Google+ Followers

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Evangélicos exigem investigação sobre comércio ilegal de bebês abortados, nos EUA

A Convenção Batista do Sul assinou um documento oficial, exigindo que o governo dos EUA investigue penalize a rede de clínicas 'Planned Parenthood'.

Ativistas pró-vida protestam contra a 'Planned Parenthood'. (Foto: International Business Times)
Ativistas pró-vida protestam contra a 'Planned Parenthood'. (Foto: International Business Times)
A Convenção Batista do Sul (SBC) aprovou uma resolução, exigindo uma investigação sobre a rede de clínicas de aborto 'Planned Parenthood' sobre o escândalo que a envolveu no comércio ilegal de partes dos corpos de bebês abortados.

A resolução, aprovada na semana passada pelos batistas durante a reunião anual da Convenção em Phoenix (EUA), denunciou a Planned Parenthood como "imoral" e convocou o Congresso Nacional dos EUA a "imediatamente" retirar o financiamento público da ONG abortista.

"Denunciamos a agenda imoral e as práticas da 'Planned Parenthood Federation of America' e suas filiais, especialmente em seu papel na matança injusta de mais de 300 mil a cada ano, o uso de métodos de abortos ilegais particularmente tenebrosos e o seu aproveitamento da coleta de tecidos e órgãos dos bebês para lucrar com isso", afirmou a SBC na resolução intitulada 'Defunding and Investigating Planned Parenthood'.

A resolução citou os vídeos flagrantes, divulgados pelo 'Centro para o Progresso Médico' (CMP) em 2015, que expõem os executivos da 'Planned Parenthood' negociando as vendas de partes dos corpos de bebês abortados.

A Convenção Batista também apontou que o próprio relatório anual da Planned Parenthood revela que suas instalações realizam mais abortos do que outros procedimentos também anunciados por suas clínicas, como exames de câncer, demonstrando que o aborto desempenha um papel central na organização.

Na quarta-feira, o presidente da Comissão de Ética da Convenção Batista do Sul, Russell Moore, divulgou seu relatório anual explicando que a proteção da vida humana tem sido a principal prioridade da organização evangélica no ano passado.

Moore observou que a Comissão de Ética e Cidadania, que é o braço de políticas públicas da Convenção, tem se concentrado em apoiar os esforços para conseguir a suspensão do financiamento público da 'Planned Parenthood'. Ele revelou que a Comissão coletou milhares de assinaturas de pessoas, convidando os legisladores federais a cancelarem o financiamento.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN TIMES

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Missionário viaja sozinho para distribuir Bíblias em países de risco: “Ninguém vai me parar”

Viajando sozinho por países marcados por conflitos e violência, Thomas Faunce tem distribuído livros bíblicos e outros materiais para aproximar as pessoas de Deus.

Thomas Faunce tem distribuído livros bíblicos em países marcados por conflitos. (Foto: Reprodução/Facebook)
Thomas Faunce tem distribuído livros bíblicos em países marcados por conflitos. (Foto: Reprodução/Facebook)
Viajando sozinho por países afligidos por conflitos e violência, o missionário Thomas Faunce tem distribuído diversos livretos bíblicos e outros materiais com o objetivo de fazer as pessoas conhecerem a Deus.

Como fotógrafo, Faunce gosta de capturar a natureza e a vida diária das pessoas que ele entra em contato. “Tudo o que Deus toca se torna vivo. Ele não faz coisas mortas. Não existe um cristão morto. Há algo errado se não há nenhum fruto em nossas vidas”, disse ele ao site Mission Network News.

Faunce é um apoiado pelas organizações missionárias Frontline Outreach e World Missionary Press, que fornece todos os materiais distribuídos por ele. Para ele, o termo “missionário” simplesmente se refere a alguém que caminha com uma missão.

“Ser missionário não significa cruzar os mares, mas permanecer na cruz de Jesus Cristo e fazer a vontade de Deus. Ele chama cada um de nós individualmente. Ele não chama o pregador. Ele chama o pregador para pregar, mas ele não chama o pregador para te escolher. Ele é quem te chama”, Faunce afirma.

