Google+ Followers

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Jovens falam sobre santidade antes do casamento: "Estamos na contramão do descartável"

Muitos jovens são adeptos ao movimento Eu Escolhi Esperar, que já conta com mais de 2 milhões de seguidores no país.


Juntos há quase um ano, Amanda e Jonielson pretendem se preservar até o casamento. (Foto: Ísis Capistrano/G1 AM)
Juntos há quase um ano, Amanda e Jonielson pretendem se preservar até o casamento. (Foto: Ísis Capistrano/G1 AM)

Em um mundo de prazeres passageiros e relacionamentos descartáveis, muitos jovens optaram por valorizar a aliança do casamento e os princípios bíblicos que acompanham a decisão.
Para casais como a administradora Amanda Souza, 25, e o personal trainer Jonielson Soares, 26, esperar dentro dos conceitos bíblicos é a melhor escolha.
Antes de conhecer Jonielson, Amanda chegou  a escrever uma carta para Deus pedindo para que o próximo namoro fosse com uma pessoa que segue os mesmos princípios que ela. “Dois dias depois ele puxou conversa comigo”, disse ela ao G1.
Jonielson tinha participado do seminário "Eu Escolhi Esperar" em 2015 e estava decidido que não queria algo fora do propósito da campanha. “Passamos um mês em oração e depois assumimos o compromisso. Desde o início conversamos que nosso namoro tem como objetivo o casamento e por isso vamos nos preservar para isso”, explicou.
O casal se preserva sem beijos ou sexo, e irá seguir assim até o casamento. Estabelecer princípios bíblicos nos relacionamentos é uma das propostas do movimento criado em 2011, que já angariou mais de 2 milhões de seguidores de diversas no país.
Segundo o idealizador da campanha, pastor Nelson Júnior, 40, o movimento foi criado com o intuito de ajudar jovens em seus principais dilemas, especialmente a sexualidade.
“É uma campanha de preservação para o casamento e a importância de se preservar para o matrimônio e quais são as consequências disso. Nós acreditamos muito que o sexo é mais que prazer. A gente vai na contramão do descartável”, explicou.
Um dos jovens casais que escolheu estar firme neste propósito é a universitária Nayanne Mesquita, 18, e o estudante Tiago Ramos, 18, que estão juntos há dois anos. Para Nayanne, a diferença de um relacionamento sem sexo é a cumplicidade. “Somos mais amigos, conversamos muito, tem muito companheirismo. Nós oramos juntos todos os dias”, contou.

Nayanne e Thiago dizem que a parceria é essencial no namoro. (Foto: Ísis Capistrano/G1 AM)
Mesmo que os amigos tirem sarro, eles não dão a mínima importância. “Tenho uma pessoa que vai estar sempre do meu lado, é a ela que tenho que valorizar. Não é uma paixão efêmera e nós oramos juntos para que Deus providencie o futuro que agrada a ele”, disse Tiago.
Não é preciso ser virgem para aderir ao movimento. Segundo o pastor Nelson, 70% das pessoas que estão na campanha não são mais virgens. "Por mais que elas tenham tido experiências, ainda não se casaram e se identificam com o movimento porque desejam que o próximo namoro não tenha intimidade sexual até o casamento”, explica.
Esse é o caso de Milena Aguiar, 19. “Meu parceiro é meu primeiro namorado, mas decidiu esperar comigo. Com Deus tudo é possível, Ele nos faz forte”, ressalta.
O movimento serve de apoio não apenas para casais, mas também para jovens solteiros.
“Quando se espera, qualquer decisão tem 99% possibilidade de dar certo. Principalmente quando são escolhas que vão impactar a vida inteira”, disse Marília Sá, 27.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE G1