Google+ Followers

sábado, 11 de fevereiro de 2017

Chuck Norris visita Israel e se encontra com primeiro-ministro: "Vocês sempre terão meu apoio"

Cristão, Chuck Norris visitou locais como o Muro das Lamentações e foi recebido pelo primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, em Jerusalém.

Chuck Norris (esquerda) e primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu. (Foto: CHAIM TZACH/GPO)
Chuck Norris (esquerda) e primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu. (Foto: CHAIM TZACH/GPO)
O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, se encontrou com o ator e mestre de artes marciais, Chuck Norris na noite da última quarta-feira (8), em Jerusalém.

Em um visita amistosa ao gabinete do governante, Chuck Norris foi recebido pelo próprio primeiro-ministro e percebeu que sua fama realmente tem viajado o mundo.

"Acho que agora a nossa equipe de seguranças já pode deixar a sala. Não precisamos mais deles", disse Netanyahu, fazendo alusão às lendas que os internautas e fãs de cinema contam sobre Norris.

Em um tom um pouco mais sério, o primeiro-ministro agradeceu por todo o apoio que o ator tem dado a Israel e Chuck Norris não hesitou em responder.

"Vocês sempre terão meu apoio", afirmou o ator.

O ator que ganhou fama também em séries de TV, como "Texas Ranger", se lembrou com alegria dos três filmes que fez em Israel, incluindo o longa de ação "Delta Force" ("Comando Delta"), dirigido pelo cineasta israelense Menachem Golan, em 1986. Ele também expressou seu apoio Netanyahu nas duas últimas eleições do país.

Netanyahu passou a última quarta-feira em momentos de lazer, aproveitando uma trégua das investigações atuais contra ele e a condenação internacional. O primeiro-ministro jantou com o ministro das Finanças, Moshe Kahlon, no início do dia, em Jerusalém.

Fé cristã
Chuck Norris e sua esposa Gena também não escondem sua fé cristã. O ator tem o cuidado de manter disponíveis em seu site, livros e artigos com mensagens de grandes pregadores cristãos, como Charles Spurgeon, John Fox e John Wesley.


O casal frequenta a Igreja Batista Prestonwood (nos arredores de Dallas, Texas) e se envolve eventualmente com trabalhos missionários, como no casos dos programas 'KickStart' e KickStart Kids, que promovem ações de impacto, ajudando crianças a superarem a baixa autoestima por meio da prática de esportes.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO JERUSALEM POST

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Pastor alerta sobre a importância de se congregar: "O ferro afia o ferro"

Muitos dizem que na igreja tem muita gente imperfeita, mas para o pastor Leocárdio, a igreja tem exatamente essa função: De tratar pessoas imperfeitas.

Para Leocárdio, ver Deus agindo na vida de outros irmãos pode ser edificante também. (Foto: Reprodução).
Para Leocárdio, ver Deus agindo na vida de outros irmãos pode ser edificante também. (Foto: Reprodução).
Atualmente, muitas pessoas dizem que a igreja somos eu e você. Outras dizem que a igreja é um local de pessoas pecadoras e imperfeitas e que por isso estão frustradas. Mas, será que esse argumento serve para deixarmos de nos congregar? Para o pastor Paulo Leocádio, presidente da Convenção das Assembleias de Deus em Minas Gerais, a igreja é mesmo como um pronto-socorro.

“Ao meu ver, essas pessoas estão equivocadas. Eu considero a igreja como um ponto-socorro e ninguém vai ao pronto-socorro porque está com saúde. Ele vai porque precisa ser tratada. A igreja tem essa função, de tratar as pessoas, de mudar o estado das pessoas. Então, a igreja é um lugar de pessoas imperfeitas, mas que uma vez alcançadas pela graça e bondade de Deus, essas pessoas se tornam, em Cristo Jesus, perfeitas”, disse no programa Bate-Papo.