Faunce tem servido em muitos lugares marcados por muitas mazelas, como a Uganda — um país africano que sofre com a epidemia de HIV/Aids, um crescimento rápido e sem suporte da população e conflitos étnicos.

Thomas Faunce tem distribuído livros bíblicos em países marcados por conflitos. (Foto: Reprodução/Facebook)
Para levar assistência e esperança à população, Faunce estabeleceu um centro de apoio com um hospital. “Nos envolvemos com eles e começamos a ensinar a Palavra de Deus através do filme Jesus e folhetos da Bíblia. Também instalamos um poço de água na aldeia”, disse ele.

Outro projeto de Faunce auxilia os agricultores, que são muito pobres e precisam caminhar uma longa distância para moer os grãos colhidos. Para solucionar essa questão, Faunce instalou uma maquinaria na aldeia que resultou em uma fábrica local.

“Esta é uma oportunidade para eles moerem seu milho, seu trigo, e também vendê-los para outros. Eles estão muito animados. Isso causou um tremendo derramamento do amor de Deus”, conta o missionário.

“Estas são necessidades básicas, mas supri-las nos dá a oportunidade de espalhar a Palavra. Eles sempre pedem livretos bíblicos e querem assistir o filme Jesus. Saímos para diferentes aldeias e compartilhamos a Palavra”.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE MISSION NETWORK NEWS

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Arqueólogos descobrem local onde João Batista foi preso e decapitado

Atualmente em ruinas, a fortaleza de Maquero foi reconstruída pelo rei Herodes, onde Salomé dançou e posteriormente pediu a cabeça de João Batista como "prêmio".

Colunas do salão da fortaleza de Maquero, onde Salomé dançou e posteriormente, pediu a cabeça de João Batista como prêmio. (Foto: Haaretz)
Colunas do salão da fortaleza de Maquero, onde Salomé dançou e posteriormente, pediu a cabeça de João Batista como prêmio. (Foto: Haaretz)
Arqueólogos descobriram um Mikvá ou Mikvé (tanque usado para batismos judaicos) nas ruínas de Maquero, uma fortaleza construída pelo vassalo do rei romano Herodes, na região da Jordânia, a 24 quilômetros ao sudeste da foz do rio Jordão, na costa leste do Mar morto. A fortaleza também teria sido o local onde Salomé dançou e João Batista foi decapitado.

A fortaleza de Maquero foi erguida em uma colina proeminente a cerca de 32 quilômetros a sudoeste de Madaba. O local de banho ritualístico do Mikvá, usado para purificação foi aparentemente construído para o uso pessoal da família real de Herodes.

O tanque é o maior de seu tipo já encontrado na Jordânia. Possui 12 degraus e uma piscina de reserva, contendo água para preencher a piscina quando sua água escorrer.

Além de suas dimensões, a arquitetura se parece muito com o Mikvá descoberto em Qumran, do outro lado do Mar Morto, em Israel, que anteriormente era considerado como único.

O Mikvá gigante foi encontrado a três metros abaixo do pátio real, onde permanceu escondido por 2.000 anos, soterrado por areia e poeira. Originalmente tinha sido equipado com um teto de pedra abobadado.

A investigação arqueológica de Maquero foi realizada pela primeira vez em 1968 pela Missão Americana Batista Arqueológica, liderada por E. Jerry Vardamann.

As escavações mais recentes, de uma equipe fortaleza ocidental, com cerca de 9,2 metros de altura. Pela primeira vez, desde o início, as dimensões extraordinárias da cidadela do deserto de Herodes foram reveladas.

As escavadeiras também encontraram uma vasta cisterna subterrânea com 18 metros de profundidade, que irrigava os jardins da fortaleza do deserto do Mar Morto e os banhos de estilo romano. A análise arqueológica mostrou que a cisterna permaneceu em uso durante todo o período herodiano.

