Google+ Followers

sábado, 16 de junho de 2018

Missionários resgatam criança que era obrigada a matar, por extremistas

Jonah chegou a ser obrigado a cortar um homem em pedaços enquanto ele implorava por sua vida.

Jonah teve sua vida transformada quando descobriu que Jesus o ama. (Foto: Reprodução).


"Eu ouvi histórias de rebeldes que matam todos e queimam aldeias inteiras", disse um jovem chamado Jonah, que vive em Uganda. "Então, quando nosso vizinho gritou: 'Eles estão aqui', eu corri e me escondi o dia todo, mas eles ainda me encontraram", ressaltou.

O repórter da CBN News, Dan Reany, disse: “Jonah me contou a incrível história de quando o capturaram e sobre sua libertação do grupo rebelde por meio do Exército de Resistência do Senhor. Ele foi levado cativo com muitos outros meninos quando tinha apenas seis anos”.

Jonah explicou: “Eu era o mais novo entre eles. Caminhamos por dias e depois chegamos à base deles. O comandante me deu um grande bastão e ordenou que eu matasse um homem. Se eu não fizesse isso, eles me matariam. Eu bati nele e bati muito, mas eu era tão pequeno e fraco que ele não morreu. Então eu disse: ‘Apenas me deixe morrer também, eu sou muito jovem para matar este homem’", compartilhou.

O comandante do LRA reuniu todos os rapazes e disse-lhes para não chorar ou gritar, mas apenas para rir e celebrar o que estava prestes a acontecer. Jonah disse: “Eles fizeram o homem deitar e a gente teve de cortá-lo em pedaços enquanto ele implorava por misericórdia. Havia muito sangue. Meu coração gritou por ele, mas eu me segurei. Perdi todas as minhas boas lembranças e só via loucura ao meu redor”, colocou.

Forçado a lutar pelo LRA, Jonah foi gravemente ferido durante um fogo cruzado. Os soldados perguntaram se ele queria "descansar". Jonah disse: “Quando eles perguntam isso, quer dizer descansar para sempre. Eu disse: ‘Eu posso andar’. Eu orei e pedi a Deus que me levasse para casa. Eu sabia que estava fora de minhas mãos, eu não podia mais fazer nada”, ressaltou.

Ninguém cuidou de Jonah, então quando sua ferida não cicatrizou, um soldado levou-o para um campo vazio para matá-lo. Mas em vez de atirar nele, o soldado deixou-o ir. "Eu queria chegar o mais longe possível", disse Jonah. “Eu fiquei em cabanas abandonadas enquanto fugia, e em todos os lugares que fui, sentia muita dor. À noite, eu acordei e ouvi uma voz dizendo: ‘Você tem que continuar indo’. Eu olhei para ver quem falava, mas não havia ninguém. Agora eu sei que foi Deus”, lembra.

Em uma cabana abandonada, Jonah encontrou grãos e alguns fósforos e conseguiu acender fogo. Um exército lutando contra os rebeldes viu a fumaça e cercou a cabana. Quando encontraram Jonah em paz, eles o levaram em segurança. Jonah voltou para sua aldeia, reuniu-se com sua família e se juntou a um Clube da Paz. O clube foi iniciado pela Exile International, um ministério apoiado pela Orphan's Promise da CBN. Através do Clube da Paz, ele aprendeu sobre o Deus que o salvou.

Jonah disse: “Mesmo antes de conhecer Jesus, Ele já cuidava de mim. Por isso eu entreguei minha vida a Cristo e sei que não há nada que eu tenha fora de Deus. Você não me achou por acaso. Deus te enviou para mim e seu amor e aceitação ajudaram a curar meu coração”.

