sexta-feira, 22 de janeiro de 2021

"Minha fé continua inabalável", diz professor cristão após sair de cativeiro na Nigéria

John Fatokun havia sido sequestrado por terroristas na Nigéria e a notícia mobilizou uma grande corrente de oração pela sua libertação.



FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA MORNING STAR NEWS

Professor John Fatokun foi libertado na última quarta-feira, após passar dois dias em cativeiro, sob o poder de um suposto grupo terrorista. (Foto: Morning Star News)

O professor de uma universidade cristã foi libertado após ter passado dois dias sob poder de terroristas na Nigéria, que lidera o mundo em sequestros de cristãos.

John Fatokun, professor de matemática computacional e análise numérica e vice-reitor da Universidade Anchor, em Lagos, foi libertado na última quarta-feira (20), depois que supostamente um grupo de terroristas Fulani o capturaram na última segunda-feira (18) enquanto ele viajava de Jos para o estado de Nasarawa.

“Apesar da experiência, minha fé permanece inabalável”, disse Fatokun a repórteres hoje, de acordo com o Legit, uma agência de notícias nigeriana. “Continuaremos a trabalhar, orar e criar homens e mulheres piedosos que estão destinados a mudar as narrativas e fazer da Nigéria um lugar melhor para as gerações vindouras”.

Fatokun não identificou seus captores, mas sabe-se que os terroristas Fulani estão ativos no estado de Nasarawa.

O registrador assistente e chefe de estratégia e comunicações da Universidade Anchor, Okesola Sanusi, teria dito que Fatokun foi libertado após uma corrente de oração ter se formado pela vida do professor.

A Universidade Anchor confirmou na última quarta-feira a libertação do professor, na página da instituição no Facebook.

“Para a glória de Deus, o vice-reitor da Universidade Anchor, Professor J.O. Fatokun, foi libertado”, afirma o post.

O professor universitário cristão foi sequestrado enquanto viajava de Jos, no estado de Plateau, para a cidade de Keffi no estado de Nasarawa, centro-norte da Nigéria. Ele teria sido capturado por volta das 21 horas. na aldeia de Kurmi Shinkafa do estado de Nasarawa, condado de Kokona, quando ele estava a caminho de Keffi para deixar um de seus filhos em uma escola secundária; ele havia planejado então retornar ao seu trabalho na universidade, em Lagos, no sudoeste da Nigéria.

A Universidade Anchor está afiliada ao Ministério Cristão ‘Deeper Life’, que tem o Rev. Dr. Williams Kumuyi como superintendente geral. Embora os detalhes da libertação de Fatokun não tenham sido divulgados, o porta-voz da Anchor, Sanusi, disse no início desta semana que os sequestradores estavam exigindo 20 milhões de nairas (US $ 52.177) como resgate da Igreja ‘Deeper Life’.

A Nigéria ficou em primeiro lugar no mundo em número de cristãos sequestrados no ano passado (novembro de 2019 a outubro de 2020) com 990, de acordo com a Portas Abertas. Na Lista Mundial de Perseguição 2021 da organização sobre os países onde é mais difícil ser cristão, a Nigéria entrou no top 10 pela primeira vez, saltando do 12º lugar para o 9º lugar no ano anterior.

A Nigéria também foi o país com o maior número de cristãos mortos por causa de sua fé, de acordo com a Lista Mundial de Vigilância de 2021, com 3.530, contra 1.350 em 2019. Quando se trata também de outros tipos de violência por intolerância religiosa contra os cristãos, a Nigéria ficou atrás apenas do Paquistão e da China em número de igrejas atacadas ou fechadas.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2021

“Sobreviverei a isso?”, perguntou cristã presa na Coreia do Norte

Conheça a história da Prisioneira 42 que perdeu tudo por amor a Cristo


Fonte: Portas Abertas

Na Coreia do Norte, os cristãos que são descobertos podem ser mortos, 
presos e enviados para campos de trabalho forçado

Ao escolherem seguir Cristo, os cristãos norte-coreanos enfrentam perseguições extremas vindas do governo, de familiares, amigos e até da comunidade onde moram. A hostilidade resulta em agressões, mortes e prisões para os seguidores de Jesus. As prisões de cristãos têm aumentado, principalmente na Coreia do Norte, Eritreia e Irã. Por isso, mobilizamos a igreja brasileira para interceder e agir em favor dos cristãos presos no Domingo na Igreja Perseguida (DIP) 2021. 
Como vivem os cristãos norte-coreanos presos?