As escavadeiras também descobriram dezenas de moedas hasmoneanas e romanas, bem como 47 fragmentos de cerâmica quebrados inscritos com letras aramaicas.


Onde Salomé dançou
Na verdade, Herodes - conhecido como o grande construtor da antiguidade - não foi o criador deste palácio real na Jordânia. Ele era de origem hasmoneana, e tinha sido erguido pelo rei Alexander Jannaeus em torno de 90 aC, em um planalto alto conhecido como Mukawir, que se eleva a 800 metros de altitude acima do Mar Morto árido. O que Herodes fez foi reformar e reconstruir a fortaleza que Jannaeus já havia construído.


Maquero teve uma importância estratégica para a defesa da Judeia, em parte, graças à visão de sua capital, Jerusalém. Os escritos rabínicos relatam que a fumaça dos sacrifícios poderia ser vista subindo dos altares do templo herodiano em Jerusalém, desde Maquero (Mishná 3, Tamid 3.8).

Qualquer exército que se aproximasse de Jerusalém do leste, primeiro teria que ocupar Maquero. Os sinais de fumaça poderiam ser vistos nas paredes da fortaleza, alertando as outras cidades sobre os inimigos.

Como Plínio, o ancião escreveu: "Maquero, depois de Jerusalém, a fortificação mais forte da Judeia" (Historia Naturalis, V. 15, 16). Evidentemente, os romanos consideraram o local mais fortificado do que a fortaleza de Masada (construída por Salomão). Mas então, Maquero era mais do que apenas um posto avançado militar.

Ao reformar Maquero, Herodes também construiu um palácio com um pátio, um tanque de estilo romano, um local para jantar extravagante e um pátio formal com um pequeno jardim real, rodeado de pórticos em quatro lados.

Foi ali que, de acordo com o historiador Flávio Josefo, Salomé dançou para Herodes Antipas.


Decapitação de João Batista
Pouco antes da Páscoa em 32 d.C, o rei Herodes realizou uma grande celebração por causa de seu aniversário em Maquero. Durante as festividades convidou sua enteada, a princesa Salomé para dançar diante de seus convidados.


O rei ficou tão satisfeito com a apresentação de Salomé que ele prometeu-lhe qualquer coisa que ela pedisse, até a metade do seu reino. Sobre o conselho de sua mãe cruel, de acordo com a história, a sobrinha de Herodes pediu a cabeça de João Batista como seu "prêmio".

Embora muito angustiado, Herodes, "E o rei entristeceu-se muito; todavia, por causa do juramento e dos que estavam com ele à mesa, não lha quis negar. E, enviando logo o rei o executor, mandou que lhe trouxessem ali a cabeça de João. E ele foi, e degolou-o na prisão; E trouxe a cabeça num prato, e deu-a à menina, e a menina a deu a sua mãe."(Marcos 6:26-28.)

De acordo com Josefo, João Batista foi levado à prisão de Maquero e decapitado naquela fortaleza ("Antiguidades Judaicas", livro 18, capítulo 5, par. 2 [Loeb 18.119]).

Os arqueólogos também reconstituíram duas antigas colunas herodianas da ordem dórica (3,8 metros de altura) que estavam no pátio real do peristletilo, onde Salomé teria dançado e outra da ordem iônica (4,7 metros de altura) que estava em pé O palácio da casa de banho.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO HAARETZ

terça-feira, 20 de junho de 2017

Homem detém criminosos em sua casa após oração: “Orei como nunca antes”

Patrick é um cidadão comum, mas reconheceu o agir de Deus quando deteve dois criminosos que escaparam da prisão.

Patrick Hale apreendeu dois fugitivos de uma prisão na Geórgia, nos EUA. (Foto: Erik Schelzig/AP)
Patrick Hale apreendeu dois fugitivos de uma prisão na Geórgia, nos EUA. (Foto: Erik Schelzig/AP)
Um homem de fé tem sido visto como um herói nos Estados Unidos após apreender dois detentos que escaparam da prisão e mataram dois oficiais, no estado do Tennessee.

