Google+ Followers

terça-feira, 27 de setembro de 2016

"Toda vez que eu orava para Alá, ouvia uma voz dizendo: Jesus, Jesus", diz ex-muçulmano

Depois de ouvir o nome de Jesus durante suas orações à Alá, o homem conheceu mais sobre Deus após aceitar o convite de conhecer uma igreja.
Deus respondeu suas orações de uma forma incrível. (Foto: Reprodução).
Deus respondeu suas orações de uma forma incrível. (Foto: Reprodução).

Um ex-muçulmano teve seu mundo virado de cabeça para baixo quando começou a ouvir “Jesus! Jesus” toda vez que orava para Alá. Ele ficou extremamente confuso e implorou para que ele parasse de ouvir as vozes. Foi aí que uma amiga o convidou para ir à igreja.

Depois de frequentar a congregação, ele ainda não estava convencido. Mas sua amiga, Rosie, não desistiu e continuou a falar com ele sobre Jesus. Então, ele decidiu que iria tentar mais uma vez e foi em uma igreja diferente. Ele fez uma oração: "Jesus, se você é meu Salvador, hoje é o dia que você precisa me mostrar. Caso contrário, eu voltarei a ser um muçulmano novamente".

Então, algo notável aconteceu. "Na igreja, começaram a cantar e minha alma ardeu", disse o homem. "Nesse momento eu me perguntei o que estava acontecendo. Estava sentindo um imenso amor, com muitas emoções misturadas. Eu estava amando tudo aquilo e não queria que parasse. Agora eu sei que o Espírito Santo me batizou. Mas, na época, eu não tinha essa ideia", explicou.

"No meu coração e na minha mente, eu conheci a Deus. E eu entendo que Jesus é meu salvador. Eu comecei a ler a Bíblia. A Bíblia se tornou como um alimento. Estou estava me alimentando da palavra de Deus", pontuou.

"Eu comecei a orar por revelação. Eu acordava no meio da noite, dizendo: ‘Deus, você precisa me mostrar o caminho’ e isso se tornou uma obsessão", disse ele.

Deus respondeu suas orações de uma forma incrível. "Um dia eu acordei, saí do quarto e vi à minha direita uma imagem enorme de luz. Esta luz era o rosto de Jesus. Era tão lindo, senti um amor muito grande sobre mim, naquele momento. Eu tive uma revelação do próprio Jesus. Deus desceu e me mostrou Jesus", contou.

"Agora eu não paro mais de orar. Estou amando ser cristão, e eu estou amando Deus. Ele mudou completamente a minha vida. Eu sou uma pessoa completamente diferente", finalizou.

Assista o incrível testemunho (em inglês): 



FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO SITE HELLO CHRISTIAN

domingo, 25 de setembro de 2016

Investindo seus próprios recursos, cristã alimenta milhares de sem-teto

Prestes a completar 30 anos, Lauren quer fazer refeições para 30 mil pessoas
Investindo seus próprios recursos, cristã alimenta milhares de sem-teto
Investindo seus próprios recursos, cristã alimenta milhares de sem-teto

por Jarbas Aragão 
FACEBOOK

Uma cristã de Woodbridge, estado da Virginia, Estados Unidos, está atraindo a atenção da mídia por causa de uma campanha humanitária. Prestes a completar 30 anos, seu projeto é fazer uma “festa” onde irá alimentar 30.000 pessoas.

Mãe solteira, Lauren Puryear não é milionária e vive no padrão médio dos cidadãos americanos. Contudo, ela decidiu fazer mais pelo “próximo” após visitar uma espécie de acampamento de sem tetos em sua cidade. Chamada de “cidade de tendas”, trata-se de um ajuntamento de barracas de pessoas que por diversos motivos hoje vivem nas ruas.

Quando começou a falar com os moradores daquele local, ela perguntou do que eles mais precisavam. A resposta foi unânime: comida.

Lauren fez algo a respeito e decidiu preparar refeições que levava pronta em marmitas. Porém, ela descobriu que poderia fazer muito mais se comprasse alimentos em grandes quantidades em uma rede varejista da cidade.

Ao ver um cupom promocional no jornal, conseguiu comprar 425 latas de legumes por um preço irrisório. “Eles ficaram empilhados na cozinha do meu apartamento numa pilha que chegava ao teto”, conta. Resolveu usar o conteúdo das latas para preparar uma refeição quente, adicionando carne de frango e alimentou mais de 300 pessoas.

Para ela, a oportunidade de auxiliar tanta gente foi algo transformador. Ela ouviu de um senhor de uns 50 anos, que aquela era a primeira refeição quente que ela comia depois de três dias.

