Google+ Followers

sábado, 9 de julho de 2016

Onde está a paz na Colômbia?


9 Colombia_2014_0280100449


Cristãos continuam a ser perseguidos, apesar dos acordos de paz assinados


Há muitas notícias sobre os acordos de paz feitos na Colômbia, mas onde está a paz? Os colombianos querem ver os resultados dessas assinaturas, mas até agora tudo parece não passar de atos simbólicos entre o governo e as Forças Armadas Revolucionárias Colombianas (FARC). A perseguição aos cristãos não pode ser considerada uma guerra à parte, já que envolve praticamente quase toda a população colombiana. Dos 48,6 milhões de habitantes, 46 milhões praticam a fé cristã. As pessoas querem um sinal claro de que haverá mudanças. 

Para os colombianos o cessar-fogo não significa muito, sem um ato público de entrega de armas e de sinais de paz em áreas de conflito. Isso porque os militantes continuam agindo contra os colombianos nos campos onde ainda controlam. Fora a questão desses conflitos, os negociadores nas conversações de paz tocaram em pontos como a desigualdade social e a falta de desenvolvimento nas zonas rurais da Colômbia, uma das bandeiras das FARC quando começaram a tomar forma como um grupo de líderes camponeses exigindo justiça social. 

Uma pesquisa nacional constatou que a maioria dos colombianos atribui a violência do país aos guerrilheiros e que 82% da população os consideram criminosos. Apenas 13% dos cidadãos consideram seus ideais “revolucionários”. A Colômbia é um país de múltiplas realidades, ao mesmo tempo em que se considera um país democrático moderno, com liberdade religiosa garantida, já perdeu grandes áreas para os grupos paramilitares, onde não há democracia e muito menos segurança para praticar uma religião. Atualmente, os cristãos são os mais visados, entre eles os líderes de igrejas e missionários, além de políticos, jornalistas, defensores dos direitos humanos e também defensores dos direitos indígenas. 

Motivos de Oração
· Ore pelos cristãos que vivem em áreas de conflitos e que estão sob perseguição severa por parte dos militantes de guerrilhas.
· Clame a Deus pelos guerrilheiros, que eles conheçam a Palavra de Deus e se convertam a Jesus.
· Ore por verdadeira paz para o povo da Colômbia.

Fonte: www.portasabertas.org.br



sexta-feira, 8 de julho de 2016

Billy Graham: Deus pode mudar o coração de um ateu convicto


Evangelista fez a afirmação, respondendo a uma internauta, que o questionou se ateus convictos poderiam um dia mudar de opinião sobre Deus

Deus é capaz de mudar o coração e a mente de um ateu, de acordo com o famoso evangelista o reverendo Billy Graham.

Em uma coluna de conselhos publicado terça-feira, Rev. Graham foi uma pergunta por alguém que se perguntou como um ateu comprometido pode converter-se ao cristianismo.

"Eu li um artigo no outro dia sobre uma mulher que tinha sido um ateu convicto, e de alguma forma ela se tornou um cristão. Mas eu tenho alguns amigos que são ateus, e eu não posso imaginar qualquer um deles sempre acreditar em Deus ou tornar-se cristãos . Poderiam ser trocado? " postulou a pessoa.

Graham respondeu que "através da intervenção de Deus" até mesmo os amigos não crentes da pessoa "certamente poderia mudar", como "acontece o tempo todo."

"Eu acho que, por exemplo, das inúmeras pessoas que cresceram ateus tão convencido em Comunista Europa Oriental e da antiga União Soviética, mas agora são crentes sinceros em Deus e são dedicados seguidores de Jesus Cristo", escreveu Graham.

"Deus pode fazer o que nunca pode fazer, incluindo a mudança de coração e mente de alguém. Além disso, certifique-se de seu próprio compromisso com Jesus Cristo, e depois pedir-lhe para ajudá-lo a ser um exemplo do amor de Cristo e da pureza de seus amigos."