Já o pastor Ary Lopes Junior, da Igreja Batista Graciosa Paz, acredita que a Igreja é o melhor ambiente para nos relacionarmos com outros irmãos em Cristo. “Na igreja não há acepção de pessoas. É um ambiente onde Deus projeta. Hoje nós estamos com um grande número de crentes fora da igreja. Hoje, são muitos escândalos. A palavra não tem sido pregada com a sua intensidade”, ressaltou.

“Hoje estamos vivendo a igreja de Laodicéia. É onde todo mundo está pedindo equilíbrio. O que você mais ouve hoje é: 'viva em equilíbrio'. Mas, na fé não tem equilíbrio. Onde você entra na fé com 50%? Vai obedecer só 50%? Como eu vou ser fiel, tratar minha fidelidade com Deus e com meu cônjuge só 50%?”, questionou o pastor.

“Um ponto que eu vejo e que é necessário a gente se congregar e estar debaixo de uma autoridade. A gente só é tratado do nosso caráter quando somos confrontados. Nós sempre iremos servir a Deus diante de um homem. A Bíblia fala que o ferro afia o ferro. E o amigo amola o amigo. Não tem como a gente ser tratado na comunhão, na convivência, se a gente não estiver junto”, pontuou Ary.

Edificação
Para Leocárdio, ver Deus agindo na vida de outros irmãos pode ser edificante também. “Eu vendo o meu irmão sendo edificado, eu tenho a tendência de querer isso também. Eu vejo isso, ou ouço isso e isso vai me estimular, me incentivar a sair daquela situação que eu estou, de uma maneira menos sofrida do que eu tentar sair daquilo sozinho”, disse.

Ele também acredita que ficar visitando outras igrejas não seja uma prática saudável. “Eu não vejo erro nisso. Mas, se me perguntarem se é saudável, eu vou dizer que não. Se você tem a sua igreja e nos dias de folga você visita aqui, visita ali, você vai acabar tendo uma série de visões a respeito de diversas igrejas e o risco de você ficar sem saber o que que é melhor”, colocou.

Confira o programa na íntegra:

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA REDE SUPER

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

"Deus é o autor da minha vida e diretor dos meus filmes", diz ator de 'Quarto de Guerra'

Após deixar sua carreira de jogador de futebol americano, T. C. Stallings acredita que tem sido bem sucedido como ator, porque não perdeu o foco do propósito que Deus lhe deu.

T. C. Stallings fez o papel do pai de família, Tony Jordan, no filme "Quarto de Guerra". (Foto: ET Online)
T. C. Stallings fez o papel do pai de família, Tony Jordan, no filme "Quarto de Guerra". (Foto: ET Online)
Ex-atleta de futebol americano e atualmente trabalhando como autor, palestrante motivacional e ator, T. C. Stallings disse que o Jesus transformou as suas paixões, saindo dos esportes para o cinema e ele deliberadamente conseguiu ser bem sucedido em sua nova carreira quando começou a trabalhar em filmes cristãos.

"Deus é o autor da minha vida e o diretor dos meus filmes", afirmou.

Em uma recente entrevista para o programa de rádio 'WADE-O', Stallings explicou que sua mãe era cristã e bem ativa na igreja, mas que ele não cresceu exatamente em um lar cristão.

"O que me fez ter vontade de ir à igreja foi a felicidade dela. Aquilo foi uma semente que ela plantou em mim," disse. "Posteriormente, eu me tornei completamente um seguidor de Jesus Cristo".

Stallings começou a se dedicar à vida ministerial em 2003 e, desde então, se tornou palestrante, ministrando mensagens bíblicas dentro e fora dos Estados Unidos.

Depois de fazer sucesso como jogador de futebol americano nos EUA, Europa e nas ligas canadenses, Stallings conseguiu uma participação no reality show "King of the Jungle" ("Rei da Selva") do canal de tv a cabo 'Animal Planet'. Posteriormente, ele conseguiu o papel de "T.J." No filme cristão "Corajosos" (2011), que foi sua principal estreia em cinema.
Após se mudar para a Califórnia, o ator interpretou o personagem do pai de família "Tony Jordan" no sucesso de bilheteria nos cinemas "Quarto de Guerra" (2015).

