Google+ Followers

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Cristãos visitam terroristas presos para levar o amor: “É a única resposta para o ódio”

Uma equipe levou comida e água para os militantes do EI capturados. (Foto: Preemptive Love)
Uma equipe levou comida e água para os militantes do EI capturados. (Foto: Preemptive Love)

Uma equipe de voluntários levou comida e água para os militantes do EI que foram capturados pelo exército iraquiano.

Diversos grupos humanitários têm trabalhado intensamente para servir pessoas vulneráveis no Iraque e na Síria, desde que o califado do grupo terrorista Estado Islâmico (EI) devastou as regiões em 2014.

No entanto, alguns dos voluntários têm oferecido apoio de uma forma diferente. Os alvos desta ajuda já não são apenas famílias afetadas pelos conflitos, mas os próprios combatentes do grupo terrorista.

Uma equipe da organização Aliança Preferência pelo Amor (PLC, na sigla em inglês), levou comida e água para os militantes do EI que foram capturados pelo exército iraquiano durante a reconquista da cidade de Fallujah, no Iraque.

O motivo para esta ação? "Amar significa ir aos lugares difíceis", respondeu o líder cristão da organização, Matthew Willingham.

Dentre os voluntários que atenderam os terroristas detidos pelo exército, estava um homem chamado Sadiq. Ele deu água para um prisioneiro vestido com um macacão amarelo, que ele reconheceu de um vídeo publicado pelo EI.

"Você matou meu amigo", disse Sadiq ao militante, enquanto colocava água em sua boca. "Mas eu vim aqui para te alimentar".

Willingham recebeu muitas críticas por sua ação com terroristas no Iraque — afinal, os detidos mereciam sofrer pelo que tinham feito. "Mas acreditamos que apenas a luz pode deter a escuridão. O amor é a única resposta para o ódio", disse ele.

Como cristão, Willingham conta que viu o amor de Cristo na atitude de Sadiq, mesmo ele sendo muçulmano. “Esse é um amor semelhante ao de Cristo. Sadiq estendeu sua mão aos seus inimigos. Não eram apenas as pessoas que ele discordava, eram seus inimigos, as pessoas que assassinaram seus amigos. Esse é o amor de Deus em Cristo".

Sadiq oferecendo água para militantes do Estado Islâmico. (Foto: Preemptive Love)

Amar 'mesmo assim'

A PLC não é vinculada a uma religião, mas para Jeremy Courtney, um dos líderes do projeto, sua missão é impulsionada pelo amor a Deus. “Eles [voluntários] estão tentando descobrir o que significa levar Jesus a sério quando Ele diz ‘siga-me’ e ‘abençoe os que te perseguem’”, disse Courtney ao site Christian Today.

Ele acredita na importância de ter compaixão por aqueles que causam morte e destruição no Oriente Médio. "Eles são, em grande parte, homens e meninos que querem pertencer a um lugar para se sentirem seguros e terem significado", comenta.

Courtney está convencido de que esta é a única resposta que os cristãos podem dar. "Não aconteceu do nada. Não acordamos um dia, lemos um versículo da Bíblia que dizia para amar os inimigos e decidimos procurar o EI. Mas entendemos que a mensagem do Evangelho é sobre um amor que supera a morte. Deus se deixou ser carne e morreu por seus inimigos".

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE CHRISTIAN TODAY