Dan disse: “Muitas das crianças que vêm para esses clubes de paz são órfãs de guerra ou ex-crianças-soldados. Mas aqui em um ambiente terapêutico elas cantam músicas e brincam. No início, muitas das esquetes que eles colocam têm a ver com violência e guerra, mas com o tempo, elas fazem pequenas peças sobre a escola e seus amigos, porque aqui elas têm a chance de serem crianças novamente”.
Confira a reportagem da CBN News (em inglês):


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA CBN NEWS

sexta-feira, 15 de junho de 2018

Mudando nossa visão através do evangelho

Norbert Lieth

Talvez ele tenha sido separado de você por algum tempo, para que você o tivesse de volta para sempre.” (Filemom 15)
Ninguém consegue responder tão bem as questões sobre o sentido da vida como a Bíblia. Sob a direção e orientação do Senhor somos sempre guiados com segurança, mesmo que no começo não pareça ser assim.
Nós, os filhos e obra de Deus, não somos dependentes do acaso ou da arbitrariedade de um deus qualquer. Quem se dedica a Deus, como Filemom fazia, sempre terá uma solução que proporcionará o melhor: “Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito” (Romanos 8.28).
A fuga de Onésimo não deveria significar prejuízo para Filemom, mesmo que parecesse assim; pelo contrário, seu escravo havia sido afastado dele por pouco tempo, para que ele depois o mantivesse para sempre.
Para o Senhor há sempre um significado mais profundo para tudo que nos acontece. No final, Filemom havia recebido mais do que ele acreditava que tivesse perdido: ele recebeu de volta o seu escravo, o qual agora havia se tornado seu pleno irmão, um ganho para o mundo futuro e para a eternidade.
Como é importante que mantenhamos a convicção, tanto na obra do Senhor como para nossa vida pessoal, de que...
  • no esforço sincero e na busca pelo reino de Deus não existe tempo perdido;
  • o Senhor tem e mantém tudo sob controle, inclusive as coisas sobre as quais acreditamos ter perdido a direção;
  • Deus pode transformar pretensos prejuízos em ganhos eternos.
Deveríamos aprender a dirigir nosso olhar para além das circunstâncias adversas, para aquele que pode transformar tudo para o bem daqueles que o amam! Em sua sabedoria, o Senhor também pode fazer com que caminhos errados e desvios humanos se tornem úteis para o seu objetivo. — Norbert Lieth
Fonte: https://www.chamada.com.br/

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Muçulmano se rende a Cristo após ver as mãos de Jesus curando seu corpo

Com uma doença que assolava a família há anos, o rapaz foi curado através da oração de missionários.

Imagem ilustrativa. Muçulmano se rendeu a Cristo após ver as mãos de Jesus curando seu corpo. (Foto: Reprodução)


Uma família que seguia rigorosamente todas as leis do islamismo foi profundamente tocada pelo poder de Deus, depois que um de seus filhos foi curado através da oração de missionários.

Aslam acreditava que seguir as regras rígidas do islamismo era a única forma de chegar no céu. Pai de tinham três meninos e três meninas, ele e sua esposa ficaram abalados quando o filho mais velho, de 15 anos, foi atingido por uma doença grave e morreu.

Quando o segundo filho completou 15 anos, foi afetado pela mesma doença que matou seu irmão. Aslam e sua esposa procuraram todos os recursos de sua religião, mas nada mudava. Até que um dia eles receberam a visita de missionários da organização Bíblias para o Oriente Médio.

No entanto, eles não foram bem recebidos. "Como ousam vir em minha casa? Nós não precisamos de suas orações", disse Aslam, furioso.

Aslam e sua esposa levaram seu segundo filho para outro país, em busca de um tratamento mais avançado, mas o adolescente faleceu. No vôo de volta para casa, levando o corpo do filho morto, eles conheceram um casal árabe cristão que os apoiou em todo o processo.

A amizade entre os dois casais continuou se fortalecendo e as conversas sobre suas religiões eram frequentes. Alguns meses depois, o terceiro filho de Aslam também ficou doente e seus amigos árabes cristãos foram visitá-lo, acompanhado dos mesmos missionários que foram expulsos antes.

Aslam os reconheceu, mas permitiu que eles entrassem em sua casa. Depois que sua esposa ouviu a amiga cristã falar sobre a importância da oração em nome de Jesus, pediu para que os missionários orassem pelo menino.

