Google+ Followers

domingo, 27 de março de 2016

A Páscoa está cada vez menos cristã


A Páscoa está cada vez menos cristã

Comércio e liberalismo marcam a festa na Europa

A Páscoa está cada vez menos cristã

Um novo vídeo produzido pela Igreja da Inglaterra está gerando polêmica. Ano passado, a denominação enfrentou uma polêmica no lançamento do vídeo #justpray [Simplesmente ore], lançado na época do Natal e proibido pelos cinemas do país.

No vídeo, apenas pessoas fazendo a oração do “Pai Nosso”, mas o material foi considerado ‘potencialmente ofensivo’. Agora, no ferido da Páscoa a Igreja lançou, pela internet, o que seria a “continuação” da campanha #justpray. Em pouco mais de um minuto, diferentes pessoas recitam versículos do Salmo 22.

Em um determinado momento, um drogadito recebe sobre sua cabeça uma ‘coroa de seringas’, numa alusão a Jesus. O objetivo do vídeo era retratar a situação das pessoas que enfrentam sérios problemas e oferecer a “esperança de uma nova vida”.


 A Igreja da Inglaterra afirma que todos os papéis principais são interpretados por pessoas que mudaram de vida após terem conhecido a Cristo. Segundo o pastor Arun Arora, diretor de comunicações, da igreja: “Este filme é um testamento do triunfo da fé e da esperança sobre as dificuldades como o luto, o vício, a falta de moradia e a prisão. A Páscoa é um lembrete de que o sofrimento não tem a última palavra e o amor é mais poderoso do que a sepultura”.

Contudo, um olhar mais atento revela que embora o nome da campanha seja “He is Risen” [Ele Ressuscitou], em momento algum aparece o nome de Jesus na tela. Ele também não é dito por nenhum dos atores. Ou seja, é uma Páscoa sem Jesus e sem cruz. Seria esse realmente um material para lembrar a morte do Salvador pelos pecados da humanidade ou apenas que existem igrejas preocupadas com as questões sociais?

Os últimos segundos mostram um grupo de jovens alegremente “celebrando” a Páscoa atirando pó colorido uns nos outros. Abaixo a hashtag #Easterjoy [Alegria da Páscoa]. As imagens de alegria, na verdade, são parte da festa de Holi, também chamado de Festival das Cores. De origem indiana, a festividade é comemorada também no Reino Unido.
Segundo a lenda, a festa lembra o confronto do rei indiano Hiranyakashyap, que exigia ser adorado como um deus por todos no reino. Seu filho Prahlad decidiu adorar o deus Vishnu. O rei tenta matar o filho, mas Vishnu triunfa.

O uso da tinta colorida foi incorporado por causa de outra lenda hindu que conta como o deus Krishna tinha prazer em pintar seus adoradores Radha e Gopis. Em resumo, o Holi mescla duas festas hindus pagãs. Não há sentido tentar liga-la à Páscoa cristã.

Isso mostra como o multiculturalismo e o politicamente correto enfraqueceu a mensagem do cristianismo na Europa. A Inglaterra, outrora berço de grandes pregadores, sempre esteve na linha de frente do liberalismo teológico que hoje é norma em território europeu.

Primeiro questionou-se a infabilidade da Bíblia e sua inspiração. Depois, reduziram Jesus a um mestre da moral e, por fim, abraçaram o discurso que o fundamento do cristianismo é o amor, então começaram a aceitar o homossexualismo como opção natural inclusive para seus pastores e bispos.

O comercial mostra  apenas um retrato lamentável da realidade da denominação que por ter uma mensagem inócua, perde constantemente fiéis e deve fechar nos próximos meses cerca de dois mil templos.

Ovos que não são de Páscoa
Ao mesmo tempo, o Christian Today revelou que uma pesquisa do Instituto Yougov constatou que nem os ovos de Páscoa na Inglaterra levam mais esse nome. A realidade não é muito diferente no restante da Europa.

Nos últimos cinco anos ocorreu um afastamento quase definitivo do termo nas embalagens dos cerca de 80 milhões de ovos de chocolate vendidos nesta época no Reino Unido. A maioria das marcas usa apenas as palavras “ovos” e “chocolate”.

Isso gerou insatisfação em empresários cristãos, que fundaram alguns anos atrás a Meaningful Chocolate Company, empresa sediada na cidade de Manchester. Ela criou o “The Real Easter Egg” [O Verdadeiro Ovo da Páscoa].
The Real Easter Egg
O verdadeiro Ovo de Páscoa
The Real Easter Egg
 O verdadeiro Ovo de Páscoa

O diretor da empresa, David Marshall, declara: “Não temos certeza se os outros fabricantes acreditam que a palavra ‘Páscoa’ é muito religiosa e por isso estão tentando removê-la ou escondê-la”.


Na tentativa de resgatar o sentido do feriado, o ovo com 125 gramas de chocolate vem junto com um livreto contando a história da crucificação e ressurreição numa linguagem acessível às crianças. Infelizmente, suas vendas representam um percentual ínfimo do mercado. Fonte:noticias.gospelprime.com.br por Jarbas Aragão  FACEBOOK