Google+ Followers

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Cristão arrisca a própria vida para levar 100 mil Bíblias a crianças do Vietnã

Desde que se converteu, Bao decidiu aceitar o chamado de Deus para levar a mensagem do Evangelho e hoje ele distribui Bíblias às crianças.

Bao já conseguiu distribuir mais de 100 mil Bíblias a crianças do Vietnã. (Foto: Portas Abertas USA)
Bao já conseguiu distribuir mais de 100 mil Bíblias a crianças do Vietnã. (Foto: Portas Abertas USA)
Um cristão no Vietnã relatou ter distribuído mais de 100.000 Bíblias infantis em um dos países mais hostis para o cristianismo, arriscando sua vida que ele diz que Deus, uma vez livrou do suicídio.

Bao, de 33 anos, que trabalha com o grupo de apoio à Igreja Perseguida 'Open Doors USA' (Portas Abertas) no programa de distribuição da Bíblias, disse que se tornou cristão há 14 anos, enquanto ele ainda estava no ensino médio.

"Eu pensava que a vida não tinha sentido", lembrou ele. "Eu me sentia vazio, queria me suicidar. Minha casa estava perto de um rio, e muitas vezes eu passei por lá e pensei: 'E se eu simplesmente pular no rio para morrer ali?".

Seus amigos cristãos o convidaram para ir à igreja na época, e no início ele lutou para entender por que eles pareciam tão alegres. Bao desafiou Deus a provar que Ele é real, o que ele disse que aconteceu um dia durante o momento do louvor, quando ele sentiu a presença divina.

"O Espírito de Deus veio me tocar", contou. "Minha vida mudou completamente, e tive vontade de atendê-lo".

A Missão Portas Abertas informou que Bao, agora pai de dois filhos na cidade de Ho Chi Minh, já transportou clandestinamente mais de 100 mil Bíblias infantis em todo o Vietnã, arriscando sua vida na nação da maioria budista, que obriga muitas igrejas a realizar seus cultos em segredo.
Os riscos vêm com a atribuição de ver as pessoas dedicarem suas vidas a Cristo, disse ele, e observou que há seis anos ele ficou na casa de um homem local, enquanto viajava pelo país e compartilhou o Evangelho com ele.

"Essa área era uma área (comunista) tranquila", disse Bao. "Eles não sabiam que Deus é amor. Eles têm que sofrer sob a escravidão (espiritual). Por isso, quando o Evangelho chegou até eles, seus corações foram quebrados e eles gritavam".

O 'contrabandista' de Bíblias disse que 20 pessoas se entregaram a Cristo na época.

"Eu e outra pessoa que ficou em sua casa cuidamos dos novos crentes. Quando os novos fiéis se tornaram maduros, fomos com um grupo deles a um lugar longe da cidade principal", explicou.

As autoridades do governo descobriram sobre o movimento crescente, no entanto, e invadiram um dos cultos realizados na casa, fazendo com que as pessoas fugissem. Bao foi mantido na prisão por um dia, com as Bíblias e os materiais cristãos confiscados.

As autoridades ameaçaram parar o abastecimento de alimentos na área se os crentes da igreja da casa continuassem envolvidos com ele, em um esforço para parar o ministério.

"Porque a tensão era muito grande e para o bem das pessoas lá, eu deixei a área", disse Bao.

Mas este missionário não permitiu que os contratempos o dissuadissem e em 2016 ele se juntou ao Projeto 'Bíblia para Crianças', da Missão Portas Abertas.

"Quando eu distribuo as Bíblias das crianças nas grandes igrejas, elas recebem o livro não só como um presente gratuito, mas realmente como um material precioso para ensinar a Palavra de Deus. Eles também usam este livro para evangelismo. E acredito que está indo mais longe e que seu impacto será ainda mais amplo", disse ele.

"A Palavra de Deus deve ser de fácil acesso para as pessoas. A Bíblia das crianças é uma das formas mais fáceis de deixar que diferentes tipos de pessoas conheçam sobre Ele. Eu acredito que este é o trabalho de um semeador. Continuamos a semear e Deus continua a fazer crescer", acrescentou.