Poder do Evangelho

Os missionários contaram seus testemunhos de conversão à família e falaram sobre o Evangelho de Jesus. De repente, eles ouviram o menino doente dizer: "Eu creio em Jesus Cristo como meu Senhor e Salvador".

O garoto pediu uma oração e depois relatou que sentiu as mãos de um homem tocando todo o seu corpo. Ele também sentiu um cheiro ruim sair seu corpo e, em seguida, foi envolvido por um aroma suave. Ele também teve um vislumbre de duas mãos e notou cicatrizes nelas.

Naquele instante, toda a dor desapareceu e ele deixou sua cama fortalecido, enquanto todos observavam espantados. Diante do milagre, toda a família entregou seu coração a Cristo. Desde então, nenhuma doença assolou a família e todos passaram a fazer parte de uma igreja no Oriente Médio.

* Os nomes citados na matéria são fictícios, por razões de segurança.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE BIBLES FOR MIDEAST

quarta-feira, 13 de junho de 2018

Mulher diz que foi livrada de assalto com a ajuda de um "anjo"

A autora norte-americana Angela Hunt relata a experiência da primeira vez em que se deparou com um anjo.

Imagem ilustrativa. Mulher caminhando em uma rua à noite. (Foto: videoblocks/dapoopta)

Voltando para casa depois de ficar até mais tarde no trabalho, a autora norte-americana Angela Hunt, 60 anos, sofreu uma tentativa de assalto, mas foi protegida do criminoso com a ajuda de um "anjo".

Angela estava indo ao local onde estacionava seu carro, mas caminhava atenta pois estava sozinha em uma rua escura. "Até que, de repente, cerca de 20 metros à frente de mim, um homem parou e bloqueou o meu caminho", ela contou ao site Charisma News.

Ela não percebeu de onde ele tinha saído e sentiu medo. "Seus olhos brilhavam com ameaça, embora ele estivesse sorrindo para mim. Ele carregava um espanador de couro marrom e o abriu, como se estivesse me mostrando que não tinha armas. Ele começou a andar em minha direção", relata.

"Não havia mais ninguém por perto. Nenhum carro estava passando. Até as luzes da rua pareciam fracas, e de repente percebi como a noite era escura", Angela lembra. "Eu pensei comigo mesmo: corra! Mas eu não fiz nada além de ficar parada, congelada em meu próprio estado de choque, vendo este homem sorrir para mim".

Quando imaginava o pior, Angela viu outro homem surgir repentinamente. "Eu pensei: de onde ele veio? Não havia nada além de uma parede de tijolos à frente. Ele colocou os braços nos ombros do outro homem, e disse baixinho: 'Você não quer fazer isso', enquanto empurrava o homem contra a parede", ela lembra.

Movida por seus instintos de sobrevivência, Angela saiu correndo em direção ao estacionamento. Curiosa para saber o desfecho da situação, ela resolveu olhar para trás. "Não havia nada naquele espaço além de uma calçada vazia", disse ela, espantada. "Olhei para todos os lugares que eles poderiam ter ido, mas a única saída poderia ser a rua. E não havia ninguém lá".

Sentindo medo de investigar o paradeiro dos homens, Angela entrou em seu carro. "Eu sentei um pouco, respirando com dificuldade, e me lembrei dos olhos daquele homem. Eu nunca vi o rosto do outro homem. Ele estava de costas para mim. Mas sua voz era tão calma", conta a autora.

Momentos depois, Angela foi tomada pela certeza de que havia sido livrada por um anjo. "Enquanto eu dirigia pela noite, eu acreditava com todas as forças que eu tinha visto o meu primeiro anjo", disse ela. "O que o outro homem era, quem poderia saber?"