Desejando alimentar mais pessoas sem comprometer toda a sua renda, ela começou a pedir doações e usar todas as promoções que a rede varejista oferece. “Esses cupons baixam o preço tremendamente”, comemora. Recentemente, ela serviu 1.200 cachorros-quentes para os sem teto. O preço de cada um foi muito abaixo do que seria caso comprasse metade disso com o preço normal em um supermercado.

Recentemente, para celebrar seu aniversário, alimentou mais de 1.000 pessoas numa espécie de festa ao ar livre. A experiência, segundo ela, foi “a sensação mais tremenda que tive depois do meu parto.”

Seu próximo alvo é distribuir “refeições boas e saudáveis” para 1.500 pessoas. Como seu trabalho voluntário começou a ficar conhecido, atraiu mais voluntários dispostos a ajudá-la. São pessoas de classe média baixa, que simplesmente querem distribuir o pouco que tem com aqueles que possuem menos que elas.

O grande objetivo de Lauren, marcado para 2017, quando ela completa 30 anos é alimentar 30.000 pessoas. Por causa da sua fé cristã e baseada no texto bíblico de João 13: 34-35, ela deu início a uma ONG chamada “Por amor aos outros”. Segundo o site oficial, seu objetivo é “melhorar a vida das pessoas de todas as origens, oferecendo oportunidades que lhes permitam viver uma vida com propósito.” Além de dar comida, Lauren Puryear trabalha para que essas pessoas tenham um emprego e voltem a ter seu próprio sustento. Com informações Gospel Herald

Fonte: noticias.gospelprime.com.br

sábado, 24 de setembro de 2016

Filha de Billy Graham conta como se livrou do divórcio: "Clamei desesperadamente a Deus"

Anne Graham casou-se com Danny Lotz e, vencendo um período de crise em seu relacionamento, completou 49 anos de casada.

Anne Graham (esquerda) e marido, Danny Lotz (direita) foram casados por 49 anos, até que o marido faleceu, em agosto de 2015. (Foto: Durham Sun Herald)
Anne Graham (esquerda) e marido, Danny Lotz (direita) foram casados por 49 anos, até que o marido faleceu, em agosto de 2015. (Foto: Durham Sun Herald)

A evangelista e escritora Anne Graham Lotz, filha do Rev. Billy Graham, compartilhou o que ela fez quando o amor entre ela e seu marido, Danny Lotz, pareceu "esfriar" e ela sentiu-se "presa" no relacionamento. O casal permaneceu unido por 49 anos, até que Danny faleceu em agosto de 2015.

Anne Graham casou-se com Danny - filho de um pastor de uma igreja de Nova York e que trabalhava como dentista em tempo integral - quando ela tinha 18 apenas anos. O casal teve três filhos em um período de 10 anos de seu casamento, ela relembra em artigo publicado no site Charisma News.

"Sem que eu percebesse, as tarefas do cotidiano tomaram conta de mim e eu acordei uma manhã, chegando à conclusão que eu estava em um casamento no qual o amor tinha acabado!", ela escreveu. "Eu nunca vou esquecer o sentimento de pânico e prisão que eu tive, quando eu me ajoelhei em oração, suplicando desesperadamente pela ajuda do Senhor".

No entanto, acrescenta, "Se você se sente preso em um casamento no qual o amor acabou, graças a Deus! Há esperança para você, exatamente como houve esperança para mim".

"O processo de cura começa com convidando Jesus para entrar em seu casamento", ela recomenda.

Referindo-se ao capítulo 2 do evangelho de João, sobre quando Jesus assistia a um casamento em Caná da Galiléia, Lotz aponta: "Que bênção simples, mas profunda para saber que pela primeira vez o véu se rasga e a glória de Jesus é revelada em uma casa, enquanto um casamento era celebrado".

Anne Graham é evangelista, escritora e educadora. (Foto: Christian Post)

Um casal cristão pode testemunhar um milagre em meio a uma crise em seu casamento, convidando Jesus para entrar em seu relacionamento, ela escreve, referindo-se à crise que ocorreu na cerimônia de casamento que Jesus participava: o vinho acabou.

"Naquele tempo e cultura, o fato do vinho esgotar-se faria com que os recém-casados passassem por ​​tamanha humilhação que nunca seriam capaz de levantar a cabeça em público novamente", explicou ela. "Este parecia ser um casamento em apuros, quase desde o momento em que começou... A perda do amor pode ocorrer de forma gradual, semelhante à maneira como eu espero que o vinho acabou no casamento em Caná. Um copo de cada vez até que ele se foi".

