Google+ Followers

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Mulher desiste de aborto após receber orações em frente à clínica: “Não vou matar meu filho”

Após uma complicação na gravidez, Chass foi indicada pelo médico a abortar. Na clínica de aborto, ela foi abordada por um grupo de cristãos que oraram por sua situação.

Dentro da clínica, Chass percebeu que não poderia continuar com a ideia do aborto. (Foto: Getty Images)
Dentro da clínica, Chass percebeu que não poderia continuar com a ideia do aborto. (Foto: Getty Images)

O casal americano Kirk e Chass Barker ficaram radiantes quando receberam a notícia da gravidez. No entanto, a perda de mais de 18 quilos no primeiro mês de gestação gerou preocupação em Chass.

Após uma consulta médica, a alegria do casal se transformou em desespero: o médico indicou Chass a realizar um aborto. Caso contrário, ela poderia morrer.

"Nós confiamos na palavra do médico. Fizemos um compromisso de aborto naquele dia", contou o pai, Kirk Barker, ao Life Site News.

Quando o casal chegou numa clínica de aborto no Tennessee (EUA), viram muitas pessoas orando. "Eles nos imploraram para a gente não seguir com o procedimento", recordou Kirk. "Explicamos a eles o que estava acontecendo, eles pediram desculpas e disseram: 'Vamos orar por vocês'. Eles começaram a orar, mas nós continuamos caminhando".

Dentro da clínica, quando Chass foi preencher a papelada, ela percebeu que não poderia continuar. "Logo antes de assinarmos o que chamamos de 'atestado de óbito do nosso filho’, Deus interveio", disse Kirk. "Minha esposa olhou para mim e disse: 'Eu não me importo se eu morrer, eu não vou matar nosso filho’".

O casal se levantou e saiu da clínica, feliz por não dar andamento no procedimento. No entanto, eles sabiam que essa decisão representava um risco. "Eu não quero perder a minha esposa, mas eu não quero perder meu filho também", disse Kirk.

Para resolver o dilema, eles procuraram um novo médico. Dentro de algumas semanas, o peso de Chass se estabilizou. Oito meses, Cameron nasceu saudável e sem complicações.

Hoje, Cameron tem 14 anos e seus pais não conseguem imaginar como seria a vida sem ele. "Ele é um grande garoto. Ele trabalha duro e é muito inteligente. Ele quer seguir a área de Ciência da Computação, e poderá entrar na faculdade quando tiver 16 ou 17 anos. Ele é um cara amoroso e bondoso. Eu não poderia estar mais orgulhoso dele", disse Kirk sobre o filho.

Chass e Kirk não receberam um diagnóstico oficial sobre a perda de peso na gravidez, mas suspeitam que poderia ser uma patologia chamada ‘Hyperemesis Gravidarum’, caracterizada por náuseas e vômitos que refletem na perda de peso e na desidratação da gestante.

Eles afirmam que a bondade e a compreensão demonstrada pelos guerreiros de oração na clínica de aborto mudou suas vidas. Eles não só escolheram manter seu bebê, mas também se abriram para a fé em Deus.

"Eu fui incrédulo na maior parte da vida", disse Kirk. "Deus me mostrou que eu estava errado — Ele me transformou em um cristão. Eu não sabia que eu estava perdido até ser salvo. Mas eu tive que fazer muito mais do que crer: eu tive que obedecer ao Senhor. Deus quer que nós sejamos gratos nos bons e maus momentos. Deus usa a nossa história".

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE CHRISTIAN TODAY