FONTE: GUIAME

terça-feira, 12 de junho de 2018

ORE PELA COREIA DO NORTE

Através de nossas orações, podemos ver o que não vemos a olhos nus e ganhar batalhas no mundo espiritual

Ore pelos cristãos perseguidos da Coreia do Norte

Ontem à noite, aconteceu a reunião histórica entre os presidentes dos Estados Unidos da América e da Coreia do Norte. A mídia de todo o mundo está voltada para esse acontecimento. Conforme você vê as notícias, o convidamos a orar pelos cristãos perseguidos da Coreia do Norte, país que ocupa a primeira posição na Lista Mundial da Perseguição há 16 anos.

Conheça hoje a inspiradora história de uma senhora que passou a maior parte da sua vida na Coreia do Norte. Ela foi presa junto com o marido por tentar escapar do país. Na prisão, o Salmo 23 lhe trazia conforto. E até hoje, quando lhe pedimos para recitá-lo, as lágrimas veem, numa mistura de dor e graça.

Ela conta que um dia os filhos foram visitar o marido na prisão, e ele queria transmitir a fé aos filhos. Mas havia guardas por todos os lados. Então, ele escreveu três palavras em sua mão: “Acredite em Jesus”. Através desse gesto, e ao ver o amor do pai por Deus e por eles, os filhos decidiram se tornar cristãos. Posteriormente, o pai foi morto na prisão por se recusar a negar a fé.

Histórias como esta são comuns na igreja subterrânea da Coreia do Norte. Esses homens e mulheres não são super-heróis, são pessoas comuns que foram transformadas por Jesus e decidiram que ele é digno de tudo. Não importa as circunstâncias, não importa o lugar, não importa o governo, não importa o custo. Você pode se juntar a eles em oração?

República Popular Democrática da Coreia

 REPÚBLICA POPULAR DEMOCRÁTICA DA COREIA

  • Fonte de Perseguição: Paranoia ditatorial
  • Capital Pyongyang
  • Região Nordeste Asiático
  • Lider Kim Jong-un
  • Governo Ditadura comunista
  • Religião Maioria ateísta ou sem religião; crenças tradicionais, como budismo e confucionismo
  • Pontuação 94

POPULAÇÃO
24.5 MILHÕES

POPULAÇÃO CRISTÃ
300.0 MIL

Fonte: https://www.portasabertas.org.br

segunda-feira, 11 de junho de 2018

Mesmo cega, aposentada percorre cidade para evangelizar: “Não tenho dificuldade nenhuma”

Socorro anda pelos bairros vizinhos para ensinar a Palavra de Deus por meio dos estudos bíblicos que oferece.

Socorro ficou cega há cinco anos por conta de um glaucoma. (Foto: Reprodução).

Socorro é uma mulher de 52 anos. Ela é sempre otimista quando alguém lhe pergunta se está bem. Apesar da deficiência visual, ela percorre sua cidade para ensinar a Bíblia. Ela se converteu há 28 anos, em uma Igreja Adventista e afirma que já viveu muitos milagres.

O primeiro deles foi a cura de um câncer, um ano após sua conversão. “Eu estava desenganada pelos médicos. Entrei no centro cirúrgico pedindo a Deus que, se Ele existisse, me curasse”, relembra.

Em seu leito, Socorro lembra de algo que a marcou profundamente. Uma enfermeira cantava um hino. Desde aquele momento, Socorro Oliveira decidiu que dedicaria seus dias para falar do amor de Cristo aos outros.

“Eu nasci três vezes: quando minha mãe me teve; outra quando Jesus me libertou e outra quando me curou do câncer”, salienta.

A partir daquele dia, Socorro decidiu que daria estudos bíblicos e a primeira pessoa que passou pelo curso não se decidiu pelo batismo naquele momento. Isso a frustrou. Mesmo desanimada, seguiu compartilhando o que acreditava com outras pessoas.

Anos depois, em um evento eclesiástico, uma moça a encontrou e contou que o primeiro trabalho tinha surtido efeito, e hoje é uma das líderes na igreja que frequenta.

Transformação

Hoje, Socorro dedica sua vida a pregar o Evangelho, mas nem sempre foi assim. Ainda na juventude, Socorro era procurada por oferecer serviços espirituais. “Eu tinha um altar com vários santinhos. Sabia que crente não gosta de santo, então a cada semana eu enfeitava mais o altar, esperando que ele falasse sobre o assunto e eu o colocasse para fora de casa”, disse sobre seu irmão.