Em dezembro de 2015, Stallings lançou um livro, chamado "A Busca: 14 maneiras para buscar apaixonadamente propósito de Deus para sua vida em 14 dias".

Stallings afirmou que só aceitaria trabalhar dentro da indústria cinematográfica de Los Angeles (Hollywood), se encontrasse uma maneira fazê-lo preservando seus princípios e valores morais.

Ele disse que sempre avalia os papéis, primeiro lembrando a si mesmo sobre o que o levou a ser bem sucedido nos cinemas em primeiro lugar: o seu "propósito dado por Deus".

"Se você achar que não tem sabedoria para tomar esta decisão, apenas pergunte a Deus. Eu sempre pergunto a Ele se cada papel é parte de Seu plano que foi escrito para mim", disse Stallings.

"Se eu estiver confuso alguma vez sobre algo, opto por seguir um padrão: Se Jesus Cristo estivesse nessa situação; se é um filme cristão ou um filme secular; Deus escolheria ser o diretor desse filme? ele me diria: 'Eu gosto diss, TC'?; Ele estaria no set de filmanges comigo, dizendo 'Eu amo o que você está fazendo'?", destacou.

Ele disse que é fácil discernir certas coisas para tomar estas decisões, como não se envolver com palavrões e cenas de sexo.

"Nem sempre as coisas têm que falar claramente as palavras 'Jesus', 'Senhor', 'Deus' e tudo isso, mas nada pode desonrar o nome de Jesus", explicou.

Ele disse que alguns filmes roteiros e histórias podem não tratar claramente de algo espiritual, mas não vê problema em trabalhar neles, se essas produções forem saudáveis para as famílias.
T. C. Stallings (esquerda) chegou a fazer sucesso como jogador de futebol americano, mas optou por seguir a carreira de ator.
 (Foto: MoviePlay)

"Jogando no Time de Deus"
Stallings lançaou um novo livro devocional que ele disse que realmente escreveu pensando nos atletas, mas destacou que fez isso com uma sensibilidade que acaba possibilitando que outras pessoas possam lê-lo, também.


"Jogando no Time de Deus" é um estudo bíblico de 21 semanas e guia devocional. Ele disse que aprendeu na faculdade que Jesus não poderia ser apenas o seu salvador, mas também tinha que ser o Senhor de sua vida.

"Eu não entendia a diferença no início. Eu era um crente, correndo por aí, fazendo coisas que são do hábito cristão, mas eu queria me igualar a um verdadeiro seguidor de Jesus", disse ele. "Ser um atleta cristão é mais do que marcar pontos, bater no peito e apontar para o céu ou simplesmente conversar com Deus no domingo. Você tem que viver isso durante toda a semana".

Ele disse que o livro é projetado para ajudar equipes de todos os tipos, em diferentes indústrias.

"No começo, eu estava falhando em executar o meu papel no time de Deus. Eu não conhecia bem o livro principal dessa 'equipe', que é a Bíblia. Eu não estava focado nos ensinamentos do meu treinador, como eu deveria ter feito. Esta deve ser a oração quando você é um cristão. Seu esforço precisa ser consagrado a Deus e não às suas sobras em si", disse Stallings.

Ele disse que espera que o livro seja um agente para "virar o jogo" das vidas de muitas pessoas.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO GOSPEL HERALD

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Pai encontra homem que matou seu filho e libera perdão: “Nada é impossível pra Jesus”

O pastor Nelson Vargas encontrou o homem que assassinou seu filho. Os dois se abraçaram, oraram juntos e falaram sobre perdão.

Os dois se abraçaram, oraram juntos e falaram sobre perdão. (Foto: Reprodução/Reprodução/Koinonia House)
Os dois se abraçaram, oraram juntos e falaram sobre perdão. (Foto: Reprodução/Reprodução/Koinonia House)
Durante um culto que reúne presidiários e seus familiares na cidade de Wheaton, Illinois (EUA), uma descoberta surpreendeu os pastores do Ministério Koinonia House.