Por meio do relato de uma cristã da Coreia do Norte, podemos entender um pouco mais sobre as dificuldades enfrentadas pelos seguidores de Cristo encarcerados. O relato abaixo, é real e foi feito por uma cristã norte-coreana enviada para a prisão e depois para um campo de reeducação. Leia abaixo o testemunho da Prisioneira 42 sobre a rotina na prisão: 

Seu nome é a primeira coisa que eles tiram. Então eles tomam a liberdade.

Eles tiram a saúde, a presença de outras pessoas, as roupas dos presos e até o cabelo. E, finalmente, tiram a luz do dia.

Meu nome é Prisioneira 42. Claro, esse não é meu nome verdadeiro. Mas é o nome que me foi dado quando entrei nesta prisão na Coreia do Norte.

Todas as manhãs, às 8h, eles chamam a "42". Quando me levanto, não posso olhar para os guardas. Tenho que me levantar, colocar minhas mãos atrás das costas e segui-los até a sala de interrogatório. Posso ver as sombras dos guardas, mas tenho o cuidado de nunca parecer que estou olhando para eles.

Mesmo que a mesma coisa aconteça todos os dias, ainda tenho tanto medo. Cada vez que eles me chamam de "42", me batem e me chutam. Dói mais quando batem nos meus ouvidos. Eles doem por horas — às vezes dias. Mas, por enquanto, pelo menos estou viva.

O interrogatório nunca termina. Estou na sala de interrogatório por uma hora todas as manhãs. Todos os dias, eles fazem as mesmas perguntas.

"Por que você estava na China? Quem você conheceu?"

"Você foi à igreja? Você tinha uma Bíblia?"

"Você conheceu algum sul-coreano? Você é cristã?"

Depois que terminam comigo, eles me trazem de volta para minha cela. Ela é quente durante o dia e fria à noite — e no inverno ou verão, a temperatura pode ser insuportável. É tão pequena que mal consigo me deitar.

Mas não posso me deitar muito, de qualquer maneira. Tenho que sentar-me de joelhos, com os punhos fechados. Nem sequer posso abri-los. O lugar que vivo agora não serve para nenhum ser humano — mas para os guardas, eu não sou humana. Sou menos que um animal. Estou trancada nesta gaiola, a porta pesada e fechaduras batem quando fechadas atrás de mim, ecoando na luz fraca que nunca fica mais brilhante neste lugar.

Estou na solitária, porque eles suspeitam da verdade. Eles podem ver através das minhas negações na sala de interrogatório.

Porque eu amo Jesus.

Eu sou cristã? Sim. Mas eu tenho que fingir. Se eu admitir que fui ajudada por cristãos chineses, serei morta — rápido ou lentamente.

Participe do DIP 2021

A história da Prisioneiro 42 acontece com cerca de 50.000 a 70.000 cristãos presos na Coreia do Norte. Através de redes na China, a Portas Abertas fornece apoio espiritual e físico para os cristãos que conseguem fugir do país. Esteja conosco nesta jornada de esperança e fé, em que juntos fortaleceremos nossos irmãos presos por causa de Jesus. Fale com seu pastor e envolva a sua igreja no maior movimento de oração pela Igreja Perseguida.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2021

Crescimento da igreja dispara na Índia, apesar da perseguição e da Covid-19

Os líderes cristãos indianos desejam estabelecer suas igrejas na sã doutrina, mas não têm acesso a traduções da Bíblia em seus idiomas.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO MNN ONLINE

Culto em igreja indiana. (Foto: Reprodução / Christian Aid Mission)

Pelo segundo ano consecutivo, a Portas Abertas classifica a Índia em 10º lugar na lista de países onde é mais desafiador ser cristão. “Mas mesmo [em meio a] essa perseguição, Deus cresce e fortalece sua Igreja”, disse David Reeves, presidente e CEO da unfoldingWord.

O ministério que provê recursos às igrejas está celebrando essa boa e inesperada notícia recebidas dos parceiros de plantação de igrejas na Índia. “Durante 2020 - o ano COVID - eles plantaram mais igrejas do que todos os 25 anos de seu trabalho ministerial lá”, diz Reeves.

“Há centenas de milhares de pessoas que vêm a Cristo, e igrejas nos lares estão surgindo em todos os lugares por causa disso.”

Conforme descrito aqui, o unfoldingWord apoia os crentes nacionais para que eles possam traduzir a Palavra de Deus em seu idioma. “Eles estão cansados ​​de esperar [por uma tradução]; eles estão tentando fazer isso sozinhos e nós fornecemos ferramentas [e] recursos para ajudá-los”, explica Reeves.

