Google+ Followers

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Enviado para vencer


“... vivam de maneira digna da vocação que receberam” (Efésios 4.1).

Ele podia ser encontrado no meio do lixo domiciliar. Ele estava deitado num colchão velho. Magro, faminto. Ele fazia parte da paisagem da cidade – juntamente com o cachorro, o violão e a caixinha das esmolas. O poço de ventilação à frente de uma loja era o seu ponto principal durante o inverno. Todos o conheciam, o velho mendigo. Quando tentaram descartar seu colchão malcheiroso, fizeram uma descoberta sensacional: muitos maços de cédulas de dinheiro de alto valor, cuidadosamente empacotadas e costuradas no colchão. Rico – mesmo assim era muito pobre!

Quantos cristãos há que levam a vida como se fossem mendigos em “colchões malcheirosos” da sua vida de teimosia. Espiritualmente consumidos, sem força no coração e esgotados. Dependentes de pessoas e de opiniões. Apáticos, marcados por desânimo e frustração.

Meu pai foi prisioneiro de guerra do exército russo e retornou para casa somente em 1949. Certa ocasião ele nos contou de um camarada que, motivado pela fome extrema, procurou por algo comestível em meio às coisas que apodreciam dentro de um tambor de lixo. “Ei, Willi, tome jeito!”, gritaram para ele. “Você parece um cachorro. Você não pretende voltar para casa?”. E sua resposta lacônica foi: “Me deixem em paz. Em casa eu volto a ser o senhor doutor!”.

E nós? Também dependemos da caixinha de esmolas do mundo? Afinal, que valor você atribui ao fato de ser filho de Deus? Que importância tem a gloriosa posição em Cristo? Quando os nossos olhos se abrirão novamente para tudo aquilo que é concedido, em nosso Senhor Jesus Cristo, aos filhos de Deus? Não nos sentimos envergonhados quando revolvemos as lixeiras do mundo? Ao procurarmos soluções baratas para nossa satisfação? Ao nos enlamearmos com coisas pelas quais o Senhor Jesus derramou o seu sangue e deu a sua vida? A cobiça da carne, a cobiça dos olhos e a soberba da vida são os “colchões malcheirosos”, o material que apodrece na lixeira e que nos destrói espiritualmente. Na verdade, somos redimidos e libertos (Gálatas 5.1). Comprados com sangue (Atos 20.28). Escolhidos por Deus (1Tessalonicenses 1.4). Chamados e glorificados (Romanos 8.30). Santos e amados (Colossenses 3.12). Reis e sacerdotes (Apocalipse 5.10). Participantes da sua glória (1Pedro 5.1). Abençoados (Efésios 1.3). Beneficiados pela graça no Amado (Efésios 1.6). Agraciados (2Pedro 1.4). Enriquecidos (1Coríntios 1.5). Membros do corpo de Cristo (1Coríntios 12.27). Embaixadores e mensageiros do maravilhoso evangelho (2Coríntios 5.20).

Você consegue compreender que tudo isso se refere também a você, filho de Deus amado pelo Senhor Jesus? No entanto, quanta coisa não redimida ainda persiste entre cristãos: inveja, brigas, discussões, fofocas maldosas, ciúmes, cobiça, impureza, adultério, prostituição, pornografia, teimosia, idolatria, ligações ocultas com Satanás, crueldade, orgulho, interesse próprio, separações etc. Eu temo que essa lista ainda aumente.

Como isso se encaixa? Por isso, tenha consciência de sua destacada vocação celestial! Filho de Deus, você não é qualquer um. O Senhor Jesus está ao seu lado. Essa santa conscientização proporciona a você vitória nas horas de aflição.
Filho de Deus, você não é qualquer um. O Senhor Jesus está ao seu lado.

Lembro-me de épocas em que eu gostaria de ter fugido para o fim do mundo. Decepcionado com as pessoas. Cercado de inimigos. Soterrado pelas circunstâncias e pelos problemas. Em meu desespero, eu observava meu rosto triste diante do espelho. Eu sentia vergonha. Então, porém, precisei rir e falar à meia voz comigo mesmo, de maneira que minha esposa não pudesse ouvir: “Manfred, essa sua aparência não é a de um filho de Deus!”. Lembrei-me das maravilhosas promessas de Deus e animadamente vesti a sua armadura (ver Efésios 6). Preciso confessar que desde esse dia eu faço muitas vezes o “controle do rosto” interior. Na verdade, eu devo isso ao meu Salvador: viver de modo digno do evangelho para o “Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim” (Gálatas 2.20).

Por favor, leia em sua Bíblia todas as passagens indicadas acima. Lembre-se com alegria da sua elevada vocação e de sua maravilhosa posição na graça. Agradeça pelo seu tesouro em Cristo. Quem então ainda vai querer falar em tribulação? Quem vai querer desanimar e se esconder em um buraco? Quem vai querer jogar a toalha? Quem vai querer viver com as próprias forças? Chegará o dia em que você poderá tirar a armadura de Deus para então receber a eterna coroa de vencedor. Agora, porém, vamos em frente com ânimo. Você também foi enviado para vencer! — Manfred Paul

Fonte:http://www.chamada.com.br