Graham acrescentou que "muitos ateus hoje fazer tudo o que podem para erguer barreiras em seus corações e mentes contra Deus", que ele disse foi "porque eles querem executar suas próprias vidas, em vez de humildemente submeter-se a Deus."

"Mas Deus nos fez para si mesmo, e quando deixá-lo fora de nossas vidas um lugar vazio é deixado em nossos corações, e, finalmente, nossas vidas são sem sentido e sem esperança", continuou Graham.
"Só Deus pode preencher esse lugar vazio e dar-nos esperança para o futuro, como ex-ateus hoje estão descobrindo."

Os comentários de Graham sobre ateus mudando suas mentes vem dias depois Gallup divulgou resultados da pesquisa observando que quase nove em cada dez americanos acreditam em Deus.

Em pesquisas realizadas em maio e junho, Gallup constatou que 89 por cento dos americanos acreditam em Deus, com dez por cento dizendo que eles não e cerca de um por cento dizendo que eles não sabem.

"Todas as perguntas da Gallup sobre a crença em Deus mostra declínios de décadas anteriores", observou Gallup, cuja pesquisa foi realizada com uma amostra aleatória de 1.025 adultos.

"Isso segue a tendência geral em gotas de outros indicadores religiosas ao longo das décadas. O mais notável entre estes é que perto de 20% dos americanos agora dizem que não se identificam com um grupo religioso específico ou denominação, em comparação com percentuais menores que não tinham religiosa identidade em décadas passadas ".

Fonte: Guiame


quinta-feira, 7 de julho de 2016

Cristãos estão dispostos a dar a vida por uma cópia impressa da Bíblia

  Dispostos a dar a vida por uma cópia impressa da Bíblia

Projeto investe em maquinário que facilita impressão em áreas de grande perseguição

por Jarbas Aragão 
Os cristãos que vivem a realidade das igrejas subterrâneas, principalmente em países muçulmanos, preferem ler a Bíblia impressa a usar uma versão digital das Escrituras.

Os tradutores da Bíblia que trabalham com a missão Wycliffe ficaram surpresos com a descoberta, uma vez que estavam investindo na divulgação de softwares e aplicativos tão populares entre os cristãos do ocidente. Questões culturais e históricas influenciam nessa escolha.

David Reeves, um dos líderes do ministério de mídia da Wycliffe, explica que os pedidos de Bíblias no modelo tradicional os pegou de surpresa. Segundo site Mission News Network, isso é um desafio para a missão e um testemunho de fé, pois em alguns países é proibido possuir um exemplar das Escrituras.

Segundo o missionário, a impressão de cópias da Bíblia precisa ser feita secretamente nas regiões onde trazê-las do exterior seria mais perigoso. O projeto incluiu o desenvolvimento de um maquinário compacto o suficiente para ser transportado secretamente e bom o suficiente para imprimir milhares de cópias do Novo Testamento.

Reeves explica que até agora eles tiveram sucesso. Somente no ano passado foram impressos mais de 190.000 exemplares, tanto de Novos Testamentos quanto de literatura cristã. “Um sistema de impressão sob demanda vem sendo usado por nossos irmãos e irmãs para imprimir a Escritura em lugares que de outra forma não seriamos capaz de entrega-las”, comemora.

Como exemplo, ele menciona projeto em países do Oriente Médio, a Indonésia, a Etiópia e no nordeste da Nigéria.

Para novos projetos, eles mantêm a cautela. “Há riscos de segurança e sabemos disso. Mesmo assim, nossos irmãos e irmãs estão dispostos a correr esses riscos. Alguns até dizem que pagariam com suas vidas se fosse necessário. No início deste ano, um lugar onde trabalhávamos no Oriente Médiofoi descoberto e quatro irmãos foram mortos. Mas um sobreviveu. Vamos substituir o sistema, porque eles querem que continuemos imprimindo”, finaliza. 


Fonte: noticias.gospelprime.com.br Com informações Christian Today


quarta-feira, 6 de julho de 2016

Mais de 3 bilhões de pessoas nunca ouviram falar de Jesus, diz organização cristã

Segundo a Joshua Project, o Brasil é detentor de 309 grupos étnicos diferentes e desses, 29 ainda não foram alcançados. (Foto: Reprodução).
           Segundo a Joshua Project, o Brasil é detentor de 309 grupos étnicos diferentes e desses, 29 ainda não foram alcançados. (Foto: Reprodução).