Lotz assinala que a mãe de Jesus, Maria, colocou o controle total da situação no casamento em nas mãos dEle, sabendo que Ele se importava com aquele casal.

"Você colocou o seu casamento e sua situação sob a sua própria autoridade?", ela pergunta. "Talvez uma das razões para que Deus permita a sua crise presente é para trazer você ao ponto de completa submissão à vontade dEle".

Anne Graham se lembra que foi exatamente isso que aconteceu em sua vida.

"Lembro-me de acordar cedo uma manhã, deslizando de joelhos e chorosa, perguntando a Deus mais uma vez sobre como eu poderia corrigir o meu relacionamento com Danny", contou.

Referindo-se a 1 João 4, que ela leu na época, Lotz diz que Deus estabeleceu três princípios básicos sobre o seu amor por Danny.

"O amor vem de Deus. Aqueles que são capazes de amar os outros, incluindo os seus cônjuges, são aqueles que nasceram de Deus. Aqueles que são capazes de amar os outros, mesmo quando o amor acaba, são aqueles que não só são nascidos de Deus, mas também conhecem a Deus", explicou.

Ela sabia que aquela passagem tinha lhe apresentado "a chave para mudar o meu casamento, para transformar água em vinho".

"A chave não foi para se concentrar em minha relação com Danny, mas para me concentrar em meu relacionamento com Deus!", ela salientou.

Ela conclui: "Jesus faz com que a mudança se torne possível mesmo quando o amor acabou. Ele nos convida a saborear e apreciar o 'vinho novo', enquanto você agradece a Deus do fundo do seu coração por ter-lhe enviado o Seu filho Jesus".

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHARISMA NEWS

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Advogada enfrenta preconceito para evangelizar crianças na China: "Nunca ouviram sobre Deus"

A jovem procura atuar com os grupos de crianças ensinando lições religiosas em inglês. (Foto: ASN).
A jovem procura atuar com os grupos de crianças ensinando lições religiosas em inglês. (Foto: ASN).

Yasmin sempre quis ensinar para crianças e decidiu se aventurar na China para ser professora de escolas locais. Ela afirma que existem algumas dificuldades.

A advogada Yasmin Abou Jaoude, de 25 anos decidiu se aventurar em uma missão diferente. Ela que é natural da cidade de Peruíbe, litoral de São Paulo e que sempre quis ser professora, foi para Shijiazhuang - cidade da China, capital da província de Hebei – para trabalhar na área de educação.

A jovem encontrou no país a oportunidade de realizar o seu sonho e conhecer uma nova cultura. Yasmin já mudou duas vezes de país e de cidade. “A oportunidade não surgiu, eu fui atrás. Sempre estive disposta a tentar uma experiência nova em outro país. Eu vi o anúncio da vaga na página do NUMCI (Núcleo de Missões e Crescimento de Igreja), entrei em contato direto com a escola e fui aprovada após participar do processo seletivo”, disse Yasmin.

“É importante ressaltar que o NUMCI não está vinculado ao projeto. Eu vim sem suporte de nenhuma organização, foi tudo por conta própria”, declarou.

A moça se mantém sozinha por meio de seu emprego e não precisou de reserva financeira para viajar. Os amigos também a apoiaram com doações, o que foi fundamental para ela se manter e se adaptar no primeiro mês.

Missão importante

A advogada ensina inglês para as crianças das escolas locais, com faixa etária entre 2 e 10 anos. “O maior desafio é ensinar o meu segundo idioma – o inglês – para alunos com um terceiro idioma, o chinês”, relata.

Para falar do amor de Deus, Yasmin procura realizar programações religiosas. Mas, a realidade que Yasmin enfrenta é bem diferente do Brasil, pois a Igreja Adventista não tem autorização para ser uma “organização” ou “instituição”.

“Os chineses têm a programação normal durante o sábado, mas os estrangeiros não podem participar. Por restrições legais, podemos nos encontrar apenas numa sala separada, em horários separados dos cultos dos chineses. Infelizmente, não posso ter muito contato com os chineses na igreja”, ressaltou.

Então, a jovem procura atuar com os grupos de crianças ensinando lições religiosas em inglês. Além disso, a nova professora desenvolveu técnicas didáticas e pedagógicas para eles conseguirem fixar os conteúdos. Entre as diversas formas lúdicas que a jovem encontrou para ensinar estão a mímica e o uso de objetos.

Maior dificuldade

Para ela, sair da zona de conforto é uma das maiores dificuldades de viver em um local tão distante. Yasmin ainda não tem uma comunidade ou eventos para frequentar. Ela também afirma que a barreira de não saber o idioma dificulta tarefas simples, como pegar ônibus ou fazer compras no supermercado.