Além de matar os policiais, os criminosos Donnie Rowe e Ricky Dubose roubaram cinco veículos, invadiram duas casas, sequestraram um casal de idosos e levaram a polícia a uma intensa perseguição até serem detidos por Patrick Hale, um cidadão comum.

Quando soube que os criminosos tinham sido localizados em sua vizinhança, Patrick, de 35 anos, começou a se preparar para o pior.

“Era 6h46 quando eu carreguei todas as armas que eu tinha em casa para estar preparado, caso precisasse usar”, ele afirmou em uma coletiva de imprensa ao lado de sua esposa e filha.

No minuto seguinte, ele viu dois homens pulando uma cerca de arame, não muito longe do seu quintal. “Às 6h47 eu orei como nunca tinha orado antes”, contou Patrick.

Ao invés de se esconder, Patrick decidiu agir — ele ligou para a polícia, pegou sua filha e entrou em seu carro. Quando começou a sair da garagem, ele observou que os suspeitos estavam próximos.

“Eles começaram a tirar suas camisas e acenar para nós, como se estivessem pedindo para a gente ficar calmo”, lembra Patrick. Mas ele continuou saindo com seu carro e, “por algum motivo, eles começaram a se render e deitaram na minha calçada”.

Os criminosos Donnie Rowe e Ricky Dubose se renderam na calçada de Patrick. (Foto: AAP)
Três minutos depois, 45 policiais estavam no local para prender a dupla de criminosos, terminando uma caçada de 60 horas desde que eles escaparam da prisão na terça-feira (13).

Patrick conta que nunca utilizou nenhuma de suas armas e acredita que os suspeitos confundiram seu carro com um carro da polícia. “Se isso não te faz acreditar em Jesus Cristo, eu não o que mais faria”, ele reforçou.

As autoridades estavam oferecendo uma recompensa de 130 mil dólares para quem capturasse os suspeitos, embora Patrick tenha dito que não estava ciente desse valor quando deteve os bandidos.

Patrick ainda observa que está surpreso por ser apelidado de heróis por simplesmente ter chamado a polícia. “Mesmo que a gente tenha armas em casa, nunca tivemos que usá-las”, disse ele. “Isso, para mim, é algo de Deus”.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE NY DAILY NEWS

segunda-feira, 19 de junho de 2017

“Portanto, o que Deus uniu, ninguém o separe” (Marcos 10.9)

IÊMEN

Continue lendo a história de amor que aconteceu em meio à guerra no Iêmen, e que serve de exemplo a outros iemenitas que estão determinados a seguir Jesus.
18-casal-abracado-no-ira
Na sexta-feira, contamos a história de Nadeen*, uma cristã que se sentia solitária por não poder participar de grupos de oração como os demais cristãos. Até que, um dia, conheceu um irmão na fé que se tornou especial em sua vida e que, futuramente, veio a ser seu marido. Ambos eram muçulmanos antes de conhecer a Cristo.

Para agradar a família de Nadeen, eles aceitaram realizar uma cerimônia de casamento islâmica, mas depois tiveram seu verdadeiro casamento com a comunidade cristã. Segundo ela, a história de amor do casal é, acima de tudo, o amor de Deus em meio à guerra, e serve de exemplo a outros iemenitas que estão determinados a seguir Jesus.

"Por causa do meu casamento, sou capaz de servir e compartilhar o evangelho livremente, de forma segura, e ainda sou discipulada pelo meu próprio marido", conta ela e reconhece com gratidão a Deus que foi uma alegria conseguir compartilhar essa felicidade tanto com sua família natural quanto com a espiritual.

"Eu tive uma cerimônia islâmica organizada pela minha família, mas essa celebração longa e tradicional não significou nada quando comparada a meia hora que estivemos com nossa família na fé. Nosso líder abençoou nossa união em Cristo e, eu e meu marido sentimos tanto a presença de Deus ali, foi muito forte. Senti-me realizada ao ver nossos amigos e as crianças cantando e adorando a Deus.