Os cristãos no Vietnã enfrentaram grande perseguição em várias ocasiões. O país está classificado como o número 17 na Lista de Vigilância Mundial da Missão Portas Abertas.
FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN POST

terça-feira, 21 de novembro de 2017

"Às vezes Satanás tenta imitar a obra de Deus", diz Billy Graham

O evangelista explicou que Deus pode dar visões sobre o Céu às pessoas, mas é preciso estar atento para reconhecê-las.erest

Billy Graham chega aos 99 anos, deixando um um legado para o evangelismo mundial. (Imagem: BGEA)
Billy Graham chega aos 99 anos, deixando um um legado para o evangelismo mundial. (Imagem: BGEA)
O evangelista Billy Graham disse que, às vezes, Deus dá às pessoas um vislumbre da glória do Céu para nos lembrar que a eternidade é real - e que Cristo está esperando para receber os filhos de Deus em seu lar eterno.

O fundador de 99 anos da Associação Evangelística Billy Graham respondeu recentemente a uma pergunta que lhe foi enviada por um leitor: "Meu tio diz que minha tia teve um vislumbre do céu antes de morrer. Como ele sabe? Talvez fosse apenas tendo uma alucinação. Admito que sou um pouco cético, embora minha tia fosse uma pessoa muito espiritual que lia a Bíblia todos os dias", disse o leitor.

Graham disse que, embora seja incomum, Deus às vezes dá às pessoas um vislumbre do céu antes de morrerem. Ele usou o primeiro mártir cristão, Estêvão, como exemplo.

"À medida que as pedras jogadas por seus inimigos caíram sobre ele, Estêvão... 'olhou para o céu e viu a glória de Deus e Jesus de pé à direita de Deus' (Atos 7:55)", disse ele.

Por que isso acontece? Graham dispensou os argumentos daqueles que afirmam que tais visões são alucinações ou reações químicas no cérebro, dizendo: "Estou convencido de que, em vez disso, são realmente um vislumbre de Deus na eternidade".

"Através dele, Deus está lembrando os que estão presentes - e nós também - que a eternidade é real, e Cristo está esperando para nos receber no Céu", explicou. "Somente Cristo é a nossa esperança, porque por Sua morte na cruz Ele pagou o preço pelos nossos pecados, e por Sua ressurreição desde os mortos Ele conquistou a morte, o inferno e Satanás".


Em alerta

Ainda assim, é importante não ser enganado por histórias de visões ou "túneis de luz" ou outras experiências, advertiu o evangelista.


"Às vezes Satanás tenta imitar a obra de Deus, enganando as pessoas e fazendo-as pensar que elas não precisam se entregar a Cristo para serem salvas", disse ele. "Lembre-se: Satanás é um mentiroso, é o 'pai da mentira' (João 8:44)".

Nos últimos anos, surgiram vários livros e filmes com pessoas que afirmam ter visitado o céu durante experiências de quase-morte.

Em 2015, Alex Malarkey, que, aos 6 anos de idade, em 2004, sofreu um acidente horrível e supostamente viu o céu enquanto estava em coma, fez manchetes depois de desmentir sua história, que foi contada no livro muito popular "O Garoto que Voltou do Céu".

"Eu não morri. Eu não fui para o céu", disse ele. "Eu disse que fui ao céu porque pensei que isso chamaria a atenção das pessoas para mim. Quando fiz tais afirmações, nunca citei a Bíblia. As pessoas se beneficiaram de mentiras e continuam a fazer isso. Elas precisam ler a Bíblia, que é o suficiente. A Bíblia é a única fonte da verdade. Nada escrito pelo homem pode ser considerado infalível".

As preocupações com as histórias do "Turismo do Céu" levaram os membros da Convenção Batista do Sul a aprovar uma resolução reafirmando "a suficiência da revelação bíblica sobre explicações experienciais subjetivas para guiar a compreensão da verdade sobre o céu e o inferno".