Na Índia, os líderes da Igreja desejam estabelecer suas igrejas na sã doutrina, mas não têm acesso a traduções da Bíblia em seus idiomas. Ao equipar esses líderes com recursos e treinamento bíblicos, o unfoldingWord os capacita a traduzir a Bíblia com excelência e eficiência em todos os idiomas que precisarem.

Bênçãos pandêmicas

As restrições da Covid-19 na Índia colocam muitos crentes em uma posição difícil. No entanto, foi um ano de oportunidades para o desdobramento da rede de parceiros de plantação de igrejas do unfoldingWord.

Um parceiro compartilhou o seguinte relatório com Reeves:

Por não poderem se encontrar com outras pessoas durante o bloqueio, eles decidiram simplesmente começar a orar especificamente por pessoas não salvas que conheciam. Então, eles decidiram acompanhar essas orações por telefone e WhatsApp. Eles estimam cerca de 100.000 conversões durante o bloqueio como resultado dessa abordagem. Da mesma forma, com a implantação de igrejas, eles encorajaram cada igreja a [orar por] dez vilas ou bairros específicos [sem] nenhuma igreja. Então, conforme as restrições diminuíram um pouco, eles conseguiram entrar nessas regiões. Eles estimam que as igrejas adotaram cerca de 50.000 aldeias durante o bloqueio, e 25% agora têm uma “abertura” para o Evangelho - alguns crentes, uma pequena igreja doméstica, etc.

“Isso é muito mais do que poderíamos ter feito antes do Covid”, resume.

Risco versus recompensa

Este trabalho é fundamental, mas não é fácil. Reeves diz que vários de seus amigos na Índia foram mortos por seus esforços de construção do Reino de Deus. Outros foram “jogados na prisão [ou] perseguidos de várias maneiras”, acrescenta ele.

Existem muitos riscos envolvidos, mas isso não impedirá a Igreja de seguir em frente.

“Este contexto se parece muito com a Igreja do primeiro século. Essas pessoas continuam avançando, assim como a Igreja primitiva [continuou] em meio à perseguição”, diz Reeves. “Temos várias oportunidades fenomenais acontecendo na Índia”.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2021

Número de cristãos mortos no mundo aumenta em 60% no último ano

Entenda a perseguição violenta enfrentada por cristãos em todo o mundo

Fonte: Portas Abertas

Vila cristã é atacada e casas são incendiadas e destruídas. Os ataques, em sua maioria, são atribuídos
pelo grupo islâmico extremista Boko Haram Crédito: Portas Abertas

Muitos cristãos são alvos de violência por não sua fé. Na Lista Mundial da Perseguição (LMP) 2021*, o nível de violência é medido pelo monitoramento do número total de incidentes contra os seguidores de Cristo em cada país. Eles podem ser de: cristãos mortos, cristãos presos e igrejas e casas de cristãos atacadas.

Em muitos países e regiões é difícil ter acesso aos números exatos de incidentes, mas, através de fontes indiretas, pode-se saber que há violência contra cristãos. Sendo assim, em alguns casos, os índices trazidos pela pesquisa da LMP são estimados.

Quantos cristãos foram mortos por causa da fé?

Por não abandonarem sua fé, muitos seguidores do cristianimso, o que torna esse tipo de incidente um dos principais indicadores da violência contra os cristãos. O número de cristãos mortos apresentou aumento de 60% na Lista Mundial da Perseguição 2021 com 4.761 casos, se comparada à edição anterior. A Nigéria apresentou o maior número cristãos assassinados, com 3.530 incidentes.

Quantos cristãos foram presos por seguir Jesus?

Cerca de 4.277 cristãos foram condenados ou detidos por causa da fé, no período de pesquisa. O número de cristãos condenados aumentou em 5% em comparação à LMP 2020, com 1.464 casos. Já o número de cristãos detidos, diminuiu em 18% e foram registrados 2.813 incidentes. A África e a Ásia são os continentes que apresentam os maiores números de cristãos condenados e detidos, e a Eritreia tem o maior número de incidentes desse tipo.

Qual a estimativa sobre as igrejas e casas atacadas?

Na Lista Mundial da Perseguição 2021, o número de igrejas e outros prédios cristãos (casas, lojas etc.) atacados foi de 4.488. Houve uma diminuição de 53%, se comparado à LMP 2020. A Ásia detém o maior número de casos em que igrejas ou edifícios cristãos como escolas, hospitais e cemitérios, foram atacados, destruídos ou fechados por motivação religiosa.