Um dia, ela decidiu se desfazer de todas as imagens e a decisão pelo batismo não demorou a chegar. Ela confessa, porém, que o ato foi mais para agradar o marido do que por convicção. “O encontro que eu tive com Deus foi no centro cirúrgico”, coloca.

Dificuldade

Socorro perdeu completamente sua visão há cinco anos por causa de um glaucoma. Com isso, teve que deixar o emprego como cozinheira e aprender uma nova forma de realizar atividades cotidianas, como a manutenção da casa, por exemplo.

O esposo lembra que o início foi muito difícil e foi na família e em Deus que ela se apoiou. Agora, a aposentada tira tudo de letra. Além das tarefas domésticas e o cuidado com a mãe de 92 anos, aprendeu a fazer crochê para passar o tempo e completar o orçamento.

Ela realiza estudos bíblicos com materiais em áudio e o auxílio do esposo. Socorro estuda todo o conteúdo e passa pelos bairros vizinhos ensinando sobre Jesus a quem desejar. “Eu nunca contei, mas acho que mais de 30 pessoas já se batizaram”, diz a evangelista.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO NOTÍCIAS ADVENTISTAS

domingo, 10 de junho de 2018

“Há inimigos da cruz querendo destruir a Igreja. Temos que trazê-los para Cristo”, diz evangelista

O evangelista Michael Youssef fez uma visita a Londres na última semana de maio como parte de um trabalho que desenvolve ao redor do mundo, encorajando os cristãos a permanecerem firmes na fé e transformarem a sociedade ao seu redor.


A visita do fundador e presidente do ministério Leading the Way foi encerrada com uma pregação transmitida pela televisão a milhões de pessoas ao redor do mundo. Em sua mensagem, Youssef disse que a Igreja precisa superar, diariamente, os Golias que surgem pelo caminho.

O sermão, intitulado “A Majestade Suprema de Deus”, tinha um tom de urgência, de acordo com informações do portal Charisma News.

Ao final do culto, o evangelista concedeu uma entrevista à emissora Christian Broadcasting Network (CBN) e afirmou que a inspiração para sua pregação foi um alerta feito a ele por Deus: “Depois de pregar aqui todos os anos nos últimos 14 anos, Deus colocou em meu coração a pregação do Salmo 8: ‘Ó Senhor, quão majestoso é o Teu nome em toda a terra'”, explicou Youssef.

“Nestes tempos desafiadores marcados pelo desânimo e pelas pessoas que se afastam da fé, quero encorajar os crentes a permanecerem fortes e focados em a majestade de Deus”, acrescentou o evangelista.


A visita de Youssef foi marcada também pelo aniversário de um ano dos atentados terroristas em Manchester, e o evangelista afirmou que o Reino Unido enfrenta um crescimento exponencial da influência islâmica na sociedade, o que se desenha como um desafio para os cristãos locais.

“Acho que a Igreja do Reino Unido reagiu bem aos recentes ataques terroristas, mas muitos ainda estão aquiescendo e negando que haja inimizade à cruz. Há terroristas que querem nos destruir, mas dizemos que os aceitamos como são, em vez de tentando trazê-los para Cristo”, afirmou, expressando sua preocupação com a necessidade de adotar uma abordagem mais contundente na divulgação do Evangelho.

“Nos últimos 20 anos, 500 igrejas em Londres fecharam suas portas e 423 mesquitas foram abertas. Dentro de cinco anos haverá mais muçulmanos rezando em mesquitas em Londres do que cristãos indo à igreja”, lamentou. “Em meio a esses desafios, vejo hoje mais desespero pelo evangelho puro e descompromissado do que eu já vi nos 40 anos que venho a este país. Estou orando por os líderes cristãos em todo o Reino Unido para realmente se levantar e ser o exército do Deus vivo”, concluiu.