Google+ Followers

domingo, 10 de junho de 2018

“Há inimigos da cruz querendo destruir a Igreja. Temos que trazê-los para Cristo”, diz evangelista

O evangelista Michael Youssef fez uma visita a Londres na última semana de maio como parte de um trabalho que desenvolve ao redor do mundo, encorajando os cristãos a permanecerem firmes na fé e transformarem a sociedade ao seu redor.


A visita do fundador e presidente do ministério Leading the Way foi encerrada com uma pregação transmitida pela televisão a milhões de pessoas ao redor do mundo. Em sua mensagem, Youssef disse que a Igreja precisa superar, diariamente, os Golias que surgem pelo caminho.

O sermão, intitulado “A Majestade Suprema de Deus”, tinha um tom de urgência, de acordo com informações do portal Charisma News.

Ao final do culto, o evangelista concedeu uma entrevista à emissora Christian Broadcasting Network (CBN) e afirmou que a inspiração para sua pregação foi um alerta feito a ele por Deus: “Depois de pregar aqui todos os anos nos últimos 14 anos, Deus colocou em meu coração a pregação do Salmo 8: ‘Ó Senhor, quão majestoso é o Teu nome em toda a terra'”, explicou Youssef.

“Nestes tempos desafiadores marcados pelo desânimo e pelas pessoas que se afastam da fé, quero encorajar os crentes a permanecerem fortes e focados em a majestade de Deus”, acrescentou o evangelista.


A visita de Youssef foi marcada também pelo aniversário de um ano dos atentados terroristas em Manchester, e o evangelista afirmou que o Reino Unido enfrenta um crescimento exponencial da influência islâmica na sociedade, o que se desenha como um desafio para os cristãos locais.

“Acho que a Igreja do Reino Unido reagiu bem aos recentes ataques terroristas, mas muitos ainda estão aquiescendo e negando que haja inimizade à cruz. Há terroristas que querem nos destruir, mas dizemos que os aceitamos como são, em vez de tentando trazê-los para Cristo”, afirmou, expressando sua preocupação com a necessidade de adotar uma abordagem mais contundente na divulgação do Evangelho.

“Nos últimos 20 anos, 500 igrejas em Londres fecharam suas portas e 423 mesquitas foram abertas. Dentro de cinco anos haverá mais muçulmanos rezando em mesquitas em Londres do que cristãos indo à igreja”, lamentou. “Em meio a esses desafios, vejo hoje mais desespero pelo evangelho puro e descompromissado do que eu já vi nos 40 anos que venho a este país. Estou orando por os líderes cristãos em todo o Reino Unido para realmente se levantar e ser o exército do Deus vivo”, concluiu.