Violência

Para saber mais sobre a violência enfrentada pelos cristãos perseguidos ao redor do mundo, acesse o artigo completo em nosso site e leia mais sobre o tema. Além disso, você poderá baixar um infográfico para ter acesso aos dados sobre a violência enfrentada pelos cristãos perseguidos.

*As informações referentes à Lista Mundial da Perseguição 2021 foram coletadas no período de pesquisa da LMP 2021 (1 de outubro de 2019 a 30 de setembro de 202
0).

sexta-feira, 15 de janeiro de 2021

Terremoto deixa mortos e feridos na Indonésia

Duas jovens cristãs ficaram presas entre os escombros


Fonte: Portas Abertas

O tremor afetou casas, hotéis e até um hospital, que desabou (foto: AntaraNews)

Um terremoto de magnitude 6,2 atingiu a ilha de Sulawesi, na Indonésia. Cerca de 35 pessoas morreram e 650 ficaram feridas, além disso, mais de 15 mil cidadãos deixaram as casas em que moravam. De acordo com o Instituto de Geofísica dos Estados Unidos, o terremoto foi sentido por cerca de sete segundos, mas não disparou um alerta de tsunami. O tremor aconteceu às 2h18 desta sexta, no horário local (15h18 de quinta, no horário de Brasília).

Casas e hotéis sofreram danos significativos nas cidades de Mamuju e Majene, que juntas contam com cerca de 170 mil habitantes. No incidente, um hospital desabou e cerca de 10 pessoas ficaram presas nos escombros. Durante o terremoto duas meninas cristãs, Angel e Katherine, não conseguiram escapar da casa onde estavam e ficaram presas sob os escombros. As duas são filhas de um parceiro local da Portas Abertas, Axel Fong, membro da Igreja GBI Puncak. Ainda não se sabe o número exato de cristãos que foram afetados pelo incidente.

Uma série de 26 tremores secundários em 24 horas causou ao menos três deslizamentos de terra e interrompeu o fornecimento de energia elétrica na cidade, de acordo com a agência de desastres do país. A Indonésia fica na região conhecida como Círculo de Fogo do Pacífico, com intensa atividade sísmica e por isso são comuns os terremotos e erupção de vulcões

O presidente do país, Joko Widodo, expressou solidariedade às vítimas e familiares através de uma declaração em vídeo. Além disso, o líder pediu que os cidadãos mantivessem a calma diante da situação e que as autoridades continuassem as operações de busca e resgate.

Pedidos de oração

* Peça pela vida Angel e Katherine, para que sejam retiradas dos escombros e possam se recuperar sem traumas.
* Ore pelas famílias das vítimas nesse momento difícil, para que o Senhor traga conforto e paz aos corações.
* Interceda pelos demais cristãos na Indonésia, para que sejam visitados por Deus durante o incidente e possam se manter firmes na fé.
* Clame para que as autoridades do país realizem resgates bem sucedidos, salvando vidas e levando socorro a quem precisa.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2021

Mensagens


 

Cinco famílias têm casas destruídas por serem evangélicas, no México

Além dos danos às casas, católicos tradicionalistas prenderam dois moradores evangélicos.



FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO EL UNIVERSAL

Casas de evangélicos foram destruídas no sul do México. (Foto: Reprodução/Diario de Chiapas)

Cinco casas de evangélicos foram destruídas no domingo (10) no município de San Cristóbal, no estado mexicano de Chiapas. Os ataques foram feitos em uma comunidade tsotsil, que é um povo maia no sul do México.

Os ataques foram motivados pela recusa dos evangélicos em participar das atividades da Igreja Católica e não cooperar com as festas da comunidade, informou o jornal mexicano El Universal.

De acordo com o líder da igreja Alas de Águila, o pastor Esdras Alonso González, duas famílias tsotsis, com um total de nove pessoas, foram afetadas pela destruição de cinco casas na comunidade Mitzitón.

Além dos danos, católicos prenderam os moradores locais Alejandro Jiménez Jiménez e Miguel Jiménez Heredia, que são evangélicos.

O pastor Esdras disse também que na comunidade Napité, no município de San Cristóbal, católicos impediram os evangélicos de construir um templo. Eles haviam retornado à comunidade em 15 de dezembro, após terem sido expulsos por um ano.