“É assustador conhecer pessoas que nunca ouviram falar de Deus ou de Jesus. Pessoas que não têm referência nenhuma do que é o Cristianismo. As maiores conquistas têm sido o privilégio de viver a realidade chinesa e imergir na cultura, além de atuar em uma área nova e aprender com os alunos que o amor supera qualquer barreira”, finalizou Yasmin.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO SITE NOTÍCIAS ADVENTISTAS

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Capitão joga refugiados cristãos ao mar para que parassem de orar

Episódio aconteceu na travessia de Marrocos para a Espanha
Capitão joga refugiados cristãos ao mar para que parassem de orar

por Jarbas Aragão 
FACEBOOK

O capitão de um barco de refugiados está sendo julgado por ter jogado ao mar seis refugiados cristãos, o que resultou na morte deles. O motivo, segundo testemunhas, é que os homens que atravessavam do Marrocos para Espanha, oravam a Deus para que a forte tempestade parasse.

De acordo com Christian Today, o capitão Alain NB, do Camarões, pode pegar até 90 anos de prisão pelo assassinato dos refugiados nigerianos. A justiça da Espanha pede a condenação de 15 anos para cada um dos mortos.

O processo indica que o barco pilotado por Alain, que seria muçulmano, estava tendo dificuldades de atravessar o mar. Os seis refugiados cristãos começaram então a orar em voz alta, pedindo a intervenção de Deus. Um deles seria um pastor e liderou o grupo na intercessão.

O capitão os acusou de piorar a tempestade com suas orações. Juntamente com outros tripulantes, agrediu os homens antes de jogá-los ao mar, onde se afogaram. Até agora penas um corpo foi encontrado na costa de Granada.

Alain NB nega todas as acusações, em especial que o conflito tenha motivação religiosa. Seu advogado afirma que depoimentos de testemunhas são “inconsistentes”. Os promotores, no entanto, alegam que o capitão “estava ciente de que as vítimas não poderiam sobreviver e que iriam morrer, seja por afogamento, frio, ou por causa das lesões físicas que sofreram. Ele estava ciente da baixa temperatura, do mar revolto e a grande distância que estavam da costa, além da ausência de qualquer barco nas proximidades, que poderia resgatá-los”.

Segundo apontam as investigações, faziam a travessia cerca de 50 imigrantes em um barco inflável, que não tinha motor. A embarcação ficou à deriva ao largo da costa de Almería, sul da Espanha. Apenas 29 sobreviventes foram encontrados, alguns dias depois. Vários passageiros morreram ao longo da travessia por causa do mau tempo.

Os números mais recentes mostram que mais de 300.000 imigrantes já cruzaram o Mediterrâneo para a Europa em 2016. Estima-se que 3.000 morreram tentando fazer a travessia. A grande maioria são da Síria, seguidos por pessoas que fogem de guerras no Afeganistão, Iraque e Nigéria.

Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Bombeiro que perdeu emprego por defender sua fé é honrado pela imprensa americana

Em fevereiro de 2015, o bombeiro processou a cidade de Atlanta, apontando que ele foi injustamente rescindido. (Foto: Reprodução/Facebook).
Em fevereiro de 2015, o bombeiro processou a cidade de Atlanta, apontando que ele foi injustamente rescindido.
 (Foto: Reprodução/Facebook).

Kelvin Cochran foi demitido injustamente, acusado de discriminação por escrever em seu devocional uma passagem sobre o ponto de vista bíblico em relação a homossexualidade.

Ele não se jogou em uma casa em chamas para salvar pessoas ou qualquer coisa assim, embora ele tivesse feito isso também. Mas, este bombeiro recebeu um prêmio por mostrar sua coragem exemplar em uma dimensão ainda maior – a defesa de seus princípios cristãos frente à perseguição religiosa.

O ex-chefe dos bombeiros de Atlanta (EUA) Kelvin Cochran, recebeu recentemente o “Prêmio 2016 de Fé e Liberdade” da National Religious Broadcaster (NRB) – uma emissora cristã dos EUA.

"Kelvin Cochran é um bombeiro, entre bombeiros, um herói entre os heróis", disse o presidente da emissora, Dr. Jerry A. Johnson. "Ele se tornou um herói não só para proteger as nossas comunidades, mas por lutar bravamente contra até mesmo alguns liberais extremistas que realizaram atos de discriminação injusta contra sua fé", comentou.