No entanto, Todd Burpo, cujo livro (que se tornou filme) "O Céu é de Verdade" conta como seu filho visitou o Céu, encontrou-se com Jesus, viu anjos e observou Maria se ajoelhar diante do trono de Deus, depois de ficar inconsciente ao retirar seu apêndice em uma operação de emergência. Ele disse que sua história é absolutamente verdadeira - mesmo que "sempre tenha céticos".

"As pessoas têm o direito de tomar sua própria decisão, Deus nos deu tudo certo. Mas sabemos que o que vimos e ouvimos é nossa experiência", disse ele. "Louvado seja Deus, nunca pensamos que nossa história ajudaria e incentivasse tantas pessoas, mas Deus nos deu a chance de fazer isso".

Christy Beam, cujo livro "Milagres do Paraíso" documenta como sua filha, Annabel, visitou o Céu e conheceu Jesus após uma queda devastadora, também compartilhou como ela reage com aqueles que questionam a autenticidade da história.
 
"Minha resposta favorita a essa pergunta é a de Annabel", disse ela ao Gospel Herald. "Ela diz: 'Não digo nada àqueles que criticam e não acreditam. O que eu digo é que esta é a minha história e é real. Eu sou prova viva de um milagre. Eu não vou empurrá-lo goela abaixo das pessoas, mas se você permitir, isso pode mudar a sua vida, pode ajudá-lo a ter um relacionamento com Jesus, se você não tiver um, e isso poderia fortalecer quem Ele é para o seu relacionamento, se você permitir ... Tudo bem se você não acredita, mas é a minha história'. Sinto que esta é a melhor resposta do mundo".


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO GOSPEL HERALD

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Nepal proíbe oficialmente evangelismo e pastor responde: "Nada pode deter o Reino de Deus"

O pastor Lazrus Rasaily destacou que é preciso estar disposto a correr riscos pelo Evangelho, em nome de Cristo.

Pastor Lazrus Rasaily é missionário e músico, idealizador do Ministério "Levites Ministry Nepal". (Foto: Arquivo pessoal)
Pastor Lazrus Rasaily é missionário e músico, idealizador do Ministério "Levites Ministry Nepal". (Foto: Arquivo pessoal)
recente proibição do evangelismo no Nepal tem gerado preocupações em todo o mundo a respeito do respeito aos direitos humanos no país, porém segundo um pastor e missionário local, a aprovação desta nova legislação vem oficializar um contexto que já existia na prática e por consequência, traz temor aos cristãos nepaleses.

Em entrevista exclusiva para o Portal Guiame, o pastor Lazrus Rasaily explicou a perseguição religiosa não é algo novo para ele e outros cristãos do Nepal. Porém este contexto de intolerância tem se tornado mais perigoso a cada dia.

"Estamos passando muito por isso nos últimos anos. Mas realmente, está piorando a cada dia", disse o missionário.

Segundo a nove legislação, levar uma pessoa a mudar de religião configura o crime de "ferir o sentimento religioso", o que pode levar a uma condenação de até dois anos de prisão e uma multa de cerca de 2.000 rupias (US$ 19 dólares). Apesar da multa parecer relativamente "baixa" para os países ocidentais, é uma quantia realmente valiosa no Nepal.

Pastor Lazrus contou que a nova legislação tornou os pastores locais os principais alvos das autoridades do governo, que pode ordenar as prisões destes líderes cristãos, até mesmo pelo simples fato de pregar o Evangelho em suas igrejas.

"As igrejas estão com problemas. Cristãos e especialmente pastores se tornaram alvos do governo. Temos que ter muito cuidado com o que falamos nos púlpitos. Precisamos de suas orações", afirmou o pastor.

O missionário confessou que o futuro das igrejas e ministérios cristãos no país está cada vez mais incerto, porém isso não o deixar desanimado.

"Ninguém sabe como esta situação pode ficar em um futuro próximo. O governo está mudando e não sabemos se isto será melhor ou pior", contou. "Mas o ministério, a pregação do Evangelho deve continuar a qualquer custo".

Lazrus citou as tentativas dos impérios romanos que tentaram destruir o cristianismo no passado e afirmou que o poder do Evangelho continua o mesmo.