Alguns meses depois, Nadeen descobriu que estava grávida. Agora o casal aguarda a vinda do primeiro filho. A família está determinada a permanecer no Iêmen para manter a igreja viva e garantir que o Reino de Deus prevaleça naquele lugar.


*Nome e fotos alterados por motivos de segurança.

Fonte: https://www.portasabertas.org.br

domingo, 18 de junho de 2017

Prossiga para o alvo

Precisamos ter alvos na nossa vida. Se alcançarmos 70% dos nossos objetivos, poderemos até ficar tristes pelos 30% que não foram alcançados. Mas se não tivermos nenhum alvo o que alcançaremos?

Alvo. (Foto: filosofiaesoterica)
Alvo. (Foto: filosofiaesoterica)

“Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.” Filipenses 3:13 e 14


Não conseguimos esquecer todas as perdas e derrotas da vida. Mas podemos viver sem aquilo que nos fez sofrer nos atrapalhando nosso presente ou futuro.

Existem pessoas que vivem se lamentando por aquilo que perderam. É como uma ferida que todos os dias é cutucada.

A Bíblia diz: “Não andeis ansiosos por coisa alguma.” Se o próprio Jesus disse isso, é porque é possível não andar ansioso. Se a Bíblia diz para perdoarmos é porque é possível perdoar. Se a Bíblia diz para esquecermos as coisas que ficaram para trás, é porque é possível.

Precisamos ter alvos na nossa vida. Se alcançarmos 70% dos nossos objetivos, poderemos até ficar tristes pelos 30% que não foram alcançados. Mas se não tivermos nenhum alvo o que alcançaremos?

Sem falar que a ótica de Deus é diferente da nossa. O que para nós pode ser uma pendência que não foi conquistada, para Deus pode ser 100% de aproveitamento.

A Bíblia nos orienta a sermos equilibrados, prosseguindo para o alvo. Deus nos diz para vivermos de acordo com o que já alcançamos. Filipenses 3:16.

Para termos alvos, precisamos de um objetivo definido e uma razão especifica para vencer. Jesus tinha um alvo que era o de morrer na cruz pela salvação da humanidade. Ele foi o único homem que pisou nessa terra que sabia do seu destino.


Se não tivermos alvos na nossa vida nunca estaremos satisfeitos com o que já conquistamos.

Talvez você esteja carregando uma cruz que não é sua e por isso não consegue olhar para o alvo. Depois as pessoas conseguem resolver seus problemas e você fica sofrendo. Carregue sua própria cruz e prossiga para o alvo.


Se não der para fazer agora tudo o que você deseja, faça o que estiver em suas mãos, não fique desesperado se não puder ajudar a todos. Jesus disse: “Cada um tome a sua cruz e segue-me.” Pegue sua cruz, e prossiga para o alvo.

Que o Senhor nos ajude a olhar pra Cristo e nos desfazer dos pesos mortos, das tristezas que ficaram para trás!

*O conteúdo do texto acima é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

FONTE: GUIAME, JORGE LINHARES

sábado, 17 de junho de 2017

Maioria dos cristãos que entram na universidade abandonam a igreja, diz professor

Dados de pesquisas incentivaram a idealização do “Encontro Nacional de Universitários”, que irá preparar estudantes para lidar com questionamentos da vida acadêmica.


Resultado de imagem


Cerca de 64% dos jovens que entram nas universidades afirmando serem cristãos, concluem seus estudos abandonando sua fé. Além disso, 83% dos jovens deixam de frequentar a igreja depois que são graduados nas universidades.

Esses são dados de pesquisas realizadas dentro e fora do Brasil, apresentadas em entrevista ao Guiame por Airton Dias, professor doutor da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

Dias observa que os jovens são conduzidos a conflitos religiosos por causa da divergência de ideias apresentadas no ambiente acadêmico. “Para o universitário cristão, lidar com uma sociedade que tira Deus da história é muito difícil. Ele tem que ter muito conhecimento sobre o que acredita e uma fé muito bem estabelecida”, afirmou.