Kelvin foi submetido a uma perseguição em 2014, quando recebeu queixas sobre o livro de mensagens devocionais para homens que ele escreveu. As reclamações foram feitas por causa de um capítulo onde ele expressa pontos de vista bíblicos sobre sexo, incluindo uma declaração contra a homossexualidade, que o autor incluiu em seu devocional.

Um vereador homossexual protestou contra a declaração e se queixou para a prefeita de Atlanta, Kasim Reed, que por sua vez ordenou que Kelvin fizesse um "treinamento de sensibilidade" antes de demiti-lo por "discriminação".

Em fevereiro de 2015, o bombeiro processou a cidade de Atlanta, apontando que ele foi injustamente rescindido.

Testemunhando perante o Congresso, ele disse, "Minha fé não me ensinou a discriminar ninguém. Mas em vez disso, me ensinou a amar a todos e reconhecer a dignidade humana e o valor inerente como sendo criado à imagem de Deus. Ensinou também que eu colocasse a minha vida, se necessário, a serviço da minha comunidade como um bombeiro. Eu diria que faria tudo de novo, se fosse necessário, mesmo nesta sala", disse.

O caso de Cochran, que ainda está pendente perante um Tribunal Distrital dos EUA, é apenas um dos muitos cristãos que estão a defender sua fé. Ao receber o prêmio, Kelvin disse que ficou "honrado além das palavras". Ele pediu aos servidores públicos cristãos para lutarem resolutamente por sua fé, porque os ataques à liberdade religiosa estão se intensificando.

"Todos os dias, os americanos têm de fazer uma escolha: se eles vão viver sua fé ou manter seus empregos ou negócios. Como tal, existe uma necessidade significativa para o corpo de Cristo a subir para níveis sem precedentes de unidade e solidariedade em matéria de liberdade religiosa", disse ele.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN TODAY

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Presidente de Israel elogia vínculo entre cristãos e judeus “por causa de seu amor”

Presidente de Israel elogia vínculo entre cristãos e judeus “por causa de seu amor”. (Foto: Miriam Alster/Flash90)
Presidente de Israel elogia vínculo entre cristãos e judeus “por causa de seu amor”. (Foto: Miriam Alster/Flash90)

"Tenho grande apreço pela amizade entre estes diferentes povos — independentemente das questões políticas — simplesmente por causa de seu amor por Israel e pelo povo judeu", declarou Reuven Rivlin.

Durante visita ao Museu Amigos de Sião, em Jerusalém, o presidente de Israel, Reuven Rivlin, observou a exposição que exibe histórias de corajosos cristãos que apoiaram os judeus e elogiou a ligação entre os dois povos.

Mostrando o vínculo histórico entre cristãos e judeus há mais 200 anos, o museu já recebeu mais de 70 mil visitantes no primeiro ano de funcionamento. Neste domingo (18), o local recebeu a visita de Rivlin à convite de seus fundadores, Mike Evans e Yossi Peled.

Na ocasião, Rivlin agradeceu pelo trabalho dos idealizadores do projeto e ressaltou o valor educativo que a exposição representa para Israel. "Tenho grande apreço pelo trabalho feito no museu e pela amizade entre estes diferentes povos — independentemente das questões políticas — simplesmente por causa de seu amor por Israel e pelo povo judeu".

Depois da abertura do museu no ano passado, o ex-presidente israelense Shimon Peres, juntamente com Evans, apresentou o projeto do museu para o ex-presidente americano George W. Bush e o príncipe Alberto II de Mônaco.

A visão do Museu Amigos de Sião é de servir como uma ponte, permitindo que pessoas de todo o mundo se juntem aos cristãos que ao longo da história têm apoiado o Estado de Israel.

Discurso aos cristãos

No início do ano passado, em sua primeira visita aos Estados Unidos, Rivlin optou por fazer seu primeiro discurso para líderes cristãos na Igreja Comunidade Cristã do Brooklyn, conhecida por ter membros negros. Nenhum dos nove presidentes israelenses anteriores foram a uma igreja evangélica fora de Israel. 

"Eu também tenho um sonho", disse Rivlin, fazendo uma analogia com a fala do pastor Martin Luther King, “que mais uma vez Deus vai bater na nossa porta. Eu sonho que Jerusalém, que é um microcosmo do mundo, vai servir de modelo para a coexistência entre as diferentes comunidades e religiões. Judeus e árabes não estavam condenados a viver juntos, mas destinados a viver juntos. Somos todos filhos de Abraão e, como disse o profeta Isaías: ‘Nos últimos dias, o monte do templo do Senhor será estabelecido como o principal; será elevado acima das colinas, e todas as nações correrão para ele... Pois a lei sairá de Sião, de Jerusalém virá a palavra do Senhor’”.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE CHARISMA NEWS