Google+ Followers

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Cristãos não devem deixar de ir à igreja para ouvir pregações ​​em casa, alerta Billy Graham

Segundo o evangelista, por mais que a mesma mensagem seja entregue pela televisão e pela igreja, um cristão pode perder muitas coisas por escolher ficar em casa.

Segundo o evangelista, um cristão pode perder muitas coisas por escolher ficar em casa. (Foto: Reprodução)
Segundo o evangelista, um cristão pode perder muitas coisas por escolher ficar em casa. (Foto: Reprodução)
Os cristãos não devem deixar de ter comunhão na igreja para assistirem as pregações ​​em casa, segundo o evangelista Billy Graham. Se os cultos forem acompanhados apenas pela televisão ou internet, ele afirma que as pessoas irão perder a oportunidade de fazerem parte da congregação e se unir a seus irmãos.

O evangelista abordou o assunto em resposta à dúvida de um leitor, publicada no site da Associação Evangelística Billy Graham no dia 14 de janeiro. Nela, a pessoa confessou que  não gosta de frequentar os cultos da igreja e questionou se teria problema em apenas acompanhar os sermões na televisão, já que mostra as mesmas mensagens pregadas na congregação.

Em resposta, Graham ressaltou o valor da transmissão dos cultos pela televisão, porque beneficia os idosos e pessoas com problemas de saúde, que querem ouvir a Palavra de Deus. No entanto, por mais que a mesma mensagem seja entregue pela mídia e na igreja, um cristão pode perder muitas coisas por escolher ficar em casa.

Uma delas é perder a oportunidade de fazer parte da obra de Deus e de trocar seus aprendizados com outros cristãos, de acordo com o evangelista. Citando Hebreus 10:24-25, ele lembrou o que a Bíblia diz às pessoas: “E consideremo-nos uns aos outros para incentivar-nos ao amor e às boas obras. Não deixemos de reunir-nos como igreja, segundo o costume de alguns, mas encorajemo-nos uns aos outros, ainda mais quando vocês vêem que se aproxima o Dia”.

"Você pode perder a oportunidade de servir a Cristo ao lado de seus companheiros cristãos", avalia Graham. "Uma igreja vital não é aquela que apenas olha para dentro, ela também olha para fora e procura servir aos outros em nome de Jesus".

Em 2012, o líder do Seminário Teológico Batista do Sul, Albert Mohler, também lamentou sobre a escolha de pessoas que deixam de estar presentes nas igrejas para se alimentarem da palavra por uma plataforma digital. “Embora seja bom ver que a tecnologia pode difundir o Evangelho, ela também acaba permitindo que a tecnologia substitua o culto na igreja”, observa.

Mohler lembra que Jesus Cristo sempre indicou que seus seguidores devem frequentemente se reunir, em comunhão. “Através da frequência à igreja, os cristãos poderão se aproximar de outras pessoas de forma que eles não poderiam fazer usando a tecnologia”.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE CHRISTIAN DAILY