Google+ Followers

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Estudante é preso por “supostamente” pregar o evangelho


17 Laos_2010_0310101812


“Minha situação era realmente complicada. Minha família não conseguia ajuda, eu não sabia quando sairia dali”

Certa vez, um prisioneiro disse estas palavras, ao ser libertado: “Talvez a prisão faça parte do plano de Deus”. James* é um estudante de 23 anos, que faz parte da Escola Bíblica de Laos. Ele foi preso por “supostamente” compartilhar o evangelho em uma das pequenas aldeias de sua região. Segundo ele, os quatro meses em que esteve encarcerado foram uma grande provação, mas que o levaram para mais perto de Cristo. “No dia 20 de agosto do ano passado, dez pessoas chegaram de repente para me prender. Confesso que fiquei atordoado, mas não tive medo. Eu sei que tudo o que acontece comigo faz parte dos planos de Deus para minha vida”, conta James.

Segundo o estudante, ele fazia um trabalho para ajudar seu cunhado, que também estudava na mesma escola. “O projeto dele envolvia um levantamento entre os moradores, como ele não tinha tempo para ir até as pessoas e realizar a pesquisa, pediu a minha ajuda. Por isso eu fui até a aldeia. Pedi os nomes dos moradores, idades e suas ocupações. Era algo simples e inofensivo. Antes, porém pedi permissão ao líder da aldeia e ele permitiu. Realizei a pesquisa na primeira casa, quando estava caminhando para a segunda, eu já estava preso. Dez pessoas chegaram e já foram dizendo que eu estava compartilhando o evangelho para converter aquelas pessoas. Não era o caso, eu estava ali apenas fazendo algumas perguntas”, explica ele.

Embora James não estivesse ali evangelizando, já que ele sabe que o evangelismo é proibido por lei no Laos, o fato de ele ser um cristão já levantou suspeitas. “Pensei que minha prisão duraria apenas alguns dias, mas as semanas se passaram e se transformaram em meses. Durante esse tempo eu convivi com 71 prisioneiros. Passamos fome e tivemos momentos realmente difíceis. Mas ali eu aprendi em quem eu devo confiar. Eu tenho plena convicção de que Deus nos dá forças e nos ajuda em todo o tempo. Eu realmente não pude culpar ou questionar Deus, porque eu sentia que a cadeia fazia parte de seu plano para mim. Por duas noites eu sonhei que estava morto, então Deus me fez lembrar que nem mesmo a minha vida me pertence. Acordei chorando muito”, lembra James.

“Minha situação era realmente complicada. Minha família não conseguia ajuda, eu não sabia quando sairia dali. Entre os prisioneiros havia muitos usuários de drogas, traficantes, ladrões e adúlteros. Eram pessoas caídas, como um dia eu fui, mas eles me tratavam bem. Houve um dia em que o líder dos prisioneiros perguntou por que eu estava na prisão e eu aproveitei a oportunidade de compartilhar Cristo com aquele homem. Eu não sei se ele acreditou, mas eu fiquei satisfeito por ter compartilhado as boas novas. No dia 21 de dezembro, algumas pessoas da equipe da Portas Abertas pagaram a fiança e eu fui liberado. Chegando em casa, eu só pensava nos prisioneiros que não fazem parte da família de Deus e que não podem contar com esse tipo de ajuda, então orei por eles. Abracei meus pais e agradeci a Deus por aquele momento, o amor deles me fortaleceu, porque eles também são de Jesus. Não há mais nada o que possamos fazer nessa vida, a não ser confiar em Deus”, concluiu o estudante.

Motivos de oração

• Louve a Deus pela vida de James e de sua família e ore para que eles permaneçam firmes nos caminhos do Senhor.
• Peça a Deus para que abençoe todos os estudantes de Laos, e que eles sejam sábios e estratégicos na hora de evangelizar.
• Laos é o 29º país da Classificação da Perseguição Religiosa 2016 e um dos cinco países restantes do regime comunista. Ore pelos governantes laosianos, para que sejam tocados pelo amor de Cristo e que suas leis sejam menos restritivas e mais justas.
Fonte: www.portasabertas.org.br