Google+ Followers

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

ÉTICA NAS DECISÕES


Não faz muito tempo ouvi excelente mensagem do escritor e preletor Lee Strobel sobre o que ele chamou de, “Os 5 P's na Tomada de Decisões Éticas”. Pensei que seria bom apresentar sua percepção neste Maná.

O primeiro “P” foi propósito. Ao tomar uma decisão desafiadora é essencial lembrar-se do nosso propósito. Se for apenas ganhar dinheiro, podemos tomar decisão errada. Mas se estiver em linha com princípios bíblicos, a decisão levará a resultado bem diferente.

 1Coríntios 10.31 nos ensina: “Portanto, quando vocês comem, ou bebem, ou fazem qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus”. Tudo quanto os seguidores de Jesus Cristo fazem deveria ter o propósito de glorificar a Deus. Quando esta for a motivação por trás das decisões éticas, torna-se fácil tomar decisões difíceis no ambiente de trabalho.

O segundo "P" que Strobel citou foi prayer (oração, em inglês). Enfatizou a importância de orar buscando sabedoria e direção nas decisões difíceis. Também deveríamos orar, segundo Strobel, por convicção moral e coragem para fazer o que é certo. Muitas vezes sabemos o que é certo fazer, mas precisamos de coragem para fazê-lo.

Tiago 1.5 ensina: “Mas, se alguém tem falta de sabedoria, peça a Deus, e Ele a dará porque é generoso e dá com bondade a todos.” Na próxima vez que enfrentar um dilema ético, ore com ousadia pedindo sabedoria a Deus e creia que Ele lha dará.

O terceiro “P” na relação de Strobel é princípios. Estimulou os ouvintes a tomar decisões testando-as com os princípios bíblicos. Disse que 50% das decisões éticas são tomadas com base em emoções como medo, cobiça ou ira, que podem levar a decisões deficientes. É mais produtivo fazer pausa e considerar como nossa decisão se alinha com o que a Bíblia ensina.

Salmos 119.9 recomenda: “Como pode o jovem manter pura a sua conduta? Vivendo de acordo com a Tua palavra.” Ao enfrentar dilemas éticos, não deixe que suas emoções o governem. Ore e busque auxílio na Palavra de Deus.

O quarto “P” de Strobel foi pessoas. Quando tomar decisões difíceis, não o faça sozinho. Envolver pessoas confiáveis e sábias trás muitos benefícios: receber bons conselhos; obrigá-lo a ser transparente; prestar contas de suas responsabilidades. Durante anos liderei um pequeno grupo de CEO’s. Fosse qual fosse a questão, descobrimos alguém cujo discernimento foi de grande auxílio para chegar a uma decisão sábia.

Provérbios 15.22 propõe: “Os planos fracassam por falta de conselho, mas são bem-sucedidos quando há muitos conselheiros.” Ser líder é algo solitário às vezes, mas não precisa ser assim. Ao enfrentar o desafio de tomar decisões éticas, permita que outras pessoas façam parte do processo.

O último “P” é popular opinion (opinião popular, em inglês) e Strobel deu-lhe uma direção diferente. Recomendou que ao enfrentar uma decisão difícil, considerarmos qual a opinião popular e decidir pelo contrário. Deus não se preocupa com o que pensa a maioria.

Em Isaías 55.9 Deus nos diz: “Assim como os céus são mais altos do que a terra, também os Meus caminhos são mais altos do que os seus caminhos, e os Meus pensamentos mais altos do que os seus pensamentos.” Decisões tomadas com base na opinião popular podem ser desastrosas. Seja corajoso e, se necessário, adote o caminho oposto, segundo Deus!

Por Rick Boxx
Recebido por e-mail do Mana da segunda.