"Os romanos também tentaram parar o avanço do Reino Deus e falharam. Ninguém pode detê-Lo. É por isso que temos que estar preparados para correr qualquer risco em nome de Cristo", destacou.

Lazrus Rasaily desenvolve o Ministério Evangelístico "Levites Ministries Nepal", ajudando crianças em situação de risco e órfãs a terem um futuro melhor. Para saber como ajudá-lo, entre em contato pelo email: lazrusraj@yahoo.com .

FONTE: GUIAME, POR JOÃO NETO

domingo, 19 de novembro de 2017

“Eu vi Lúcifer dentro da Igreja Cristã”, diz ex-bruxa

Beth Eckert alerta sobre algumas práticas satânicas que são realizadas em oculto nas igrejas e relata algumas de suas experiências.

(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)
Em um domingo de 2013 foi a primeira vez que Beth Eckert, seu marido e seus filhos foram a uma igreja e romperam seus antigos pactos com a bruxaria. Impactados pelo amor de Deus, eles continuaram frequentando aquela congregação domingo após domingo.

“Nós começamos a nos envolver intensamente, fomos batizados, nos tornamos membros, me tornei muito ativa em todas as áreas da igreja”, disse ela em seu canal no YouTube.

Três anos depois de iniciar sua caminhada com Cristo, no entanto, sua experiência com a igreja mudou drasticamente. “Eu deixei de ser a pessoa feliz e divertida que todo mundo conhecia. A dor que eu tinha escondido transbordou para fora, mas ninguém queria se envolver com isso”.

“Eu comecei a ser vista como incapaz de participar de algumas coisas que eu era envolvida. Os líderes começaram a me tratar de uma maneira terrível e eu comecei a viver uma experiência horrível de culto, porque aquilo estava virando um pesadelo para mim”, conta Beth.

“Quando o grupo de louvor começava a tocar, eu me sentia fraca, eu não conseguia me concentrar, me sentia chateada. Eu estava sendo atacada. Eu senti que algo estava errado, mas eu não tinha ideia do que era”, continua.

Beth sentia a mesma opressão domingo após domingo, até descobrir que a liderança de sua igreja tinha ligações com a bruxaria. “Eu não conseguia entender, isso não fazia sentido para mim. É uma igreja que as pessoas conhecem, o pastor tem influência e as pessoas o amam. Ele lidera um grupo satânico em sua igreja, mas sua congregação não sabe, porque o satanismo trabalha no oculto”.

Beth e seu marido decidiram deixar aquela igreja e começaram uma nova caminhada em outra congregação. No entanto, certo dia seu filho voltou do culto infantil muito perturbado. “Eu achei que ele estivesse endemoniado, porque ele estava fora de si. Comecei a orar para ter discernimento e o Espírito Santo começou a me revelar sobre um deus hindu do yoga. Aquela igreja também era uma escola, e descobri que na mesma sala onde eles tinham o culto infantil, aconteciam aulas de meditação”.

Outras experiências

Em outro momento, Beth foi até uma conferência profética e se sentiu incomodada quando notou as figuras que um adorador estava desenhando em uma tela durante a adoração. “Aquela pintura me perturbou. Eu vi figuras que representavam portais e viagens astrais. Isso realmente me incomodou, mas a igreja parecia ser ótima”, conta.

Sua amiga também ficou incomodada com o que viu e na mesma noite teve um sonho. “Deus mostrou que havia bruxas naquela igreja e que o inferno estava na realização daquela conferência através de rituais”, afirma Beth.

Em outra conferência realizada em uma igreja bem estruturada, que contava com preletores famosos, um tipo de adoração classificada por Beth como “hipnótica” também chamou sua atenção. Poucos minutos depois, o grupo de louvor começou a tocar uma música popular da Disney — que, coincidentemente, Beth usava em seus programas quando estava envolvida com o ocultismo.

“Fiquei muito chateada. Eu não conseguia entender porque uma igreja cristã que deveria estar adorando a Jesus estava escutando uma música da Disney”, observa.