Uma das pessoas presentes no culto era Carlos Colon, convertido ao cristianismo há 10 anos, que começou a frequentar as reuniões depois de cumprir 20 anos de prisão por assassinato.

Certa noite, durante um culto em que Carlos não pôde comparecer, o pastor Nelson Vargas esteve presente pela primeira vez para compartilhar seu testemunho. Deus o redimiu de uma vida de gangues e o chamou para ser o ministério pastoral em Chicago.

Carlos ficou sabendo sobre o testemunho do pastor Nelson e, no dia seguinte, chamou Nephtali Matta, coordenadora do ministério na Koinonia House, para revelar algumas informações.

“Ele disse que o homem que ele havia assassinado era filho de Nelson e me perguntou se eu estaria disposto a ser intermediário para que ele pudesse dizer a Nelson o quanto estava triste pelo que tinha feito”, contou Nephtali ao site Christianity Today.

Nephtali não sabia o que responder. “Não há nenhum manual de ministério para isso. Então eu orei a Deus, para saber como eu deveria abordar Nelson e planejar seu encontro de reconciliação”, analisou.

Então, Nephtali buscou sabedoria em Deus e a ajuda de outros pastores e líderes do ministério. “Deus me lembrou que eu tinha o Espírito Santo para me guiar. Eu aprendi que eu não precisava estar preparado para todas as situações”, concluiu.

Acompanhado de sua esposa e do filho mais velho, Nelson finalmente encontrou Carlos cara a cara. Cada um deles abraçou o assassino de seu filho e ouviu as palavras “me perdoe!”.

Nelson encontrou Carlos, acompanhado de sua esposa e do filho mais velho. (Foto: Reprodução/Koinonia House)
“Me perdoe por ter causado toda essa situação. Eu não posso trazer ninguém de volta e não posso justificar meu erro”, disse Carlos.

“Eu só posso agradecer a Deus por esse momento”, afirmou Nelson. “Eu orei por muitos anos, esperando o dia em que eu te encontraria. A Bíblia diz que o Senhor firma os passos de um homem, quando a conduta deste o agrada (Salmos 37:23)”.

Colocando suas mãos no ombro de Carlos, Nelson orou: “Eu peço ao Senhor que ele abençoe sua casa, seu casamento, seus filhos, em nome de Jesus, e continue guiando. Que Ele cancele todos os planos malignos em sua vida”.

Ao fim da oração, os dois se abraçaram e choraram profundamente. Depois do encontro, Carlos chegou a uma conclusão: “Não há nada impossível para Jesus. Nada”.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Judeu reconhece Jesus ao ler o Novo Testamento: “Ele é o cumprimento das Escrituras”

Ari Hauben cresceu em um lar judaico, mas nunca teve a certeza do perdão e da existência de Deus. No entanto, suas dúvidas foram esclarecidas depois de ler o Novo Testamento pela primeira vez.

Ari Hauben reconheceu Jesus como Messias, em 6 de abril de 1997. (Foto: Reprodução/YouTube)
Ari Hauben reconheceu Jesus como Messias, em 6 de abril de 1997. (Foto: Reprodução/YouTube)
Ari Hauben cresceu em uma família judaica reformista, que vivia em Filadélfia, na Pensilvânia, Estados Unidos. Ele comemorava os feriados judaicos, frequentava a escola hebraica, comemorou seu Bar Mitzvah e participou de acampamentos judaicos. Apesar disso, ele nunca teve a certeza sobre a existência de Deus.

Quando completou 20 anos de idade, Ari resolveu fazer uma pergunta intrigante a seu rabino: “O que você, pessoalmente, acha que vai acontecer com você quando morrer?”. Sua resposta foi: “Eu não sei”.

Essas palavras intrigaram o jovem judeu. “O fato de ele não ter uma resposta para isso realmente me confundiu, e me fez buscar entender se ser judeu significava apenas se envolver na cultura e tradição de seu povo, sem pensar em qualquer coisa além disso”.

