está mais do que disposta a compartilhar sua história em qualquer lugar, a qualquer hora. "Se isso florifica o nome de Deus, então eu sou um livro aberto", ela observou.