Nesta conferência, ela estava no segundo andar e notou um grupo de pessoas que estava agindo de forma estranha em meio à multidão. “Eles estavam de mãos dadas, orando, alguns estavam caindo, tremendo, e meu discernimento me dizia que eles estavam fazendo bruxaria através de uma falsa manifestação do Espírito Santo”, relata.

Beth alerta que nos Estados Unidos, onde ela reside, há um movimento onde pessoas estão fazendo bruxaria e rituais astrais, mas a maioria não sabe o que está acontecendo. No entanto, ela acredita que Deus, através de Jesus Cristo, tem redenção para os pecados da Igreja.

“Você pode estar praticando bruxaria e outras coisas terríveis, mas aos olhos de Deus, Ele irá resgatar tudo. Ele já te perdoou. Se você tem um coração humilde e contrito diante Dele, Ele irá limpar todos os seus caminhos”, destaca.

FONTE: GUIAME

sábado, 18 de novembro de 2017

Preso por ler a Bíblia, ex-muçulmano tem visão de Jesus e passa a liderar grupo de estudos

Hamid havia aceitado Jesus em sua mente, mas só na prisão ele foi impactado pelo amor de Deus.

Hamid foi transformado pelo Evangelho e agora ajuda a transformar vidas. (Foto: Reprodução).

Um homem muçulmano chamado Hamid encontrou Jesus através do testemunho de seu irmão. Quando Hamid ouviu o Evangelho, ele aceitou Jesus em sua mente, mas seu coração teve uma certa lentidão para experimentar a plenitude do amor de Deus. Ele era tímido quando se tratava de sua nova fé e temia compartilhar ela com os outros.

Ele e seu irmão começaram a se encontrar com um jovem cristão chamado Dennis, que os ajudou a crescer espiritualmente. "Dennis desafiou cada um dos homens a passar um tempo calmo com o Senhor e a ouvir o que Ele poderia dizer a eles através da Palavra. Eles nunca aprenderam nada assim no Islã, na verdade demoraram para aquecer a prática espiritual", diz o artigo do site Frontiers.

"Durante muitos meses, Hamid e os outros sentiram que não estavam ouvindo nada de Deus". Um dia, Hamid sentou-se em um parque onde lia a Bíblia. Os policiais o viram e começaram a repreendê-lo. ele foi levado para a prisão. Hamid estava com medo. "Ele sentiu-se miserável enquanto se deitava tremendo no chão frio da cela".

Então aconteceu algo incrível. Ele teve um sonho de que Jesus se aproximava dele no meio da noite, o abraçava e colocava um cobertor sobre ele. Hamid despertou na manhã seguinte, sentindo uma sensação de paz nas profundezas de sua alma. Pela primeira vez em sua vida, ele sentiu que o amor de Deus o tinha tocado pessoalmente.

Então ele ficou assustado com algo que desafiou todas suas ideias. Ele estava com um cobertor, o mesmo Jesus havia dado em seu sonho. Não havia manta na cela quando ele adormeceu. Quando os guardas o encontraram com o cobertor, ficaram surpresos e assustados. Eles libertaram Hamid e ele voltou para casa.

Na noite seguinte, Hamid teve outro sonho. Desta vez, Jesus disse-lhe para compartilhar o Evangelho com as duas primeiras pessoas que veria no trabalho na manhã seguinte. "No passado, isso teria deixado Hamid com medo. Ele nunca havia compartilhado a mensagem de Jesus com ninguém. Mas naquela manhã ele acordou confiante de que poderia fazer isso. Ele sabia que não tinha nada a perder. Estar na prisão fez com que ele entendesse que Cristo está sempre com ele, e seu amor perfeito lança o medo", ressalta o artigo da Frontiers.

Mesmo que compartilhar as boas novas causasse mais perseguição a Hamid, ele percebeu que a presença do Senhor seria mais que suficiente para sustentá-lo. O ex-muçulmano obedeceu ao comando do Senhor e compartilhou o Evangelho junto com sua história com dois colegas de trabalho, e imediatamente eles acreditaram em seu relato.