Procurando respostas para suas dúvidas, Ari começou a estudar um pouco mais sobre as religiões. “Quando eu tive acesso às informações sobre Jesus, eu aprendi que os judeus eram sobreviventes da perseguição cristã. Eu nunca tinha lido o Novo Testamento. Por mais que eu quisesse, eu tinha medo, porque eu tinha certeza que algo naquilo diria: ‘Vamos matar os judeus!’”.

No entanto, Ari se encontrava em um mar de conflitos. “Eu cresci aprendendo sobre a importância da expiação dos pecados, e isso realmente me deixava nervoso. Se Deus era real, eu estava distante Dele. Eu estava desnorteado, sujo, e sentia que estava tão longe de Deus quanto a Lua estava longe de mim. Eu não me sentia capaz de estar próximo de Deus”.

Processo de conversão
Certo dia, Ari descobriu que seu grande amigo havia passado a acreditar em Jesus. Embora sua conversão o tivesse deixado nervoso, Ari ficou intrigado com a transformação dele. “Eu não tinha certeza se Deus era real, mas eu vi essa mudança nele. Um amor sereno, uma paz e uma confiança tomaram a vida dele. Eu acho que por causa disso, eu fiquei mais aberto a entender o que aconteceu em sua vida”.

Por causa de sua educação, Ari acreditava que Jesus e o judaísmo eram "núcleos opostos". No entanto, os dois extremos se reuniram quando ele reconheceu Jesus como Messias, em 6 de abril de 1997. Naquele dia, ele leu o Novo Testamento pela primeira vez.
“Quando eu li o Novo Testamento pela primeira vez — no qual eu não queria ler — eu fiquei muito surpreso e chocado: ‘Isso é judeu!’ Eu chequei tudo o que era dito nas profecias do Antigo Testamento e no livro de Isaías, e vi que tudo era exatamente dito no Novo Testamento. Era um livro sobre um homem que realmente era o cumprimento das Escrituras. Quando eu estava lendo sobre Jesus no Novo Testamento e percebi que Ele era o caminho que me aproximava de Deus, eu comecei a me aprofundar e vi que tudo isso fazia sentido”, Ari relata.

“Eu fui realmente tomado por Ele. Ele disse palavras que eram tão verdadeiras, ardentes e cheias de vida”, completou. “Eu ainda vivo altos e baixos em minha vida, mas com a certeza de saber que eu ando com Deus e que eu tenho o milagre do perdão. Deus me deu mais amor, mais paciência e, o mais importante, mais perdão. Meu coração clama para que meu povo judeu também saiba qual é o significado de viver o perdão”.

Logo após sua profissão de fé, Ari passou a compartilhar sua fé com judeus e não-judeus através do Ministério “Chosen People”. Ele é casado com Karen e, juntos, têm três filhas.

FONTE: GUIAME

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Agência espacial anuncia construção de templo na Lua

Edificação fará parte de futura colônia lunar

Agência espacial anuncia construção de templo na Lua
A ideia parece ter saído de algum filme de ficção científica, mas os membros da ESA (Agência Espacial Europeia) anunciaram na semana passada planos para construir um “Templo na Lua”. Ele fará parte da primeira base impressa em 3D na superfície lunar.
O conceito de um assentamento lunar vem sendo desenvolvido há anos e os artistas da ESA acreditam que nesse lugar os conceitos precisarão ser “repensados”. Como a religião faz parte da maioria das pessoas do planeta, parece lógico esperar que eles procurarão alguma forma de culto.
Jorge Mañes Rubio, que trabalha no projeto da colônia, é membro da Advanced Concepts Team (ACT), que pesquisa tecnologias emergentes e futuras para a agência. Ele chama o local de “centro espiritual lunar”, embora não acredita que ele representará as religiões que conhecemos. Eles preferem descreve-la como “um local de contemplação”.
Assentamento lunar.
A estrutura, que funciona na premissa da união da humanidade é ecumênica e ao mesmo tempo espera unir as pessoas de forma nova. Conforme foi anunciado, a ESA deve erguê-la na colônia, planejada para ficar na borda da Cratera Shackleton, no polo sul da Lua. A escolha se baseia no fato de o local receber continuamente a luz solar. Sendo assim, oferecerá uma combinação perfeita de calor para a vida e frio para gelo – que por sua vez fornecerá água.
Rubio visualiza o Templo da Lua com uma cúpula de 50 metros de altura. Ela terá aberturas voltadas para a Terra. O local também terá um telescópio, disponível para quem desejar olhar para o espaço.
Não há data para o início da construção, mas a NASA já anunciou planos para começar a colonização da Lua em 2022, com um custo de 10 bilhões de dólares
Fonte:noticias.gospelprime.com.brCom informações de Daily MailChristian Today