Dados apontam que 42,3% da população mundial ainda não teve a oportunidade de conhecer Jesus e nem os evangelhos. A informação é da organização cristã Joshua Project, que procura definir os grupos étnicos que mais precisam de missionários e missões. A porcentagem corresponde à cerca 3,12 bilhões de pessoas. Ainda de acordo com a organização, a situação mais crítica está na Ásia, onde cerca de 60% da população ainda desconhece Cristo.

A organização Joshua Project tem uma escala de definição para classificar o nível de alcance do evangelho nos países, além de compreender se uma etnia foi alcançada ou não. Por exemplo, se um grupo tiver mais de 10% de evangélicos, então ele é considerado “significativamente alcançado”, como é o caso de grande parte do Brasil.

Em contrapartida, se o grupo tiver entre 2% e 10% de evangélicos, ele é considerado “parcialmente alcançado”, como é o caso de boa parte da América Latina. Se o grupo tiver menos de 2% de evangélicos, a região é considerada “minimamente alcançada”, como é boa parte da África Ocidental, onde fica, por exemplo, a Nigéria, país que está sendo constantemente atacado pelo grupo radical islâmico Boko Haram.

Outra definição são os países “pouco alcançados”, estes configuram os que têm menos de 2% de evangélicos praticantes ou mais de 50% de cristãos professos (não-praticantes), como é o caso de grande parte do leste europeu. Já os países “não alcançados” são aqueles que têm menos de 2% de evangélicos e menos de 5% de cristãos professos, como é a atual situação da Índia, que tem a segunda maior população do mundo.

Situação do Brasil
Segundo a Joshua Project, o Brasil é detentor de 309 grupos étnicos diferentes e desses, 29 ainda não foram alcançados. Por outro lado, a organização afirma que apenas 0,1% do Brasil ainda não teve a oportunidade de conhecer Cristo, isso caracteriza cerca de 118 mil pessoas.

De acordo com o projeto, os países que mais precisam de missionários são o Marrocos, que possui apenas 12 mil cristãos professos, ou cerca de 0,2% da população, e o Saara Ocidental, onde aproximadamente 99,9% da população é muçulmana sunita.

A organização Wycliffe que ajuda pessoas a traduzirem a Bíblia em seus próprios idiomas, informou que cerca de 1.778 idiomas necessitam de traduções da Bíblia. John L Pudaite, presidente da Bibles For The World (Bíblias para o Mundo), afirma que menos de 5% dos missionários de tempo integral estão trabalhando em locais “não alcançados” e menos de 1% de todas as doações são enviadas a missões nesses lugares.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA REDE SUPER



terça-feira, 5 de julho de 2016

Irmãos que cantam música gospel nas ruas dão lição de vida: “Não temos o que cobrar de Deus”


Pelas ruas, Thiago e Miguel cantam músicas gospel para expressar sua fé e conseguir alguns trocados. (Foto: Reprodução/SBT)
   Pelas ruas, Thiago e Miguel cantam músicas gospel para expressar sua fé e conseguir alguns trocados. (Foto: Reprodução/SBT)

Pelas ruas, Thiago, de 17 anos e Miguel, de 8, cantam músicas gospel para expressar sua fé e conseguir alguns trocados para ajudar a família, que passa por grandes dificuldades financeiras. Confira a matéria completa feita pelo Programa da Eliana.

Eliana.

Nas ruas da região central de São Paulo, duas vozes expressam uma sincera mensagem de alegria e fé através da música.

“A primeira vez que eu ouvi eles cantando eu fiquei 1 hora aqui na frente. É um alívio, uma calma. Eles transparecem muito o dom deles”, disse uma das ouvintes.

Pelas ruas, Thiago, de 17 anos e Miguel, de 8, cantam músicas de louvor e adoração para expressar sua fé e conseguir alguns trocados para ajudar a família.