"Nas semanas seguintes, Hamid começou a estudar a Bíblia com eles e os ensinou a ser discípulos de Jesus. A experiência encorajou Hamid e os outros crentes. Eles começaram a compartilhar o Evangelho com mais coragem", diz o texto. "Hamid já iniciou sete novos grupos de estudo da Bíblia", afirma Dennis. "Quase 40 homens e mulheres se tornaram seguidores de Cristo só no ano passado". Através da perseguição o Senhor mudou a vida de Hamid e o transformou em testemunho ousado de Cristo.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHARISMA NEWS

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Pastor perdoa homens que mataram sua esposa grávida: "Quero que eles sigam Jesus"

Pastor Davey Blackburn perdeu sua Amanda, quando ela estava grávida do segundo filho do casal, em 2015.

Davey Blackburn e sua esposa, Amanda, morta em 2015. (Foto: FaithWire)
Davey Blackburn e sua esposa, Amanda, morta em 2015. (Foto: FaithWire)
Um pastor dos EUA que ficou viúvo depois que sua esposa grávida nascido foram assassinados em 2015, recentemente publicou um texto emocionante sobre os homens acusados deste crime chocante.

O pastor Davey Blackburn, cuja esposa Amanda e seu bebe não nascido foram mortos há pouco mais de dois anos, observou em uma postagem de seu blog, no dia 8 de novembro que Jalen Watson, um dos homens julgados pelas mortes, entrou recentemente em um acordo com a Justiça para ajudar nas investigações do caso.

Blackburn disse que acredita que o acordo é a "melhor estratégia nesta situação" e que a acusação o manteve atualizado sobre o desenrolar do caso. Mas ele também teceu alguns comentários sobre a Justiça e o futuro do acusado.

"Enquanto eu quero a justiça seja plenamente aplicada pelo assassinato de Amanda, eu também quero e oro para que cada um desses homens experimente mudanças radicais em seus corações, se afastem de seus caminhos anteriores e comecem a seguir Jesus", escreveu ele. "A Justiça pode ser capaz de ajudar na modificação do comportamento, mas somente Jesus pode realmente mudar um coração".

Falando sobre o acusado que aceitou colaborar com as investigações, pastor Davey destacou que acredita que este já seja um resultado do agir de Deus neste caso.

"Acredito que o Senhor trabalhou no coração de Jalen significativamente nos últimos 2 anos, desde a morte de Amanda", afirmou.

O pastor Blackburn também expressou gratidão sobre o fato de Jalen estar disposto a trabalhar com as autoridades - algo que ele disse que poderia ser arriscado para ele, mas que, independentemente da motivação, ajudará a trazer "justiça para o caso de Amanda".

Amanda foi assassinada em 10 de novembro de 2015, durante uma tentativa de assalto à casa da família. O filho do casal, Weston - de 1 ano e meio, na época - estava em seu berço no andar de cima quando tudo ocorreu, mas não foi ferido.

Além de Jalen Watson, de 21 anos, dois outros homens estão entre os acusados: Diano Gordon, 24, e Larry Taylor, 18.
Na postagem do blog de Blackburn, ele também falou sobre manter sua fé em Deus, já que ele enfrentou o difícil desafio de tentar abandonar a amargura e perdoar, especialmente pelo fato de estar cara a cara com Jalen pela primeira vez no mês passado, em um tribunal.

"Desde o momento em que me sentei, pude sentir que todas as fibras musculares do meu corpo começavam a ficar tensas. Eu tive que conscientemente persuadir meu corpo a relaxar enquanto respirei um pouco. Eu finalmente consegui controlar um pouco meu corpo quando, incontrolavelmente, ele voltou a ficar tenso. Jalen estava virando para olhar em minha direção. Ele olhou por cima do ombro direito e fez uma varredura na frente da galeria, parando assim que ele me olhou", contou.

O pastor continuou descrevendo aquele momento como um tempo de tensão, no qual foi difícil decidir o que fazer.