As cinco famílias, com um total de 30 pessoas, tiveram que acatar a decisão das autoridades comunitárias. Dentre elas, três famílias tiveram que deixar suas casas pela segunda vez, explicou o pastor Esdras.

Não é a primeira vez que incidentes como este acontecem em Mitzitón. Em 15 de maio de 2016, católicos tradicionalistas saquearam e destruíram parcialmente 84 casas, onde viviam 350 evangélicos tsotsis, que tiveram que deixar a comunidade.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2021

O risco de trabalhar com refugiadas norte-coreanas na China

    
A colaboradora da Portas Abertas, Rebecca, que iniciou um trabalho com mulheres no país fala sobre as dificuldades do ministério

A colaboradora de campo da Portas Abertas, Rebecca*, trabalha com mulheres norte-coreanas refugiadas na China. Todas elas caíram em armadilhas do tráfico humano, que as vendeu para bordéis e homens chineses. A política de apenas um filho tem levado à falta de mulheres e, por isso, os homens mais pobres com frequência não encontram uma noiva. Para resolver a situação, eles compram uma. Frequentemente são mulheres norte-coreanas, que acabam sendo abusadas.

Os colaboradores de campo garantem a elas cuidado pastoral, estudo bíblico e um pouco de dinheiro para sobrevivência. Apesar de ser um ministério perigoso, Rebecca está muito alegre. Ao falar sobre o ministério, ela explica que, juntas, elas adoram a Deus e estudam a palavra. Além disso, Rebecca oferece o que as norte-coreanas precisam. Os encontros geralmente ocorrem duas vezes por mês.

Ao ouvirem a palavra de Deus pela primeira vez, as mulheres riem e respondem como se ela não fizesse o menor sentido. Mas quanto mais ouvem os versos e sermões, compreendem que a mensagem é séria. “É muito difícil ensiná-las a palavra porque, em suas mentes, há uma mistura de ideias que aprenderam na terra natal que vai contra os ensinamentos de Jesus. Por isso, a palavra não vai direto aos corações. Elas realmente querem crer, mas as mensagens da Bíblia são tão diferentes do que aprenderam que leva tempo para aceitarem a verdade.”

Rebecca sabe que leva tempo para mudar o pensamento. Por isso, ao invés de tentar persuadi-las, continua ensinando mensagens bíblicas. Um dia, elas compreendem que aquilo é a verdade e suas vidas mudam gradualmente.

Grandes desafios

Como as norte-coreanas não têm nenhum documento, são consideradas refugiadas ilegais na China. Sendo assim, apenas se encontrar com elas já é perigoso. Além disso, o trabalho da Portas Abertas não é visto como favorável ao governo chinês, então é preciso evitar todas as possibilidades de colocar o ministério em risco. Essa é a parte mais difícil.

“Eu vou até essas mulheres, falo a elas sobre Deus, adoramos juntas e estudamos a Bíblia. As vidas delas são realmente difíceis e pesadas. Elas deveriam ser bem recebidas, mas, ao invés disso, são tratadas apenas como uma forma de produzir bebês. Por não possuírem documentação, não podem viajar livremente pela China. Elas não podem fazer o que querem, estão presas nessa situação”, explica Rebecca.

Ela compartilhou sobre uma das mulheres que o marido era muito velho para trabalhar. Além disso, ela ainda precisava cuidar do filho, então trabalhava para sustentar a família. Em meio ao desespero, ela decidiu ir para a Coreia do Sul. Outra razão para isso é que ela precisava de dinheiro para trazer o outro filho dela da Coreia do Norte, o que custava muito. A mulher deixou o marido, mas foi pega pela polícia chinesa. Quando isso acontece, há sempre uma grande possibilidade de ser enviada de volta para a Coreia do Norte.

“Nós ficamos preocupados e oramos muito por ela. Felizmente, todas as irmãs do estudo bíblico que oraram por ela experimentaram alívio ao orar, isso me inclui. Nós sentimos paz nos corações. Essa foi a resposta para nossas orações”, afirma.

Após entrar em contato com a polícia, eles disseram que não precisávamos nos preocupar. Porém, a situação ainda se arrastou por meses. Eventualmente, Deus a libertou e permitiu que voltasse para a família.

*Nome alterado por segurança.

Com base nessa situação, a Portas Abertas oferece comida, remédios e roupas para cristãos norte-coreanos que fogem para a China. Assim, a igreja local recebe provisão e experimenta o cuidado por parte do corpo de Cristo. Doe agora e forneça alimento, remédios e roupas para cristãos norte-coreanos refugiados na China.