“Eu ajudo em casa, ajudo minha mãe. Somos em 9 irmãos e minha mãe é sozinha, nosso pai acabou de falecer”, disse Thiago no Programa da Eliana, exibido no SBT neste domingo (3).

Embora muitas pessoas sejam comovidas pelas canções dos irmãos, outras levam críticas a eles. “A gente é muito criticado por cantar na rua. As pessoas dizem ‘você está cantando música gospel’, ‘seu Deus não existe’. As pessoas são sem noção. Uma mulher da igreja já tinha me avisado: ‘Deus vai tirar o que você mais ama para testar sua fé. Nisso, quando Deus tirou meu pai, eu estava pensando em nunca mais cantar. O Miguel foi quem me reanimou”, relata Thiago.

O pai das crianças era usuário de crack, e morreu há um ano em decorrência do vício. No entanto, a situação do pai ensinou a Thiago uma lição. “A gente tem que honrar pai e mãe, independente se presta ou não (sic). A gente tem que honrar, é pai e mãe”, disse ele.

Atualmente, a situação da família ainda é precária. Eles moram em um condomínio popular no município de Osasco, onde já estiveram sem energia elétrica. As contas puderam ser pagas, mas as crianças ainda não têm cama, nem tem televisão (insetos corroeram o áudio e não houve dinheiro para comprar outra).

Além de cantar nas ruas, os irmãos também fazem parte do louvor da igreja. “Lá vocês ganham para cantar?”, questionou Eliana. “Não, porque lá foi onde a gente aprendeu. Nós não temos o que cobrar de Deus. Ele já deu o dom para nós. Nós não podemos cobrar da obra de Deus, é uma coisa que é errado”, respondeu Thiago.

A apresentadora se propôs a conhecer a igreja frequentada pela família, próximo a casa deles. No local, Miguel, que é fã da cantora Gabriela Rocha, teve a surpresa de conhecê-la.
“É uma responsabilidade muito grande, mas eu agradeço a Deus pela honra de poder falar do amor Dele, de poder cantar do amor Dele e isso atingir tantas pessoas, desde crianças a todas as idades”, disse Gabriela à Eliana.


Ao final do quadro, Thiago acrescentou uma mensagem para a apresentadora: “Eliana, eu orei intensamente por você. Não foi em vão que Deus abriu seu programa para nós. Eu agradeço muito a Ele, todos os dias, por você ser uma parte da nossa vida”.

Assista a reportagem completa nos vídeos abaixo:
Parte 1
Parte 2
Parte 3
Parte 4
Parte 5
Final

FONTE: GUIAME

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Entenda a lei de blasfêmia no Egito


4 Egypt_1980_0340101107


Se o islã ensina respeitar os profetas citados no Alcorão, por que Jesus Cristo é uma exceção? Já que seu nome consta nas escrituras islâmicas



A palavra blasfêmia significa “difamar algo sagrado” e até mesmo insultar uma religião. Muitas culturas desaprovam a ofensa ao deus adorado e reverenciado por um povo. Nos tempos bíblicos, a blasfêmia contra o Espírito Santo, por exemplo, foi mencionada no evangelho de Mateus 12.31 “...todo pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens, mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada”. Em tempos mais recentes, no Ocidente, as leis de blasfêmia foram introduzidas e, com o tempo, sendo alteradas e atualizadas. Na Áustria, é encontrada nos artigos 188 e 189 do código penal; na Alemanha, no artigo 166; na Espanha está no artigo 525 e na Suíça, no 261. Na Dinamarca, foi proposta uma revisão em 2004, logo depois da polêmica das caricaturas de Maomé, mas o parlamento não aprovou.

Em cada país, no entanto, as penas da lei de blasfêmia são determinadas conforme as decisões de seus líderes. No Paquistão, assim como na maioria dos países de origem muçulmana, as leis são mais rígidas e descumpri-las pode acabar em prisão perpétua e até em morte. O problema é que as leis são usadas indevidamente e, muitas vezes, manipuladas para atingir adversários políticos ou inimigos pessoais. Homens e mulheres de diferentes profissões e classes sociais, todos cristãos, têm sido acusados e presos, na maioria das vezes por falsas acusações, e os tribunais raramente seguem em frente nas investigações. 