"Eu pensei que ele iria desviar o olhar rapidamente, sentir vergonha ou algo assim. Mas não. Ele manteve seu olhar fixo no meu. Eu não sabia o que fazer. A ética do tribunal proíbe fazer qualquer tipo de gesto, seja cordial ou ofensivo. Não sabia se eu deveria concordar, desviar o olhar ou continuar olhando. À medida que a sala começou a fechar ao meu redor, eu simplesmente sentei-me lá e assisti", destacou.

"Eu nem sei o tipo de expressão que eu tinha no meu rosto àquele momento. Eu simplesmente me sentia vazio e ansioso ao mesmo tempo. Mas, não consegui desviar meus olhos dos dele. Havia algo falando neles, algo diferente do que eu esperava. Eles pareciam cansados, feridos, quebrados, e talvez ... entristecidos", acrescentou.

Blackburn continuou, contando que enfim não resistiu manter seu olhar fixo em Jalen e acabou voltando seus olhos para o juiz, no tribunal. Segundo o pastor, o olhar do rapaz era visivelmente triste e ele tem se questionado se o criminoso estaria em um processo interno de arrependimento.

"Finalmente, tornou-se demais para suportar e desviei meu olhar, me voltando para o juiz. Eu pensei que seria isso, mas então ele fez isso de novo. E de novo. Cada vez que ele varria a primeira fila da galeria com seus olhos, ele estava nos dizendo a cada um de nós o quanto ele estava triste. Eu não sei se saberia o que estava (e está atualmente) passando por sua mente, mas não posso deixar de me perguntar se talvez seu coração está amolecendo", disse.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO FAITH WIRE

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Mataram os membros, prenderam os pastores, mas nossa fé continua viva, afirma pastor do Sudão

Líder pede que cristãos lembrem-se de orar pela igreja sudanesa


por Jarbas Aragão
"Mataram os membros, mas nossa fé continua viva"

Um pastor sudanês revela que, apesar da severa perseguição no país de maioria islâmica, incluindo a morte e o encarceramento dos líderes da igreja, a fé “continua viva e forte”.

“Quero dizer, como ministério no Sudão, que apesar das situações em que estamos passando, que o cristianismo e a Igreja no Sudão ainda estão fortes”, explica um pastor batista que identificou-se apenas como James.

Ele acrescentou que “os cristãos simples, as igrejas simples e as pessoas simples que acreditam que Deus está envolvido nesta situação, nos encorajam e nos dão esperança que o cristianismo não acabará no Sudão. Continuamos em frente e quero que as pessoas saibam que o cristianismo no Sudão ainda está vivo”.

Levantamentos mostram que com o grande número de pastores sendo mortos, presos ou forçados a fugir do país ao longo dos anos, o número de líderes despencou drasticamente.

“Alguns estrangeiros foram deportados da capital Cartum e os pastores que viviam na região sul do país, foram morar no Sudão do Sul. Os que permanecem no Sudão são poucos. Os pastores que ensinam a Bíblia hoje são poucos”, acrescentou James.

O reverendo Ayoub Tiliyan, presidente de uma associação nacional de líderes cristãos, reclama: “Esta tornou-se a norma ao longo do tempo, com as ameaças dos muçulmanos aumentando nos últimos três anos”.

James pediu que os cristãos de todo o mundo não se esqueçam de orar pelos crentes no Sudão, pedindo a Deus para fortalecê-los e encorajá-los. Ele também pediu que intercedessem para que seus perseguidores tenham um encontro com Jesus.

O Sudão passou por uma sangrenta guerra civil, de fundo étnico-religioso que durou cerca de 30 anos. A maioria muçulmana árabe do norte tentou acabar com os cristãos, que viviam mais ao sul. Um acordo de paz foi assinado em 2005 e o Sudão do Sul conquistou sua independência em 2011.

O Sudão ocupa o 5º lugar na Lista Mundial da Perseguição, produzida anualmente pela missão Portas Abertas.

Recentemente, as autoridades prenderam vários pastores e anunciaram a demolição de 27 templos, em sua tentativa de estabelecer a sharia, lei religiosa islâmica, em todo o país. Com informações de Christian Post

Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br