Google+ Followers

domingo, 2 de outubro de 2016

“A gente não ensina princípios falando, mas sendo exemplo", diz psicóloga cristã

Juliana Batista alertou que os pais precisam entender os sentimentos dos adolescentes, que agora enxergam o mundo por uma nova ótica.

Juliana criticou os pais que cobram dos filhos atitudes que nem eles mesmos são capazes de colocar em prática.  (Foto: Reprodução).
Juliana criticou os pais que cobram dos filhos atitudes que nem eles mesmos são capazes de colocar em prática. (Foto: Reprodução).

A psicóloga Juliana Batista comentou, durante uma entrevista no programa Mente Aberta da emissora cristã Rede Super, sobre uma fase tão complicada na vida de todos: a adolescência. Ela ressaltou a importância de “validar o sentimento do adolescente” e que é “fazendo” que a gente ensina os princípios.

“A gente precisa ter paciência, é um período bem complicado na vida do homem, né? O corpo muda todinho, a criança perde a perspectiva dela mesma. Então, é bem confuso nesse período”, disse.

“É um período muito ambíguo, a gente é grande demais para algumas coisas e pequeno demais para outras coisas. Às vezes o pai tende a cobrar como um adulto, no entanto a criança não consegue corresponder. É bem complexo mesmo esse período”, pontuou.

Uma fase de conflitos

Para a psicóloga, o adolescente começa a perceber um novo mundo que lhe rodeia. “Ele está compreendendo o mundo sobre uma nova ótica. Então antes ele não tinha tantas escolhas, ele não tinha tanta voz. Agora, como adolescente, quase um adulto, ele tem a sensação muito grande de que ele pode tudo. A gente chama essa tentação de onipotência. Então, ele acha que sabe mais que todo mundo. Ele acredita que pode tudo, que tudo vai dá tempo. Então, o grande conflito com os pais gira em torno disso”, comentou.

“O adolescente sempre deixa tudo pra fazer de última hora, tem o pensamento otimista demais de que tudo vai dá certo. De que em uma semana vai perder 20 quilos. É aquela coisa completamente fora da realidade”, ressaltou.

“O que os pais precisam mais compreender é que eles precisam trazer a direção para esses jovens à despeito da briga entre eles. Os pais são realmente muito questionados nesse momento, na sua liderança, nas suas coerências. A gente precisa manter a calma e entender que esse momento vai passar”, continuou a profissional.

“Para o adolescente, é muito importante que a gente valide os seus sentimentos. Que a gente aceite aqueles sentimentos. A gente não precisa concordar com eles, mas a gente precisa acolher os sentimentos do adolescente e tratar aquilo com naturalidade”, incentiva.

Juliana ainda faz uma crítica aos pais que cobram dos filhos atitudes que nem eles mesmos são capazes de colocar em prática. “A gente não ensina princípios falando, a gente ensina princípios fazendo. É muito importante que os pais percebam que, muitas vezes, os filhos estão reproduzindo os seus comportamentos. Então, como pais, antes de fazer qualquer crítica ao adolescente, é importantíssimo refletir sobre os nossos comportamentos, trazer a responsabilidade para nós”.

Confira a entrevista na íntegra:


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA REDE SUPER