A fim de preparar estudantes para lidarem com os questionamentos dessa jornada, foi idealizado o Encontro Nacional de Universitários, que irá reunir pastores e cientistas entre 28 e 30 de julho em Sumaré, no interior paulista.

Com o tema “A Razão da Fé”, o evento irá abordar conceitos científicos e religiosos que servem para refutar qualquer argumento que invalide as Escrituras Sagradas.

Mas diante de tantos conceitos acadêmicos, a Bíblia é suficiente para preparar um cristão? “Do ponto de vista de caminho, verdade e vida, a Bíblia é suficiente”, responde Dias. “Mas há um detalhe importante: a Bíblia não é um livro de ciências e nem tem o objetivo de explicar a razão de algumas coisas. A Bíblia tem o objetivo claro de nos salvar e nos levar até Deus”.

O professor observa que é válido buscar outras literaturas para adquirir mais conhecimento, porém, sem a Bíblia, a fé perde seus fundamentos. “Vá para a Bíblia e tenha as Escrituras enraizadas em seu coração. A sua fé é estabelecida pela Bíblia, mas o seu conhecimento e as possibilidades de defender a sua fé podem ser encontradas em outras literaturas”.

Dias ainda afirma que é possível um estudante identificar se o ambiente acadêmico está, de fato, influenciando sua fé. “A partir do momento que você começa a questionar aquilo que para você era tido como uma verdade absoluta, você já entrou em uma área de risco”, ressalta.

“Sempre que você se encontrar diante de uma discussão que invalida a sua fé, você precisa estar muito atento à sua argumentação e também a aquilo que você ouve. É importante compreender que a área de risco é real em qualquer ambiente universitário”, ele acrescenta.

Os participantes do Encontro Nacional de Universitários poderão se hospedar e se alimentar no local. Confira as opções de pacotes e valores no site uni17.org.

Serviço:
Encontro Nacional de Universitários - Uni17
Data: 28 a 30 de julho
Local: Estância Árvore da Vida
Endereço: Estrada Estância Árvore da Vida, 1, Sumaré - SP
Informações: uni17.org

FONTE: GUIAME, LUANA NOVAES

Israel reclama formalmente de votos do Brasil na ONU

Presidente israelense pede “agenda positiva entre os dois países"
por Jarbas Aragão

Israel reclama formalmente de votos do Brasil na ONU

O presidente de Israel, Reuven Rivlin, fez uma cobrança pública nesta quinta-feira (15) ao novo embaixador brasileiro no país, Paulo Cesar Meira de Vasconcellos. Ele reclamou do voto do Brasil na UNESCO em 2 de maio, onde o Brasil ficou ao lado dos países muçulmanos e votou pela negação da soberania israelense sobre Jerusalém.

Na resolução, apoiada pelo governo brasileiro, Israel é chamado de “poder ocupante” em Jerusalém e que não possui nenhum laço histórico ou legal com qualquer parte da cidade.

Rivlin discursou durante a cerimônia de entrega de credenciais a quatro novos embaixadores, vindos de Nepal, Honduras, Tanzânia e Brasil.

Sua crítica ao Brasil revela o quanto os israelenses estão irritados com a postura do governo Temer. “Não há um só brasileiro que não saiba da conexão entre o povo judeu e Jerusalém. Nem mesmo a Unesco pode mudar isso. A decisão deveria ser esquecida, deveria realmente ser modificada e eu peço que o governo brasileiro reconsidere seu voto”, disparou.

“Nossa amizade data da criação do Estado de Israel. Como as relações bilaterais envolvem muitos campos de cooperação e temos que aperfeiçoá-las, me dedicarei à agenda positiva entre os dois países”, finalizou, lembrando que as relações entre Israel e o Brasil “são muito importantes” e deixando claro que elas poderiam ser ampliadas.

O Ministério das Relações Exteriores não se manifestou sobre a cobrança. Com informações Folha de SP

Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br