Google+ Followers

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

O Valor do barro

“... e esta obra é grande; porque não é palácio para homem, senão para o Senhor Deus
 (I Cron. 29,1).

 Mas o Altíssimo não habita em templos, feitos por mãos de homens, como diz o profeta: O céu é o meu trono, e a terra o estrado dos meus pés. Que casa me edificareis? Diz o Senhor, ou qual é o lugar do meu repouso? Porventura não fez a minha mão todas estas coisas? (At.7,48-50).

Quero meditar sobre o barro, na perspectiva divina. Considerar essa obra de Deus não feita por mãos humanas: o homem! Obra-prima da criação é o homem! Coroa da criação, é o homem! Menina dos olhos de Deus é o homem! O homem, produto do amor de Deus!

Deus está mais orgulhoso com o que fez na alma do homem, com sua pequenez, com sua pobreza, do que por ter criado os milhões de sóis e a extensão dos céus. Que é o homem mortal, para que se lembre dele? E o filho do homem, para que o visite? Contudo, pouco menor que os anjos foi feito, e de glória e de honra o coroou.  Fez com que ele tenha domínio sobre as obras, e tudo pôs debaixo dos seus pés: ovelhas e bois, assim como os animais do campo. As aves dos céus, e os peixes do mar, e tudo o que passa pelas veredas dos mares. (Sl. 8,4-8). Que valor!

Porque, quanto ao Senhor, seus olhos passam por toda a terra, para mostrar-se forte para com aqueles cujo coração é totalmente dele... (II Cron. 16,9). Seu olhar Onisciente sobre o homem é totalmente diferente da perspectiva humana. El Roy vê tudo pronto, perfeito e acabado! Vê o homem completo, íntegro, interior e exteriormente. El Shamá! O Deus que está presente.

 Aprecio Lamentações do Profeta Jeremias, quando Deus diz “como se escureceu o ouro! Como se mudou o ouro fino e bom! Como estão espalhadas as pedras do santuário ao canto de todas as ruas! Os preciosos filhos de Sião comparáveis a ouro puro, como são agora reputados por vasos de barro, obra das mãos do oleiro". (isto, por causa do pecado). Ora, numa grande casa, (o Universo), não somente há vasos de ouro e de prata, mas também de pau e de barro; uns para honra, outros, porém, para desonra. Que é o homem, que Deus tanto o ama, conhece, deseja e estima, e põe sobre esse barro o seu coração? Dentro dele há ouro, preciosidades, valores incalculáveis e inestimáveis! Na verdade, o homem é uma mina de ouro, para ser explorada e garimpada! (O Evangelho, grandioso tesouro, é guardado em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não do homem). Na verdade, o homem é maior que todo o universo, e um dia, terá uma existência divina.

"Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos"? (I Cor. 6,19).

Ah! Se ao menos o homem reconhecesse o que ele é perante Deus e a criação! Seria grato eternamente e, ainda assim, nunca terminaria de satisfazer a dívida!

 Pb. Maurício http://www.fazendadejob.blogspot.com/