No Egito, por exemplo, a lei de blasfêmia não é sequer discutida publicamente, no entanto, tem sido um dos temas mais expostos na mídia, por ferir os Direitos Humanos garantidos pela nação. Os casos de cristãos punidos não são poucos e é justamente o que tem chamado a atenção da opinião internacional. Quando a lei foi aplicada pela primeira vez no Egito, nos termos do artigo 98, em 1981, houve muitos confrontos entre muçulmanos e cristãos, principalmente nos subúrbios do Cairo. A punição para quem desrespeita uma religião, ameaça a segurança nacional ou espalha ideias radicais pela sociedade é a prisão de 6 meses a 5 anos. Mas se o islã ensina a respeitar os profetas citados no Alcorão, por que Jesus Cristo é uma exceção? Já que seu nome consta nas escrituras islâmicas. Interceda pelos cristãos perseguidos egípcios que são impedidos de expressar a fé publicamente.

Fonte: www.portasabertas.org.br

domingo, 3 de julho de 2016

Como a Malásia tem sido islamizada


3 Malaysia_2016_0500100494


Enquanto a sharia (lei islâmica) se espalha em todas as regiões do país, a população cristã cresce, mesmo em meio à repressão

A igreja na Malásia nunca teve oportunidade de reivindicar seus direitos religiosos ao governo, uma vez que a liderança malaia sempre colocou em prática suas políticas de islamização sem levar em conta os direitos das minorias. Sempre foi assim. Mas enquanto a sharia (lei islâmica) se espalha em todas as regiões do país, a população cristã cresce, mesmo em meio à repressão e os jovens cristãos malaios, inclusive, já estão usando os modernos meios de comunicação para falar do amor de Cristo.

Notícias recentes mostram que a realidade da igreja é complicada, com os projetos de lei que visam cada vez mais incrementar a sharia, principalmente contra o cristianismo, cidadãos malaios não conseguem oficializar sua nova religião e são vistos como traidores e infiéis, sendo excluídos da sociedade e até mesmo de suas famílias. Além disso, tem a questão da corrupção, motins, incidentes violentos e falta de liberdade, tanto de expressão quanto de religião. E, apesar de ser pressionada por todos os lados, a igreja não pensa em desistir. Como disse uma cristã malaia que não foi identificada por motivos de segurança: “Esses políticos não vão nos derrubar, nós estamos orando por essa nação. Eles não têm a menor ideia de quem é o nosso Deus”. 

Os muçulmanos são praticamente proibidos de conhecer a Cristo, o governo malaio faz de tudo para aplicar a sharia e reger a nação de acordo com os preceitos religiosos islâmicos, chegando ao extremo de reduzir os direitos religiosos dos cristãos e promovendo uma ideologia fechada na sociedade, violando inclusive as leis de Direitos Humanos, através de uma Constituição Federal que deveria defender os princípios seculares de governança ao povo malaio. O próprio UMNO (United Malays National Organization – Organização Nacional dos Estados Malaios) juntou-se ao MIC (Malaysian Indian Congress – Congresso Indiano da Malásia) e inseriu na Constituição que o islã agora é “a religião oficial”, embora as demais religiões possam ser praticadas em paz e harmonia em qualquer região do país, o que não ocorre na prática. Ore por essa nação.

Motivos de oração
● Ore a Deus em favor do povo malaio, para que essa política tendenciosa não impeça os muçulmanos de conhecer o amor de Cristo.
● Há muitos estudantes cristãos que não são beneficiados com bolsa de estudo em universidades federais por causa da sua fé. Interceda por eles.
● Muitos estão deixando o país com a esperança de encontrar um lugar mais seguro, onde possam continuar a servir a Cristo. Peça ao Senhor que dirija os passos de cada um.

Fonte: www.portasabertas.org.br