domingo, 5 de fevereiro de 2017

"Prosperidade financeira nem sempre é sinal das bênçãos de Deus", diz Billy Graham

O pastor Billy Graham explicou que as riquezas terrenas podem parecer "importantes" aos olhos humanos, mas perdem o seu valor diante da grandeza da vida eterna com Deus.

Billy Graham chega aos 98 anos de idade, com lucidez e um legado evangelístico, que está sendo mantido por seus filhos. (Foto: BGEA)
Billy Graham chega aos 98 anos de idade, com lucidez e um legado evangelístico, que está sendo mantido por seus filhos.
 (Foto: BGEA)
"Por que Deus abençoa pessoas egoístas e maldosas?". O questionamento foi recentemente enviado por um leitor ao evangelista Billy Graham (por meio do site oficial da Associação Evangelística do pastor) e respondido pelo líder cristão.

"Algumas das pessoas mais mesquinhas e egoístas que eu conheço tiveram muito sucesso e ganharam muito dinheiro. Como você explica isso? Por que Deus abençoa as pessoas assim, e ainda assim Ele parece ignorar as pessoas boas?", questionou o leitor.

Buscando responder a essa pergunta, Billy Graham escreveu que o questionamento já foi feito anteriormente, em outros contextos e realmente trata de uma questão complexa para a humanidade compreender.

"Você não é a primeira pessoa a fazer esta pergunta, nem será a última - porque às vezes parece que Deus 'abençoa pessoas que não merecem'. Há séculos, o profeta Habacuque clamou a Deus, questionando: 'Por que o Senhor tolera o mal? ... Por que está calado enquanto os ímpios engolem os mais justos do que eles?' (Habacuque 1: 3, 13)", citou.

"A Bíblia realmente não responde a todas as nossas perguntas sobre os caminhos de Deus; Somente na eternidade nós os entenderemos tudo. Mas a Palavra de Deus nos faz lembrar de três verdades importantes, das quais facilmente esquecemos", acrescentou.
Enumerando as verdades bíblicas sobre este assunto que não, o evangelista sugeriu um outro ponto de vista sobre a questão.

"Primeiro, ela nos lembra que a prosperidade financeira não é necessariamente um sinal das bênçãos de Deus. Na verdade, algumas das pessoas mais infelizes que conheci ao longo dos anos eram muito ricas e ainda assim suas vidas estavam vazias", explicou.

"Em segundo lugar, a Bíblia nos lembra que as maiores bênçãos da vida vêm pelo conhecer a Cristo e andar com Ele todos os dias. Uma pessoa pode ser pobre no que diz respeito aos bens deste mundo, mas muito rica se conhecer Cristo. Jesus disse: 'Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados' (Mateus 5: 6)", lembrou.

O pastor finalizou seus conselhos, explicando que as riquezas terrenas podem parecer importantes aos olhos humanos, mas são efêmeras e acabam perdendo seu valor diante da grandeza da vida eterna.

"Finalmente, a Bíblia nos lembra que algum dia todos estaremos diante de Deus. Nesse dia, não será avaliado o tamanho de nossa conta bancária ou a importância de nossos empregos. Só nos será feita uma pergunta: Você colocou sua fé e confiança somente em Cristo para a sua salvação? Não seja invejoso com relação aos bens materiais dos, mas certifique-se de seu compromisso com Cristo", alertou.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA ASSOCIAÇÃO EVANGELÍSTICA BILLY GRAHAM