Google+ Followers

terça-feira, 27 de março de 2018

“Muitos dividem uma Bíblia entre seis pessoas em Cuba”, diz missionário

A escassez de Bíblias continua sendo um desafio em Cuba, apesar dos esforços de missionários.

Bíblias sendo distribuídas por missionários em igreja cubana. (Foto: American Bible Society)

Um dos grandes desafios enfrentados pelos cristãos em Cuba continua sendo a escassez de Bíblias, apesar dos esforços de missionários para mudar esta realidade.

Em 2014, a organização Biblica enviou mais de 25 mil Bíblias para o país através de um parceiro em Miami, na Flórida (EUA). No entanto, o envio dos livros sagrados foi limitado quando as portas do governo se fecharam.

“Agora temos uma remessa de 17 mil Bíblias prontas aqui em Miami. Quando nós mandamos isso em 2016, para fazer outra atividade, o governo não permitiu a entrada em Cuba, então eles devolveram tudo para Miami”, explica Esteban Fernandez, diretor da Biblica na América Latina.

Essa foi a terceira remessa negada da Biblica negada por Cuba, impedindo que mais de 50 mil Bíblias tivessem sido enviadas no total para o país.

A Nova Versão Internacional é uma das melhores versões para a compreensão dos cubanos, mas o governo está autorizando apenas as versões mais antigas das Escrituras. “Achamos que precisamos de algo realmente forte e fácil de entrar na cabeça no coração das pessoas”, explica Fernandez.

Os missionários explicam que não há nada de errado com as versões mais antigas — a questão é que os cubanos têm dificuldades de compreender a linguagem arcaica. Além disso, não há Bíblias suficientes para todos os cristãos em Cuba.

“Muitos em Cuba estão dividindo uma Bíblia entre seis pessoas no grupo. Você consegue imaginar isso, ter uma Bíblia?, questiona Fernandez. “Quando você doa uma Bíblia, ver os rostos deles e suas lágrimas quando recebem a Bíblia, é incrível”.

Fome da Palavra

As bibliotecas de Cuba disponibilizam Bíblias para leitura, mas muitas delas são roubadas das prateleiras diante do desejo que as pessoas têm de levá-las para casa.

"Quando fomos para a Biblioteca Nacional, vimos que tinham poucas Bíblias, que eram muito velhas. Então perguntamos quantas Bíblias seriam necessárias para atender ao público", disse o reverendo Joel Dopico, diretor do Conselho de Igrejas de Cuba.

"Eu tenho contato com diferentes departamentos estaduais do governo e com funcionários de diferentes partes do governo. Eles sempre pedem uma Bíblia. Sempre", acrescentou José Montes, administrador-chefe do Conselho de Igrejas em Cuba.

Uma realidade ainda mais dura é enfrentada pelas igrejas domésticas do país que, muitas vezes, têm apenas uma Bíblia para ser dividida entre 40 ou mais pessoas. "Eles estão sempre com fome de leitura bíblica e, às vezes, não temos para oferecer”, lamenta Montes.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE MISSION NETWORK NEWS